in , , , ,

10 Atividades com a Cultura Mesopotâmica

10 Atividades com a Cultura Mesopotâmica 5

A cultura Mesopotâmica era incrível! repleta de conhecimentos sobre ervas, que deram a medicina oportunidade de curar doenças, embalsamar os faraós. O desenvolvimento do plantio e da irrigação, responsável por matar a fome do mundo. A arquitetura fantástica que permitia  construções inacreditáveis…

Índice: hide

10 Atividades com a Cultura Mesopotâmica

Bom, para continuarmos falando sobre a Mesopotâmia e tudo o que de lá se estendeu até nossa geração, vamos com uma breve pesquisa e ainda 10 atividades que vão mexer com a galerinha! Prontos para a viagem no tempo?

Resumo sobre: a Cultura Mesopotâmica

A cultura mesopotâmica, como todas as demais da antiguidade, passava sempre por intervenções religiosas, sociais, financeiras… Não dá para negar que a influência deles, permanece até hoje sobre nossos costumes.

Deles vieram as primeiras práticas de agricultura, a criação de animais, a forma de irrigação, a criação da escrita cuneiforme, as primeiras leis… Enfim, o berço da humanidade e tudo o que hoje existe embora evoluído, nasceu na mesopotâmia.

Ciência escrita e cultura Mesopotâmica

As ciências mais estudadas foram a astronomia, medicina e matemática. A preciosa  escrita apareceu nessa época e particularmente foi definida como cuneiforme. Pelo fato de ser  ideográfica, e o objeto representado, sempre expressava uma ideia.

Os deuses, eram muito numerosos, normalmente representados à imagem e semelhança dos seres humanos. O sol, a lua, os rios, outros elementos da natureza e entidades sobrenaturais também eram cultuados.

Vestuário, como era a moda mesopotâmica

A matéria prima predominante era o linho e a lã, usados sempre na sua cor natural. Um retângulo de tecido ao redor da cintura preso por tiras ou simplesmente com um nó, numa forma primitiva de saia era a vestimenta principal do povo na Mesopotâmia.

Artes

  • Construção de Vasos
  • Construção de templos
  • Cerâmicas
  •  Diversidade de decoração com metais

A religiosidade na cultura mesopotâmica

Como já foi possível ver, os antigos mesopotâmicos eram politeístas, adorando diversas divindades, tendo variação de cultos e venerações a seres humanos como reis, ou até a ídolos que eram metade gente e metade animal. O povo sempre foi inclinado a desenvolver a prática da adoração.

            A alimentação na cultura mesopotâmica

No que diz respeito a forma como se alimentavam, suas refeições eram a base de cereais como arroz, cevada, trigo, azeite, e ainda peixe e carne de outros animais. Não devemos esquecer que foram eles os primeiros responsáveis por desenvolverem a agricultura, criarem e alargarem o sistema de irrigação, e aderirem a criação de animais.

A mulher no casamento: Cultura Mesopotâmica

As pesquisadoras Brigitte Lion e Cécile Michel ressaltam que, por meio das fontes cuneiformes, foi possível conhecer a vida das mulheres comuns, e por conseguinte como era estruturada a sua vida familiar. Quando fazemos menção a mulheres comuns, nos referimos àquelas que não estão relacionadas a famílias de nobres e da realeza.

Dentre as fontes comumente utilizadas pelos pesquisadores, podemos fazer menção aos arquivos privados, registros cuneiformes e aos códigos de leis que vigoravam nas cidades-estados.

Dentre os quais, podemos fazer menção ao código de Hamurabi, do qual tratamos anteriormente, este conjunto de leis contém informações significativas a respeito do papel da mulher na sociedade.

Em alguns manuscritos, a mulher não possuía autonomia para escolher o noivo. No entanto, em outros escritos, foi possível localizar informações sobre a possibilidade de não apenas o pai definir a escolha do pretendente da jovem, mas também, seu irmão mais velho, em situações em que o pai da noiva fosse falecido ( fonte).

As viúvas na Mesopotâmia

Em sua maioria, o acordo para os casamentos, eram feitos apenas oralmente, pois não era comum a elaboração de contrato escrito para consolidar o casamento.

Quanto as viúvas, era-lhes permitido escolher seus futuros maridos. Após a promessa de comprometimento das famílias dos noivos, para a realização do enlace matrimonial, os jovens eram cercados de cuidados. Segundo o código de Hamurábi, o rompimento do acordo por parte de uma das famílias, resultava em punição financeira.

Mas, em alguns casos a punição poderia ser mais severa. O homem que deflorasse uma mulher comprometida, por exemplo, poderia ser punido com a morte.

 Como era a festa de casamento? O uso do véu

A cerimônia do casamento não era feita com pompa. Após o acordo oral era feita uma cerimônia na residência do futuro marido, e durante uma festa havia a troca de presentes entre os noivos. Havia costumes nos casamentos das mulheres sírias em que a noiva utilizasse um véu. O véu tinha a função de indicar a pureza da mulher.

 As leis médio-assírias, no fim do 2º milênio, confirmam que as mulheres casadas usavam um véu fora da casa, mas, nesta época, a prática estendeu-se às filhas de boa família.

Quanto as prostitutas, eram tratadas com crueldade quando fossem identificadas com o uso do véu. Da mesma maneira, havia tenacidade quanto à punição das mulheres escravas, pois estas eram acusadas de tentarem usurpar o posto das mulheres livres, por isso recebiam  punição.

Monogamia ou poligamia na cultura mesopotâmica

Ainda em relação ao casamento, os textos antigos informam, que na maioria dos casos este deveria ser monogâmico. Todavia, existiam alguns casos excepcionais em que era permitido ao homem possuir mais de uma mulher. Dentre esses, podemos fazer menção às suspeitas de esterilidade.

Assim, o homem tinha permissão para ter uma segunda companheira, quando, após um longo período de casados, a esposa não tenha apresentado a ocorrência de nenhuma gravidez. Em outros casos, quando a mulher casada decidia ter uma vida dedicada a religiosidade, ao homem era permitido contrair segundo matrimônio. No entanto, nesse modelo familiar o homem deveria conviver com uma mulher de cada vez.

Em linhas gerais o casamento para a sociedade na Mesopotâmia era tido como núcleo principal da sociedade, a base da estrutura social  ( fonte).

A infidelidade no casamento e o divórcio – Cultura mesopotâmica

O adultério praticado pela mulher era considerado como altamente grave, pois a mulher, ao contrário do homem, poderia gerar filhos de uma relação fora do casamento. Em virtude desse aspecto, as punições a eram geralmente mais severas. De acordo com o código de Hamurabi, tanto a mulher quanto o amante deveriam sofrer as mesmas punições.

No que se refere a prática do divórcio, na maioria das sociedades havia igualdade entre homens e mulheres, pois a ambos era permitido a realização deste rito. A solicitação do divórcio era feita de maneira simbólica, verbalmente: “tu não és mais minha esposa” ou “tu não és mais meu marido”. Na sociedade de Nuzi havia outro tipo de gesto simbólico, que consistia no ato de cortar a franja do vestido da mulher e proferir a frase: “tu não és minha esposa”.

No sul da Mesopotâmia o divórcio e a preservação da vida.

No entanto, de acordo com o código de Hamurabi, em caso da mulher solicitar o divórcio e for comprovado que, ela não detinha comportamento adequado, ela era severamente punida com a morte ou afogamento.

Ainda, de acordo com o código de Hamurabi, o processo do divórcio era complexo. Eram realizadas investigações para comprovar se as denúncias dos cônjuges eram verídicas. Apenas os homens poderiam formalizar o pedido de divórcio, e, ao analisarmos os textos das leis do código de Hamurabi podemos concluir que o processo geralmente era mais embaraçoso para a mulher ( Fonte)

Principais características da Cultura Mesopotâmica

  • Eram politeístas, adorando até mesmo alguns líderes
  • O casamento e divorcio eram tratados verbalmente
  • A culinária era baseada em cereais como, Linhaça, cevada, grãos de trigo, lentilhas… Carne, leite e peixes, queijos, cerveja e vinhos
  • A economia também era alimentada pela troca de alimentos cultivados e barganha de animais

7 Atividades para sala de aula sobre a Cultura Mesopotâmica

1 – Atividade para sala de aula – A Culinária na cultura Mesopotâmica

Na Mesopotâmia a alimentação era fundamentada em cereais, como a linhaça, e a cevada que era empregada na fabricação da famosa cerveja. O arroz e diversos tipos de queijos, também pertenciam as suas iguarias. Os vinhos, uvas e figos, e ainda comiam peixe, e carnes que eram muitas vezes conservadas em óleo de oliva.

Que delícia não acham? Que tal nessa atividade prepararmos um jantar mesopotâmico?  É claro que não iremos usar algumas de suas bebidas, mas, um cardápio delicioso é possível vamos lá?

