10 Poesias para o dia dos pais

0
458
Poesias para o dia dos pais

Olá, o Demonstre está trazendo hoje 10 poesias para o Dia dos Pais. Entre os poetas selecionados estão Mário Quintana, Ferreira Gullar e até Padre Fábio de Melo. Todos prestando homenagens, relembrando bons momentos e declamando seu amor.

O Dia dos Pais foi comemorado pela primeira vez no Brasil em 1953, no dia 14 de agosto. A data coincidiu com o aniversário de São Joaquim, patriarca da família. Desde então, estabeleceu-se que o feriado seria realizado nos segundos domingos de agosto. Em muitos países, porém, o Dia dos Pais ocorre no terceiro domingo de junho.

Independentemente do dia em que é comomemorado, o Dia dos Pais tem por objetivo homenagear esses homens atilados e abnegativos, que são importantes na vida de qualquer um. Tendo isso em mente, o Demonstre listou 10 poesias para o Dia dos Pais. Confira!

1. Poesias para o dia dos pais – Giuseppe Artidoro Ghiaroni

Para iniciar a lista, escolhi uma poesia do jornalista e escritor Giuseppe Antidoro Ghiaroni. É uma poesia bem saudosista, na qual a personagem adulta relembra certas ocasiões de sua infância; momentos que marcaram e construíram a base para seus sentimentos em relação ao pai.

Dia dos Pais

 

Meu pai está tão velhinho,

tem a mão branca e comprida,

parecendo a sua vida,

longa vida que se esvai.

E eu o lembro quando moço

de uma atlética altivez.

Ah! Tinha força por três!

Você se lembra, papai?

Menino, ouvia dizer

que você era um gigante.

Eu ficava radiante

e também me agigantava.

Porque toda madrugada,

eu quentinho do agasalho,

ao sair para o trabalho

o gigante me beijava.

Sua grande mão de ferro

parecia leve, leve

naquela carícia breve

que da memória não sai.

Depois… um beijo em mamãe

e o meu gigante partia.

E a casa toda tremia

com os passos de papai.

Mas agora o seu retrato

muito moço, muito antigo,

se parece mais comigo

do que mesmo com você.

Você já lembra vovô

e, à medida que envelhece,

papai, você se parece

com mamãe, não sei por quê.

Você se lembra, papai?

Quando mamãe, de repente,

caiu de cama, doente,

era o pai quem cozinhava.

Tão grande e desajeitado

a varrer… Quando eu o via

de avental, papai, eu ria;

eu ria e mamãe chorava.

Eu quis deixar o ginásio

para ganhar ordenado,

ajudar meu pai cansado,

mas tal não aconteceu.

Papai disse estas palavras:

Sou um operário obscuro,

mas você terá futuro,

será melhor do que eu.

Eu? Melhor que este velhinho

a quem devo o pão e o estudo?

Que é pobre porque deu tudo

à Família, à Pátria, à Fé?

Meu pai, com todo o diploma,

com toda a universidade,

quisera eu ser a metade

daquilo que você é.

E quero que você saiba

que, entre amigos, conversando,

meu assunto vai girando

e no seu nome recai.

Da sua força, coragem,

bondade eu conto uma história.

Todos vêem que a minha glória

é ser filho de meu pai.

“Um dia eu fui tomar banho

no rio que estava cheio.

Quando a correnteza veio,

vi a morte aparecer.

Papai saltou dentro d’água

nadando mais do que um peixe,

salvou-me e disse:_ Não deixe!

Não deixe mamãe saber!”.

Assim foi meu pai, o forte

que respeitava a fraqueza.

Nunca humilhou a pobreza,

nunca a riqueza o humilhou.

Estava bem com os homens

e com Deus estava bem.

Nunca fez mal a ninguém

e o que sofreu perdoou.

Perdoa então se lhe falo

Daquilo que não se esquece.

