Olá querido leitor, estou aqui para dar continuidade a nossa série de livros sobre psicologia da educação, focando na teoria de Alfred Adler e em como ele contribui para noção do indivíduo dentro das interações sociais.

Alfred Adler

Alfred Adler

Durante sua infância, o austríaco natural de Viena Alfred Adler ( 1870-1937) foi uma criança adoecida, de aspecto franzino e triste. Por muitas vezes seus professores o subestimaram, mas ele usou todas as adversidades de maneira proativa em sua vida.

Apesar de sofrer influências negativas interpessoais, fisiológicas e ambientais (que não dependiam dele), Adler perseverou e superou cada uma delas. Além de renomado profissional, Alfred Adler, acima de tudo, foi um homem feliz.

Formado em psicanálise, acreditava veementemente no poder do consciente sobre o comportamento, diferentemente de Freud, que enxergava o inconsciente como fator moderador do comportamento.

A psicologia individual ligada aos aspectos sociais

Segundo a perspectiva proposta por Adler, não é o sexo que move o ser humano, e sim o sentimento de inferioridade. O autor não negava a importância da infância e suas vivências, mas sobretudo, atribuía maior relevância aos aspectos sociais perante os biológicos. Durante sua longa carreira, deparou-se com pessoas portadoras de grandes problemas e fraquezas orgânicas que lutavam vorazmente para compensá-las e superá-las.

Eu acredito que você já ouviu falar no termo complexo de inferioridade, não é mesmo? Pois bem, este conceito faz parte da obra de Adler, onde a agressão é uma ferramenta na luta pelo poder. Calma, ressalto que a palavra “agressão” neste contexto não é sinônimo de hostilidade. A agressão em nosso tema nada mais é do que a vontade de poder; desejo de atingir o estado de perfeição ou de superioridade. Trata-se da genuína busca pelo aperfeiçoamento e desenvolvimento das potencialidades e capacidades individuais.

A obra de Adler deu origem ao que conhecemos hoje como Psicologia individual. Em sua teoria, o ser humano tem de lidar com três grandes desafios em sua vida: o trabalho, a amizade e o amor.

Há, inclusive, outra tríade que afeta a vida humana; ela ocorre durante a infância. Inferioridade orgânica, superproteção e rejeição afetam a vida adulta, originando a falta de vontade e a baixa cooperação, fazendo com que as pessoas se isolem. Se uma criança sofre maus tratos durante a infância, comumente desenvolverá sentimentos negativos; a inveja e o ódio. Para essas pessoas é muito difícil (chega a ser até angustiante) ver alguém feliz e bem-sucedido. 

Adler e a educação

A educação é um trabalho que só poderá ser fruto da cooperação entre educador e aluno. Quando o último sabe que está trabalhando juntamente com o professor, o interesse social naturalmente é despertado e este indivíduo poderá desenvolver suas potencialidades e superar a inferioridade.

Segundo Adler, a terapia deveria prover apoio e o senso de cooperação que a criança nunca recebeu em família. Atente-se ao fato de que para ele, quando o interesse de um indivíduo se volta para o “eu”, ao invés de focar-se nas outras pessoas, essa é a origem da maior parte dos problemas psicológicos.

Seguindo essa linha de raciocínio, para o Adler a maior missão da terapia é fazer com que o paciente deixe de pensar exclusivamente em si para que converta sua vontade e potência de agir a fim de trabalhar em prol dos outros, tornando-se um membro de valor para sua respectiva comunidade.

FIM

Se você gostou desse texto, trago outros materiais bem legais para acrescentar a sua lista de leitura, como meus últimos posts sobre o tema: história da psicologia e teorias da psicologia educacional, assim como posts sobre diferentes datas comemorativas:

  1. Dia do halloween
  2. Dia do cabeleireiro
  3. Dia de todos os santos
  4. Dia da ciência e cultura

Bom, é isso, curta e compartilhe! <3

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here