Está chegando o dia delas – as mães, por isso, o Demonstre está trazendo 10 poesias para o Dia das Mães. São poesias sobre o amor, a força, o altruísmo, a abnegação, e tantos outros sentimentos e emoções que fazem destas mulheres o que elas são.

O Dia das mães surgiu a partir de uma campanha idealizada por Anna Jarvis. Filha da ativista Ann Jarvis, Anna decidiu criar um memorial à sua mãe dois anos depois de sua morte, junto dessa ideia veio também a ação para estabelecer o Dia das Mães como feriado reconhecido. Em 1914, o Congresso dos Estados Unidos aprovou a resolução, e em 9 de maio do mesmo ano foi celebrado o Dia das Mães pela primeira vez.

Com o intuito de reforçar o propósito deste dia, seguem abaixo poesias sobre mães.

1. Poesias para o Dia das Mães, de Silvia Araújo Motta

A primeira poesia desta lista é Amor de Mãe, da mineira Silvia Araújo Motta. Com um título bem sugestivo, o poema fala sobre amor materno, e como essa vertente desse sentimento se difere das demais. É algo que apenas quem é mãe sabe exprimir.

Amor de mãe

Amor de Mãe é sol brilhante e aquece:
uma família inteira, noite e dia;
nas horas tristes põe a fé na prece:
de intercessão da Virgem Mãe Maria.

Amor de Mãe é chama, sempre cresce;
gera uma vida, encanta, alenta e guia;
transforma o sangue e quando o filho nasce,
dá o puro leite e prova a tal magia.

Amor de Mãe faz ver o céu de anil,
no leito, explode a estrela e traz canção;
bálsamo, acalma a dor que está no peito.

Amor de Mãe sublima graças mil,
deixa saudade e na alma, paz, perdão;
Flor que perfuma a vida: amor-perfeito.

2. Poesias para o Dia das Mães, de Marlene de Sá Reis

Assim como a poesia anterior, Mãe, Amor Incondicional apresenta a beleza do amor materna. Além disso, também retrata a altruísmo tão próprio da maternidade.

Mãe, amor incondicional

Iluminada, um grande ser.
Você é tão maravilhosa.
Não existe palavra para te descrever.

Mãe, aquela que perde a sua identidade
Em prol da identidade de outrem.
Aquela que se desespera quando
O desespero chega para a sua prole.

Aquela que sente a dor que o filho
Ainda nem sentiu.
Aquela que só vive depois de saber
Que a vida do outro está trilhando caminhos certos.

Aquela que é incapaz de abandonar.
Aquela que dá o abrigo sem mesmo possuir
Esse abrigo.

Ser mãe é mais do que gerar,
É mais do que conceber,
É mais do que trocar as fraldas
É mais do que dar comida,
É mais do que dar brinquedos
Caros ou baratos.

É amar amar incondicionalmente,
Protegendo o seu filho,
Dando a ele a capacidade e todo suporte
Para mais tarde se proteger sozinho.

É dar sempre carinho,
Mesmo depois de umas boas palmadas.
É ser amiga,
É estar disponível,
É fazer o bem.
Mesmo que esse bem pareça ser o mal.

É educar para a vida,
Para seu filho conseguir seguir sua trilha
Seu próprios caminhos com sucesso.

Ser mãe não é o dom mais lindo
Do universo?
Indescritível
Porque ser mãe é algo inacabado.

Sempre vou ter algo para falar
Dessa maravilha que não é para todas.
São as escolhidas
Escolhidas por Deus
Para deixar nessa terra
Seus ensinamentos, suas bênçãos,

Àquelas que são mães, agradeçam.
Vocês são privilegiadas.
Curtam essa oportunidade única
Que lhes foi dada.

3. Poesias para o Dia das Mães, de Marcos Brasileiro

A poesia Ser mãe, de Marcos Brasileiro, mostra que a maternidade não se resume ao ato de gerar uma vida. Ser mãe é amar abnegadamente, se doar, e muito mais.

Ser mãe

Ser mãe é nunca abandonar
Um filho diante de todo olhar.
Ser mão é um mistério,
Que tem sempre o seu critério.
Por amar à vida,
Por razão sem despedida.
Amor de mãe
É sempre de um jeito carinhoso.

Mãe: ser capaz que Deus criou,
Tão generoso.
Mãe é tudo de bom,
Por ouvir o falar de seu dom.
Mãe é uma doce criatura,
Delicada protetora cheia de ternura.
Mãe, que sempre ampara,
A ela, nada se compara.

Mãe, tudo o que tem a transmitir,
É o que a faz existir.
Ser mãe é doar de coração,
Sua própria vida, por ter compaixão.

4. Poesia sobre mãe, de Mário Quintana

A próxima poesia da lista é de Mário Quintana. Em seus versos, ele trata a maternidade como algo santo, algo quase tão transcendental quanto Deus.

Mãe

Mãe… São três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o Céu tem três letras…
E nelas cabe o infinito.
Para louvar nossa mãe,
Todo o bem que se disse
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer…
Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do Céu
E apenas menor que Deus!

5. Poesia sobre mãe, de Everaldo Moreira

Nem tudo na vida são flores. Pensando nisso, Everaldo Moreira verseja sobre a angústia que as mães sentem ao verem seus filhos saírem de casa para seguirem com suas vidas.

Amor de mãe

Feliz é a mãe que
mesmo sem glórias e sem ouro,
tem o que muito queria:
seus filhos, seu tesouro, sua doce alegria.

Mais feliz ainda é aquela
que os consagram à Maria,
Pois eles são seus filhos também,
Pedindo todo dia para que os faça
Homens de bem.

Mas quando os filhos crescem
Uma angústia lhe invade:
Vão seguir o seu caminho
Num mundo cheio de espinhos
Muita maldade,
E com amor profundo.

Lágrimas de saudade chora
Ao ver que eles ganham o mundo
E se vão embora.

Mas com a fé e confiança,
Reza à Virgem Imaculada
– Protegei as minhas crianças,
Ilumina-lhes a estrada!
– Ajuda-me, mãe querida,
Vela pelos filhos meus,
Quando eu deixar esta vida
Eles serão só filhos teus.

6.Poesias para o Dia das Mães, de Pedro Bandeira

A poesia a seguir é de autoria de Pedro Bandeira, um dos nomes mais conhecidos da literatura infanto-juvenil brasileira. Em seu poema A mamãe, ele explicita como os papéis de mãe e filho vão se invertendo ao longo da vida.

A mamãe

não me bota mais no colo,
não bota mais,
não me embala mais o sono,
não embala mais,
não canta pra eu dormi…
não canta mais…
não bota mais,
não embala mais,
não canta mais…

eu bem sei que já faz tempo
que ela ainda me embalava,
mas me lembro muito bem,
era assim que ela cantava:

“dorme, dorme, filhinho,
meu anjinho inocente,
dorme, meu queridinho,
que a mamãe está contente…”

mas o tempo passou,
passou, passou,
e a cantiga calou,
calou,calou…
e o menino foi crescendo,
crescendo, cresceu, cresceu,
mas aquela voz ficou.
ficou, ficou…

eu agora já sou grande,
tenho quase a altura dela.
vai chegar a minha vez
de poder cantar pra ela…

7. Poesias sobre mãe, de Carlos Drummond de Andrade

Não poderia faltar nesta lista poesias do grandessíssimo Drummond. O poema Para Sempre questiona a mortalidade das mães, contesta o fato de que um dia elas se vão.

Para sempre

Por que Deus permite
Que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
É tempo sem hora,
Luz que não apaga
Quando sopra o vendo e chuva desaba,
Veludo escondido
Na pele enrugada,
Puro pensamento.

Morrer acontece
Com o que é breve e passa
Sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
É eternidade.
Por que Deus se lembra – mistério profundo – de tirá-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo
Baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
Mãe ficará sempre
Junto de seu filho
E ele, velho embora,
Será pequenino feito grão de milho.

8. Poesias sobre mãe, de Bráulio Bessa

Braúlio Bessa não escreve apenas cordéis sobre a vida nordestina. Uma prova disso são suas poesias sobre as mães. São versos lindos, que já fizeram convidados do Encontro se emocionar.

A palmada da mãe não dói metade
das palmadas que a vida da na gente!
Os mais sábios conselhos ela me deu
Sem tirar nem botar acertou tudo
É doutora da vida sem estudo
Foi vivendo que ensinou e que aprendeu
Com as pancadas dessa vida mãe sofreu
E mostrou até de forma inconsciente
Que seus filhos precisavam ser descentes
E viver sempre com honestidade
A palmada da mãe não dói metade,
Das palmadas que a vida da na gente!
Se a carne era pouca e o caldo ralo
O pirão do amor tinha sustança
E as panelas todas cheias de esperança
Nossa fé nunca sofreu nenhum abalo
Mãe dizia filho escuta o que eu te falo
Nessa vida seja sempre paciente
Cada um tem destino diferente
Lute, cresça e nunca perca a humildade
A palmada da mãe não dói metade,
Das palmadas que a vida da na gente!
Se um presente mais bonito eu lhe pedia
Mãe dizia que não podia comprar
Me zangava e começava a chorar
Sem saber que muito mais nela doía
Sem dinheiro pra fazer minha alegria
Arranjava uma maneira diferente
E dizia que um dia mais na frente
Meu trabalho mataria essa vontade
A palmada da mãe não dói metade,
Das palmadas que a vida da na gente!
Até hoje quando eu dou um cheiro nela
Agradeça a Deus por ter minha mainha
Mas para quem já perdeu sua rainha
Não se sinta só nem distante dela
Entre a terra e o céu há uma janela
Com um vaso onde Deus planta a semente
Do amor que a mãe da gente sente
E é essa rosa que lhe protege da maldade
A palmada da mãe não dói metade,
Das palmadas que a vida dá na gente!

Vixe…
O cabra pode escolher muita coisa nessa vida…
Ser artilheiro ou goleiro,
pedalar ou correr,
Inté o sabor das coisas a gente pode escolher!
Mas a coisa mais joiada, mais preciosa,
mais arretada da vida da gente,
Simplesmente não se escolhe…
A MÃE!
Ela que é um pedacim de Deus no mêi do mundo,
Um tantim assim de bravura,
e um tantão assim de ternura.
Mãe é doce feito mel de rapadura,
macia feito algodão,
cheirosa feito milho na fogueira
numa noite de São João.
Mãe é pura perfeição,
não tem pra que escolher.
E mesmo assim,
se eu tivesse a graça desse poder,
de todas as mães do mundo,
teria escolhido você!

9. Poesia sobre mãe, Vinicius de Moraes

Para encerrar nossa lista, nada melhor do que os versos acalentadores de Vinicius.

Minha mãe

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Tenho medo da vida, minha mãe.
Canta a doce cantiga que cantavas
Quando eu corria doido ao teu regaço
Com medo dos fantasmas do telhado.
Nina o meu sono cheio de inquietude
Batendo de levinho no meu braço
Que estou com muito medo, minha mãe.
Repousa a luz amiga dos teus olhos
Nos meus olhos sem luz e sem repouso
Dize à dor que me espera eternamente
Para ir embora. Expulsa a angústia imensa
Do meu ser que não quer e que não pode
Dá-me um beijo na fronte dolorida
Que ela arde de febre, minha mãe.

Aninha-me em teu colo como outrora
Dize-me bem baixo assim: — Filho, não temas
Dorme em sossego, que tua mãe não dorme.
Dorme. Os que de há muito te esperavam
Cansados já se foram para longe.
Perto de ti está tua mãezinha
Teu irmão, que o estudo adormeceu
Tuas irmãs pisando de levinho
Para não despertar o sono teu.
Dorme, meu filho, dorme no meu peito
Sonha a felicidade. Velo eu.

Minha mãe, minha mãe, eu tenho medo
Me apavora a renúncia. Dize que eu fique
Dize que eu parta, ó mãe, para a saudade.
Afugenta este espaço que me prende
Afugenta o infinito que me chama
Que eu estou com muito medo, minha mãe.

Obrigado por ler até aqui

A idealizadora do Dia das Mães, Anna Jarvis, se arrependeu do que fez quando se deu conta do que o Dia das Mães havia se tornado. Tanto que tentou abolir o feriado. Para ela, o escopo desta data deveria ser homenagear essas mulheres. As poesias desta lista têm o mesmo objetivo. Reavivar tudo de bom que há entre mães e filhos. Os presentes materiais podem ter seu valor, mas não há mãe que resista há um abraço caloroso, um “obrigado” ou um “eu te amo”.

COMPARTILHE
Artigos anterioresAvaliação do Desenvolvimento Motor infantil – um curso
Próximo artigoDia da América Latina – Plano de aula
Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos - EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here