John Dewey e a Educação

2
971
John Dewey e a Educação 2

Não sei quem é o meu predileto, se Dewey ou Freire. Na verdade o pensamento deles está tão relacionado que poderia dizer que eles escreveram juntos. As discussões são tão contemporâneas, que não exista uma discussão de professores em que se repita a frase “precisamos ensinar os alunos a pensar”. E se formos mais a fundo, a maneira sistêmica como a nossa educação está fundamentada e evolui apenas comprova que a educação brasileira se desenvolve aliada as ideias deste pensador, buscando questões problemas afim de desafiar os alunos e pensar a educação no aluno e em como ele vai se relacionar com ela. Hoje trago as diferentes contribuições de John Dewey para educação, espero que gostem!

John Dewey

Nascimento – 1859- Burlington, Vermont; Morte – 1952 – Nova Iorque, Nova Iorque.

John dewey e a educação

Nascido em Burlington, uma pequena cidade agrícola  do estado norte-americano de Vermont,  Dewey, não teve acesso à educação de excelência em sua infância. Entretanto, desde cedo a sua mãe  despertava nos filhos o senso de responsabilidade, o que de certa forma compensou essa deficiência.

Foi professor secundário por três anos antes de cursar universidade, na qual graduou-se em 1879 e  concluiu seu Doutorado em  filosofia , em  1882. Tornou-se professor e em sua carreira  foi  integrante do Departamento de Filosofia da Universidade de  Michigan, professor de Filosofia Mental e Moral na Universidade de Minnesota,  responsável pelo Departamento de Filosofia, Psicologia e Pedagogia da Universidade de Chicago, e um dos fundadores da escola filosófica chamada Pragmatismo.

Fiel à causa democrática participou de vários movimentos sociais,  aonde chegou a  criar uma universidade exílio para acolher estudantes perseguidos de países de regime totalitário.

Suas principais obras foram: Psicologia (1887); Meu credo pedagógico (1897); A escola e a criança (1898); A escola e a sociedade (1899); Experiência e Educação (1938) e ainda, teve participação em mais de 40 outros livros e diversos artigos publicados.

Aqui uma apresentação de slides bem bacana apresentando e resumindo Dewey:

Pausa rápida na sua leitura, só para dois avisos:

Poema de bom dia: Amor

Então, estamos começando o projeto Poema de bom dia, e você pode participar. Para poder participar, basta enviar um e-mail para: [email protected] os seguintes dados: nome, idade, endereço, telefone, email e cpf + sua poesia escrita no corpo de e-mail + arquivo de áudio ou vídeo com a poesia declama.

Esperamos seu material!!!

Projeto Poema de bom dia

O projeto Poema de bom dia é uma realização da Produtora Demonstre. Uma homenagem aos poetas locais e nacionais do nosso Brasil. Poemas diários para preencher seu dia de inspiração!

Amor – Álvares de Azevedo

Amemos! quero de amor
Viver no teu coração!
Sofrer e amar essa dor
Que desmaia de paixão!
Na tu’alma, em teus encantos
E na tua palidez
E nos teus ardentes prantos
Suspirar de languidez!

Quero em teus lábios beber
Os teus amores do céu!
Quero em teu seio morrer
No enlevo do seio teu!
Quero viver d’esperança!
Quero tremer e sentir!
Na tua cheirosa trança
Quero sonhar e dormir!

Vem, anjo, minha donzela,
Minh’alma, meu coração…
Que noite! que noite bela!
Como é doce a viração!
E entre os suspiros do vento,
Da noite ao mole frescor,
Quero viver um momento,
Morrer contigo de amor!

Facebook: https://bit.ly/2qr1CXu
Instagram @poemadebomdia: https://bit.ly/2qrbzDI
Website: http://demonstre.com/

Não deixe de se inscrever no canal do demonstre: https://www.youtube.com/demonstrec

Depressão é algo sério! Veja este vídeo!

Nele explico o que é depressão, as causas da depressão e seus sintomas.

Agora pode voltar para o seu texto! <3

A contribuição de John Dewey na educação

Dewey é o nome mais célebre da corrente filosófica que ficou conhecida como pragmatismo, embora ele preferisse o nome instrumentalismo. Segundo ele, as ideias só tem valor, quando é um instrumento de ação, ou seja,  para essa escola de pensamento, as ideias deveriam  servir de instrumento para a resolução de problemas reais, o que influenciou diretamente seus estudos sobre educação.