E a minha voz estremece

e há uma lágrima que cai.

Hoje sou eu o gigante

e você é pequenino.

Hoje sou eu que me inclino.

Papai… a bênção, papai.

2. Poesia sobre pais – Affonso Ritter

A poesia que se segue é do jornalista Affonso Ritter. Seus versos denotam o orgulho que um filho sente em relação ao pai. Orgulho em saber o quanto seu pai batalhou para lhe dar uma boa vida.

Imagem de um pai

Pensei que fosse fácil fazer-te um poema, papai.

Mas vejo que tua vida é um poema difícil, que a gente não pode escrever.

Vejo os calos das mãos que contam histórias de enxadas, caminhando pelos campos; e histórias de chinelos, falando uma linguagem, que os filhos não entendem.

Vejo os calos dos joelhos, que contam histórias humildes de horas silenciosas, conversadas com Deus.

Vejo as rugas da fronte que falam das rugas da alma como sulcos da terra que as chuvas abriram.

Vejo os pés cansados, rasgados por espinhos, que a gente não vê.

Vejo o calor brilhante do coração que sempre nos ama, quando ainda não sabíamos amar.

Eu me lembro de um pai, que dorme de olhos abertos pensando no filho, que não abre os olhos.

Lembro-me de um pai,
Que varre o lixo das ruas,
Pensando no lixo das casas,
Que não pode varrer.

Lembro-me de um pai,
Que bebe suas mágoas na garrafa,
Pensando matar as mágoas da vida.

Lembro-me de papai:
É difícil fazer um poema para ti,
Que vives o poema mais lindo.

3. Poesias para o dia dos pais – Luís Alves

A poesia Definição de Pai, de Luís Alves, apresenta um filho tecendo observações concernentes à paternidade sob seu ponto de vista; momentos de orgulho, de raiva, de benquerença, enfim, sentimentos que toda e qualquer pessoa mantém (ou manteve) para com seu pai.

Pausa rápida na sua leitura, só para dois avisos:

Poema de bom dia: Amor

Então, estamos começando o projeto Poema de bom dia, e você pode participar. Para poder participar, basta enviar um e-mail para: [email protected] os seguintes dados: nome, idade, endereço, telefone, email e cpf + sua poesia escrita no corpo de e-mail + arquivo de áudio ou vídeo com a poesia declama.

Esperamos seu material!!!

Projeto Poema de bom dia

O projeto Poema de bom dia é uma realização da Produtora Demonstre. Uma homenagem aos poetas locais e nacionais do nosso Brasil. Poemas diários para preencher seu dia de inspiração!

Amor – Álvares de Azevedo

Amemos! quero de amor
Viver no teu coração!
Sofrer e amar essa dor
Que desmaia de paixão!
Na tu’alma, em teus encantos
E na tua palidez
E nos teus ardentes prantos
Suspirar de languidez!

Quero em teus lábios beber
Os teus amores do céu!
Quero em teu seio morrer
No enlevo do seio teu!
Quero viver d’esperança!
Quero tremer e sentir!
Na tua cheirosa trança
Quero sonhar e dormir!

Vem, anjo, minha donzela,
Minh’alma, meu coração…
Que noite! que noite bela!
Como é doce a viração!
E entre os suspiros do vento,
Da noite ao mole frescor,
Quero viver um momento,
Morrer contigo de amor!

Facebook: https://bit.ly/2qr1CXu
Instagram @poemadebomdia: https://bit.ly/2qrbzDI
Website: http://demonstre.com/

Não deixe de se inscrever no canal do demonstre: https://www.youtube.com/demonstrec

Depressão é algo sério! Veja este vídeo!

Nele explico o que é depressão, as causas da depressão e seus sintomas.

