0 Shares 1239 Views

Ivan Illich e a educação

Bellini Bellini
jul 09, 2017
1239 Views

Ivan Illich e a educação

 Ivan Illich foi um polímata que ficou conhecido pelas suas opiniões a respeito das mais diferentes áreas, como ecologia, educação, economia, medicina e trabalho. Seu texto mais relevante é “Sociedade sem escolas”, no qual levanta a bandeira do autodatismo, da desescolarização da educação e das redes de aprendizado.

Ivan Illich

Ivan Illich

 Ivan Illich nasceu no dia 4 de setembro de 1926 em Viena. Estudou histologia e cristalografia na faculdade em Florença nos anos de 1936 a 1941, mas formou-se em 1942 a 1946 em teologia e filosofia pelo vaticano, se tornado padre.  Assim, graças ao seu amplo conhecimento e em busca de novas oportunidades, aos vinte anos de idade, ele mudou-se para Nova York, nos Estados Unidos.

 Entretanto, Ivan Illich era um homem muito crítico, principalmente ao que se referiam à sociedade industrializada, debates sociais, culturas, religião, educação e as polêmicas relacionadas à igreja, motivos esses que o fizeram abandonar a vida religiosa.
Em 1956 mudou-se para Porto Rico para ocupar o cargo de vice-chanceler da

Universidade de Católica de Ponce, aonde permaneceu por mais quatro anos, dedicando-se principalmente as ideias educacionais que o fizeram alcançar certo prestígio na América Latina, chegando até a ocupar cargos dentro do governo boliviano. Em 1971, já com alguns títulos publicados, Ivan Illich foi um dos fundadores do Centro de Documentação Intercultural de Cuernavaca (México).

 Seus estudos são considerados um dos conceitos pedagógicos mais influentes do século XX, entre elas temos: Uma sociedade sem escola (1971) e Educação (1986) que foi escrita em colaboração de Paulo Freire, nos quais ele pregava a ineficiência das instituições educacionais.

 Ivan Illich morreu em Bremen no dia 02 de dezembro de 2002 de câncer, sendo que ele descartou qualquer método de medicina moderna, pela medicina alternativa.

Contribuições para Educação

 Para Illich as instituições são responsáveis pela formação social do indivíduo e, não somente para evolução do aprendizado do aluno como se diz na teoria.  Assim, as escolas seriam apenas meios de qualificar a sociedade e dividi-la de acordo com os requisitos financeiros, ou ainda, influenciar os alunos a padronização social e conhecimento manipulado daquilo que lhes convém.

  O autor não apenas criticava a formação educacional tradicional e padronizada, como também desenvolveu teorias mais viáveis para uma formação mais ampla e qualificada.  Ele defendia ainda, à busca por uma rede de influência tecnológicas e novos meios de difundir a educação, conforme o mesmo explica no texto abaixo:

 “A busca atual de novos canais educativos deverá ser transformada na procura do seu oposto institucional: redes educativas que aumentem a oportunidade de cada um transformar cada momento da sua vida num outro de aprendizagem, de partilha e de interesse. Acreditamos estar a contribuir trazendo os conceitos necessários a quem realiza tais investigações sobre as grandes linhas na educação – e também para quem procura alternativas para outros tipos estabelecidos de serviços.”

Outro ponto abordado por Illich é questão da obrigatoriedade e burocracia das escolas, na qual acaba impedindo o aluno de desenvolver o seu aprendizado. Nesse sentido, a instituição escolar coloca o indivíduo em um forçado prolongamento de formação, servindo apenas para atrapalhar o desenvolvimento escolar dos alunos.

 Ivan Illich propõe uma nova teia de aprendizado, onde se obtém o conhecimento por meio das situações do dia-a-dia e sem distinção de público, combatendo qualquer indústria de formação. O autor afirma ainda, que competência e diploma são coisas completamente distintas e diferentes, já que não é porque se tem um diploma que se é competente, ou ao contrário.

 As ideias de Illich se tornaram muito presente aqui no Brasil, pois os conceitos do autor em muito se parecem com os do grande mestre Paulo Freire, sendo que Ivan Illich queria desescolarizar à sociedade, acabando assim com os meios de exclusão impostos e, Freire desejava desescolarizar à educação, substituindo a escola pelos círculos de cultura, lugares de domínio da palavra e de preparação para a transformação.

Para conhecer mais:

Obrigado por ter lido até aqui, não esqueça de compartilhar e comentar sugestões para futuros textos. Até a próxima!

You may be interested

Makarenko e a educação
Filósofos da Educação
68 views
Filósofos da Educação
68 views

Makarenko e a educação

Felipo Bellini - jul 23, 2017

  Makarenko e a educação Makarenko foi um filósofo da educação que ficou conhecido pelo sua proposta de modelo escolar baseada na vida em grupo e na autogestão,…

Datas Comemorativas
114 views

Dia do Agricultor – Atividade de data comemorativa

Felipo Bellini - jul 21, 2017

E aí, pessoal! O tema de hoje é o Dia do Agricultor, um profissional extremamente importante para a manutenção da sociedade. Para conferir mais datas comemorativas exclusivas do Demonstre é só…

Cem Anos de Solidão – Uma análise completa e resenha literária
Resenhas Literárias
127 views
Resenhas Literárias
127 views

Cem Anos de Solidão – Uma análise completa e resenha literária

Felipo Bellini - jul 19, 2017

Cem anos de solidão e Gabriel García Márques são nosso ponto de discussão hoje. Depois de uma leitura aprofundada, de muitos diálogos e conversas, estamos aqui para…

Deixe uma resposta