10 poemas de Cora Coralina

0
1493
10 poemas de Cora Coralina 11

Selecionamos os 10 mais intrigantes poemas de Cora Coralina para você!

10 poemas de Cora Coralina

Mas antes disso, você sabe quem é Cora coralina?

De Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas para Cora Coralina

Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas nasceu em 20 de agosto de 1889, na Cidade de Goiás. Era filha de um desembargador nomeado por D. Pedro II, e cursou apenas até terceira série do primário. No entanto, mesmo sem completar os estudos, escreveu – e publicou em jornal – os primeiros poemas em 1908, quando tinha 14 anos.

Embora tenha publicado seu primeiro livro em 1965, Anna utilizou o pseudónimo Cora Coralina pela primeira vez em 1910. Naquele ano, ela publicou o conto Tragédia na Roça. Em 1911, mudou-se para São Paulo com Cantídio Tolentino Bretas. Anos mais tarde, chegou a ser convidada a participar da Semana de Arte Moderna, mas foi impedida pelo marido.

Em 1934, ficou viúva e começou a trabalhar como doceira, no entanto, continuou escrevendo seus poemas em cadernos. Trabalhou também como vendedora de livros, e depois passou a produzir e vender linguiça e banha de porco; até que, em 1956, retorna para Goiás.

Aos 70 anos de idade, resolve estudar datilografia para entregar seus poemas aos editores e, enfim, realizar seu sonho de publicar livros. Teve cinco obras publicadas enquanto estava viva, e mais algumas obras póstumas.

Mascarados – Poema de Cora Coralina

Mascarados

Saiu o Semeador a semear
Semeou o dia todo
e a noite o apanhou ainda
com as mãos cheias de sementes.
Ele semeava tranquilo
sem pensar na colheita
porque muito tinha colhido
do que outros semearam.
Jovem, seja você esse semeador
Semeia com otimismo
Semeia com idealismo
as sementes vivas
da Paz e da Justiça.

Das Pedras – Poema de Cora Coralina

Das pedras

Ajuntei todas as pedras
que vieram sobre mim.
Levantei uma escada muito alta
e no alto subi.
Teci um tapete floreado
e no sonho me perdi.
Uma estrada,
um leito,
uma casa,
um companheiro.
Tudo de pedra.
Entre pedras
cresceu a minha poesia.
Minha vida…
Quebrando pedras
e plantando flores.
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude
dos meus versos.

 

Aninha e suas pedras – Poema de Cora Coralina

Aninha e suas pedras

Não te deixes destruir…
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.

Velho – Poema de Cora Coralina

Velho

Estás morto, estás velho, estás cansado!
Como um suco de lágrimas pungidas
Ei-las, as rugas, as indefinidas
Noites do ser vencido e fatigado.

Envolve-te o crepúsculo gelado
Que vai soturno amortalhando as vidas
Ante o repouso em músicas gemidas
No fundo coração dilacerado.

A cabeça pendida de fadiga,
Sentes a morte taciturna e amiga,
Que os teus nervosos círculos governa.

Estás velho estás morto! Ó dor, delírio,
Alma despedaçada de martírio
Ó desespero da desgraça eterna.

Considerações de Aninha – Poema de Cora Coralina

Considerações de Aninha

Melhor do que a criatura,
fez o criador a criação.
A criatura é limitada.
O tempo, o espaço,
normas e costumes.
Erros e acertos.
A criação é ilimitada.
Excede o tempo e o meio.
Projeta-se no Cosmos.

Saber viver – Poema de Cora Coralina

Anúncios do Demonstre que vão te interessar:

Primeiro anúncio: Compre nossos ebooks autorais e ajude o blog!!!

EBOOKS DEMONSTRE

Fundamental I e II:

Livros com mais de 150 páginas cada, super ilustrados, com aulas e projetos completos para cada dia do mês:

48 Atividades com datas comemorativas para o mês de Setembro: 25,00 — Compre aqui!

45 Atividades com datas comemorativas para o mês de Agosto: 10,00 — Compre aqui!

31 Atividades com datas comemorativas para o mês de Julho: 10,00 — Compre aqui!

Educação Infantil:

Apostilas em PDF com 20 atividades específicas cada uma, que você professor poderá aplicar e utilizar com seus alunos para desenvolver várias habilidades.

Caderno de atividades sobre o Folclore: 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre o Circo: 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre o Índio 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre o Carnaval: 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre o Natal: 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre o São João: 6,00 — Compre aqui!

Caderno de atividades sobre a Páscoa: 6,00 — Compre aqui!

Concurso Público:

Meu primeiro caderno para concurso, nele você não aprende a resolver apenas questões de concurso, mas a fazer um PPP:

Apostila sobre o Projeto Político Pedagógico: 40,00 — Compre aqui!

Segundo anúncio: 

Estamos com o nosso aplicativo de formação de professores baseado em QUIZ já na Google Play. Baixe agora e teste suas habilidade docentes.

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.demonstre.quizapp

O aplicativo é gratuito e recebe um teste novo por semana. Ideal para quem quer revisar o conteúdo ou estudar para concurso.

Obs: o aplicativo é preparado com uma metodologia baseada em reflexão de tarefa, então, cada questão e resposta são apresentadas de maneira a validar e construir o conhecimento do usuário.

Terceiro anúncio:

Continuamos com o projeto Poema de bom dia firme e forte, com mais de 30 publicações. Para ter acesso basta visitar o canal do Demonstre no Youtube: https://www.youtube.com/user/demonstrec ou clicar no play aqui na nossa playlist:

Para enviar o seu poema, basta encaminhar o mp3 + o texto para o e-mail: [email protected].

