9 Poemas de bom dia em vídeo

0
268

Olá pessoal, trouxe 9 poemas de bom dia em vídeo para vocês.

9 Poemas de bom dia

O Demostre começou esse mês de abril o Projeto Poema de bom dia. Esse projeto tem o objeivo de homenagear poetas nacionais e locais. Para isso estamos lançando vídeos de poemas todo dia aqui no Demonstre. Os vídeos terão também entrevistas com poetas locais para conhecermos eles melhor e nos inspirar também.

Estes vídeos fazem parte do projeto: Poema de bom dia, que está sendo publicado no canal do youtube do Demonstre e que você pode participar!

Para participar basta mandar um e-mail para [email protected] com seus dados cadastrais, uma minibiografia, suas poesias por escrito e em áudio mp3.

1 – Poemas de bom dia: Versos Íntimos – Augusto dos Anjos

 

Vês! Ninguém assistiu ao formidável

Enterro de tua última quimera.

Somente a Ingratidão – esta pantera –

Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!

O Homem, que, nesta terra miserável,

Mora, entre feras, sente inevitável

Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!

O beijo, amigo, é a véspera do escarro,

A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,

Apedreja essa mão vil que te afaga,

Escarra nessa boca que te beija!

 

Confira o vídeo desse poema Versos Íntimos – Augusto dos Anjos:

 

2 – Poemas de bom dia: Amor – Álvares de Azevedo

 

Amemos! quero de amor

Viver no teu coração!

Sofrer e amar essa dor

Que desmaia de paixão!

Na tu’alma, em teus encantos

E na tua palidez

E nos teus ardentes prantos

Suspirar de languidez!

Quero em teus lábios beber

Os teus amores do céu!

Quero em teu seio morrer

No enlevo do seio teu!

Quero viver d’esperança!

Quero tremer e sentir!

Na tua cheirosa trança

Quero sonhar e dormir!

Vem, anjo, minha donzela,

Minh’alma, meu coração…

Que noite! que noite bela!

Como é doce a viração!

E entre os suspiros do vento,

Da noite ao mole frescor,

Quero viver um momento,

Morrer contigo de amor!

 

Confira o vídeo desse poema Amor – Álvares de Azevedo:

 

3 – Poemas de bom dia: Soneto de fidelidade – Vinicius de Moraes

 

De tudo, ao meu amor serei atento antes

E com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.

 

Confira o vídeo desse poema Soneto de fidelidade – Vinicius de Moraes:

 

4 – Poemas de bom dia: Canção do Exílio – Gonçalves Dias

 

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá;

As aves, que aqui gorjeiam,

Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,

Nossas várzeas têm mais flores,

Nossos bosques têm mais vida,

Nossa vida mais amores.

Em cismar – sozinho – à noite –

Mais prazer encontro eu lá;

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,

Que tais não encontro eu cá;

Em cismar – sozinho – à noite –

Mais prazer encontro eu lá;

Minha terra tem palmeiras,

Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,

Sem que eu volte para lá;

Sem que eu desfrute os primores

Que não encontro por cá;

Sem qu’inda aviste as palmeiras,

Onde canta o Sabiá.

 

Confira o vídeo desse poema Canção do Exílio – Gonçalves Dias:

 

Anúncios do Demonstre que vão te interessar:

Primeiro anúncio:

Estamos com o nosso aplicativo de formação de professores baseado em QUIZ já na Google Play. Baixe agora e teste suas habilidade docentes.

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.demonstre.quizapp

O aplicativo é gratuito e recebe um teste novo por semana. Ideal para quem quer revisar o conteúdo ou estudar para concurso.

Obs: o aplicativo é preparado com uma metodologia baseada em reflexão de tarefa, então, cada questão e resposta são apresentadas de maneira a validar e construir o conhecimento do usuário.

Segundo anúncio:

Continuamos com o projeto Poema de bom dia firme e forte, com mais de 30 publicações. Para ter acesso basta visitar o canal do Demonstre no Youtube: https://www.youtube.com/user/demonstrec ou clicar no play aqui na nossa playlist:

Para enviar o seu poema, basta encaminha o mp3 + o texto para o e-mail: [email protected].

Terceiro anúncio:

O produto dieta em 21 dias está anunciando conosco e promete resultados incríveis. Fiz o teste de inflamação celular e me convenceu. Faça e veja se te convence também:

Clique aqui!

dieta 21 dias

Eles oferecem essa página cheia de depoimentos para quem quer ouvir histórias de outras pessoas:

Clique aqui!

dieta 21 dias

E essa é a página de vendas com o desconto do Demonstre:

Clique aqui!

dieta 21 dias

Bom, é isso. Continue com seu texto. <3

5 – Poemas de bom dia: Traduzir-se – Ferreira Gullar

 

Uma parte de mim

é todo mundo;

outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.

Uma parte de mim

é multidão:

outra parte estranheza

e solidão.

Uma parte de mim

pesa, pondera;

outra parte

delira.

Uma parte de mim

almoça e janta;

outra parte

se espanta.

Uma parte de mim

é permanente;

outra parte

se sabe de repente.

Uma parte de mim

é só vertigem;

outra parte,

linguagem.

Traduzir-se uma parte

na outra parte

— que é uma questão

de vida ou morte —

será arte?

 

Confira o vídeo desse poema Traduzir-se – Ferreira Gullar:

 

6 – Poemas de bom dia: Quadrilha – Carlos Drummond de Andrade

 

João amava Teresa que amava Raimundo

que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili

que não amava ninguém.

João foi pra os Estados Unidos, Teresa para o convento,

Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,

Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes

que não tinha entrado na história.

 

Confira o vídeo desse poema Quadrilha – Carlos Drummond de Andrade:

 

7 – Poemas de bom dia: Vou me embora pra Pasárgada – Manuel Bandeira

 

Vou-me embora pra Pasárgada

Lá sou amigo do rei

Lá tenho a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada

Aqui eu não sou feliz

Lá a existência é uma aventura

De tal modo inconseqüente

Que Joana a Louca de Espanha

Rainha e falsa demente

Vem a ser contraparente

Da nora que nunca tive

E como farei ginástica

Andarei de bicicleta

Montarei em burro brabo

Subirei no pau-de-sebo

Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado

Deito na beira do rio

Mando chamar a mãe-d’água

Pra me contar as histórias

Que no tempo de eu menino

Rosa vinha me contar

Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo

É outra civilização

Tem um processo seguro

De impedir a concepção

Tem telefone automático

Tem alcalóide à vontade

Tem prostitutas bonitas

Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste

Mas triste de não ter jeito

Quando de noite me der

Vontade de me matar

— Lá sou amigo do rei —

Terei a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada.

 

Confira o vídeo desse poema Vou me embora pra Pasárgada – Manuel Bandeira:

8 – Poemas de bom dia: Timidez – Cecília Meireles

 

Basta-me um pequeno gesto,

feito de longe e de leve,

para que venhas comigo

e eu para sempre te leve. . .

— mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída

das montanhas dos instantes

desmancha todos os mares

e une as terras mais distantes..

— palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,

entre os ventos taciturnos,

apago meus pensamentos,

ponho vestidos noturnos,

— que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,

os mundos vão navegando

nos ares certos do tempo,

até não se sabe quando…

— e um dia me acabarei.

 

Confira o vídeo desse poema Timidez – Cecília Meireles:

 

9 – Poemas de bom dia: Não se mate – Carlos Drummond de Andrade

 

Carlos, sossegue, o amor

é isso que você está vendo:

hoje beija, amanhã não beija,

depois de amanhã é domingo

e segunda-feira ninguém sabe

o que será.

Inútil você resistir

ou mesmo suicidar-se.

Não se mate, oh não se mate,

Reserve-se todo para

as bodas que ninguém sabe

quando virão,

se é que virão.

O amor, Carlos, você telúrico,

a noite passou em você,

e os recalques se sublimando,

lá dentro um barulho inefável,

rezas,

vitrolas,

santos que se persignam,

anúncios do melhor sabão,

barulho que ninguém sabe

de quê, praquê.

Entretanto você caminha

melancólico e vertical.

Você é a palmeira, você é o grito

que ninguém ouviu no teatro

e as luzes todas se apagam.

O amor no escuro, não, no claro,

é sempre triste, meu filho, Carlos,

mas não diga nada a ninguém,

ninguém sabe nem saberá.

Não se mate.

 

Confira o vídeo desse poema Não se mate – Carlos Drummond de Andrade:

FIM destes poemas de bom dia

Bom, é isso pessoal. Não deixe de conferir nosso canal no youtube e de se inscrever, certo?

Estaremos publicando bastante material, como entrevistas, listas e dicas para alunos e professores.

Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here