Faça parte do nosso mundo mágico!

Por enquanto somos poucos, mas logo seremos uma legião! Inscreva-se! <3

A Mulher e o Balde de Leite – Fábula para Interpretação

A Mulher e o Balde de Leite – Uma Fábula sobre Expectativas

Olá pessoal! Vamos para mais uma fábula hoje? A história da vez tem como objetivo nos mostrar como que pessoas que fazem planos muito precipitadamente podem acabar se surpreendendo!

A Mulher e o Balde de Leite

A Mulher e o Balde de Leite

Uma jovem e bela leiteira voltava do campo com um balde de leite, cheio até quase o topo, recentemente tirado das vacas. O balde transbordava, mas em nada abalava a moça, que balançava sua cabeça de maneira graciosa para se equilibrar.

Caminhando feliz de vida, a cabeça da jovem não parava de pensar. E sem prestar atenção à sua volta, organizar as atividades nas quais tinha interesse para os próximos dias.

Ela refletia consigo mesma:

“Este bom e rico leite me dará um formidável creme para manteiga. A manteiga eu levarei ao mercado, e com o dinheiro comprarei uma porção de ovos para chocar. E como serão lindos os pintinhos ao nascerem. Já posso vê-los correndo e ciscando pelo terreiro.”

“Quando o dia primeiro de maio chegar, eu venderei os pintinhos para todo mundo, e com o dinheiro comprarei um belo vestido novo. Com ele, quando for ao mercado, com certeza serei o centro das atenções. Todos os rapazes olharão para mim. Eles então virão e tentarão me paquerar, mas eu imediatamente mandarei todos cuidarem de suas vidas!”

Enquanto ela imaginava com exatidão todos os acontecimentos futuros de sua vida, jogou sua cabeça despreocupada para trás, derrubando o balde com o leite sem querer.

Com o leite derramado e absorvido pela terra, lá se foram a manteiga, os ovos, os pintinhos, o vestido novo, e todo seu orgulho de leiteira.

A Mulher e o Balde de Leite

Moral: Não conte com os pintinhos se eles sequer saíram do ovo.

Autor: Esopo
Adaptação: Felipo Bellini Souza

Questionário

  1. Qual a principal ideia expressada no texto?
  2. Explique com suas palavras a moral da história.
  3. Aponte três substantivos.
  4. De acordo com o texto, o que acontece de inicio para que ela começasse a sonhar?
  5. E ainda segundo o texto, qual foi o fato que a fez acordar?
  6. Aponte os significados da palavra “leiteira”.
  7. Escreva uma frase, em que a palavra “leiteira” aparece em sentido diferente do texto.
  8. Identifique o trecho que o verbo “ser” aparece no futuro do presente.
  9. despreocupada, jogou para trás a cabeça – o que significa o termo em destaque.
  10. Reescreva a frase sem perder o sentido da palavra.

Caso queira utilizar estes materiais diretamente em sala de aula, você pode conferir as fichas tanto para alunos como professores a seguir. Baixe e Imprima da maneira que achar melhor.

Versão do Aluno

Versão do Professor

Ficha para Impressão – Versão do Aluno

Ficha para Impressão – Versão do Professor

E aí, gostaram? Tomar cuidado com as expectativas é essencial para que não se cometa erros que mudem completamente os seus planos. Se você não cria-las em um nível muito grande, as chances de se diminuir as frustrações, e mesmo se deixar surpreender, se tornam ainda melhores. Então, tome sempre cuidado com as expectativas.

Quer mais histórias assim? Então não deixe de assinar o canal e conferir também o nosso blog! Estamos cada vez com mais fábulas e textos maravilhosos! Até a Próxima!

Bellini Bellini
Post Author
Felipo Bellini
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN. Na infância apresentei problemas de aprendizagem, o que me permitiu ter contato com diversas experiências para evoluir meu nível escolar, e no decorrer desse processo refletir a prática e interação como objetos necessários para a aquisição de conteúdo. Todo esse contato com as metodologias de aprendizagem e acompanhamento da minha família fez com que muito cedo assumisse minha primeira sala de aula, sendo monitor e depois professor em um curso pré-vestibular da cidade. O interesse na docência era claro, e com 17 anos entrei em Letras na UFRN. Participei desde o primeiro semestre de projetos de pesquisa e extensão; sendo os mais relacionados ao ensino o PIBID, o ÁGORA, o PROCEM e o Curso de Português para Estrangeiros com Cinema. Minha intenção era diversificar e experimentar o que estivesse ao meu alcance, afim de gerar o máximo de experiências na universidade. Por indicação consegui uma estadia para o País de Gales, no Reino Unido, onde fiquei durante 6 meses dando aula de português para estrangeiros na universidade de Cardiff, e recebi uma bolsa da CELTIC para cursar o nível C1 e um curso de literatura básico. No período fiz também o curso técnico de tradução acadêmica pela Cardiff Library (4 meses) e o de Counselor - Educational Issues (2 meses), o último me dando vivência dentro das escolas públicas do país. Após minha formação, em 2013, empreendi na área da educação, montando duas empresas. A primeira uma rede social para professores e alunos chamada TUTORA.ME, onde conseguimos a adesão de mais de 6 mil membros cadastrados, sendo mais de 25% deles ativos diariamente até o fim da plataforma no final de 2015. A segunda um cursinho popular chamado Garra-RN, onde o maior foco era o aprendizado dos alunos através da colaboração e aulas desafio. Esse método nos trouxe ótimos resultados na unidade de Goianinha, com mais de 70% dos alunos aprovados nos concursos públicos de interesse no fim de 2015 e início de 2016. Hoje posso dizer que minha maior motivação são as aulas que leciono no ensino público, onde sou concursado desde 2014. Adoro sair das aulas e ouvir dos alunos que eles tiveram a melhor aula até o momento. Minha busca está na transformação do espaço social e em como conseguir engajamento e metrificar a performance dos meus alunos através de suas atitudes pró-aprendizagem. Neste processo de formação docente que continuo passando encontrei no desenvolver da leitura e escrita com o alunado a resposta para precipícios sociais que nas dinâmicas e brincadeiras costumeiras das aulas de inglês não evidenciava. Passei a inserir dentro das aulas de inglês diversas atividades para resolver os problemas escolares e da comunidade, sempre na perspectiva do aluno. Foram desde cartas de protestos até fanpages para campanhas sociais. Pesquisas comunitárias, projetos de empreendedorismo e até um projeto de escola bilíngue que nas discussões me motivaram a seguir adiante e procurar o curso de Especialização do Ensino da Escrita, onde pretendo me aprimorar e retornar o máximo que puder para os meus alunos.

Comments

1 Comentário
  1. posted by
    Fernando Blikstein
    jun 5, 2016 Reply

    Adorei a fábula. Tem um grande ensinamento, como você mencionou, não podemos criar grandes expectativas antes das coisas acontecerem, temos que manter os pés no chão e o foco naquilo que estamos realizando primeiro, pois qualquer distração poderá colocar tudo a perder. Gosto muito de fábulas de esopo e recomendo que elas sejam bastante trabalhadas em sala de aula, como atividades pedagógicas, para motivar os alunos à cultura e leitura, e para os ensinamentos que elas trazem aos seus leitores. Além disso, elas trazem grande conteúdo cultural.
    Ótima publicação! Sucesso para vocês!

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *