Oi pessoal, o post de hoje traz 8 “Poemas para Filho” selecionados especialmente para todos vocês. Espero que gostem!

Conteúdo ocultar

Poema para Filho

Apresentação do Poema para Filho – Poema enjoadinho

Poema enjoadinho é um poema de Vinicius de Morais, que fala dos filhos como é difícil cuidar deles, falando que pessoas não tem filhos não sabe o tamanho da felicidade e também do problema.

Poema para Filho – Poema enjoadinho

Filhos . . . Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-lo?
Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como os queremos!
Banho de mar
Diz que é um porrete . . .
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.
E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.
Filhos? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!
Filhos são o demo
Melhor não tê-los . . .
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!
Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão
Porém que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!

Autor Poema para Filho – Poema enjoadinho – Vinicius de Moraes

Foi um poeta, dramaturgo, jornalista, diplomata, cantor e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o que lhe renderia a alcunha “poetinha”, que lhe teria atribuído Tom Jobim, notabilizou-se pelos seus sonetos. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Filho – Aos Nossos Filhos

Aos Nossos Filhos é um poema de Ivan Lins que mostra como os pais as vezes deixam desejar o amor as filhos.

Poema para Filho – Aos Nossos Filhos

Perdoem a cara amarrada,
Perdoem a falta de abraço,
Perdoem a falta de espaço,
Os dias eram assim…

Perdoem por tantos perigos,
Perdoem a falta de abrigo,
Perdoem a falta de amigos,
Os dias eram assim…

Perdoem a falta de folhas,
Perdoem a falta de ar
Perdoem a falta de escolha,
Os dias eram assim…

E quando passarem a limpo,
E quando cortarem os laços,
E quando soltarem os cintos,
Façam a festa por mim…

E quando lavarem a mágoa,
E quando lavarem a alma
E quando lavarem a água,
Lavem os olhos por mim…

Quando brotarem as flores,
Quando crescerem as matas,
Quando colherem os frutos,
Digam o gosto pra mim…

Digam o gosto pra mim…

Autor Poema para Filho – Aos Nossos filhos – Ivan linns

É um cantor, pianista e compositor brasileiro, e um dos artistas brasileiros de maior sucesso no mundo, foi muito influenciado por diversos gêneros musicais como jazz, bossa nova e soul e tem como principal instrumento o piano, que toca desde os 18 anos.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Filho – Mensagem à família

É um poema de Eugênia Puebla que mostra como os pais devem tratar de seus filhos ajudando no caminho da vida.

Poema para Filho – Mensagem à família

Na educação de nossos filhos
Todo exagero é negativo.
Responda-lhe, não o instrua.
Proteja-o, não o cubra.
Ajude-o, não o substitua.
Abrigue-o, não o esconda.
Ame-o, não o idolatre.
Acompanhe-o, não o leve.
Mostre-lhe o perigo, não o atemorize.
Inclua-o, não o isole.
Alimente suas esperanças, não as descarte.
Não exija que seja o melhor, peça-lhe para ser bom e dê exemplo.
Não o mime em demasia, rodeie-o de amor.
Não o mande estudar, prepare-lhe um clima de estudo.
Não fabrique um castelo para ele, vivam todos com naturalidade.
Não lhe ensine a ser, seja você como quer que ele seja.
Não lhe dedique a vida, vivam todos.
Lembre-se de que seu filho não o escuta, ele o olha.
E, finalmente, quando a gaiola do canário se quebrar, não compre outra…
Ensina-lhe a viver sem portas.

Autor Poema para Filho – Mensagem à família – Eugênia Puebla

Eugênia Puebla é uma professora argentina, especialista em educação em valores humanos. Abaixo segue um de seus textos em que apresenta sua concepção de educação familiar. Ela não se propõe a a indicar uma receita sobre como devemos educar nossos filhos, mas nos alerta a termos cuidado com os exageros.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Filho – infância

Infância é um poema que conta a história de vida retratada no poema, um filho retratando a vida sua e de seu pai.

Poema para Filho – infância

Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.
Minha mãe ficava sentada cosendo.
Meu irmão pequeno dormia.
Eu sozinho menino entre mangueiras
lia a história de Robinson Crusoé,
comprida história que não acaba mais.

No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu
a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu
chamava para o café.
Café preto que nem a preta velha
café gostoso
café bom.

Minha mãe ficava sentada cosendo
olhando para mim:
– Psiu… Não acorde o menino.
Para o berço onde pousou um mosquito.
E dava um suspiro… que fundo!

Lá longe meu pai campeava
no mato sem fim da fazenda.

E eu não sabia que a minha história
era mais bonita que a de Robinson Crusoé.

Autor Poema para Filho – infância – Carlos Drummond de Andrade

Foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro.

Vídeo sobre a Poema:

Apresentação do Poema para Filho – FAMÍLIA

O poema conta a história de filhos e tudo que envolve eles, e envolve objetos de uma casa, mostrando como a felicidade é ajuda as pessoas.

Poema para Filho – FAMÍLIA

Três meninos e duas meninas,
sendo uma ainda de colo.
A cozinheira preta, a copeira mulata,
o papagaio, o gato, o cachorro,
as galinhas gordas no palmo de horta
e a mulher que trata de tudo.

A espreguiçadeira, a cama, a gangorra,
o cigarro, o trabalho, a reza,
a goiabada na sobremesa de domingo,
o palito nos dentes contentes,
o gramofone rouco toda a noite
e a mulher que trata de tudo.

O agiota, o leiteiro, o turco,
o médico uma vez por mês,
o bilhete todas as semanas
branco! mas a esperança sempre verde.
A mulher que trata de tudo
e a felicidade.

Autor Poema para Filho – FAMÍLIA – Carlos Drummond de Andrade

Foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX. Drummond foi um dos principais poetas da segunda geração do Modernismo brasileiro.

Vídeo sobre o autor:

Apresentação do Poema para Filho – Meu filho me disse adeus

É um poema de Marco Silva que fala de um pai que perdeu o filho e não deu tempo nem de se despedir.

Poema para Filho – Meu filho me disse adeus

Hoje meu filho me disse adeus…
Tão jovem, achando-se forte, homem,
Confunde-se qual criança com medo,
Perdido, sem esperança ainda tão cedo…

Disse-me adeus mesmo sem ir embora…
Não mais são meus seus olhos de amor…
Foi-se presente na ausência que chora
No silêncio de meus olhos em dor…

Meu filho, hoje, se foi pelo mundo…
Está em casa, mas alheio, feio, imundo,
Nas emoções que cultiva em sua alma…

Hoje sou menos pai e menos crente…
Hoje sou mais forte e mais ausente…
Hoje meu filho me disse adeus…

Autor Poema para Filho – Meu filho me disse adeus – Marco Silva

É um poeta brasileiro pouco conhecido, criador de alguns poemas de amor, afeto, carinho, felicidade.

Apresentação do Poema para Filho – Sou Eu Filho do Mar

É um poema que mostra uma pequena rima que leva em consideração diversas palavras, falando como a natureza lhe faz bem.

Poema para Filho – Sou Eu Filho do Mar

Me basto quando não me resto;
Me resto quando a ti detesto;
Detesto me restar bastardo;
Bastardo sou filho do mar;
No mar vem à lua brilhar;
A brilhar meu caminho do mar;
Já ouço o som da sereia a cantar;
Feito a campainha da porta de entrar;
Na areia macia já sinto meu pé a afundar;
Não, não se levantem;
É apenas o bastardo a voltar;
Foi casaste com a lua, mas em teu céu não conseguiste chegar;
De ti já sou prometido, refletindo, o eterno luar;
Sou eu de volta a minha casa, sou eu o bastardo do mar;
No sonho incomum de um dia, um dia minha lua eu tocar.

Autor Poema para Filho – Sou Eu Filho do Mar – Rosafogo

Rosafogo é um poeta de São Paulo que não é conhecida, tem em seus poemas a preocupação de se trabalhar com o carinho e afeto emocional.

Apresentação do Poema para Filho – Mãe

É um poema de Cora Carolina que mostra uma parte oculta das mães que as pessoas não percebem.

Poema para Filho – Mãe

Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições…
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

Autor do Poema para Filho – Mãe – Cora Coralina

Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 — Goiânia, 10 de abril de 1985), foi uma poetisa e contista brasileira. Considerada uma das mais importantes escritoras brasileiras, ela teve seu primeiro livro publicado em junho de 1965 (Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais), quando já tinha quase 76 anos de idade

Vídeo sobre a Poesia:

FIM

Gostou? Deixe sua opinião sobre esse post e sugira novas ideias de temas para abordamos aqui no Demonstre. Visite também a página do Demonstre no facebook, e o meu canal no youtube.

Bom pessoal, muito obrigado por acompanhar o post até aqui e até mais!