Agora pode voltar para o seu texto! <3

Definição de pai

Pai que aos olhos da criança é herói
Pai que aos olhos do jovem é vilão
Pai que aos olhos do adulto é um amigo
Pai que aos olhos do velho é saudade

Quando eu te via como herói
Não sabia quase nada da vida
Sentia-me SEGURO ao seu lado
Eu só queria ser seu filho

Quando eu te vi como vilão
Pensava que já sabia tudo sobre a vida
Não queria proteção
Eu só queria ser herói

Quando eu te vi como amigo
Pude me dar conta dos erros cometidos
Foi quando realmente te conheci
Que entendi o sentido da vida

Quando me dei conta de sua falta
A idade já havia me alcançado
Você já não era mais herói, nem vilão
Nem amigo e nem solidão

Você virou soma de tudo aquilo que foi
De tudo aquilo que eu pensei que fosse
A síntese da vida que hoje eu vivo
A minha definição da palavra PAI!

4. Poesia sobre pais – João Dias Ferreira

A próxima poesia desta lista é de João Dias Ferreira. Trata-se de um soneto no qual o eu-lírico anseia pela disciplina paterna, seus conselhos e apoio num período de sua vida em que tais coisas podem parecer desnecessárias.

Soneto ao meu pai

Ei pai, quero tua voz a ditar-me o certo
num tom firme quando em meus deslizes.
Quero te olhar nos olhos, ouvir o que dizes,
guardar as lições no meu peito aberto.

Ei pai, todo bom caule tem boas raízes
plantio sem amor dá um fruto incerto.
Todo bom filho quer seu pai por perto
só abraçam o mundo os que são felizes.

Ei pai, tolere meus erros, não se zangue,
as mãos que punem também dão carinho,
no teu mapa do amor tem o meu caminho.

Ei pai, corre nas minhas veias o teu sangue.
Fiz-me do que és desde a concepção
dois corpos unidos num só coração!

5. Poesias para o dia dos pais – Ivone Boechat

A poesia que se segue foi composta por Ivone Boechat, escritora natural do Rio de Janeiro. Meu Pai apresenta versos bem pessoais, no qual a personagem revela detalhes simples e intimistas acerca de situações e/ou coisas que trazem à tona a memória de seu pai.

Meu pai

Gosto de rever
a imagem forte do meu pai,
tremendo o assoalho
ao caminhar.
É doce me lembrar
como se temia
quando ele perdia
a abotoadura,
o guarda-chuva,
a chave de fenda!
Hoje é lenda,
a figura enigmática,
a disciplina dura,
a rotina sistemática.
O pai não morre,
ele corre na frente
pra levantar o segredo do véu
e guardar pra gente
o lugar mais estrelado do céu.

6. Poesia sobre pais – Pe. Fábio de Melo

A próxima poesia tem por autor o Padre Fábio de Melo. É uma poesia que homenageia a figura paterna tratando-a com certa divindade, afinal pais – assim como Deus – também são dadores de vida.

Quando o sol ainda não havia cessado seu brilho,
Quando a tarde engolia aos poucos
As cores do dia e despejava sobre a terra
Os primeiros retalhos de sombra
Eu vi que Deus veio assentar-se
Perto do fogão de lenha da minha casa
Chegou sem alarde, retirou o chapéu da cabeça
E buscou um copo de água no pote de barro
Que ficava num lugar de sombra constante.
Ele tinha feições de homem feliz, realizado
Parecia imerso na alegria que é própria
De quem cumpriu a sina do dia e que agora
Recolhe a alegria cotidiana que lhe cabe.
Eu o olhava e pensava:
Como é bom ter Deus dentro de casa!
Como é bom chegar a essa hora da vida
Em que tenho direito de ter um Deus só pra mim.
Cair nos seus braços, bagunçar-lhe os cabelos,
Puxar a caneta do seu bolso
E pedir que ele desenhasse um relógio
Bem bonito no meu braço
Mas aquele homem não era Deus,
Aquele homem era meu pai
E foi assim que eu descobri
Que meu pai com o seu jeito finito de ser Deus
Revela-me Deus com seu
Jeito infinito de ser homem

7. Poesias para o dia dos pais – Pr. Adriano Nascimento

A poesia Ter Pai! Ser Pai!, do Pastor Adriano Nascimento, cria um paralelo (como o próprio título sugere) entre as emoções, situações de um filho que também é pai.