Saber viver

Não sei se a vida é curta 
ou longa para nós, 
mas sei que nada do que 
vivemos tem sentido,
se não tocarmos 
o coração das pessoas. 
Muitas vezes basta ser: 
colo que acolhe, 
braço que envolve, 
palavra que conforta, 
silêncio que respeita, 
alegria que contagia, 
lágrima que corre, 
olhar que acaricia, 
desejo que sacia, 
amor que promove. 
E isso não é coisa 
de outro mundo, 
é o que dá sentido à vida. 
É o que faz com que ela 
não seja nem curta, 
nem longa demais, 
mas que seja intensa, 
verdadeira, 
pura enquanto durar. 
Feliz aquele que 
transfere o que sabe 
e aprende o que ensina.

Humildade – Poema de Cora Coralina

Humildade

Senhor, fazei com que eu aceite
minha pobreza tal como sempre foi.

Que não sinta o que não tenho.
Não lamente o que podia ter
e se perdeu por caminhos errados
e nunca mais voltou.

Dai, Senhor, que minha humildade
seja como a chuva desejada
caindo mansa,
longa noite escura
numa terra sedenta
e num telhado velho.

Que eu possa agradecer a Vós,
minha cama estreita,
minhas coisinhas pobres,
minha casa de chão,
pedras e tábuas remontadas.

E ter sempre um feixe de lenha
debaixo do meu fogão de taipa,
e acender, eu mesma,
o fogo alegre da minha casa
na manhã de um novo dia que começa.

O cântico da terra – Poema de Cora Coralina

O cântico da terra

Eu sou a terra, eu sou a vida.
Do meu barro primeiro veio o homem.
De mim veio a mulher e veio o amor.
Veio a árvore, veio a fonte.
Vem o fruto e vem a flor.

Eu sou a fonte original de toda vida.
Sou o chão que se prende à tua casa.
Sou a telha da coberta de teu lar.
A mina constante de teu poço.
Sou a espiga generosa de teu gado
e certeza tranqüila ao teu esforço.

Sou a razão de tua vida.
De mim vieste pela mão do Criador,
e a mim tu voltarás no fim da lida.
Só em mim acharás descanso e Paz.

Eu sou a grande Mãe Universal.
Tua filha, tua noiva e desposada.
A mulher e o ventre que fecundas.
Sou a gleba, a gestação, eu sou o amor.

A ti, ó lavrador, tudo quanto é meu.
Teu arado, tua foice, teu machado.
O berço pequenino de teu filho.
O algodão de tua veste
e o pão de tua casa.

E um dia bem distante
a mim tu voltarás.
E no canteiro materno de meu seio
tranqüilo dormirás.

Plantemos a roça.
Lavremos a gleba.
Cuidemos do ninho,
do gado e da tulha.
Fartura teremos
e donos de sítio
felizes seremos.

Todas as vidas – Poema de Cora Coralina

Todas as vidas

Vive dentro de mim
uma cabocla velha
de mau-olhado,
acocorada ao pé do borralho,
olhando pra o fogo.
Benze quebranto.
Bota feitiço…
Ogum. Orixá.
Macumba, terreiro.
Ogã, pai-de-santo…

Vive dentro de mim
a lavadeira do Rio Vermelho.
Seu cheiro gostoso
d’água e sabão.
Rodilha de pano.
Trouxa de roupa,
pedra de anil.
Sua coroa verde de são-caetano.

Vive dentro de mim
a mulher cozinheira.
Pimenta e cebola.
Quitute bem-feito.
Panela de barro.
Taipa de lenha.
Cozinha antiga
toda pretinha.
Bem cacheada de picumã.
Pedra pontuda.
Cumbuco de coco.
Pisando alho-sal.

Vive dentro de mim
a mulher do povo.
Bem proletária.
Bem linguaruda,
desabusada, sem preconceitos,
de casca-grossa,
de chinelinha,
e filharada.

Vive dentro de mim
a mulher roceira.
– Enxerto da terra,
meio casmurra.
Trabalhadeira.
Madrugadeira.
Analfabeta.
De pé no chão.
Bem parideira.
Bem chiadeira.
Seus doze filhos,
Seus vinte netos.

Vive dentro de mim
a mulher da vida.
Minha irmãzinha…
tão desprezada,
tão murmurada…
Fingindo alegre seu triste fado.

Todas as vidas dentro de mim:
Na minha vida –
a vida mera das obscuras.

Conclusões de Aninha – Poema de Cora Coralina

conclusoes de aninha cora coralina

Conclusões de Aninha

Estavam ali parados. Marido e mulher.
Esperavam o carro. E foi que veio aquela da roça
tímida, humilde, sofrida.
Contou que o fogo, lá longe, tinha queimado seu rancho,
e tudo que tinha dentro.
Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
novo rancho e comprar suas pobrezinhas.

 O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
entregou sem palavra.
A mulher ouviu. Perguntou, indagou, especulou, aconselhou,
se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar
E não abriu a bolsa.
Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar
e a mulher participa sem ajudar.
Da mesma forma aquela sentença:
“A quem te pedir um peixe, dá uma vara de pescar.”
Pensando bem, não só a vara de pescar, também a linhada,
o anzol, a chumbada, a isca, apontar um poço piscoso
e ensinar a paciência do pescador.
Você faria isso, Leitor?
Antes que tudo isso se fizesse
o desvalido não morreria de fome?
Conclusão:
Na prática, a teoria é outra.

Obrigado por ler até aqui!

Essa lista foi complicada… Escolher 10 poemas de alguém que tanto me encanta. Por certo não são os melhores, não podem ser… Mas que sejam pelo menos aqueles que mais mechem, comigo, contigo.

Por favor curta a nossa fanpage e compartilhe esse post. Veja também nossas outras listas de poesias aqui no blog!

 

Abraço e até mais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.