Faça parte do nosso mundo mágico!

Por enquanto somos poucos, mas logo seremos uma legião! Inscreva-se! <3

Como gerar interação em sala de aula?

Como fazer com que os alunos interajam?

As salas de aula estão repletas de alunos que não conseguem se sentir à vontade no contexto escolar, alguns pelo motivo que ainda não possuem amizades, outros por timidez severa e outros ainda pelo próprio ambiente escolar e práticas docentes que sem sempre são os mais amistosos.

Como fazer com que os alunos interajam

Entre alguns problemas que podemos destacar para que alunos não consigam interagir está a falta de motivação para isso e interferência docente, uma vez que muitos professores não são treinados para desenrolar estas dificuldades em sala ou mesmo não sabem identificar se o problema tem origem no ambiente familiar ou se o problema está realmente na sala de aula.

Toda essa falta de interação entre os alunos e até mesmo professor/aluno trazem consequências como a indisciplina, a falta de atenção e a produção em sala de aula, o que segue para uma falta de compromisso e consequentemente problemas no convívio social e de aprendizagem.

Sendo assim, antes de tudo cabe aqui uma reflexão para que nós, professores, em nosso papel de educador e intermediador de conteúdo, estejamos sempre atentos aos alunos, estranhando e acompanhando as suas diferentes articulações, para que o estudante não fique prejudicado nas matérias e nem na sua vida pessoal.

Penetrando o assunto, embora pareça que estamos mais uma vez super responsabilizando o docente, veja que um bom diagnóstico de que suas aulas estão confluindo está justamente na interação do alunado, e que se os alunos não se interessam pela aula e não se comunicam entre si a aula acaba não fluindo, pois, a falta de interação irá interferir tanto no desenvolvimento das atividades, quanto na geração de interesses para os alunos procurem os conteúdos e se engajem em atividades extraclasse.

Sendo assim a interação em sala de aula é um importante instrumento no processo de ensino aprendizagem, por isso o professor deve exercer em sala de aula um papel que vai bem além do explanador, e que mais dialoga como animador, oficineiro e mediador de relações.

Para isso, tenho algumas dicas e instrumentos poderosos que podem te ajudar muito a fazer com que seus alunos interajam mais em sala de aula:

Alterne suas estratégias de ensino

Se o método que você está trabalhando não está sendo suficiente para unir a turma mude, afinal muitos alunos acabam se cansando das aulas tradicionais com livros, papel e caneta.

Organize aulas mais colaborativas, que abordem problemas reais e faça uso da tecnologia ao seu favor, afinal toda criança gosta de coisas curiosas, e a tecnologia irá atrair a atenção dos alunos. Palestras, debates e apresentações para quebrar a rotina da sala de aula também são uma ótima abordagem.

Dê opções aos alunos

Procure deixar os alunos em alguns momentos mais a vontade em escolher o que querem aprender para a próxima aula, assim cada um poderá se identificar mais com que gosta e dessa forma o professor estará trabalhando mais a participação.

Faça Grupos e Participe Deles

Muitos alunos interagem pouco, pois não passam momentos de conflito em conjunto na sala. Sempre é cada um em sua carteira e pronto. Sendo assim, procure formar grupos de estudos dentro da sala, colocando os alunos mais tímidos com os que têm mais facilidade em comunicação e interferindo constantemente de modo a estimular o diálogo e garantir a participação de todos.

Faça atividades lúdicas

Essas atividades possibilitam que os alunos estejam mais interessados e esqueçam o estigma escolar como um ambiente avesso a diversão. Quando eles brincam acabam se soltando, deixando as aulas mais dinâmicas e divertidas e focando no outro. Fora que as atividades lúdicas geram lembranças, trabalham a cinestesia e repetição de maneira muita mais eficiente.

Mude de ambiente

Aproveite as atividades fora da sala como a quadra, as viagens de campo, as redes sociais online e as festinhas para fortalecer a relação entre os alunos. A comunicação não deve se restringir as quatro paredes da sala, e sim permear o ambiente familiar e social dos estudantes.

Muita luz, paz e alegria para vocês. Continuarei aqui com meus textos diários e sugestões de atividades. Por favor compartilhe e comente! <3

Referência: PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

 

Bellini Bellini
Post Author
Felipo Bellini
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN. Na infância apresentei problemas de aprendizagem, o que me permitiu ter contato com diversas experiências para evoluir meu nível escolar, e no decorrer desse processo refletir a prática e interação como objetos necessários para a aquisição de conteúdo. Todo esse contato com as metodologias de aprendizagem e acompanhamento da minha família fez com que muito cedo assumisse minha primeira sala de aula, sendo monitor e depois professor em um curso pré-vestibular da cidade. O interesse na docência era claro, e com 17 anos entrei em Letras na UFRN. Participei desde o primeiro semestre de projetos de pesquisa e extensão; sendo os mais relacionados ao ensino o PIBID, o ÁGORA, o PROCEM e o Curso de Português para Estrangeiros com Cinema. Minha intenção era diversificar e experimentar o que estivesse ao meu alcance, afim de gerar o máximo de experiências na universidade. Por indicação consegui uma estadia para o País de Gales, no Reino Unido, onde fiquei durante 6 meses dando aula de português para estrangeiros na universidade de Cardiff, e recebi uma bolsa da CELTIC para cursar o nível C1 e um curso de literatura básico. No período fiz também o curso técnico de tradução acadêmica pela Cardiff Library (4 meses) e o de Counselor - Educational Issues (2 meses), o último me dando vivência dentro das escolas públicas do país. Após minha formação, em 2013, empreendi na área da educação, montando duas empresas. A primeira uma rede social para professores e alunos chamada TUTORA.ME, onde conseguimos a adesão de mais de 6 mil membros cadastrados, sendo mais de 25% deles ativos diariamente até o fim da plataforma no final de 2015. A segunda um cursinho popular chamado Garra-RN, onde o maior foco era o aprendizado dos alunos através da colaboração e aulas desafio. Esse método nos trouxe ótimos resultados na unidade de Goianinha, com mais de 70% dos alunos aprovados nos concursos públicos de interesse no fim de 2015 e início de 2016. Hoje posso dizer que minha maior motivação são as aulas que leciono no ensino público, onde sou concursado desde 2014. Adoro sair das aulas e ouvir dos alunos que eles tiveram a melhor aula até o momento. Minha busca está na transformação do espaço social e em como conseguir engajamento e metrificar a performance dos meus alunos através de suas atitudes pró-aprendizagem. Neste processo de formação docente que continuo passando encontrei no desenvolver da leitura e escrita com o alunado a resposta para precipícios sociais que nas dinâmicas e brincadeiras costumeiras das aulas de inglês não evidenciava. Passei a inserir dentro das aulas de inglês diversas atividades para resolver os problemas escolares e da comunidade, sempre na perspectiva do aluno. Foram desde cartas de protestos até fanpages para campanhas sociais. Pesquisas comunitárias, projetos de empreendedorismo e até um projeto de escola bilíngue que nas discussões me motivaram a seguir adiante e procurar o curso de Especialização do Ensino da Escrita, onde pretendo me aprimorar e retornar o máximo que puder para os meus alunos.

Comments

2 Comments
  1. posted by
    Como gerar interação em sala de aula – #youtube
    jan 30, 2016 Reply

    […] Eita que saiu o primeiro vídeo do Demonstre! Vou tentar produzir bastante material em vídeo, pois como vocês compartilharam, as vezes as dicas ficam mais queridas quando são postadas em vídeos. No caso de hoje fiz um vídeo sobre como gerar interação em sala de aula, baseado no texto que escrevi anteriormente: demonstre.com/omo-gerar-interacao-em-sala-de-aula/ […]

  2. posted by
    Tania Rodrigues
    jun 10, 2016 Reply

    PARABÉNS FELIPO, AMEI O BLOG…… SUCESSO!!

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *