20 Plantas Aquáticas Etapa 1

0

Como sabemos as plantas são de diferentes tipos e estão em diferentes lugares do planeta, e muita dessas plantas servem para uma grande quantidade de remédios, para diversas doenças.

São um dos maiores e mais biodiversos grupos de seres vivos na Terra, as plantas verdes fornecem uma parte substancial do oxigênio molecular e são a base dos alimentos da maioria dos ecossistemas, especialmente dos terrestres.

Então o demonstre veio mostrar nesse poste uma lista recheada de “plantas aquáticas”, que podem ajudar as pessoas em seus problemas de saúde chegando até a curar algumas doenças que as pessoas enfrentam.

As plantas aquáticas são um tipo de planta que se desenvolvem na água e tem uma diversidade muito grande. Essas plantas vivem somente na água e quando a água acaba elas podem morrer.

Plantas Aquáticas

Também conhecidas como plantas hidrófilas ou hidrófitas, são aquelas que possuem a capacidades de viverem em ambientes aquáticos ou com grande quantidade de umidade. Algumas espécies vivem totalmente submersas na água, enquanto outras mantém apenas suas raízes e caules embaixo da água.

Grande parte das espécies de plantas aquáticas habita lagos, margens de rios, pântanos e manguezais (em água salobra). Algumas destas espécies são muito utilizadas para decorar ou incrementar o ecossistema de aquários de água doce ou até mesmo marinhos. Outras espécies são usadas em paisagismo.

Crino-americano – Plantas Aquáticas

O crino-americano é uma especie bulbosa e florífera, originária de regiões pantanosas ao sudoeste dos Estados Unidos, México e América Central. Ela cresce de bulbos calibrosos, interligados por um forte rizoma, formando assim grandes touceiras. De cada bulbo sai um conjunto de folhas largas, carnosas e longas como fitas, de cor verde escura.

Floresce ao longo do ano, mas com mais intensidade na primavera, verão e outono, despontando uma inflorescência alta, do tipo umbela, acima da folhagem, sustentada por uma forte haste. No topo da inflorescência, arranjam-se de duas a sete flores, como em um buquê. Elas são brancas a levemente rosadas, com longas e finas pétalas recurvadas e estames cor-de-rosa que dão ao conjunto a forma de uma estrela. As flores são delicadamente perfumadas e atraem beija-flores.

Crino-americano – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Crinum americanum
  • Sinonímia: Bulbine uncinata, Crinum caribaeum, Crinum ceruleum, Crinum commelyni, Crinum conicum, Crinum floridanum, Crinum herbertianum, Crinum longiflorum, Crinum roozenianum, Crinum strictum, Crinum texanum, Scadianus multiflorus
  • Nomes Populares: Crino-americano, Açucena
  • Família: Amaryllidaceae
  • Categoria: Bulbosas, Flores, Plantas Aquáticas, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: América Central, América do Norte, Antilhas, Cuba, Estados Unidos, Jamaica
  • Altura: 0.4 a 0.6 metros, 0.6 a 0.9 metros
  • Luminosidade: Luz Difusa, Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Crino-americano

É própria para aquelas regiões baixas do terreno, de difícil drenagem, e especialmente para a margem de lagos ornamentais, onde encontra seu ambiente ideal. Pode ser usada também como bordadura, de preferência em espaço delimitado para conter seu crescimento. Se adapta a diferentes condições de luminosidade, florescendo até mesmo em corredores escuros e jardins de inverno. Também pode se plantada em vasos e jardineiras.

Vídeo sobre Crino-americano:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Hibisco – Plantas Aquáticas

O Hibiscus moscheutos é uma espécie de porte arbustivo e florescimento ornamental, originário de planícies alagadas ao longo da costa do Oceano Atlântico, na América do Norte. Apresenta ramagem ramificada, de textura semi-herbácea e ereta. As folhas são mucilaginosas, pubescentes na página inferior e glabras, na superior. Elas podem ser inteiras ou com até três lobos, e geralmente se apresentam em formato deltóide ou cordiforme, com margens crenadas.