Ter pai! Ser pai!

Ter pai é ser cuidado
Ser pai é colocar em prática o cuidado

Ter pai é ser amado
Ser pai é ter o privilégio de amar.

Ter pai é aprender 
Ser pai é colocar em prática o aprendizado.

Ter pai desperta lágrimas
Ser pai coloca em prática o aprendizado de derramá-las

Ter pai é um privilégio 
Ser pai é participar desse privilégio

Ter pai é saudável
Ser pai é continuar a transmitir essa saúde tendo uma vida saudável

Ter pai alegra
Ser pai é se tornar um produtor de alegria

Ter pai traz felicidade
Ser pai é descobrir o real sentido da felicidade

Ter pai traz satisfação
Ser pai mostra o quanto preciso me esforçar para satisfazer

Ter pai é brincar
Ser pai é se tornar mágico, ilusionista e criador de todos os mundos existentes ou não.

Ter pai é condicional
Ser pai é aprender que a condição não dita necessariamente o que você se torna.

Ter pai é presente
Ser pai é alinhar o passado com o presente para ver o futuro

Ter pai é para todos
Ser pai não é para qualquer um

Ter pai é experimentar
Ser pai é se tornar gênio de todos os experimentos que podemos imaginar.

Tenho pai
Sou pai

Tenho um pai que amo
Sou um pai que constrói amor 

Tenho um pai que admiro
Sou pai que conquista admiração

Tenho um pai autêntico
Sou um pai em busca de autenticidade

Obrigado Deus!
Por me privilegiar com o pai que tenho

Por me ensinar a privilegiar na prática as filhas que me deste

Obrigado Deus por que é pai de todos nós

Obrigado Deus por me dar um pai! Obrigado por me fazer pai!

 

8. Poesia sobre pais – Artur da Távola

A poesia Ser Pai, de Artur da Távola (pseudónimo de Paulo Alberto Artur da Tavola Moretzsonh Monteiro de Barros), jornalista e escritor, reflete sobre tudo que está envolvido na paternidade; os prós e contras; os bons e maus momentos; a ingratidão e malcriadez dos filhos, mas também seu respeito e amor.

Ser pai

Ser pai

é acima de tudo, não esperar recompensas.
Mas ficar feliz caso e quando cheguem.
É saber fazer o necessário por cima e por dentro da incompreensão.
É aprender a tolerância com os demais e exercitar a dura intolerância
(mas compreensão) com os próprios erros.

Ser pai
é aprender errando, a hora de falar e de calar.
É contentar-se em ser reserva, coadjuvante,
deixado para depois. Mas jamais falar no momento preciso.
É ter a coragem de ir adiante, tanto para a vida quanto para a morte.
É viver as fraquezas que depois corrigirá no filho, fazendo-se forte em
nome dele e de tudo o que terá de viver para compreender e enfrentar.

Ser pai
é aprender a ser contestado mesmo quando no auge da lucidez. É esperar.
É saber que experiência só adianta para quem a tem, e só se tem vivendo.
Portanto, é agüentar a dor de ver os filhos passarem
pelos sofrimentos necessários,
buscando protegê-los sem que percebam,
para que consigam descobrir os próprios caminhos.

Ser pai
é saber e calar. Fazer e guardar. Dizer e não insistir.
Falar e dizer. Dosar e controlar-se. Dirigir sem demonstrar.
É ver dor, sofrimento, vício, queda e tocaia, jamais transferindo aos filhos o que,
a alma, lhe corrói. Ser pai é ser bom sem ser fraco. É jamais transferir aos filhos
a quota de sua imperfeição, o seu lado fraco, desvalido e órfão.

Ser pai
é aprender a ser ultrapassado, mesmo lutando para se renovar.
É compreender sem demonstrar, e esperar o tempo de colher,
ainda que não seja em vida.
Ser pai é aprender a sufocar a necessidade de afago e compreensão.
Mas ir às lágrimas quando chegam.

Ser pai
é saber ir-se apagando à medida em que mais nítido
se faz na personalidade do filho,
sempre como influência, jamais como imposição.
É saber ser herói na infância, exemplo na juventude
e amizade na idade adulta do filho.
É saber brincar e zangar-se. É formar sem modelar, ajudar sem cobrar,
ensinar sem o demonstrar, sofrer sem contagiar, amar sem receber.

Ser pai
é saber receber raiva, incompreensão, antagonismo, atraso mental, inveja,
projeção de sentimentos negativos, ódios passageiros, revolta, desilusão
e a tudo responder com capacidade de prosseguir sem ofender;
de insistir sem mediação, certeza, porto, balanço, arrimo, ponte,
mão que abre a gaiola, amor que não prende, fundamento, enigma, pacificação.

 

9. Poesia sobre pais – José Agostinho Baptista

A próxima poesia é criação de um poeta português, José Agostinho Baptista. Seus versos retratam a lembrança de um momento simples que a personagem viveu junto de seu pai, mas que possui imenso valor. É o tipo de lembrança que qualquer filho guarda para a vida toda.

Memória

é de ti que eu falo
hoje
quando
todos os pássaros emigram do outono
para os beirais destruídos
quando os olhos cegos de conhecerem as margens
se fecham devagar
é de ti que eu falo.

lembras-te?

era janeiro e eu vinha como quem desce.
a casa tinha janelas azuis e à volta
um tempo de febre e canções longínquas.

estávamos sós.

lembras-te?

então o pai atravessa o cais.
aí paravam os estios da ilha
os ventos do atlântico queimavam os lábios
e ele dizia:

cresce filho   corre filho

para onde irei   para onde?

e ele dizia:

perdidos foram os teus lugares,
os caminhos íngremes e os contos de
terror,
as pedras húmidas onde te sentaste a
falar para o mar.

lembras-te?

10. Poesias para o dia dos pais – Mário Quintana

A última poesia da lista é de Mario Quintana. Sua poesia As Mãos de Meu Pai retrata o orgulho de um filho ao refletir sobre as pelejas enfrentadas pelo pai enquanto observa suas mãos já idosas.

As mãos de meu pai

As tuas mãos têm grossas veias como cordas azuis
sobre um fundo de manchas já cor de terra
— como são belas as tuas mãos —
pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram
na nobre cólera dos justos…

Porque há nas tuas mãos, meu velho pai,
essa beleza que se chama simplesmente vida.
E, ao entardecer, quando elas repousam
nos braços da tua cadeira predileta,
uma luz parece vir de dentro delas…Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente,
vieste alimentando na terrível solidão do mundo,
como quem junta uns gravetos e tenta acendê-los contra o vento?
Ah, Como os fizeste arder, fulgir,
com o milagre das tuas mãos.E é, ainda, a vida
que transfigura das tuas mãos nodosas…
essa chama de vida — que transcende a própria vida…
e que os Anjos, um dia, chamarão de alma…

Obrigado por ler até aqui!

Como já foi dito, o Dia dos Pais é uma data comemorativa recente, contudo a primeira homenagem direcionada a uma figura paterna ocorreu há 4000 anos na Babilônia. Um jovem chamado Elmesu criou um cartão de argila desejando longa vida ao pai.

As poesias desta lista também são ótimas para prestigiar os pais por meio de cartão. Além disso, também servem para transmitir uma mensagem ao leitor para que este aproveite todos os momentos ao lado de seu pai.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here