Seu interesse por pedagogia nasceu da observação de que a escola de seu tempo continuava orientada por valores tradicionais, atuando dentro de uma linha de obediência e submissão, não sendo efetivas quanto ao processo de aprendizagem e não incorporando ainda,  às descobertas da psicologia, nem acompanhara os avanços políticos e sociais.

Neste contexto, ele desenvolveu sua  teoria, que levou o nome  Educação Progressiva, na qual tem como  objetivo a educação da criança como um todo,  sendo importante  o crescimento  físico, emocional e intelectual. Sendo que,  ele acreditava ainda, que era impossível desassociar a educação, da filosofia e da ordem social.

Dewey acreditava que para o sucesso aprendizagem, a mesma deveria ser instigada, por meio da problematização e discursões das práticas do dia-a-dia.  Assim, ao tentar desenvolver a solução para os “problemas”, o aluno desenvolveria  sua capacidade mental, ou seja, estimulando a capacidade de pensar dos alunos, levantando hipóteses, analisando, interpretando e avaliando  as questões.

Para tanto, caberia ao professor  desenvolver os conteúdos escolares neste formato, não usar definições ou conceitos prontos e sim, discuti-los com os alunos. Descobrindo  ainda, os verdadeiros interesses do aluno, pois para ele, dentro de uma sociedade democrática, o esforço e a disciplina, são gerados a partir da  iniciativa e a independência do aluno, e não somente a obediência que é valorizada no ensino tradicional.

Apesar de ir contra ao método de ensino tradicional,  ele reconhecia que, à medida que as sociedades foram ficando complexas, a distância entre adultos e crianças se ampliou. Assim, ele justificava a necessidade da escola, tendo como objetivo principal ensinar a criança a viver  e conviver em sociedade. Desta forma, ele definia o papel dessa instituição, como um lugar para  reproduzir a comunidade em miniatura, que deveria apresentar  para a criança o mundo de um modo simplificado e organizado e, aos poucos, conduzi-las ao sentido e à compreensão das coisas mais complexas.

Esta linha de pensamento filosófico de John Dewey foi  responsável pelo  do movimento de renovação das ideias e das práticas pedagógicas conhecidas como Escola Nova, tendo grandes  influências sobre a educação no Brasil.

Dewey e a Educação no Brasil

As ideias de Dewey serviram  como  bases para  grandes educadores de sua época  e, também influenciaram no processo educacional pós-ditadura em  nosso país. Tendo como  principais seguidores e propagadores dos seus pensamentos, Anísio Teixeira, Lourenço Filho e Fernando de Azevedo, sendo este último responsável pela publicação do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova: ao povo e ao governo.

Neste documento, que foi assinado por mais 26 intelectuais da época, pretendia-se realizar uma reforma educacional no Brasil, já que estavam ocorrendo na época diversas transformações econômicas, políticas e sociais  no país e, eles acreditavam que a educação deveria acompanhar estas mudanças. Desta forma,  esses mesmos, educadores divulgaram e propagaram esse pensamento por todo o país.

Entretanto, apesar dos seus conceitos terem tido grandes influência sobre a educação nacional, cabe ressaltar que as ideias principais do Manifesto, não  conseguiriam se firmar no Brasil, aonde uma das barreiras enfrentadas era o alto custo para implantação,  o que se tornou inviável para ser praticado nas escolas públicas.

Mas de qualquer forma, os pensamentos de Dewey trouxeram grandes contribuições para o avanço do nosso sistema educacional, no qual passou a levar mais em consideração o interesse do aluno, a formação para uma vida democrática e também ao conceito do professor reflexivo.

Um ótimo material para acompanhar são os vídeos da UnivespTV que dialogam Dewey na sala de aula. Muito bom. Confira:


Bom, é isso. Muita luz, paz e amor para todos vocês! <3

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela melhor das escolhas! Utilizo a frase desse grande filósofo no meu dia a dia e acho admirável a responsabilidade e o trabalho feito por ele em causas sociais!
    Que seja sempre assim, em todas as fases da vida…
    “A meta da vida não é a perfeição, mas o eterno processo de aperfeiçoamento, amadurecimento, refinamento”.

  2. John Dewey, certamente, foi um frande filósofo. Nada mais justo do um ótimo texto como o seu para homenageá-lo…A filosofia do eterno processo de aperfeiçoamento, sem dúvida, fomentou esse processo de mudança na educação, com foco nas interpretações do aluno e de um contexto mais democrático.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here