Faça parte do nosso mundo mágico!

Por enquanto somos poucos, mas logo seremos uma legião! Inscreva-se! <3

Planos de Aula para o Ensino Médio – Dia da Consciência Negra

Planos de Aula Ensino Médio – Dia da Consciência Negra

Com base nos planos de aula presentes neste artigo, agora você poderá abordar temas relativos ao dia da consciência negra e assuntos relacionados, tais como cultura, luta por igualdade, a escravidão em si, seus ícones e muito mais. Na geografia, por exemplo, ensinar aos alunos as diferenças entre os povos e nações africanas, e quais delas tiveram pessoas enviadas como escravas para o Brasil e outros lugares do mundo. Trata-se de um tema interdisciplinar, que une praticamente todas as disciplinas e muito mais do que isso; é um tema de teor humanitário que precisa ser abordado com perspicácia para a construção de um país melhor.

consciência negra - plano de aula

Plano de Aula – Mobilização negra e cidadania, no passado e no presente

Mobilização negra e cidadania

Um plano de aula com conteúdo à respeito dos movimentos sociais já no período do Brasil Republicano. Tem como objetivo tornar compreensível ao aluno as lutas da população afrodescendente por igualdade e cidadania. Isso, pois, após o fim da escravidão não estava tudo resolvido. A lei áurea foi um passo muito importante, mas, após a abolição as condições de vida dos libertos e de seus filhos continuaram precárias, assim como seus direitos na sociedade civil.

O professor também apresentará aos alunos a participação dos negros e mestiços na revolta da marinha e em outros eventos históricos que se seguiram.

Esse plano de ensino possui quatro etapas, seguidos por uma avaliação observada com a intenção de perceber se de fato o aluno compreendeu que a luta por direitos da população afro-brasileira está diretamente relacionada com a escravidão e suas consequências sociais. E também entender o papel dos personagens negros no contexto histórico.

Duração: de 4 a 6 aulas.
Material: Reportagem da revista Isto é, e, acesso a biblioteca nacional.

http://rede.novaescolaclube.org.br/planos-de-aula/mobilizacao-negra-e-cidadania-no-passado-e-no-presente

Consciência Negra II: Plano de aula interdisciplinar

Mobilização negra e cidadania

Esse plano de aula é diferente, pois é mais aprofundado na questão da história dos povos africanos e de suas culturas. Também é ensinado sobre a lei 10.639/03, sancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que tornou obrigatório o ensino sobre a História e a Cultura Afro-Brasileira nas escolas de todo o país.

Tal plano de aula tem como objetivo fazer com que o aluno compreenda a importância da lei 10.639/03 e o que ela representa na luta contra o preconceito e o racismo para todos os Afro-brasileiros.

Também é abordado de maneira crítica várias questões socioeconômicas e políticas, como por exemplo, o fato de o Brasil ter sido o último país da América a acabar com a escravidão.

Duração: seis aulas de 50 minutos cada uma.
Material: Ambiente colaborativo TV Escola, vídeos, filmes, música, dança e cartazes. (A atividade poderá ser adaptada conforme os materiais disponíveis).

Link do plano de aula: http://arquivo.geledes.org.br/areas-de-atuacao/educacao/planos-de-aula/7064-plano-de-aula-consciencia-negra-ii

Link da lei 10.639/03
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.html

Plano de Aula – Consciência negra ontem e hoje

16954713486_66a0fa0d13_o

Trata-se de um plano de aula que explica a razão pela qual o dia da consciência negra é comemorado no dia 20 de novembro. Além disso, conta sobre a história dos quilombos e dos costumes dos povos africanos e afrodescendentes e irá esclarecer as possíveis dúvidas por parte dos alunos. Mas o plano vai além. Ele visa também discutir não somente como foi a vida e as condições dos negros durante o período de escravidão, mas também fala sobre a sua atual condição e a discriminação social ainda existentes, resquícios do período de escravidão.

Esse plano de aula conta com o censo de 2010, em que como resultado tem-se que os brancos dominam o mercado de trabalho no Brasil. Mas as diferenças não são apenas relacionadas ao trabalho. No meio universitário os negros e pardos também são minoria.

Duração: 2 aulas.
Material: computadores com acesso à internet, projetor multimídia, livros para pesquisas.

http://rede.novaescolaclube.org.br/planos-de-aula/consciencia-negra-ontem-e-hoje

Plano de Aula – Confraria Cultural – Consciência Negra

Confraria Cultural plano de aula

Esse plano de aula tem como objetivo levar os alunos a compreenderem os marcos históricos e processos de lutas e conscientização que levaram ao fim da escravidão no Brasil. Esse projeto tende a levar cerca de um mês para ser completamente finalizado e, trata o tema de uma maneira aprofundada, diferentemente de alguns planos que são mais breves nesses aspectos.

Essas atividades são compostas por expressões orais e escritas, leitura, interpretação de texto e imagens, além da compreensão de diversos gêneros literários. O projeto em si compreende desde o fundamental I ao ensino médio. No caso, tratando-se do ensino médio é aconselhado retirar alguns aspectos do plano, como por exemplo, as pinturas.

