Faça parte do nosso mundo mágico!

Por enquanto somos poucos, mas logo seremos uma legião! Inscreva-se! <3

Contação de Histórias na Educação Infantil

Contação de histórias na educação infantil

7 motivos para contar histórias!

A contação de histórias na educação infantil num primeiro momento pode parecer algo simples, e de fato, para as crianças sempre deverá ser, entretanto, ela é muito mais complexa do que aparenta (positivamente falando), por trazer inúmeros benefícios para as crianças, que ao poderem contar com essa atividade tornar-se-ão jovens e adultos muito mais críticos.

contação de histórias

Por que você usar contação de histórias na educação infantil?

1. Interação Social

O fato é que durante as histórias contadas, as crianças interagem tanto entre si quanto com os professores e colegas. A história bem aprendida tende a ser imaginada e recontada pela criança, que desejará compartilhá-la com os pais, o que possui um importante papel de aproximação afetivo familiar.

Não é raro docentes que se dedicam a contar histórias mirabolantes, cheias de cores, personagens caricatos e situações engraçadas, relatarem que os pais de seus alunos lhes disseram coisas como “meu filho(a) quis que eu contasse aquela história várias vezes” ou “ele(a) repetiu aquela história a semana toda!”. Isso é o resultado de um trabalho bem feito pelo contador de histórias, e que conseguiu cativar a criança promovendo a interação da mesma com seus colegas de turma e familiares. E essa interação é extremamente vital para a construção social de futuros adultos.

2. Desperta o interesse pela leitura

Durante a educação infantil o aluno está dando os seus primeiros passos no aprendizado da escrita e da leitura. A interatividade das histórias contadas os atrai, lhes desperta a curiosidade e os aproxima dos livros. Estes que por sua vez, quase sempre são muito coloridos e chamativos tal como grandes tesouros prestes a serem descobertos – e é isso o que verdadeiramente são. Esse contato com as obras voltadas para o público infantil aproxima as crianças dos livros de modo geral, e no próximo tópico você verá outra grande contribuição.

3. Durante a infância é que os hábitos são formados

A contação de histórias, além de despertar o interesse pela leitura ainda conta com o fato de que durante tal fase da vida nós estamos desenvolvendo os nossos hábitos. Compreender esse fator faz toda a diferença, uma vez que se torna possível fomentar um caminho de conhecimento e de aprendizado para a criança.

Portanto, podemos concluir que o aluno que se interessa por histórias infantis irá viaja com elas e se verá diante de livros, de mundos coloridos e inimagináveis, tendo assim, grandes chances de desenvolver o hábito da leitura. E livros são o alicerce tanto de um indivíduo quanto de um país que aspira ao desenvolvimento educacional.

4. Reforça o vínculo com a língua materna

Independente da nacionalidade, a contação de histórias tem essa característica importante: a de aproximar a criança de sua língua materna, ou seja, proporcionar o aprendizado dos elementos que a compõe e absorver a cultura implícita presente nas histórias.

5. Estimula a imaginação e a criatividade

Eis outros aspectos benéficos que essa atividade proporciona às crianças. Durante a contação de histórias, o aluno imaginará os locais citados, os personagens e suas características como se ele estivesse presente nesse local mágico e lúdico. A criança também poderá alterar a trama conforme a sua imaginação. Tal possibilidade é engrandecedora, pois, a criança que estimula essas características terá um maior potencial de desenvolvimento.

6. Interpretação e capacidade crítica

As histórias comumente além de proporcionarem bons momentos de interação social também possuem mensagens que vão desde valores morais e éticos até o ensinamento de costumes locais e o estímulo direto a valorização dos mesmos. Em longo prazo, o aluno será capaz de compreender diferentes contextos e situações com maior facilidade, sendo capaz de analisar de maneira mais profunda e chegar a conclusões mais assertivas. E isso é essencial para a vida de qualquer pessoa!

