10 Poemas para Mãe

0
443
10 Poemas para Mãe 2

Oi pessoal, o post de hoje traz 10 “Poemas para Mãe” selecionados especialmente para todos vocês. Espero que gostem!

Poema para Mãe

Apresentação do Poema para Mãe – Para Sempre

É um poema de Carlos Drummond de Andrade, que retrata a morte das mães, querendo explicar isso com algumas expressões que nos faz lembrar.

Poema para Mãe – Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
– mistério profundo –
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Poema para Mãe – Para Sempre  – Carlos Drummond de Andrade

foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Mãe – Homenagem às mães

É um poema que fala das mães de uma maneira que nos faz entender como ela é importante e se preocupa com seus filhos.

Poema para Mãe – Homenagem às mães

Mãe, amor sincero sem exagero.
Maior que o teu amor, só o amor de Deus…
És uma árvore fecunda, que germina um novo ser.
Teus filhos, mais que frutos, são parte de você…

És capaz de doar a própria vida para salva-los.
E muito não te valorizam…
Quando crescem, de te esquecem.
São poucos, os que reconhecem…

Mas, Deus nunca lhe esquecerá.
E abençoará tudo que fizerdes aos seus…
Peço ao Pai Criador que abençoe você.
Um filho precisa ver o risco que é ser mãe…
Tudo é cirurgia, mas ela aceita com alegria.
O filho que vai nascer…

Obrigado é muito pouco, presente não é tudo.
Mas, o reconhecimento, isso! Sim, é pra valer…
Meus sinceros agradecimentos por este momento.
Maio, mês referente às mães, embora é bom lembrar…
Dia das mães, que alegria é todo dia.

Autor do Poema para Mãe – Homenagem às mães – J.Bernardo

Natural do Porto, cresceu na Trofa. Iniciou os seus estudos em trompa na Artave. Estudou também na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Jonathan Luxton, e Hochschule für Musik em Hamburgo, com o Prof. Ab Koster. Frequentou aulas e masterclasses com Radovan Vlatkovic, Hermann Baumann, Javier Bonet, Bruno Schneider, Stefan Dohr, Froydis Ree Wekre, Philip Myers, Fergus McWilliam, Hervé Joulain, Will Sanders, Jasper de Waal, Zdenek Tylsar, entre outros.

Apresentação do Poema para Mãe – Poema à Mãe

É um poema antigo de Eugénio de Andrade que fala das coisas que sua mãe impede de fazer, explicando porque as vezes trata a mãe zangado.

Poema para Mãe – Poema à Mãe

No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe

Tudo porque já não sou
o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos.

Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!

Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;

ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;

Autor do Poema para Mãe – Poema à Mãe – Eugénio de Andrade

O poeta nasceu na freguesia de Póvoa de Atalaia (Fundão) no dia 19 de Janeiro de 1923. Mudou-se para Lisboa aos dez anos devido à separação dos seus pais. Frequentou o Liceu Passos Manuel e a Escola Técnica Machado de Castro, tendo escrito os seus primeiros poemas em 1936. Em 1938 enviou alguns desses poemas a António Botto que, gostando do que leu, o quis conhecer. Botto incentivou-o nessa senda, e em 1940, publicou o seu primeiro livro Narciso, sob o seu verdadeiro nome, que mais tarde viria a rejeitar.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Mãe – Mãe

É um poema de Cora Carolina que mostra uma parte oculta das mães que as pessoas não percebem.

Poema para Mãe – Mãe

Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições…
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

Autor do Poema para Mãe – Mãe – Cora Coralina

Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 — Goiânia, 10 de abril de 1985), foi uma poetisa e contista brasileira. Considerada uma das mais importantes escritoras brasileiras, ela teve seu primeiro livro publicado em junho de 1965 (Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais), quando já tinha quase 76 anos de idade

Vídeo sobre a Poesia:

Você conhece a Teoria das Gerações? Veja neste vídeo os desafios das gerações na escola e como vencer:

Não deixe de se inscrever no meu canal do youtube: Vídeos diários para professores!

Confira também as entrevistas que estamos realizando no canal do Demonstre:

Não deixe de se inscrever no canal do youtube do Demonstre: Vídeos diários de poesia!

 

Apresentação do Poema para Mãe – QUERIDA MAMÃE

É um poema de José Guilherme S. Filho que fala da mãe como podemos ajuda-lá e mudar, a rotina tendo mais amor por ela.

Poema para Mãe – QUERIDA MAMÃE

Tu que nos guardaste em teu ventre aquecido e do mundo fomos protegidos…
Tu que nos trouxeste para a vida, o que mais poderíamos querer?
Nos deste um cantinho dentro de ti e já crescidinhos nascemos para te conhecer…
Em teus braços fomos acalentados com teu amor e dedicação.
Nosso coração por ti, todos os dias acariciado…
Te conhecer por fora é só uma forma de nos fortalecer para o mundo, mas o que há de mais profundo vem do teu íntimo Ser…
Oh! Maravilhosa Criatura… Nascida do Amor Divino
que nos ampara a todos os momentos de nosso Viver!
O que mais poderíamos querer?
Rogar com todas as forças que Deus abençoe a todas as mães e se nem sempre ao nosso lado podemos te ter até tua lembrança nos faz reviver… que maravilha…
Você nunca estará sozinha Querida Mamãe!

Autor do Poema para Mãe – QUERIDA MAMÃE – José Guilherme S. Filho

É um poeta brasileiro que publicou vários poemas como esse, seus poemas relatam os sentimentos das pessoas por pessoas que amam.

Apresentação do Poema para Mãe – MÃE…

É um poema que fala que o nome s[o usa 3 letras mas tem um peso e significado gigantesco, mostrando que mãe é de enorme apego a preocupação com o filho.

Poema para Mãe – MÃE…

São três letras apenas,
As desse nome bendito:
Três letrinhas, nada mais…
E nelas cabe o infinito
E palavra tão pequena
Confessam mesmo os ateus
És do tamanho do céu
E apenas menor do que Deus!

Autor do Poema para Mãe – MÃE… – Mario Quintana

Mário Quintana fez as primeiras letras em sua cidade natal, mudando-se em 1919 para Porto Alegre, onde estudou no Colégio Militar, publicando ali suas primeiras produções literárias. Trabalhou para a Editora Globo e depois na farmácia paterna. Considerado o “poeta das coisas simples”, com um estilo marcado pela ironia, pela profundidade e pela perfeição técnica, ele trabalhou como jornalista quase toda a sua vida. Traduziu mais de cento e trinta obras da literatura universal, entre elas Em Busca do Tempo Perdido de Marcel Proust, Mrs Dalloway de Virginia Woolf, e Palavras e Sangue, de Giovanni Papini.

Apresentação do Poema para Mãe – vazios

O poema mostra como a mãe presta atenção ao filho de maneira que ninguém percebe este ato.

Poema para Mãe – vazios

A mãe reparou que o menino
gostava mais do vazio
do que do cheio.
Falava que os vazios são maiores
e até infinitos.

Autor do Poema para Mãe – Manoel de Barros – vazios

Foi um poeta brasileiro do século XX, pertencente, cronologicamente à Geração de 45, mas formalmente ao pós-Modernismo brasileiro, se situando mais próximo das vanguardas europeias do início do século e da Poesia Pau-Brasil e da Antropofagia de Oswald de Andrade.

Vídeo sobre a autor:

Apresentação do Poema para Mãe – Incompreensão dos Mistérios

É um poema de Elisa Lucinda que conta a história de sua mãe ter morrido, procurando uma justificativa pra a morte de sua mãe.

Poema Poema para Mãe – Incompreensão dos Mistérios

Saudades de minha mãe.
Sua morte faz um ano e um fato
Essa coisa fez
eu brigar pela primeira vez
com a natureza das coisas:
que desperdício, que descuido
que burrice de Deus!
Não de ela perder a vida
mas a vida de perdê-la.
Olho pra ela e seu retrato.
Nesse dia, Deus deu uma saidinha
e o vice era fraco.

Autor do Poema para Mãe – Incompreensão dos Mistérios – Elisa Lucinda

É uma poetisa, jornalista, cantora e atriz brasileira. A artista foi um dos galardoados com o Troféu Raça Negra 2010 em sua oitava edição, na categoria Teatro. Também foi premiada no cinema pelo filme A última Estação, de Marcio Curi, no qual protagoniza o personagem Cissa. A estreia do filme foi no Festival de Brasília de 2012.

Vídeo sobre o autor:

Apresentação do poema sobre a vida – Pequeno Poema

Pequeno poema é uma obra de Sebastião da Gama, que de maneira estranha mostra como a mãe se comporta em algumas situações do dia a dia, e também relata que o sorriso da sua mãe faz ganhar o dia.

Poema sobre a vida – Pequeno Poema

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve estrelas a mais…
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…

Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe…

Autor do poema sobre a vida – Pequeno Poema – Sebastião da Gama

Foi professor em Lisboa, na Escola Industrial e Comercial Veiga Beirão, em Setúbal, na Escola Industrial e Comercial (atual Escola Secundária Sebastião da Gama) e, em Estremoz, na Escola Industrial e Comercial local, cidade onde o seu nome ficaria mais tarde ligado à actual Escola Básica (Escola Básica Sebastião da Gama EB2,3 Estremoz). Colaborou nas revistas Mundo Literário [2] (1946-1948), Árvore e Távola Redonda.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Mãe – Mãe

Um poema que relata como o filho pensa da mãe em relação a ele como ela se preocupa, se dando orgulho disso.

Poema Poema para Mãe – Mãe

Mãe – que adormente este viver dorido,
E me vele esta noite de tal frio,
E com as mãos piedosas até o fio
Do meu pobre existir, meio partido…

Que me leve consigo, adormecido,
Ao passar pelo sítio mais sombrio…
Me banhe e lave a alma lá no rio
Da clara luz do seu olhar querido…

Eu dava o meu orgulho de homem – dava
Minha estéril ciência, sem receio,
E em débil criancinha me tornava,

Descuidada, feliz, dócil também,
Se eu pudesse dormir sobre o teu seio,
Se tu fosses, querida, a minha mãe!

Autor do Poema para Mãe – Mãe – Antero de Quental

Foi um escritor e poeta português do século XIX que teve um papel importante no movimento da Geração de 70.

Vídeo sobre o autor:

FIM

Gostou? Deixe sua opinião sobre esse post e sugira novas ideias de temas para abordamos aqui no Demonstre. Visite também a página do Demonstre no facebook, e o meu canal no youtube.

Bom pessoal, muito obrigado por acompanhar o post até aqui e até mais!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.