Esse projeto é composto por cinco fases, passando por um questionamento a respeito do dia da consciência negra, compreendendo como ocorreu o fim da escravidão no Brasil, sabendo quem foi Zumbi dos Palmares, e findando no desenvolvimento de uma semana referente ao dia da consciência negra, com apresentações de trabalhos dos alunos.

Material: Leituras, imagens, filmes e reportagens. Folhas para desenho, folhas para o desenvolvimento de texto.
Duração: Cerca de um mês.

Link do plano de aula: http://www.acordacultura.org.br/artigos/07112013/plano-de-aula-confraria-cultural-consciencia-negra

Plano de aula “África” 

africa plano de aula

Mostra de maneira clara como os povos europeus enxergavam os africanos, e sem qualquer senso crítico, julgaram-se superiores e oportunistas a ponto de praticaram a escravidão e o tráfico negreiro. Também aborda a geografia africana e a interferência europeia e suas evoluções, até chegar a descolonização. Deixa evidente o arraso político que a colonização gerou, e como as fronteiras impostas pelos europeus causaram conflitos étnicos após a descolonização.

Na outra metade, nos ensina sobre a cultura dos povos africanos, suas estátuas, sua arte, seus ritos e seus deuses. Há algumas fotos sobre as paisagens de alguns países, um deserto e a exuberante natureza do continente africano.

Material: pode ser baixado diretamente no site SlideShare.
http://pt.slideshare.net/joacir/aula-tema-frica-ensino-mdio
Duração: Pode variar de uma a três aulas, fica a critério do professor o quanto deseja aprofundar-se no tema.

Agradecimentos

Obrigado por ter lido até aqui! Lembrando que se a caso você tenha um plano de aula TOP ou material TOP sobre consciência Negra, por favor encaminhe o material para gente, seja pelos comentários ou pela página de contato do Blog do Demonstre, para que nós possamos avaliar e compartilhar o seu mérito!
Bellini Bellini
Post Author
Felipo Bellini
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN. Na infância apresentei problemas de aprendizagem, o que me permitiu ter contato com diversas experiências para evoluir meu nível escolar, e no decorrer desse processo refletir a prática e interação como objetos necessários para a aquisição de conteúdo. Todo esse contato com as metodologias de aprendizagem e acompanhamento da minha família fez com que muito cedo assumisse minha primeira sala de aula, sendo monitor e depois professor em um curso pré-vestibular da cidade. O interesse na docência era claro, e com 17 anos entrei em Letras na UFRN. Participei desde o primeiro semestre de projetos de pesquisa e extensão; sendo os mais relacionados ao ensino o PIBID, o ÁGORA, o PROCEM e o Curso de Português para Estrangeiros com Cinema. Minha intenção era diversificar e experimentar o que estivesse ao meu alcance, afim de gerar o máximo de experiências na universidade. Por indicação consegui uma estadia para o País de Gales, no Reino Unido, onde fiquei durante 6 meses dando aula de português para estrangeiros na universidade de Cardiff, e recebi uma bolsa da CELTIC para cursar o nível C1 e um curso de literatura básico. No período fiz também o curso técnico de tradução acadêmica pela Cardiff Library (4 meses) e o de Counselor - Educational Issues (2 meses), o último me dando vivência dentro das escolas públicas do país. Após minha formação, em 2013, empreendi na área da educação, montando duas empresas. A primeira uma rede social para professores e alunos chamada TUTORA.ME, onde conseguimos a adesão de mais de 6 mil membros cadastrados, sendo mais de 25% deles ativos diariamente até o fim da plataforma no final de 2015. A segunda um cursinho popular chamado Garra-RN, onde o maior foco era o aprendizado dos alunos através da colaboração e aulas desafio. Esse método nos trouxe ótimos resultados na unidade de Goianinha, com mais de 70% dos alunos aprovados nos concursos públicos de interesse no fim de 2015 e início de 2016. Hoje posso dizer que minha maior motivação são as aulas que leciono no ensino público, onde sou concursado desde 2014. Adoro sair das aulas e ouvir dos alunos que eles tiveram a melhor aula até o momento. Minha busca está na transformação do espaço social e em como conseguir engajamento e metrificar a performance dos meus alunos através de suas atitudes pró-aprendizagem. Neste processo de formação docente que continuo passando encontrei no desenvolver da leitura e escrita com o alunado a resposta para precipícios sociais que nas dinâmicas e brincadeiras costumeiras das aulas de inglês não evidenciava. Passei a inserir dentro das aulas de inglês diversas atividades para resolver os problemas escolares e da comunidade, sempre na perspectiva do aluno. Foram desde cartas de protestos até fanpages para campanhas sociais. Pesquisas comunitárias, projetos de empreendedorismo e até um projeto de escola bilíngue que nas discussões me motivaram a seguir adiante e procurar o curso de Especialização do Ensino da Escrita, onde pretendo me aprimorar e retornar o máximo que puder para os meus alunos.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *