Brincadeiras Africanas para o Ensino Fundamental I

As brincadeiras, principalmente, possuem a capacidade de promover a socialização entre os alunos, que divertindo-se entre si, sejam os afrodescendentes, os descendentes de índios, italianos, alemães, portugueses, ou qual for a ascendência, simplesmente se divertem juntos, riem juntos e aprendem juntos. Isso é fundamental para criar uma nação igualitária. Ferramentas simples e inteligentes, além de engajar os alunos, contribuem para que se tornem pessoas tolerantes no presente e futuro.

brincadeiras africanas

Neste post relacionamos varias brincadeiras oriundas da cultura africana para que os professores possam levar a sala de aula um pouco mais desse continente tão amado e desconhecido.

Terra-mar Moçambique

Uma longa reta tem de ser riscada no chão. De um lado escreve-se “terra”, e do outro “mar”. De início, todas as crianças podem ficar no lado da terra. Quando o orientador disser – mar! , todos devem pular para esse lado. O professor ou aluno que estiver ditando a brincadeira vai variando os dizeres, e quem ficar no lado errado está fora. O último a permanecer sem errar, vence.

Escravos de Jó

escravos de jó

É uma brincadeira de roda guiada por uma cantiga bem conhecida, cuja letra pode mudar de região para região. Para brincar, é preciso no mínimo duas pessoas. Todos têm suas pedrinhas e no começo elas são transferidas entre os participantes, seguindo a sequência da roda. Depois, quando os versos dizem “Tira, põe, deixa ficar!”, todas seguem a orientação da música. No verso “Guerreiros com guerreiros”, a transferência das pedrinhas é retomada, até chegar ao trecho “zigue, zigue, zá!”, quando os participantes movimentam as pedras que estão em mãos para um lado e para o outro, sem entregá-las a ninguém. O jogador que erra os movimentos é eliminado da brincadeira, até que surja um único vencedor.
Escravos de jó
Jogavam cachangá
Tira, põe,
Deixa ficarGuerreiros com guerreiros
Fazem zig-zig-za
Guerreiros com guerreiros
Fazem zig-zig-za

Labirinto de Moçambique

Labirinto Moçambique brincadeira

Com uma pedra em uma das mãos, sem que o outro saiba, todos os jogadores colocam-se de frente um para o outro. Na aresta inicial do labirinto são colocadas duas pedras diferentes, sendo uma de cada jogador. O jogador que tem a pedra estende o braço com os punhos fechados e o colega tem de adivinhar em qual das mãos a pedra está. Se acertar, sua peça é deslocada em uma aresta do labirinto. Se o jogador errar, a peça de seu oponente é que irá avançar. Aquele que chegar primeiro na última aresta do labirinto vence o jogo.

Pular corda

pular corda
Fonte: http://imagesvisions.blogspot.com.br/2014/11/foto-david-douglas-duncan.html
Preferida das meninas, tanto na versão tradicional quando nas versões diferenciadas em que a brincadeira é guiada por alguma cantiga. Além de ser divertida para o lazer, é uma atividade excelente para exercitar o coração e a coordenação motora. Pode ser praticada tanto individualmente quanto em grupo, quando duas pessoas seguram as pontas das cordas e movimenta o instrumento para que um ou mais participantes possam pular. Quem esbarrar na corda sai da brincadeira. Ou simplesmente perde, e continua!

Mamba – África do Sul

Marque e estabeleça os limites no chão. Todos devem permanecer dentro deles. Escolha um jogador para ser a mamba (cobra). A cobra corre ao redor da área marcada e tenta apanhar os outros. Quando um jogador é pego, ele segura sobre os ombros ou a cintura do jogador que representa a cobra e assim sucessivamente. Somente o primeiro jogador (a cabeça da serpente) pode pegar outras pessoas. Os outros jogadores do corpo podem ajudar não permitindo que os adversários passem, pois estes não podem passar pelo corpo da serpente. O último jogador que não for pego vence a partida.

Pular elástico

pular elástico
Fonte: https://brincadeirasderua.wordpress.com/2010/03/19/elastico-rimado/
Outra muito apreciada pelas meninas! Para brincar, basta separar pelo menos 2 metros de elástico de roupa e dar um nó. É necessário no mínimo 3 participantes: duas para segurar o elástico e outra para pular. As duas crianças que vão segurar o elástico ficam em pé, frente a frente, e colocam o elástico em volta dos tornozelos para formar um retângulo. Daí, o participante da vez faz uma sequência de saltos: pula para dentro, sobre e para fora do elástico, tentando completar a tarefa sem tropeçar. O grau de dificuldade aumenta ao longo da disputa: o elástico ainda deve subir do tornozelo para o joelho, cintura, tronco e pescoço. Dependendo da altura das crianças, o jogo vai ficando impraticável, mas é o desafio que estimula a brincadeira!

Pegue a cauda – Nigéria

Pegue a cauda – Nigéria
Fonte da imagem: wfnagincanasolidaria.blogspot.com.br/2014/05/tarefa-6.html
Os jogadores se dividem em equipes. Cada equipe forma uma fila segurando pelo ombro ou cintura. O último jogador coloca um lenço no bolso ou cinto. A primeira pessoa na linha comanda a equipe na perseguição e tenta pegar uma ‘cauda’ de outra equipe. Ganha quem pegar mais lenços. Se houver apenas duas equipes, vence quem pegar primeiro.

Pengo Pengo – Uganda

pengo pengo uganda

Nesse jogo há dois líderes. Cada criança, por sua vez, vai até vai até os líderes e estes pedem para escolher entre carne e arroz ou azul e verde. Após a escolha feita pela criança, esta vai para trás do líder que representa a sua escolha. Depois que todas as crianças escolheram, elas formam uma fila atrás de seu líder agarradas pelas mãos ou cintura. Os líderes, segurando as mãos um do outro, iniciam um cabo de guerra. Ganha quem conseguir arrastar o líder da equipe adversária.

Fontes e Agradecimentos

Boa parte das brincadeiras foram retiradas dos seguintes domínios e foram disponibilizadas aqui no site para facilitar o acesso dos professores que não conseguem acessar PDF facilmente. Entrem nas fontes, pois existem mais brincadeiras disponíveis e vários outros materiais interessantes:
Muito obrigado por ler até aqui e espero que continue acompanhando o Demonstre! 😀

7 COMMENTS

  1. Brinquei de alguma dessas brincadeiras e nem suspeitava que tiveram origem na cultura africana. Fiquei bem interessada no ‘Escravos de Jó, nós usávamos a cantiga, mas não era um jogo, apenas uma coreografia.

    • Pois é Raquel, a cultura africana transborda nos hábitos dos brasileiros, mas infelizmente ainda somos ignorantes disso e muitos não reconhecem a sua importância… Quanto a Escravos de Jó, essa é minha brincadeira favorita. Feliz que tenha te interessado! 😀 – Por favor não deixe de comentar aqui no Demonstre! 😀

  2. Todos nós temos reponsabilidade com a cultura, mas, sobretudo os professores, pela confiança depositada. Uma vez ouvi uma professora do Jardim I falando na frente da turma, que as crianças iriam fazer uma apresentação da Cinderela, a princesa da Disney. Fiquei tão chocado a corrigi e ela ainda não aceitou que estava errada. A informação que passou para as crianças é que a história da Cinderela foi criada pela Disney.

  3. Não é fácil viver em um país em que a população é racista e preconceituosa de modo geral. Mostrar a importância das raças é um dos caminhos para vencer esse inimigo deitado tão à vontade em berço esplêndido.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here