Floresce no verão, despontando grandes flores terminais, com diâmetro que varia de 15 a 25 cm de diâmetro, de acordo com a cultivar. Elas são pentâmeras, hermafroditas e se apresentam em uma grande variedade de cores, como branco, salmão, rosa, vermelho e vinho, em cores sólidas ou em delicados degradeés, muitas delas com o centro de cor marrom ou bordô. Os frutos são cápsulas globosas, com numerosas sementes.

Hibisco – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Hibiscus moscheutos
  • Nomes Populares: Hibisco, Rosa-malva
  • Família: Malvaceae
  • Categoria: Arbustos, Cercas Vivas, Flores, Flores Perenes, Plantas Aquáticas, Plantas Palustres
  • Clima: Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: América do Norte, Canadá, Estados Unidos
  • Altura: 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Hibisco

É ideal para terrenos alagadiços ou em áreas palustres, em torno de fontes e laguinhos. Adapta-se muito bem a regiões litorâneas, sujeitas à maresia. Confere a tropicalidade dos hibiscos a locais mais frios também.

Vídeo sobre Hibisco:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Planta-mosaico – Plantas Aquáticas

A planta-mosaico é uma espécie de planta aquática, herbácea, ideal para as margens de laguinhos e tanques. Nativa do Brasil e Venezuela, ela se caracteriza pelo belo efeito de simetria radial de sua folhagem, que se encaixa como num mosaico. De dia, suas rosetas são mais abertas, com espaço entre as folhas, já à noite, sua ramagem se contrai, aproximando as folhinhas. Suas folhas são pequenas e delicadas, flutuantes, com formato de losango e margens serrilhadas.

Elas podem ser verdes ou em tons avermelhados. Apesar do aspecto flutuante, a planta mosaico enraiza no solo do fundo do laguinho, ou em vasos. Ou seja, da mesma forma que as ninféias, ela precisa de um bom substrato para se desenvolver. Floresce no inverno, despontando pequenas e delicadas flores amarelas, com forma de taça e quatro pétalas, acima da folhagem. Após a floração produz frutos do tipo cápsula, com deiscência explosiva, que quando maduras se abrem lançando numerosas sementes à distância.

Planta-mosaico – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Ludwigia sedioides
  • Sinonímia: Jussiaea sedoides
  • Nomes Populares: Planta-mosaico,
  • Família: Onagraceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Marginais
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: América do Sul, Brasil, Venezuela
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Planta-mosaico

Apesar de ser uma planta nativa, ela possui características invasivas em determinadas situações e produz muitas sementes.

Vídeo sobre Planta-mosaico:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Poejo – Plantas Aquáticas

O poejo é uma planta herbácea, rizomatosa, aromática e medicinal, relacionada com a hortelã (Mentha spicata) e originária da região do mediterrâneo e oriente médio. De crescimento cespitoso, apresenta ramos quadrangulares, eretos e ramificados, que chegam a 40cm de altura. A folhas são pequenas, opostas, delicadas, lanceoladas, pilosas, com margens denteadas e de cor verde. Floresce no verão e no outono, exibindo inflorescências globosas e densas, que parecem pequenos “pompons”, com flores bilabiadas, róseas ou arroxeadas, de longos estames.

O poejo é cultivado desde a antiguidade por suas qualidades como aromática e medicinal. Era costume, queimar a erva para repelir as pulgas e outros insetos das residências, daí o o nome pulegium, do latim, que deriva de pulex, uma referência às “pulgas”. Além de servir como repelente, o poejo também é utilizado para purificar a água, perfumar o ambiente e temperar bebidas e alimentos, como chás, licores, vinhos, saladas, cozidos, assados, pudins, etc.