Idade

A partir de 9 anos

Material necessário:

  • Cereais
  • Arroz
  • Uvas
  • Peixe ou outra carne
  • Suco de Uva
  • Doce de figo para sobremesa (opcional)

Passo a passo para a atividade A Culinária na cultura Mesopotâmica

  1. Reunir com os pais dos alunos, talvez seja a opção mais viável dessa vez. Propor-lhes um jantar histórico, pode ser, inclusive uma alternativa para comemorar o dia da família na escola.
  2. Cada pai de aluno poderá entrar com sua contribuição, conforme a disponibilidade que tiver.
  3. Algumas mães que já forem experientes, poderão se juntarem para realizar o preparo do banquete
  4. Escolha de comum acordo algumas das receitas da mesopotâmia, que podem ser encontradas na internet, de forma que todos possam participar.
  5. Tente, juntamente com os alunos, fazer observações com respeito a compostura da mesa, a decoração e alguns outros costumes mesopotâmicos usados na hora da refeição

É Claro que, dependendo do costume, não é possível nem mesmo replicá-lo, contudo, pode-se fazer uma apresentação por meio dos alunos, onde seja exposto como os mesopotâmicos costumavam se portar durante suas refeições.

2 – Atividade para sala de aula – A beleza na cultura Mesopotâmica

Sabemos muito bem que beleza é algo que se busca desde os primórdios. Embora houvesse as histórias chocantes da falta de higiene na idade média, principalmente nos países europeus, sabemos que as mulheres antigas se cuidavam, e se cuidavam muito!

Nessa atividade portanto, vamos montar na escola um mini-Spa?

Idade

A partir de 14 anos

Material necessário:

  • Mel (se for acessível)
  • Azeite (se for acessível)
  • Açúcar
  • Fubá
  • Arroz ( 1 copo apenas)
  • Leite
  • Chá de camomila
  • Abacate ( se for acessível)
  • Bacias de plástico
  • Toalha
  • Água

Passo a passo para a atividade: Beleza na cultura Mesopotâmica

  1. Sabemos que os produtos de beleza na antiguidade eram mais próximos do natural possível, por isso vamos preparar pastas de beleza e esfoliações com produtos naturais e embelezar a moçada, vamos lá?
  2. As meninas (e os meninos se quiserem) poderão revezar a atividade, para que todos aprendam truques simples de beleza
  3. Façam as pastas e cremes hidratantes e apliquem (2 receitas logo abaixo)
  4. Comparem os resultados
  5. Você poderão procurar mais recitas naturais na internet com todos os produtos acima, são maravilhosos!
  6. Peça a turminha para que na aula seguinte, se dividam em grupo e façam uma listagem das vitaminas e proteínas encontradas nesses ingredientes.

Essa atividade poderá ser aproveitada, não apenas como boa aula de estética e uso de recursos naturais, assim como uma boa aula de química ou biologia, mostrando a eficiência e o conteúdo dos compostos naturais.

Receitas:

Esfoliação para os pés ou costas oleosas

  • 2 colheres de fubá
  • 1 colher de açúcar
  • 2 colheres de água

Em uma pequena vasilha de plástico, faça uma pasta e aplique-a nos pés, massageando de forma circular. Você verá como as impurezas irão se soltando.

Enxague bem e seque completamente os pés. Se a aplicação for nas costas e não houver como se banhar no local, remova os resíduos com uma toalha úmida.

Poderá se quiser, finalizar, aplicando algumas gotas de azeite nos pés já secos, massageando-os para que fiquem macios.

Esfoliação facial com pó de arroz

(a receita é para uma pessoa, multiplique-a pela quantidade de pessoas que irão utilizá-la

Material

  • 2 colheres de arroz cru
  • 4 colheres de leite

Bata o arroz no liquidificador, despeje o pozinho em um recipiente pequeno, adicione o leite, faça uma pasta. Espalhe-a sobre rosto, em movimentos circulares.

Se formará uma leve máscara, deixe-a agir por alguns segundos e logo enxague bem. Veja que maravilha!

3. Atividade para sala de aula – O uso do véu hoje – cultura Mesopotâmica

Foi mostrado que o uso do véu na cultura mesopotâmica, seria para distinguir as mulheres que eram comprometidas. Hoje ainda existem países que usam o véu, vamos saber por quê?

Idade

A partir de 12  anos

Material necessário:

  • Caderno
  • Internet
  • Lápis ou caneta

Passo a passo para a atividade: Uso do véu hoje- cultura Mesopotâmica

  1. Separe os alunos em grupos
  2. Combine para eles pesquisarem os países que fazem o uso do véu, e qual o sentido que se dá para cada caso.
  3. O uso do véu por mulheres muçulmanas, pelas noivas, pelas mulheres da igreja Cristã do Brasil, pelas dançarinas da dança do ventre…
  4. Explore bastante e discutam, como as culturas poderão dar significados diferentes para um único item.

Observe que o véu pode ser usado como símbolo de pureza, separação, mas também pode ser visto como objeto de adorno e sedução. Cada cultura poderá aplicar um sentido diferente para um mesmo objeto

4.Atividade para sala de aula – Danças na cultura Mesopotâmica

Vimos na postagem anterior, que a dança na Mesopotâmia ,  sempre acompanhará a humanidade. Portanto, que tala experimentarmos um pouco dela e realizarmos um concurso?

Idade

A partir de 12 anos

Material necessário:

Passo a passo para a atividade – Danças na cultura Mesopotâmica

  1. Separe os grupos para que cada um deles pesquise sobre: A origem da dança do ventre, da valsa, do tango, do forró, samba.
  2. Veja as possibilidades da demonstração de pelo menos um número de cada tipo das danças indicadas.
  3. Eleja o melhor, ou seja, os melhores dançarinos.
  4. Discuta com os alunos o efeito da dança no corpo

Certamente a garotada vai amar essa atividade

5.Atividade para sala de aula – Agricultura na cultura Mesopotâmica

Cevada, linhaça, linho, gergelim, trigo… Fazia parte dos grãos semeados e segados por aquele povo. Imaginemos como foi gratificante quando começaram a ver os primeiros frutos de seu trabalho! Existe até mesmo uma passagem bíblica onde fala que Noé, antes do dilúvio, já conhecia o “mosto”, um tipo de vinho naquele tempo.

Talvez o clima de sua cidade, não seja tão propício para plantar vinhas, mas talvez, uma horta… quem sabe?  Queremos que você descubra o prazer do plantio e do crescimento, portanto, vamos tentar?

Idade

A partir de 09 anos

Material necessário:

  • Garrafas, latinhas, pneus, vasilhas descartáveis
  • Terra e adubo
  • Mudas de couve, hortelã, cebolinha
  • Cementes prontas para plantar

Passo a passo para a atividade: Agricultura na cultura Mesopotâmica

  1. Junte a galerinha e leve-os para o pátio
  2. Depois de juntarem os materiais acima, comecem a plantar nas vasilhas]
  3. Incentive-os a organizarem uma escala, para que cada grupo, se responsabilize pelo cuidado com a horta.

Além de uma atividade agradável, eles estarão colaborando para tornar a merenda escolar mais saudável!

6.Atividade para sala de aula – Construção de vasos na cultura Mesopotâmica

Os vasos decorados são primitivamente uma obra de arte! Embora hoje exista tanta tecnologia, que não há necessidade de se fazer vasilhas para uso doméstico, no entanto, nada pode impedir o desenvolvimento artístico. Então que tal entrarmos na onda e fazer arte?

Idade

A partir de 9 anos

Material necessário:

  • Bexigas/ balões de festa
  • Vidros de água sanitária vazio
  • Fita crepe
  • rolo de papel alumínio
  • Cola quente
  • Garrafa Pet

Passo a passo para a atividade: Construção de vasos- Cultura Mesopotâmica

  1. Assista os videos abaixo
  2. Comece enchendo os balões
  3. Caso seja o de papietagem, passe cola ou grude de farinha e cole as tiras de jornais em 7 camadas.
  4. Se você preferir o primeiro vídeo, siga as instruções.
  5. Dê o acabamento necessário e façam uma linda exposição.

Abaixo temos exemplos de vasos feitos com balões de festa, de duas formas muito fáceis de serem feitos. Escolha aquele que mais se adequar aos materiais que você tem disponível.

 

7.Atividade para sala de aula – Desfile de modas da cultura Mesopotâmica

A matéria prima predominante era o linho e a lã, usados sempre na sua cor natural. Um retângulo de tecido ao redor da cintura preso por tiras ou simplesmente com um nó, numa forma primitiva de saia era a vestimenta principal do povo na Mesopotâmia. Mas com tempo elas foram inovando, com jóias e adornos! Vamos desfilar?

