Behaviorismo na educação é o tema do nosso quinto texto sobre psicologia da educação, onde vamos falar sobre os principais teóricos da aprendizagem, analisando suas teorias e aplicação em sala de aula.

Antes de começar, você sabe que eu já postei um texto falando sobre as áreas da psicologia? Também tenho textos sobre como trabalhar com música, filmes e datas comemorativas. Visite quando der!

Teoria comportamental – behaviorismo na educação

Embora oriundo da primeira década do século passado, a aplicação do behaviorismo na educação é frequente, fazendo com que diferentes teóricos e pensadores da contemporaneidade apliquem seus conceitos em sala de aula.

Neste texto vamos conhecer os diferentes teóricos e no que contribuíram para que o behaviorismo ou comportamentalismo fosse aplicado na educação.

Burrus Frederic Skinner (1904-1990)

Nasceu na cidade de Susquehanna, estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. Skinner costumava falar sobre sua era um local tranquilo, assim como sua vida. Quando passou a frequentar a escola, fascinou-se por invenções mecânicas. Ao passar dos anos o autor começou a observar as pessoas e seus comportamentos, algo que o motivou a estudar sobre o assunto.

Caixa de Skinner
Caixa de Skinner
Caixa de aprender de skinner
Caixa de aprender de Skinner

Skinner recebeu fortes críticas pelo seu modo de concepção acerca do sujeito.

“A objeção aos estados inteiros não é a de que eles não existem, mas é de que não são relevantes para uma análise funcional (Skinner, 1963)”

Antecessores intelectuais

Darwinismo, Ivan Pavlov (1849-1936), Edward Thorndike (1874-1949) e John Watson (1878-1958), que é considerado o fundador do Behaviorismo.

Condicionamento de Pavlov
Condicionamento de Pavlov
O condicionamento clássico de Pavlov
O condicionamento clássico de Pavlov – Imagem de www.patrickrocha.pt

A Teoria Associacionista de Edward Thorndike

Para Edward, a aprendizagem possui duas leis: a Lei do Efeito e a Lei do Exercício. Estas duas leis representam ideias relativas a aprendizagem, mostrando o papel da motivação e das recompensas e punições.

Para a Teoria Associacionista, a aprendizagem nada mais é do que a formação de conexões estímulo-resposta (E-R), também conhecido como conexionismo.

Conexionismo

Na imagem que você poderá conferir logo abaixo há uma experiência com um gato que precisa fugir da caixa para poder se deliciar com pegar o alimento que está do lado de fora.

behaviourismo e a experiência do gato
Behaviourismo e a experiência do gato

John Watson acreditava que o comportamento era modificado como causa da experiência. Basicamente, ele lançou o behaviorismo. É interessante a dissertação que o autor fazia a respeito da sua teoria.

Watson dizia que se pudesse cuidar de algumas crianças e escolher o ambiente onde elas cresceriam, poderia direcioná-las a qualquer profissão e futuro, até mesmo torná-la-ias desempregadas se assim o quisesse. Isso tudo de maneira independente de qualquer motivação ou talento das crianças.

O autor realmente acreditava que é possível moldar o comportamento humano, provocando destinos fatídicos, atropelando quaisquer heranças genéticas,  talentos inatos e outros fatores individuais.

Com isso, podemos concluir que para Burrhus Frederic Skinner, “O homem é controlado pelo ambiente”. Ele conceitua duas maneiras de aprendizagem: a operante e respondente.

Respondente: é o condicionamento em seu sentido mais clássico. Operante: o aprendizado de respostas que influenciaram o contexto ambiental deste indivíduo, e que foram aprendidas pelo reforço.

Skinner vê o comportamento humano como a mistura entre a nossa própria herança genética com as experiências que vivenciamos nosso ambiente. O homem está além de qualquer outro animal no aspecto psicogenético, mas ainda assim, Skinner rejeita todos os eventos mentais internos.

O meio ambiente

Quando analisamos a vida no dia a dia costumamos ver o ambiente e comportamento como elementos separadas, mas quando se descobre que é possível manipular certas variáveis durante um experimento, partimos para a premissa de que o comportamento pode ser controlado.

Vida cotidiana

Muitos comportamentos são puníveis. Se você não pagar as suas contas e não honrar os seus compromissos, sofrerá consequências, havendo punições com níveis e segmentos diferentes para cada tipo de transgressão. Isso nos mostra que há muitos reforçadores de comportamento que são criados a fim de tornar convívio social possível, aprimorado e melhorado. Percebe-se que os reforçadores muitas vezes são necessários para própria vida em sociedade. Do contrário, as coisas simplesmente não funcionariam.

Modelo de ensino com base na obra de Skinner

Objetivos: são muito claros. Escale o aprendizado em pequenos passos; com isso, você será capaz de usar técnicas de autocontrole para que o estudante leia e veja conteúdos que o façam relembrar do que foi aprendido

Diferenças individuais: a mais importante neste caso está associada ao ritmo de estudo.

Motivação:  para trabalhar este elemento é preciso usar as ferramentas de reforço. Fazendo uso delas, o controle comportamental é facilitado.

Estruturação do material de ensino: deve ser feita pequenos passos, pois os conhecimentos aprendidos servirão de base para aprendizados futuros. Isto significa que para cada aprendizado é necessário possuir uma base prévia de conhecimentos.

Meios utilizados durante o processo de instrução: tem de ser com base nos seus objetivos educacionais.

Procedimento do professor: dê dicas para que o aluno consiga resolver as questões. Entretanto, essa ajuda (as dicas) necessita diminuir gradualmente ao longo do tempo.

A instrução programada com base em reforços para controlar o comportamento é essencial, e para tal, não utilize punições. Pelo contrário, mantenha seus alunos ativos!

Exemplo de ficha

Mamífero é todo o animal que mama quando é filhote.

Todo animal que mama quando filhote é um mamífero

Quando um animal mama ao nascer, podemos afirmar que ele é um _____________  (Mamífero)

Procedimento do aluno:  estar aberto à participação durante atividades desenvolvidas.

Avaliação: será apenas o método de checar se o seu programa de estudos foi bem-sucedido.

 Principais críticas relativas ao modelo proposto pelo comportamentalismo

Para alguns o modelo comportamentalista busca apenas controlar o processo de aprendizagem, não discernindo se os objetivos são bons ou não. As técnicas empregadas na avaliação podem afetar o processo de aprendizagem e a percepção do que realmente importa tende a ser prejudicada.

Todo este processo é capaz de causar no aluno sentimentos ruins relativos ao ambiente escolar, uma vez que a sua performance será baseada em uma avaliação objetiva.

O método comportamentalista é útil quando determinamos objetivos de aprendizagem claros, tal como a leitura, o ensino da matemática e várias outros. Todavia, quando se trata de conteúdos complexos, a abordagem comportamentalista não satisfaz os objetivos educacionais. O comportamento humano sofre inúmeras influências, externas e internas, por isso as técnicas massificadas não são o ideal quando lidamos com a complexidade.

Reflexão sobre o Behaviorismo

Vamos então para parte prática. Como disse na introdução o Behaviorismo na educação ainda é aplicado, embora que agora apenas dentro de alguns contextos. Responda os questionamento abaixo e avalie como essa teoria pode ajudar o seu dia a dia como professor:

Analise como a obra de Skinner pode ser aplicada durante o processo de aprendizagem. Você consegue perceber algum comportamento condicionado na sua vida?

Reflita sobre a sua história de vida e a de outras pessoas; onde é possível encontrar o condicionamento no comportamento delas? Após isso, liste numa folha três prós e contras sobre o modelo comportamentalista proposto por Skinner.

Fim

Você gostou desse texto? Saiba que ele é parte de uma parte de textos sobre psicologia da educação, e que amanhã já tem texto novo no blog! =)

Enquanto isso nos conheça um pouco mais, leia meu resumo para professores do filme A Missão e minha reflexão sobre o dia dos professores.

Obrigado e até a próxima!

COMPARTILHE
Artigos anterioresDia do Cinema Brasileiro – Plano de aula
Próximo artigoDia do Designer Gráfico – Roteiro de atividades

Professor de inglês e tradutor. Leciono na educação básica como concursado pelo governo do estado do Rio Grande do Norte atuando no: Ensino Fundamental II, Ensino Médio regular e na Educação de Jovens e Adultos – EJA; gerencio a empresa Traduza, onde me responsabilizo tanto pela tradução de livros e artigos científicos, como orientação da equipe; e sou mestrando do programa de pós graduação em linguagem da UFRN.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here