Poejo – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Mentha pulegium
  • Sinonímia: Mentha daghestanica, Pulegium dagestanicum, Pulegium vulgare
  • Nomes Populares: Poejo, Hortelãzinha, Erva-de-são-lourenço, Poejo-real, Menta-selvagem, Poejo-das-hortas, Hortelã-dos-Açores, Hortelã-pimenta-mansa, Poêjo, Poêjos
  • Família: Lamiaceae
  • Categoria: Ervas Condimentares, Medicinal, Plantas Aquáticas, Plantas Hortícolas, Plantas Palustres
  • Clima: Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: África, Europa, Mediterrâneo, Oriente Médio
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Poejo

Ele vai bem em vasinhos e jardineiras, e adapta-se bem a pequenos espaços, devido ao crescimento rasteiro. O aspecto arredondado e denso, assim como a floração, o fazem interessante como forração, misturando-se, de uma forma harmoniosa, uma planta útil no jardim ornamental. Ele vai bem também como planta palustre, no entorno de cursos d’água, suavizando margens artificiais e pedras.

Vídeo sobre Poejo:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Acorus – Plantas Aquáticas

O acorus é uma planta herbácea, rizomatosa, que a primeira vista parece uma grama (Poaceae), no entanto, ela não é uma grama verdadeira e pertence a uma família própria, a Acoraceae. Dos seus espessos rizomas surgem folhas lanceoladas, brilhantes, levemente curvadas, aromáticas e de cor verde, na espécie típica. No entanto, há diversas cultivares para uso ornamental, com maior ou menor porte, além de folhas mais ou menos fragrantes, variegadas de branco e plantas com folhagem amarela, muito atrativas.

Entre essas podemos citar a ‘Ogon’, ‘Variegatus’, ‘Licorice’ e ‘Pusillus’. Floresce apenas quando cultivada como planta aquática, tendo o rizoma submerso na água. As inflorescências são do tipo espádice e de cor branca, discretas, localizadas na base da touceira e tem de pouca importância ornamental. Os frutos que se seguem são bagas minúsculas, carnosas, de cor vermelha.

Acorus – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Acorus gramineus
  • Nomes Populares: Acorus, Mini-cálamo-do-japão, Acoro-gramíneo, Junco-japonês
  • Família: Acoraceae
  • Categoria: Folhagens, Forrações à Meia Sombra, Gramados e Forrações, Plantas Aquáticas, Plantas Marginais, Plantas Palustres
  • Clima: Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: Ásia, Birmânia, China, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Filipinas, Índia, Japão, Oceania, Tailândia, Taiwan
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros, 0.3 a 0.4 metros, menos de 15 cm
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Acorus

Utilize o acorus em vasos, como forração para espécies mais altas e em canteiros mistos sob meia sombra, principalmente em áreas com problemas de drenagem.

Vídeo sobre Acorus:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Mureré – Plantas Aquáticas

Esta espécie de Mureré, destaca-se por apresentar flores menores e delicadas, dispostas em longas inflorescências do tipo panícula, diferente de Eichhornia crassipes que apresenta inflorescência densa e espigada, com flores grandes. E. paniculata é uma planta herbácea florífera, aquática e anual, habitante natural de margens de rios e lagos do norte e nordeste do Brasil. Seu caule é estolonífero e suas raízes ficam fixas no lodo, mas é possível que se desprendam no caso de ocorrerem cheias.

Desta forma elas se tornam flutuantes até que possam encontrar fixação novamente. Suas folhas são verdes, cordiformes, brilhantes, sésseis, e surgem dispostas em roseta basal ou em pecíolos emergentes. As inflorescências são eretas e longas, aparecendo acima da folhagem, e podem conter mais de cem flores arroxeadas e hermafroditas.