Idade

A partir de 9 anos

Material necessário:

  • Tecidos ou lençóis e tiras
  • Adornos grandes e extravagantes

Passo a passo para a atividade: Desfile de modas – Cultura Mesopotâmica

  1. Convide os alunos que querem desfilar
  2. O restante da turma servirá como jurado
  3. Experimente as diversas formas de ajeitarem os tecidos  no corpo e abuse dos adornos.
  4. Escolha o figurino vencedor por voto

Vai ser bem interessante!

3 Questões de testagem do ENEM- Sobre: A cultura mesopotâmica – Respondidas e comentadas

Questão do ENEM 1

(UECE/2008)

Os sumérios foram os primeiros habitantes da Mesopotâmia. Eles se autodenominavam “as cabeças negras” e a região na qual habitavam denominavam de “terra de Sumer”.

Sobre este povo, assinale o correto.

Comentário

As características dos sumérios, ou seja os primeiros  habitantes, era exatamente o fato de serem a

Questão do ENEM 2

(UERN/2013)

 Assim como no Egito, na Mesopotâmia, a agricultura foi a principal atividade econômica praticada pela população. O Estado era responsável pelas obras hidráulicas necessárias para a sobrevivência da população, bem como pela administração de estoques de alimentação e pela cobrança de impostos (…).

(Vicentino, Cláudio. História Geral e do Brasil / Cláudio
icentino, Gianpaolo Dorigo. 1ª Ed. São Paulo: Scipione. 2010. p. 60-455.)

… a base da economia Inca estava nos Ayllu, espécie de comunidade agrária. Todas as terras do império pertenciam ao Inca, logo, ao Estado. Através da vasta rede de funcionários, essas terras eram doadas aos camponeses para sua sobrevivência. Os membros de cada Ayllu deveriam, em troca, trabalhar nas terras do Estado e dos funcionários, nas obras públicas e pagar impostos.

(Moraes, José Geraldo Vinci de. 1960. Caminhos das Civilizações –
história integrada: Geral e do Brasil. São Paulo: Atual, 1998.)

De acordo com o materialismo histórico preconizado por Marx e Engels, o modo de produção que aparece descrito parcialmente nos trechos anteriores, é o

Comentário

O Modo de Produção Asiático foi um sistema econômico que vigorou, principalmente, nas primeiras sociedades estatais: Mesopotâmia, Pérsia e Egito Antigo. Em outras palavras, foi a forma que estes povos antigos produziam mercadorias, estabeleciam relações de trabalho, faziam comércio e distribuíam as riquezas geradas na sociedade.

Neste modo de produção, como veremos nas características abaixo, o Estado assumia total controle sobre a economia da região que controlava.

Principais características:

– O Estado era o proprietário de todas as terras.

– Pela utilização das terras do Estado, os trabalhadores deveriam pagar taxas e impostos. Os trabalhadores, principalmente camponeses, eram presos à terra, não podendo abandoná-la.

– Os produtos e bens gerados eram geralmente utilizados para pagar estas obrigações, após os trabalhadores tirarem o suficiente para o sustento da família.

– Quando eram convocados, todos os trabalhadores livres eram obrigados a trabalhar para o Estado (trabalho compulsório). Este tipo de trabalho (servidão coletiva) era muito utilizado pelos governantes para a construção de obras públicas de grande porte.

 A agricultura e a pecuária foram a base econômica deste modo de produção.O trabalho escravo foi muito utilizado, principalmente, no Egito Antigo. (fonte)

Questão do ENEM 3

(UESPI/2014)

Os Estados Teocráticos da Mesopotâmia e do Egito evoluíram acumulando características comuns e peculiaridades culturais. Os egípcios desenvolveram a prática de embalsamar o corpo humano porque:

Comentário

A maior crença que os egípcios sustentavam, era a de retornarem para seu corpo após a morte, e por certo, não seria nada interessante encontrá-los deteriorados. Portanto, desenvolveram as técnicas de embalsamento e mumificação.

Fim

Como podemos ver, a cultura mesopotâmica foi realmente a base de tudo que temos hoje. Quem pode afirmar o contrário? A medicina, a agricultura, a criação de animais, dente outras, influenciaram a cultura no presente. A sabedoria dos antigos traz ainda hoje ideias para novas invenções. Se você gostou e quer mais,visite as outras postagens, e se enriqueça em conhecimento.

Aguarde pois teremos mais!

Um super abraço e até breve!