28 Monstros da Mitologia Grega

0

Hoje vamos saber um grupo de personagens muito interessantes dos contos gregos,  os monstros mitológicos.

Os Monstros da Mitologia Grega

Grande parte dessas criaturas estão intimamente relacionada com os deuses da mitologia grega, sendo enviados por eles para intervirem em conflitos ou missões particulares.

Uns eram violentos contra todos, atacando e aterrorizando terras próximas, ou envolvidos apenas em batalhas específicas. Enquanto outros, eram monstros pacíficos, chegando até a interagir com os seres humanos.

Então, agora vamos conhecer um pouco sobre cada um deles.

Pégaso – Monstros da Mitologia Grega

Origem:

Pégaso nasceu do sangue de Medusa quando foi decapitada por Perseu.

História do Pégaso:

Belerofonte com o auxílio da rédea de ouro dada por Atena, domou Pégaso. E mantado nele matou poderosa Quimera. Em seguida, tentou usá-lo para chegar ao Olimpo. Mas Zeus fez com que o cavalo alado derrubasse seu cavaleiro, que morreu devido à grande altura. Zeus o recompensou transformando-o na Constelação de Pégasus, de onde deveria dali em diante ficar à serviço do deus dos deuses.

Poderes do Pégaso:

Ele é um cavalo alado, símbolo da imortalidade.

Hidra de Lerna – Monstros da Mitologia Grega

Origem da Hidra de Lerna:

Era filho dos monstros Tifão e Equidna, que habitava um pântano junto ao lago de Lerna, na Argólida. A história também relata que teste monstro foi criado por Hera para matar Héracles.

História da Hidra:

A Hidra tinha corpo de dragão e várias cabeças de serpente, possuia um hálito venenoso o qual matava os que o cheirasse. De acordo com os contos mitológicos, a cada cabeça da Hidra que era decapitada, surgiam duas no lugar. Esta criatura foi morta por Héracles, com a ajuda de Iolal, a medida que o primeiro ia cortando as sua cabeças, o outro ia queimando o tição; até que quando sobrou a cabeça central, a imortal, Héracles a enterrou com uma pedra, matando a Hidra.

Poderes da Hidra:

Era muito venenosa e quando uma das suas cabeças eram cortadas nasciam mais duas em seu lugar.

Minotauro – Monstros da Mitologia Grega

Origem do Minotauro:

Após o rei de Creta,Minos, descumprir uma promessa a Posídon, deus do mar, a deusa Afrodite fez com que Pasífea, sua esposa, se apaixonasse perdidamente pelo touro vindo do mar, o Touro Cretense. E, para se relacionar com o touro, a rainha pediu ao arquetípico artesão Dédalo que lhe construísse uma vaca de madeira que lhe permitisse se relacionar com o touro. Deste cruzamento foi monstruoso Minotauro.

História do Minotauro:

O Minotauro era uma criatura metade touro, metade homem. Ele habitava o centro de um gigantesco labirinto, uma elaborada construção erguida para o rei Minos de Creta, e projetada pelo arquiteto Dédalo e seu filho, especialmente para esta criatura que devorava homens.

Segundo o conto, o Minotauro é morto pelo  ateniense Teseu.

Poderes do Minotauro:

Devorava homens.

Medusa – Monstros da Mitologia Grega

Origem da Medusa:

Era filha de Fórcis e Ceto um casal ctônico, criaturas do mundos subterrâneo.

História de Medusa:

A Medusa era um monstro ctônico do sexo feminino. Era uma das três irmãs Górgonas, as quais transformavam em pedra todos que olhassem diretamente para elas. Só que ao contrário de suas irmãs, Esteno e Euríale, Medusa era mortal.

Ela foi decapitada por Perseu, que utilizou posteriormente sua cabeça como arma, até dá-la para a deusa Atena, que a colocou em seu escudo.

Quando a cabeça de separou de seu  corpo, nasceram duas criaturas: Pégaso e o gigante dourado Crisaor.

Poderes de Medusa:

Todos que a olhava diretamente viravam pedra.

Equidna – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Equidna:

Segundo Hesíodo era filha de Forcis e Ceto, e portanto neta de Ponto e Gaia. Em outras versões seria descendente de Tártaro e Gaia ou ainda de Crisaor e Calírroe.

História de Equidna:

Equidna era uma criatura monstruosa e gigantesca, com tronco de uma bela mulher e cauda de serpente em lugar dos membros. Vivia numa caverna no Peloponeso ou na Síria. Casando-se com o horrendo Tifão, tornando-se a “mãe de todos os monstros”. Entre seus filhos estão: Cérbero, Ortros, Quimera, Ladão e Cila.

Ela era aterrorizante e adorava devorar viajantes inocentes.

Equidna foi morta por Argos Panoptes, o monstro de cem olhos, que a surpreendeu adormecida.

Poderes de Equidna:

Ela era apavorante e gostava devorar viajantes.

Tifão – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Tifão:

Era filho de Gaia e de Tártaro.

História de Tifão:

Tifão, era tido como a personificação do terremoto e dos ventos fortes. Era tão grande que sua cabeça tocava os astros celestes e suas mãos iam do Oriente ao Ocidente. Suas asas abertas podia tapar o Sol, dos seus ombros saiam Dragões, 50 de cada ombro. Ele era tão assustador que todos o rejeitavam. Ele cuspia fogo em correntes, e lançava rochas incandescentes aos céus.

Ele morava numa gruta, cuja atmosfera envenenava com vapores tóxicos. Tifão era casado com Equidna, foi pai de vários dos monstros que povoam as aventuras de heróis e deuses, como o Leão de Neméia, combatido por Hércules, a Hidra, a Esfinge, dos cães Ortros e Cérbero.

No sincretismo com o mito egípcio de Osíris, Tifão era identificado com o gigante Set, responsável pela seca do Nilo, e que por inveja da fecundidade daquele o matara.

Tifão foi morto por Zeus depois de uma grande batalha no Olimpo.

Poderes de Tifão:

Era horrendo, gigantesco e cuspia fogo.

Esfinge – Monstros da Mitologia Grega

Origem da esfinge:

Há duas versões sobre sua origem, uma de acordo com Hesíodo, ela é filha da Quimera e de Ortro ou, de acordo com outros, de Tifão e de Equidna.

História da esfinge:

A esfinge na mitologia grega, era um demônio exclusivo de destruição e má sorte. Ela tinha a forma de um leão e assas de águia, com uma cabeça de mulher. Segundo os contos, Hera ou Ares mandaram a esfinge de sua casa na Etiópia para Tebas e, em Édipo Rei de Sófocles, pergunta a todos que passam o quebra-cabeça mais famoso da história, conhecido como o enigma da Esfinge, a qual esta criatura dizia: decifra-me ou devoro-te.

Ela estrangulava qualquer inábil a responder, dai a origem do nome esfinge, que deriva do grego sphingo, querendo dizer estrangular.

Poderes da esfinge:

Devorava àqueles que não decifravam seus enigmas.

Leão de Neméia – Monstros da Mitologia Grega

Origem do leão de Neméia:

Sua origem é controversa. Segundo algumas versões, era tido era filho de Tifão e Equidna. Outras lendas o dão como fruto da união de Equidna e seu próprio filho Ortros, o cão de duas cabeças. Outra versão é de que seria filho de Cérbero com Quimera, e portanto neto de Tifão e Equidna.

História do leão de Neméia:

O leão de Neméia é uma criatura que habitava a planície de Neméia, na Argólida, aterrorizando aquela toda a região. A terrível fera não podia ser morta por um homem normal, pois ela possuia um couro impenetrável. Além disso,  todos os que tentavam enfrentá-lo ficavam completamente aterrorizados pelo seu rugido, que podia ser ouvido a quilômetros de distância.

Esse monstro foi morto por Héracles, que depois de estrangulá-la, retirou o coro do Leão com suas próprias garras.

Poderes do leão de Neméia:

Couro impenetrável e grito estrondoso.

Cérbero – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Cérbero:

Era filho de Tifão e Equidna.

História de Cérbero:

Cérbero era cão horrendo com três cabeças e cobras ao redor do pescoço que guardava a entrada  do reino subterrâneo dos mortos, da saída de todos que entram no Tártaro. Quando alguém chegava, Cérbero fazia festa, era uma criatura adorável. Mas quando a pessoa queria ir embora, ele a impedia; tornando-se um cão feroz e temido por todos. Os únicos que conseguiram passar por Cérbero saindo vivos do submundo foram Héracles, Orfeu, Enéias e Psiquê.

Poderes de Cérbero:

Guardava as portas do mundo dos mortos.

Ortros – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Ortros:

Era filho de tifão e de Equidna.

História de Ortros:

Ortros era um cão de duas cabeças e calda de serpente, considerado o cão de guarda mais feroz da antiguidade. Ele era mascote de Gerião, gigante de três corpos, seis asas e seis braços, pastor de um dos maiores e melhores rebanhos de toda a África. Ortros vigiava seu gado, na ilha de Eritéia.  Há quem diga que o dono original de Ortros foi Atlas, o titã que carregava a Terra nos ombros.

Ortros foi morto por Héracles para cumprir seu décimo trabalho, e diz os contos, que depois de morto ele ascendeu aos céus e transformou-se na estrela Sírius (Estrela do Cão), que é a estrela mais brilhante do céu noturno.

Poderes de Ortros:

Era cão de guarda de Gerião.

Ladão – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Ladão:

Era filho de Fórcis e Ceto o de Tifão e Equidna.

História de Ladão:

Ládon era um dragão com um corpo de serpente onde tinha cem cabeças que falavam línguas diferentes, , era o encarregado de custodiar o jardim das Hespérides. Hera, esposa de Zeus, o enviou para proteger a macieira de frutos de ouro, presente de casamento de Gaia, já que não confiava nas Hespérides filhas de Atlas.

O dragão Ladão foi morto por Herácles, que precisava de uma maçã de ouro para completar uma das doze tarefas do rei Euristeu.

Poderes de Ladão:

Era guardião da macieira de ouro.

As Gréias – Monstros da Mitologia Grega

Origem das Gréias:

Eram filhas de Fórcis e Ceto e irmãs das Górgonas.

História das Gréias:

As Gréias eram três irmãs que imento possuíam  cabelos grisalhos,  além disso, elas tinham apenas um dente e um olho, os quais compartilhavam entre si. Eram irmãs mais velhas das Górgonas. Seus nomes são: Ênio, Péfredo e Dino.

As Gréias eram encarregadas de guardar o caminho que conduzia à morada das Górgonas. Foi onde Perseu roubou o olho e os dente delas, e só os devolveu quando elas lhe deram informações que o ajudariam a encontrar e matar Medusa.

Poderes das Gréias:

Guardavam o caminho que conduziam as Górgonas.

Parcas – Monstros da Mitologia Grega

Origem das Parcas:

Eram filhas de Zeus e de Témis.

História das Parcas:

As Parcas, ou as Moiras eram as três irmãs que determinavam o destino todos os mortais. Nona (Cloto) tece o fio da vida; Décima (Láquesis), cuida de sua extensão e caminho; e Morta (Átropos),  corta o fio. Para realizarem seus trabalhos  as Parcas fazem uso da Roda da Fortuna, que é o tear utilizado para se tecer os fios. As voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada, quando estavam no topo, ou em sua parte menos desejável, quando no fundo, explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos. Nem Zeus podia interferir nas suas decisões.

Poderes das Parcas:

Determinavam o destino de todos.

Fúrias – Monstros da Mitologia Grega

Origem das Fúrias ou Erínias:

A versão mais aceita, conta que elas eram filha de Hades e Perséfone.

História das Fúrias ou Erínias:

As Fúrias, ou Erínias, eram personificações da vingança, semelhantes a Nêmesis, deusa da vingança. No entanto as Fúrias puniam os mortais, enquanto Nêmesis os deuses. Eram Tisífone (Castigo), Megera (Rancor) e Alecto (Interminável), e viviam nas profundezas do submundo da morte, onde torturavam as almas pecadoras julgadas por Hades e Perséfone. Assustadoras, possuíam asas de morcego e cabelo de serpente.

Poderes das Fúrias ou Erínias:

Torturavam as almas pecadoras no Tártaro.

Caríbdis – Monstros da Mitologia Grega

Origem de Caríbdis:

Era filha de Poseidon.

História de Caríbdis:

Originalmente, Caríbdis era uma ninfa muito bela. Porém, ao passar por perto de Messina  roubar e devorar os bois de Gerião, ela tentou investir contra o Héracles, que tentava recuperar gado, Caríbdis foi fulminada por Zeus com um raio, e lançada às profundezas do mar, onde se transformou em um monstro marinho. Tornando-se  uma criatura horrível, parecida com um réptil cheio escamas pegajosas, um redemoinho devorador, que toma conta dos limites do mar.

Poderes de Caríbdis:

Um monstro marinho voraz que toma conta dos limites do mar.

Ethon – Monstros da Mitologia Grega

Origem da Ethon:

Era filha de Tifão com Equidna.

História da Ethon:

Ethon foi uma águia (ou abutre), a Zeus a mandava todos os dias ao monte Cáucaso para devorar o fígado de Prometeu, em castigo por este ter revelado o fogo  aos seres humanos. Conta a lenda que, todas as noites esse órgão se reconstituia.

O castigo era para durar eternamente, mas, Ethon foi morto por Héracles, que depois também soltou Prometeu.

Poderes da Ethon:

Devorava o fígado de Prometeu diariamente, a pedido de Zeus.

Argos Panoptes – Monstros da Mitologia Grega

História do Argos Panoptes:

Argos Panoptes era um gigante com cem olhos. Servo fiel de Hera, é incumbido pela deusa de tomar conta de Io, uma princesa e amante de Zeus transformada em novilha. Era um excelente vigia, pois, quando dormia, mantinha 50 de seus olhos abertos.

Para libertar Io a mando de Zeus, Hermes o pôs para dormir e em seguida cortou sua cabeça. Hera o homenageou transformando-o em pavão – sua ave sagrada -, em cuja cauda pôs seus cem olhos.

Poderes do Argos Panoptes:

Excelente boiadeiro.

Centauros – Monstros da Mitologia Grega

Origem dos Centauros:

Eles pertenciam a duas famílias originárias: os filhos de Íxion e Nefele, que simbolizavam a força bruta, insensata e cega e os filhos de Filira e Cronos, dentre os quais o mais célebre era Quíron, amigo de Héracles, representavam, ao contrário, a força aliada à bondade, a serviço dos bons combates.

História dos Centauros:

Os centauros são uma raça de seres com cabeça, braços e dorso de humanos e o corpo de cavalos. Muitos contos, os descrevem como seres sábios. Eles são muito conhecidos pela luta que mantiveram com os Lápitas, provocada pelo seu intento de raptar Hipodâmia no dia da sua boda com Pirítoo, rei dos Lápitas e também filho de Íxion. A discussão entre estes primos é uma metáfora do conflito entre os baixos instintos e o comportamento civilizado na humanidade. Teseu, um herói e fundador de cidades que estava presente, inclinou a balança do lado da ordem correcta das coisas, e ajudou Pirítoo. Os centauros foram expulsos da Tessália e vieram a habitar o Épiro.

Mais tarde, Héracles exterminou quase todos. Cenas da batalha entre os Lápitas e os centauros foram esculpidas em baixo relevos no friso do Partenão, que estava dedicado à deusa da sabedoria Atena.

Poderes dos Centauros:

Metade homem metade cavalo, uns eram fortes e brutos, outros eram guerreiros bondosos.

Ciclopes – Monstros da Mitologia Grega

Origem dos ciclopes:

Esses seres são organizados em três diferentes espécies, de acordo com as suas origens: os urânios, filhos de Urano e Gaia, os sicilianos, filhos do deus dos mares Posídon, e os construtores, que provêm do território da Lícia.

História dos ciclopes:

Os ciclopes eram gigantes imortais com um só olho no meio da testa que, trabalhavam com Hefesto como ferreiros, forjando os raios usados por Zeus. Os ciclopes podem ser divididos em dois grupos de acordo com o tempo de existência: os ciclopes antigos (ou primeira geração) e os ciclopes jovens. Eles aparecem em muitos mitos da Grécia, porém com uma origem bastante controversa.

Poderes dos ciclopes:

Trabalhavam com o ferreiro, produzindo os raios de Zeus.

As Harpias – Monstros da Mitologia Grega

Origem das harpias:

Eram irmãs de Íris, filhas de Taumante e a oceânide Electra.

História das harpias:

As harpias são criaturas que geralmente são representadas como aves de rapina com rosto de mulher e seios, também muito violentas. Elas raptavam os corpos de para usufruir de seu amor. As Harpias eram Aelo (a borrasca) e Ocípete (a rápida no vôo). Eram usadas por Zeus e Hera para punir seus opositores.

Elas Na história de Jasão, as Harpias foram enviadas por Zeus, para punir o cego rei trácio Fineu, roubando-lhe a comida em todas as refeições. Só que os argonautas Zetes e Calais, libertaram Fineu, que, em agradecimento, mostrnado-lhes o caminho para passar pelas Simplégades. Enéias e seus companheiros, depois da queda de Tróia, na viagem em direção à Itália, pararam na ilha das Harpias; mataram animais dos rebanhos delas, as atacaram quando elas roubaram as carnes, e ouviram de uma das Harpias terríveis profecias a respeito do restante de sua viagem.

Poderes das harpias:

Criaturas horrendas, violentas e que roubavam toda a comida por onde passavam, espalhando mal cheiro.

Os Hecatônquiros – Monstros da Mitologia Grega

Origem dos Hecatônquiros:

Eram filhos de Urano e Gaia.

História dos Hecatônquiros:

Os Hecatônquiros eram três gigantes, irmãos dos 12 Titãs e dos 3 Ciclopes.  Possuíam cem mãos e cinquenta cabeças.   Seus nomes eram Briareu (o vigoroso), Coto (o furioso) e Giges (o de grandes membros).

Logo após o nascimento deles, Urano, horrorizado, mandando-os para as entranhas de Gaia, nas profundezas do Tártaro. O seu filho Cronos, que cumprira a profecia do oráculo de Delfos, ajudou os gigantes a escapar e a montar a rebelião que culminaria com a castração de Urano. Depois da queda de Urano, Cronos sobe ao poder e os aprisiona no Tártaro. Os Hecatônquiros libertados, novamente, só que agora por Zeus, que os ajuda a montar uma emboscada.

Como possuíam cem braços, eram hábeis venceram os Titãs junto com os deuses olímpianos e no comando Zeus, essa foi a famosa titanomaquia. Depois de derrotar os Titãs, os hecatônquiros se estabeleceram em palácios no rio Oceanus, ficaram como guardiões das portas do Tártaro, onde Zeus havia aprisionado os Titãs.

Poderes dos Hecatônquiros:

Gigantes com cem braços e cinquenta cabeças.

Lâmia – Monstros da Mitologia Grega

Origem da Lâmia:

Ela era uma bela rainha da Líbia, filha de Poseidon e amante de Zeus.

História da Lâmia:

Diz a lenda que Hera, com ciumes de Zeus, matou vários filhos de Lâmia e, por fim, a transformou em um monstro. E, para torturá-la ainda mais, Lâmia foi condenada por Hera a não poder cerrar os olhos, para que ficasse para sempre obcecada com a imagem dos filhos mortos. Zeus, apiedado, deu-lhe o dom de poder extrair os olhos de vez em quando para descansar. A terrível inveja que Lâmia sentia das outras mães fazia com que vagasse noite e dia sem dormir, espreitando as crianças para as devorar.

Grande parte dos contos, relata Lâmia como metade corpo de mulher e metade de serpente.

Poderes da Lâmia:

Devorava crianças.

As Mênades – Monstros da Mitologia Grega

Origem das Mênades:

Seguidoras fanáticas de Dioniso.

História das Mênades:

As  Mênades, também conhecidas como Bacantes, eram ninfas seguidoras e adoradoras do culto de Dioniso. Eram conhecidas como selvagens e enlouquecidas, de quem não se conseguia um raciocínio claro. Durante o culto, dançavam de uma maneira muito livre e lasciva, em total concordância com as forças mais primitivas da natureza. Os mistérios que envolviam o deus, provocavam nelas um estado de êxtase absoluto, entregando-se a desmedida violência, derramamento de sangue, sexo, embriaguez e autoflagelação. Normalmente são representadas nuas ou vestidas só com peles de veado, com grinaldas de Hera e empunhando um tirso (bastão envolto em ramos de videira).

Elas aparecem no mito de Orfeu, quando sua amada morre e se recusa a olhar para outras mulheres. Foi então que, desprezadas e iradas, as Mênades, despedaçando ele, matando-o.

Poderes das Mênades:

Conhecidas por serem enlouquecidas e violentas.

Ninfas – Monstros da Mitologia Grega

História das Ninfas:

As Ninfas são qualquer membro de uma grande categoria de deusa, espíritos naturais femininos, às vezes ligados a um local ou objeto particular. São frequentemente alvo da luxúria dos sátiros. Em outros contos, as ninfas seriam fadas sem asas, leves e delicadas. São a personificação da graça criativa e fecundadora na natureza, habitando lagos, montanhas, campo e bosques. Segundo, a mitologia grega, Hérmia era a rainha das fadas e das ninfas.

Uma classe especial de ninfas, as Melíades, foram citadas por Homero como as mais ancestrais das ninfas. Enquanto as demais ninfas são normalmente filhas de Zeus, as Melíades descendem de Urano. Apesar de serem consideradas divindades menores, espíritos da natureza, as ninfas são divindades às quais todo o mundo Helénico prestava grande devoção e homenagem, e mesmo temor.

Poderes das Ninfas:

Eram seres femininos ligados aos elementos da natureza.

Nereidas – Monstros da Mitologia Grega

Origem das Nereidas:

Eram as cinquenta filhas de Nereu e de Dóris.

História das Nereidas:

Nereu, um deus marinho mais antigo que Poseidon, era descrito como um velho pacato, justo, benévolo e sábio que representava a calma e serenidade do mar, representado como um deus do mar com cabelos e barba longos carregando um tridente. Já Dóris era filha de Oceano e de Tétis, sendo uma das três mil Oceânides. Ele compartilhava as águas do Mar Egeu suas filhas, as Nereidas. Elas eram veneradas como ninfas do mar, gentis e generosas, sempre prontas a ajudar os marinheiros em perigo. Por sua beleza, as Nereidas também costumavam dominar os corações dos homens. São representadas com longos cabelos, entrelaçados com pérolas. Caminham sobre golfinhos ou cavalos-marinhos. Trazem à mão ora um tridente, ora uma coroa, ora um galho de coral. Às vezes eram representadas como sereias, metade peixe-metade mulher.

O único relato onde elas prejudicam os mortais consta do mito de Andrômeda. Segundo o mito, elas exigiram o sacrifício de Andrômeda como punição pelo fato de Cassiopeia, mãe da jovem, ter alegado ser mais bela que as Nereidas.

Poderes das Nereidas:

Eram consideradas como as ninfas do mar, lindas e gentis.

Oceânides – Monstros da Mitologia Grega

Origem das ninfas:

Eram filhas de Oceano e Tétis.

História das ninfas:

As oceânides são as ninfas. Coroadas de flores, elas acompanham, durante os cortejos, a concha de Tétis, sua mãe. As Oceânides são as ninfas dos fundos inacessíveis do mar e do Oceanus, seu pai. Algumas, nas lendas, distinguiram-se, tais como Clímene, esposa do titã Jápeto, e Dione, amante de Zeus.

Poderes das ninfas:

Ninfas marinhas.

As Plêiades – Monstros da Mitologia Grega

Origem:

Eram as encantadoras filhas de Pleione e Atlas.

História das Plêiades:

As Plêiades eram sete irmãs: Maia, Electra, Taígete, Steropo, Mérope, Celeno e Alcíone. Para escaparem da perseguição do caçador Órion, um gigante, filho de Posêidon, pediram a Zeus que as transformasse em uma constelação.  Atlas apreciava as filhas brilhando no céu enquanto cumpria seu castigo (carregar o sol).

Poderes das Plêiades:

Foram transformadas em constelações.

Sátiros – Monstros da Mitologia Grega

História dos Sátiros:

Sátiro era a entidade da natureza com o corpo metade humano e metade de bode. Viviam nos campos e bosques e tinham freqüentes relações sexuais com as ninfas, principalmente as Mênades, que a eles se juntavam no cortejo de Dioníso. Eles eram seres de grande potência sexual,  também copulavam com mulheres e rapazes humanos, cabras e ovelhas. s. Justamente por isso eram retratados, muitas vezes, apresentando uma ereção.

Poderes dos Sátiros:

Criaturas metade homens e metade bode, reconhecidos pela sua potência sexual.

Fim dos monstros da mitologia grega

Gostaram? Realmente, estes personagens da mitologia grega são muito interessantes!