Mureré – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Eichhornia paniculata
  • Nomes Populares: Mureré, Aguapé, Jacinto-d’água, Rainha-dos-lagos
  • Família: Pontederiaceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Flutuantes, Plantas Marginais
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: América do Sul
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Mureré

É considerada invasiva, devido à facilidade de propagação, sendo proibido seu cultivo em alguns lugares, como no estado da Florida nos Estados Unidos.

Vídeo sobre Mureré:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Mini-bambu – Plantas Aquáticas

O mini-bambu é uma planta herbácea, entouceirada, de folhagem ornamental e nativa de diferentes países da Ásia e Oceania. Apesar do aspecto de bambu, esta espécie é na verdade uma gramínea. Ela forma densas e baixas touceiras, com aspecto arredondado. Seus ramos são longos e finos e as folhas são brilhantes, verde claras ou variegadas de creme, com formato e disposição semelhantes às folhas de bambu. As inflorescências surgem na primavera ou outono, abaixo da folhagem, e são rácemos simples de espiguetas achatadas que carregam aristas longas e finas.

O mini-bambu é muito versátil no paisagismo, assumindo o papel de destaque ou como plano de fundo, dependendo do projeto. Além de grupos e conjuntos de plantas espaçadas entre si, para evidenciar seu formato, ele também pode formar maciços e bordaduras, ideais para suavizar caminhos, muretas e pedriscos, criando manchas arredondadas. Ele ainda é um escolha perfeita para vegetar bordas de lagos e cascatas, pois aprecia a umidade constante destes locais, onde pode desenvolver uma ramagem um pouco mais aberta e até mesmo um tanto pendente.

Mini-bambu – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Pogonatherum paniceum
  • Sinonímia: Pogonatherum saccharoideum, Saccharum paniceum, Eulalia paniceum
  • Nomes Populares: Mini-bambu, Grama-de-gato, Mini-bambu, Bambu-alemão, Bambuza-mini, Taquarinha, Bambu-miniatura
  • Família: Poaceae
  • Categoria: Folhagens, Forrações à Meia Sombra, Forrações ao Sol Pleno, Gramados e Forrações, Plantas Aquáticas, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical, Tropical
  • Origem: Ásia, Austrália, Ceilão, China, Índia, Indonésia, Malásia, Nepal, Oriente Médio, Península Arábica, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan, Vietnã
  • Altura: 0.3 a 0.4 metros, 0.4 a 0.6 metros
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Mini-bambu

Pode ainda ser plantado em vasos, e assim adornar a entrada da casa, a mesa da sala de jantar e o balcão do banheiro, etc. No entanto, em locais não tão iluminados, o mini-bambu terá um aspecto mais “solto”, igualmente encantador. É comum o uso de seus ramos em arranjos florais delicados, que ganham um charmoso “toque” oriental.

Vídeo sobre Mini-bambu:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Íris-amarelo – Plantas Aquáticas

O íris-amarelo é uma planta herbácea, rizomatosa, entouceirada, conhecida por ser umas das raras espécies de íris com flores amarelas. Ele atinge em média 1,2 metros de altura, e apresenta folhas glabras, longas e planas, como espadas, de coloração verde-acinzentada. Estas folhas partem do rizoma, de medula rosada, e deixam marcas semelhantes a escamas.

As inflorescências surgem no verão, com cerca de três a quatro flores, sustentadas em longas hastes cilíndricas. As flores são típicas do gênero Iris, com três sépalas caídas e três pétalas eretas. Cada pétala e sépala são de uma coloração amarelo-ouro, com veias amarronzadas ou violáceas. Ocorrem ainda variedades de flores cor creme-pálido, de folhas variegadas de amarelo, e de porte gigante, ultrapassando 2 metros de altura.

Íris-amarelo – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Iris pseudacorus
  • Nomes Populares: Íris-amarelo, Bandeira-amarela, Flor-de-lis-amarela
  • Família: Iridaceae
  • Categoria: Bulbosas, Flores Perenes, Plantas Aquáticas, Plantas Daninhas, Plantas Palustres
  • Clima: Continental, Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: África, Ásia, Europa
  • Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Íris-amarelo

O íris-amarelo é muito vistoso e pode ser utilizado em maciços e bordaduras.

Vídeo sobre a Íris-amarelo:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Sombrinha-chinesa – Plantas Aquáticas

O Cyperus alternifolius ganhou o nome de sombrinha-chinesa devido à forma que tomam suas folhas. Esta planta possui as hastes finas e resistentes e proporciona um belo efeito ornamental. Na mesma família (Cyperaceae) estão também outras plantas mais conhecidas, como o papiro (Cyperus papirus), que era utilizado pelos egípcios para a confecção do papiro, e o papiro-brasileiro (Cyperus giganteus) que é nativo do Brasil.

Desenvolve-se sob sol-pleno ou meia-sombra. Apesar de suportar o sol muito forte e frio intenso, nessas condições geralmente fica com as folhas queimadas e com mau aspecto. Quando cultivada diretamente no solo bem drenado, seu desenvolvimento pode ficar comprometido, devendo permanecer à meia-sombra.

Sombrinha-chinesa – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Cyperus alternifolius
  • Nomes Populares: Sombrinha-chinesa, Palmeira-umbela, Planta-umbela, Sombrinha
  • Família: Cyperaceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
  • Origem: Madagascar
  • Altura: 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Sombrinha-chinesa

 Apesar de suportar o sol muito forte e frio intenso, nessas condições geralmente fica com as folhas queimadas e com mau aspecto.

Vídeo sobre Sombrinha-chinesa:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Cleome – Plantas Aquáticas

O cleome é um arbusto semi-herbáceo e muito florífero, de ramagem ereta, ramificada e espinhenta, que pode alcançar de 0,6 a 1,5 metros de altura. Suas folhas palmadas são compostas por cinco folíolos cada. Estes folíolos apresentam textura rugosa e membranácea, e exalam um cheiro forte característico. As delicadas inflorescências terminais, despontam na primavera e no verão. Elas apresentam formato globoso e são compostas por flores de coloração rósea, branca ou creme, com longos estames. Atualmente ocorrem variedades de diversas tonalidades de rosa, desde o rosa pink até o rosa bebê.

As vagens contendo as sementes surgem após a polinização e podemos observá-las nas partes inferiores das hastes florais. O cleome presta-se muito bem para a formação de maciços ou grupos, além de bordaduras ao longo muros. Podemos utilizá-lo como planta palustre, pois gosta de muita umidade. Também podemos plantar cleomes em vasos grandes e jardineiras.

Cleome – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Cleome hassleriana
  • Nomes Popular
  • es: Cleome, Beijo-fedorento, Mussambê, Mussambê-fedorento, Planta-aranha, Sete-marias
  • Família: Cleomaceae
  • Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Flores Anuais, Flores Perenes, Plantas Aquáticas, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: América do Sul
  • Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Cleome

Apesar de perene, muitas variedades comerciais devem ser tratadas como anuais, pois perdem a beleza com o tempo. Multiplica-se por sementes.

Vídeo sobre Cleome:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Aguapé – Plantas Aquáticas

Planta aquática e flutuante o aguapé é muito ornamental. No entanto em algumas situações de superpopulação ela pode se tornar um problema em lagos. De folhas redondas, grandes e brilhantes o aguapé se multiplica rapidamente. Sua inflorescência composta de belas flores azuis arroxeadas se assemelha a do jacinto.

Deve ser cultivada a pleno sol em água com pH corrigido e naturalmente fértil. Não é necessário enterrar já que a planta é flutuante. Evitar o uso de fertilizantes do tipo NPK e outros agroquímicos que podem envenenar os peixes e provocar uma explosão no crescimento da planta. O próprio ciclo natural de um lago com peixes já é suficiente como adubação.

Aguapé – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Eichhornia crassipes
  • Nomes Populares: Aguapé, Baroneza, Camalote, Jacinto-d’água, Murumuru, Mururé, Pareci, Pavoa, Rainha-dos-lagos
  • Família: Pontederiaceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Flutuantes
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: América Central, América do Norte, América do Sul
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Aguapé

No paisagismo, o aguapé é utilizado para povoar lagos e espelhos d’agua, favorecendo a vida aquática, principalmente os peixes.

Vídeo sobre Aguapé:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Cavalinha – Plantas Aquáticas

Da mesma família de muitas samambaias, a cavalinha apresentou uma evolução interessante, onde suas folhas reduziram-se a escamas, sendo que a fotossíntese é realizada por hastes ocas e articuladas. Para sua reprodução assexuada produz cones contendo esporos. Suas hastes podem medir acima de 2 metros de altura.

Além de ornamental, a cavalinha é considerada um planta medicinal. Gosta de locais úmidos e terra rica em matéria orgânica. É muito rústica e tolerante ao frio, uma das poucas pteridófitas que se adaptam ao sol pleno.

Cavalinha – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Equisetum spp
  • Nomes Populares: Cavalinha, Árvore-de-natal, Cauda-de-cavalo, Cauda-de-eqüina, Cauda-de-raposa, Eqüisseto, Erva-de-canudo, Milho-de-cobra, Pinheirinho, Rabo-de-cavalo
  • Família: Equisetaceae
  • Categoria: Folhagens, Medicinal, Plantas Aquáticas, Plantas Marginais, Plantas Palustres
  • Clima: Continental, Equatorial, Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical
  • Origem: África, América Central, América do Norte, América do Sul, Ásia, Europa
  • Altura: 0.3 a 0.4 metros, 0.4 a 0.6 metros, 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros, 1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros
  • Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Cavalinha

É indicada para a composição com outras plantas na beira de fontes e lagos, ou utilizada como maciço, em floreiras ou na frente de casas e outras edificações.

Vídeo sobre Cavalinha:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Buriti – Plantas Aquáticas

O buriti é uma palmeira dióica, aquática, muito frutífera e ornamental, que apresenta uma íntima relação com a água durante o seu desenvolvimento. Ele caracteriza uma formação única do cerrado, as veredas, que são áreas localizadas em vales, bastante encharcadas, com nascentes ou cursos d’água, onde pode-se obter sempre passagem e água limpa. O buriti apresenta estipe único, ereto, anelado, com diâmetro de 30 a 50 cm e casca lisa. Seu porte é elevado para uma palmeira, alcançando entre 2,8 a 35 metros de altura. Ele possui raízes aéreas especiais, denominadas pneumatóforos, que são capazes de trazer oxigênio para áreas brejosas. Suas folhas são costopalmadas, verde-escuras, brilhantes, grandes, sustentadas por fortes pecíolos e dão à coroa um belo formato arredondado.

São também bastante persistentes, e mesmo secas, permanecem um bom tempo unidas ao caule. As inflorescências surgem o ano todo, nos espaços interfoliares e são do tipo panícula, longas, cheias e pendentes, como cabeleiras, de cor creme amarelada. Como é uma palmeira dióica, somente nas fêmeas veremos os frutos, mas precisamos de indivíduos machos para que ocorra a polinização. Os frutos são drupas alongadas, elipsóides a oblongas, de cor castanha e recobertas por escamas brilhantes. Elas possuem uma polpa alaranjada e carnosa e geralmente apenas uma semente, muito dura. Cada buriti produz de 5 a 7 cachos por ano, com mais de 700 frutos cada.

Buriti – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Mauritia flexuosa
  • Sinonímia: Mauritia minor, Mauritia setigera, Mauritia vinifera, Saguerus americanus
  • Nomes Populares: Buriti, Coqueiro-buriti, Buritizeiro, Miritizeiro, Palmeira-buriti, Miriti, Muriti, Muritim, Muruti, Moriti, Boriti, Palmeira-dos-brejos, Buritirana, Caraná, Canangucha, Carandá-guaçu, Carandaí-guaçu
  • Família: Arecaceae
  • Categoria: Árvores, Palmeiras, Plantas Aquáticas, Plantas Marginais, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Tropical
  • Origem: América Central, América do Norte, América do Sul, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Trindade e Tobago, Venezuela
  • Altura: 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros, 4.7 a 6.0 metros, 6.0 a 9.0 metros, 9.0 a 12 metros, acima de 12 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Buriti

Uma espécie das mais elegantes e rústicas, e foi bastante valorizada por Burle Marx. Por ser capaz de agregar o solo e conservar a água, sua presença é importante em áreas de reflorestamento, principalmente na recuperação e manutenção de olhos-d’água, margens de rios e lagos, e áreas encharcadas.

Vídeo sobre Buriti:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Ninféia-vermelha – Plantas Aquáticas

Planta de folhagem e florescimento bastante ornamental, a ninféia-vermelha acrescenta beleza e misticismo aos jardins com lagos. Suas folhas flutuantes são grandes, arredondadas e com bordas serrilhadas. As flores, elevadas acima do nível da água, são formadas no verão, e se abrem brancas, tornando-se róseas com o passar do tempo. Os estames amarelos são elevados em bloco.

A ninféia-vermelha pode ser plantada em vasos ou diretamente no lodo em cursos de água lentos ou lagoas de água doce, vivendo a pouca profundidade. Sua folhagem e flores desaparece no inverno. Se a água contiver peixes, evite adubações pesadas, fazendo apenas uma fertilização leve caso seja muito necessário. Tolerante ao frio. Multiplica-se pela divisão dos tubérculos e por sementes.

Ninféia-vermelha – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Nymphaea rubra
  • Nomes Populares: Ninféia-vermelha, Nenúfar, Ninféia-rosa
  • Família: Nymphaeaceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Marginais
  • Clima: Continental, Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: Ásia, Índia
  • Altura: 0.1 a 0.3 metros, menos de 15 cm
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Ninféia-vermelha

Pode ser cultivada em lagos, tanques e espelhos de água, sempre a pleno sol.

Vídeo sobre Ninféia-vermelha:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Marrequinha – Plantas Aquáticas

A marrequinha é uma planta aquática flutuante muito utilizada em aquarismo. Sua beleza delicada é mais ressaltada quando vegeta sobre laguinhos e fontes pequenas. Multiplica-se muito rapidamente e por este motivos também é considerada daninha, sendo que o seu controle pode ser muito difícil, dependendo da extensão da lâmina de água. Suas folhas são ovais, pilosas e sulcadas.

Devem ser cultivadas em sol pleno nos mais diversos tipos de recintos de água doce, sendo que não são necessárias adubações. Multiplica-se por divisão da planta, preservando as raízes.

Marrequinha – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Salvinia sp
  • Nomes Populares: Marrequinha, Salvínia
  • Família: Salviniaceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Flutuantes
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: América Central, América do Norte, América do Sul, Ásia, Europa
  • Altura: menos de 15 cm
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Marrequinha

Despoluidora, cresce em ambientes aquáticos bem contaminados. Sua remoção periódica é necessária para que não sombreie completamente a água.

Vídeo sobre Marrequinha:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Alface-d’água – Plantas Aquáticas

Planta aquática muito rústica e pouco exigente. Muitas vezes torna-se até uma planta daninha, devido à sua rápida multiplicação. No paisagismo é utilizada em aquários, fontes, lagos e espelhos d’água. Suas folhas são verdes-claras, com uma textura aveludada, muito ornamentais.

Aprecia o calor e o sol e deve ser cultivada em água livre de cloro e outros produtos químicos. Como é flutuante não necessita substrato algum. Se a água for fertilizada com matéria orgânica se espalha rapidamente. Multiplica-se por separação das mudas que se formam em torno da planta mãe.

Alface-d’água – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Pistia stratiotes
  • Nomes Populares: Alface-d’água, Erva-de-santa-luzia
  • Família: Araceae
  • Categoria: Plantas Aquáticas, Plantas Daninhas, Plantas Flutuantes
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: América Central, América do Norte, América do Sul
  • Altura: menos de 15 cm
  • Luminosidade: Sol Pleno
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve a Alface-d’água

É ótimo para saladas.

Vídeo sobre a Alface-d’água:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Asplênio – Plantas Aquáticas

Com folhas inteiras, que nascem enroladas e tornam-se grandes e de textura coriácea, o asplênio é uma planta epífita, isto é, desenvolve-se sobre outras plantas. No entanto, pode ser cultivada em vasos e canteiros, desde que em locais sombreados.

Apresenta crescimento lento, sendo que sua altura geralmente varia de 20 a 90 cm. Deve ser cultivado sob abundante luz difusa, em substrato rico em matéria orgânica, drenável, mas com boa capacidade de retenção de água, como fibra de coco, e irrigado freqüentemente.

Asplênio – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Asplenium nidus
  • Nomes Populares: Asplênio, Ninho-de-passarinho
  • Família: Aspleniaceae
  • Categoria: Folhagens, Plantas Palustres
  • Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
  • Origem: Ásia
  • Altura: 0.3 a 0.4 metros, 0.4 a 0.6 metros, 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros
  • Luminosidade: Luz Difusa
  • Ciclo de Vida: Perene

Para que serve Asplênio

Fica muito bem se utilizada em vasos para interiores. Pode-se fazer maciços ou composições com outras epífitas em jardins de inverno e exteriores.

Vídeo sobre Asplênio:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Banana-d’água – Plantas Aquáticas

A banana-d’água é uma planta arbustiva, perene, aquática, de textura herbácea, que chega a atingir 4 metros de altura. O caule aparente da planta é na verdade um falso-caule, formado pelos pecíolos da folhas. O rizoma submerso e horizontal é o caule verdadeiro. As folhas são grandes, sagitado-cordiformes, coriáceas, com margens inteiras e dispostas em roseta.

Com o tempo elas amarelecem e pendem, ficando ao longo do pseudocaule, à semelhança de palmeiras. Suas inflorescências são pedunculadas, do tipo espádice, com espata grande na cor branco-creme e espádice amarela, com as flores masculinas na porção superior e as femininas na inferior. Elas exalam aroma desagradável que atraem besouros, seus polinizadores. Os frutos são pequenas bagas amarelas e contêm uma semente cada.

Banana-d’água – Ficha da Planta Aquática

  • Nome Científico: Typhonodorum lindleyanum
  • Nomes Populares: Banana-d’água, Bananeira-d’água, Tifonodoro
  • Família: Araceae
  • Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Plantas Aquáticas, Plantas Marginais
  • Clima: Equatorial, Oceânico, Subtropical, Tropical
  • Origem: África, Madagascar
  • Altura: 1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros
  • Luminosidade: Sol Pleno

Para que serve Banana-d’água

É um elemento imponente no paisagismo tropical, seja plantada isolada ou em pequenos grupos, ao longo de espelhos-d’água, riachos calmos ou nas margens de lagos e tanques.

Vídeo sobre Banana-d’água:

Vídeo sobre a planta que está no youtube.

Fim do poste sobre as plantas aquáticas

Então estamos chegando ao film de mais uma lista de conteúdos, e nesse poste trabalhamos com “plantas Aquáticas”. Assim se você achou esse poste legal, e conhece alguém que está precisando ler isso, compartilhe com elas e também se possível em suas redes sociais, para que as pessoas possam desfrutar de mais conteúdos.