7. Emoção, sentimentos, afetividade, lazer e entretenimento.

Esse momento no qual a criança envolve-se com uma história lhe proporciona um tempo prazeroso, onde ela será fisgada para mundos e histórias fascinantes, que de modo lúdico contribuirão para o seu desenvolvimento social. Suas emoções e sentimentos também são afetados durante esses momentos, fazendo-as ficarem agitadas, felizes ou mesmo tristes durante alguns instantes – havendo um objetivo positivo para o mesmo, logicamente.

Vejam um bom exemplo de contação de histórias com este vídeo da Fundação Educar DPaschoal:

Espero que vocês tenham gostado de mais esse texto do Demonstre e podem esperar mais sobre o tema contação de histórias na educação infantil, gostei muito de trabalhar esse tema! Continuem nos acompanhado e compartilhando suas opiniões e sugestões.

Bellini Bellini
Post Author
Felipo Bellini
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN. Na infância apresentei problemas de aprendizagem, o que me permitiu ter contato com diversas experiências para evoluir meu nível escolar, e no decorrer desse processo refletir a prática e interação como objetos necessários para a aquisição de conteúdo. Todo esse contato com as metodologias de aprendizagem e acompanhamento da minha família fez com que muito cedo assumisse minha primeira sala de aula, sendo monitor e depois professor em um curso pré-vestibular da cidade. O interesse na docência era claro, e com 17 anos entrei em Letras na UFRN. Participei desde o primeiro semestre de projetos de pesquisa e extensão; sendo os mais relacionados ao ensino o PIBID, o ÁGORA, o PROCEM e o Curso de Português para Estrangeiros com Cinema. Minha intenção era diversificar e experimentar o que estivesse ao meu alcance, afim de gerar o máximo de experiências na universidade. Por indicação consegui uma estadia para o País de Gales, no Reino Unido, onde fiquei durante 6 meses dando aula de português para estrangeiros na universidade de Cardiff, e recebi uma bolsa da CELTIC para cursar o nível C1 e um curso de literatura básico. No período fiz também o curso técnico de tradução acadêmica pela Cardiff Library (4 meses) e o de Counselor - Educational Issues (2 meses), o último me dando vivência dentro das escolas públicas do país. Após minha formação, em 2013, empreendi na área da educação, montando duas empresas. A primeira uma rede social para professores e alunos chamada TUTORA.ME, onde conseguimos a adesão de mais de 6 mil membros cadastrados, sendo mais de 25% deles ativos diariamente até o fim da plataforma no final de 2015. A segunda um cursinho popular chamado Garra-RN, onde o maior foco era o aprendizado dos alunos através da colaboração e aulas desafio. Esse método nos trouxe ótimos resultados na unidade de Goianinha, com mais de 70% dos alunos aprovados nos concursos públicos de interesse no fim de 2015 e início de 2016. Hoje posso dizer que minha maior motivação são as aulas que leciono no ensino público, onde sou concursado desde 2014. Adoro sair das aulas e ouvir dos alunos que eles tiveram a melhor aula até o momento. Minha busca está na transformação do espaço social e em como conseguir engajamento e metrificar a performance dos meus alunos através de suas atitudes pró-aprendizagem. Neste processo de formação docente que continuo passando encontrei no desenvolver da leitura e escrita com o alunado a resposta para precipícios sociais que nas dinâmicas e brincadeiras costumeiras das aulas de inglês não evidenciava. Passei a inserir dentro das aulas de inglês diversas atividades para resolver os problemas escolares e da comunidade, sempre na perspectiva do aluno. Foram desde cartas de protestos até fanpages para campanhas sociais. Pesquisas comunitárias, projetos de empreendedorismo e até um projeto de escola bilíngue que nas discussões me motivaram a seguir adiante e procurar o curso de Especialização do Ensino da Escrita, onde pretendo me aprimorar e retornar o máximo que puder para os meus alunos.

Comments

1 Comentário
  1. posted by
    Como contar histórias na educação infantil
    jan 26, 2016 Reply

    […] toda a demonstração tanto da importância de contar histórias na educação infantil quanto o guia com dicas e técnicas de como contar histórias na educação infantil, você está […]

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *