Faça parte do nosso mundo mágico!

Por enquanto somos poucos, mas logo seremos uma legião! Inscreva-se! <3

6 dicas para estudar sozinho

6 dicas para vencer o desafio de estudar sozinho

Estudar sozinho é um grande desafio para muitas pessoas, principalmente para aqueles com problemas de disciplina e concentração. No mundo tecnológico de hoje que somos bombardeados o tempo todo por redes sociais, aplicativos de conversação entre outros e conseguir render sozinho exige autocontrole. Para melhorar seus estudos existem algumas ações que podem ajudar. Vou listar 6 passos para você aumentar sua concentração e conseguir se dar bem em estudos individualizados.

O desafio de estudar sozinho
O desafio de estudar sozinho

1º dica – Rotina 

Estudar sozinho é um grande desafio para muitas pessoas, mas ao estabelecer uma rotina você pode dar o primeiro passo. Faça um horário semanal com as horas e o tipo de atividade que você pretende fazer. Nada utópico, seja pé no chão, planeje uma agenda que você sabe que vai cumprir e coloque em um canto visível do seu local de estudo. Depois se quiser aumentar o ritmo é com você.

Além de manter a rotina de horários você precisa cuidar do seu corpo. Isso inclui se alimentar bem, dormir o suficiente, fazer exercícios regularmente e ter sempre um copo ou uma garrafinha de água com você. Você sabia que um estudo britânico mostrou que se você ingerir 500ml de água antes de atividades intelectuais seu corpo apresenta reações 14% mais rápidas? Seu cérebro precisa de água para funcionar, então manter ele hidratado é uma medida interessante para quem quer potencializar seu rendimento nos estudos.

2º dica – Seu ambiente de estudo


 Outra dica ótima é sobre seu ambiente de estudo. Se possível escolha um local sem distrações, silencioso e sem muito movimento, e estude sempre nele. Ao estudar sempre no mesmo horário e no mesmo local, você consegue condicionar melhor seu cérebro a se concentrar. Tome cuidado com a luminosidade. Mantenha o ambiente luminoso pela manhã para inibir a sonolência, mas a noite não exagere na intensidade da luz pois em excesso pode inibir a melatonina (hormônio do repouso) e causar insônia.

3º dica – Respeite seu limite

Uma dica preciosa é quanto a duração de seu estudo. Seu cérebro não rende a mesma coisa por 5 horas consecutivas. Salvo exceções, a maioria das pessoas tem sua concentração diminuída a cada 50 minutos. Portanto, dê intervalos de 10 minutos: lanche, beba água, dê uma volta e depois volte aos estudos, seu cérebro agradece.

4º dica – Defina metas

Definir metas é um ótimo aliado para lhe motivar a estudar. Nada como dizer a seu cérebro que você vai passar horas estudando para manter uma boa média na escola ou conseguir passar naquele concurso sonhado. Faça metas de médio e longo prazo, mas específicas. Muito melhor uma meta de passar em concurso X do que estudar para conseguir um bom emprego. Metas vagas nunca são boas escolhas. Para ajudar no alcance de suas metas de médio e longo prazo trace metas diárias de estudo: 2 capítulos de tal livro ou a apostila inteira de direito civil. Torna sua rotina mais objetiva e viável.

5º dica – Fixe o conteúdo

Uma boa estratégia de fixação é praticar. Faça exercícios; fichamentos; grave você falando o conteúdo e depois ouça; faça esquemas; discuta com alguém o que você estudou; faça uma tempestade de ideias e coloque no papel tudo que você lembra do que estudou no dia ou numa tarde; ou veja vídeos no youtube sobre o assunto. Quanto mais sentidos (fala, audição e visão) você usar na sua rotina melhor o conteúdo será fixado. Então coloque sua criatividade para funcionar e diversifique os seus modos de aprendizado!

6º dica – Desopile!

Você não é uma máquina, então trate de nos finais de semana sair com amigos, pegar aquela praia ou curtir aquele cineminha. Se você encarar uma rotina muito frenética de estudos vai gerar estresse e por mais que você queira suas sinapses não vão funcionar como deveriam e seu rendimento vai cair. Fato. Então, nada de bancar a máquina, desopile!

Espero que tenham gostado das dicas. Bons estudos e continuem acompanhando o Demonstre! Hasta! 😀

Fonte: http://super.abril.com.br/comportamento/como-estudar-sozinho-em-casa
Bellini Bellini
Post Author
Felipo Bellini
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN. Na infância apresentei problemas de aprendizagem, o que me permitiu ter contato com diversas experiências para evoluir meu nível escolar, e no decorrer desse processo refletir a prática e interação como objetos necessários para a aquisição de conteúdo. Todo esse contato com as metodologias de aprendizagem e acompanhamento da minha família fez com que muito cedo assumisse minha primeira sala de aula, sendo monitor e depois professor em um curso pré-vestibular da cidade. O interesse na docência era claro, e com 17 anos entrei em Letras na UFRN. Participei desde o primeiro semestre de projetos de pesquisa e extensão; sendo os mais relacionados ao ensino o PIBID, o ÁGORA, o PROCEM e o Curso de Português para Estrangeiros com Cinema. Minha intenção era diversificar e experimentar o que estivesse ao meu alcance, afim de gerar o máximo de experiências na universidade. Por indicação consegui uma estadia para o País de Gales, no Reino Unido, onde fiquei durante 6 meses dando aula de português para estrangeiros na universidade de Cardiff, e recebi uma bolsa da CELTIC para cursar o nível C1 e um curso de literatura básico. No período fiz também o curso técnico de tradução acadêmica pela Cardiff Library (4 meses) e o de Counselor - Educational Issues (2 meses), o último me dando vivência dentro das escolas públicas do país. Após minha formação, em 2013, empreendi na área da educação, montando duas empresas. A primeira uma rede social para professores e alunos chamada TUTORA.ME, onde conseguimos a adesão de mais de 6 mil membros cadastrados, sendo mais de 25% deles ativos diariamente até o fim da plataforma no final de 2015. A segunda um cursinho popular chamado Garra-RN, onde o maior foco era o aprendizado dos alunos através da colaboração e aulas desafio. Esse método nos trouxe ótimos resultados na unidade de Goianinha, com mais de 70% dos alunos aprovados nos concursos públicos de interesse no fim de 2015 e início de 2016. Hoje posso dizer que minha maior motivação são as aulas que leciono no ensino público, onde sou concursado desde 2014. Adoro sair das aulas e ouvir dos alunos que eles tiveram a melhor aula até o momento. Minha busca está na transformação do espaço social e em como conseguir engajamento e metrificar a performance dos meus alunos através de suas atitudes pró-aprendizagem. Neste processo de formação docente que continuo passando encontrei no desenvolver da leitura e escrita com o alunado a resposta para precipícios sociais que nas dinâmicas e brincadeiras costumeiras das aulas de inglês não evidenciava. Passei a inserir dentro das aulas de inglês diversas atividades para resolver os problemas escolares e da comunidade, sempre na perspectiva do aluno. Foram desde cartas de protestos até fanpages para campanhas sociais. Pesquisas comunitárias, projetos de empreendedorismo e até um projeto de escola bilíngue que nas discussões me motivaram a seguir adiante e procurar o curso de Especialização do Ensino da Escrita, onde pretendo me aprimorar e retornar o máximo que puder para os meus alunos.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *