11 Doenças Sexualmente Transmissíveis

Doenças sexualmente transmissíveis – DST

Hoje vamos falar sobre doenças sexualmente transmissíveis, as famosas DSTs, suas formas de contágio, sintomas e prevenção.

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) ou doenças venéreas, como também são conhecidas por muita gente. Apesar de serem doenças que possuem uma ampla divulgação, desde de quando estamos no colégio, ainda são doenças que ocorrem com muita frequência e ainda o que é mais alarmante, apesar de serem extremamente comentadas o número de jovens com algum tipo de DST tem subido nos últimos anos.

Também conhecidas como doenças venéreas, as DST’s são transmitidas pelo contato entre mucosas, ou seja, através das relações sexuais, caracterizando assim, a transmissão por contato direto. Entretanto, há a transmissão indireta, pelo compartilhamento de utensílios pessoais mal higienizados (roupas íntimas) e objetos contaminados (lâminas e seringas). Os principais causadores dessas doenças são vírus, bactérias e fungos.

Refletindo sobre o aumento de DST’s entre jovens e a falta de informação sobre essas doenças, o Demonstre trouxe uma lista com as 10 doenças venéreas mais comuns:

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Aids (HIV)

Vamos começar falando dela que é umas das mais temidas (se não for a mais) das DST.

Para quem não conhece o HIV, foi identificado na década de 80, se tornando umas doenças mais letais que existem no mundo. Isso acontece, porque o HIV é uma doença que ataca o sistema imunológico da pessoa, fazendo com que todo o organismo da pessoa fique debilitado, levando ao óbito .

Doenças Sexualmente Transmissíveis - HIV - AIDS
Doenças Sexualmente Transmissíveis – HIV – AIDS

A AIDS ataca prioritariamente o  sistema imunológico. Dessa forma, essa doença é caracterizada como imunodepressora crônica, pois baixa as defesas do organismo, e se não tratada pode levar a morte.

Atualmente, diversas drogas retardam o efeito do HIV no organismo, aumentando a expectativa de vida de todos os pacientes , no entanto ainda não podemos falar em cura.

Contágio da AIDS

Um pouco mais  complexa do que as demais DST, o HIV além do  contágio por meio da relação da sexual sem preservativo.

Podendo ainda, ser transmitido por qualquer contato com sangue contaminado, que muitas vezes se dá por meio de  compartilhamento de seringas, secreções vaginais e leite, da mãe para o recém-nascido ao amamentar e antigamente, por meio de transfusão de sangue.

Sintomas da AIDS

Os  sintomas do HIV podem surgir cerca de dois meses depois do contágio e lembram  muito como um  resfriado. Os sintomas da Aids variam sobre função da sua fase de desenvolvimento do vírus.

Infecção aguda:

  • Dores de cabeça;
  • Estado de prostração;
  • Úlceras orais ou úlceras genitais;
  • Falta de apetite;
  • Ínguas e manchas na pele, desaparecem após alguns dias;
  • Perda excessiva de peso;
  • Náuseas e vômitos;
  • Sensibilidade à luz;
  • Sintomas de infecção viral: febre, afecções dos gânglios linfáticos, faringite, dores musculares e nas articulações;
  • Mal-estar;
  • Manchas vermelhas pelo corpo;
  • Dores de cabeça.

Fase sintomática inicial

  • Candidíase oral;
  • Sensação constante de cansaço;
  • Aparecimento de gânglios nas axilas, virilhas e pescoço;
  • Diarreia;
  • Febre;
  • Fraqueza orgânica;
  • Transpirações noturnas;
  • Perda de peso superior a 10%;

Prevenção da AIDS

A fim de evitar a transmissão desse vírus, um dos métodos mais eficazes é o uso de preservativos durante as relações sexuais, bem como o uso de seringas e agulhas descartáveis. Entenda a AIDS no Brasil hoje com o médico Dráuzio Varella no vídeo abaixo:

Outras medidas consistem em testar previamente o sangue a ser transfundido e usar luvas quando for manipular feridas ou líquidos potencialmente contaminados.

Veja também AIDS: Como abordar o tema em sala de aula?.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Sífilis

É uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema pallidum. Essa doença apresenta vários sintomas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nas fases iniciais da infecção, há maior chance de transmissão.

Uma das DST mais antigas das quais temos registros, sendo que no passado era tida como a doenças das prostitutas ou de quem tinha uma vida promíscua. Apesar de trazer complicações diversas, em seu estágio inicial, a sífilis é facilmente curada com a penicilina, o que fez o seu número de contágio diminuísse muito com o passar dos anos.

No entanto, dados alarmantes, apontam uma crescente novamente da doença, principalmente ocasionado por estilos de vida, já que o seu contágio se dar exclusivamente pelo falta de prevenção no sexo.

Contágio da Sífilis

A sífilis pode ser transmitida por relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada, ou da mãe infectada para a criança durante a gestação ou o parto.

Sintomas da Sífilis

A doença costuma aparecer depois de três semanas após o contágio, na sífilis primária apresentam feridas ou lesões nos órgãos genitais.

Com o passar do tempo podem surgir ainda outros sintomas na chamada sífilis secundária. A seguir vamos descrever melhor cada uma dessas duas fases da doença.

Sífilis primária

Este estágio aparece com 3 semanas após o contágio, que se caracteriza com o surgimento do cancro duro e pequenas lesões avermelhadas nos órgãos genitais.

Sintomas da Sífilis secundária

Surgindo entre 6 a 8 semanas depois do desaparecimento das lesões causadas pela sífilis primária, essa fase apresenta lesões espalhadas na pele e nos órgãos internos do corpo.  Além disso, há outros sintomas característicos desta fase, tais como:

  • Manchas vermelhas na pele, na boca, no nariz, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés.
  •  Descamação da pele.
  • Ínguas, principalmente na região genital.
  • Dor de cabeça.
  • Dor muscular.
  • Dor de garganta.
  • Mal estar.
  • Febre leve, geralmente abaixo de 38ºC.
  • Falta de apetite.
  • Perda de peso.

Sintomas da Sífilis latente

Este é o estágio final da sífilis. Os sintomas são os mesmos da sífilis secundária, só que a infecção se espalha para áreas como cérebro, sistema nervoso, pele, ossos, articulações, olhos, artérias, fígado e até para o coração.

Prevenção da Sífilis

Para se prevenir da sífilis é necessário o uso de preservativo durante as relações sexuais. Além disso, é necessário que as gestantes realizem o pré-natal a fim de contribuir no controle da sífilis congênita.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – HPV

Essa é uma das DST com maior índice de ocorrência, atualmente são aproximadamente 20 milhões de pessoas no mundo são infectadas pelo HPV, sendo também uma das mais perigosas, pois com o passar dos anos ela pode trazer complicações gravíssimas, como o câncer de colo de útero, de ânus e o peniano.

HPV é causado por um vírus que tem como alvo a pele e as mucosas. Essa doença, tem como sintomas o aparecimento de verrugas e lesões, que podem desencadear câncer, como de colo de útero.

Contágio do HPV

O Human Papiloma Virus – Papiloma vírus ou somente HPV – é um vírus que se aloja nas mucosas, como na vagina, pênis e colo de útero, com o passar dos anos o vírus gera lesões que podem se transformar em tumores.

Apesar de altamente contagioso, existem diversos tipos de HPV, sendo que a maioria é eliminado pelo próprio organismo sem trazer grandes complicações para a pessoa.

O vírus HPV pode ser transmitido pelo contato entre mucosas por meio da relação da sexual sem preservativo. O HPV pode ser transmitido  em  contato  com qualquer mucosa infectada, ou seja, mesmo quando não  há penetração corre-se o risco de contaminação.

Pesquisas mostram que a cada 10 meninas que tem a primeira relação sexual, contraem o vírus, entretanto, 90% da população que possui o vírus não o desenvolve.

Sintomas do HPV

A  grande maioria dos HPV são assintomático, esse talvez  seja um dos maiores riscos, pois o organismo tenta se livrar das infecções causada pelo vírus, gerando anormalidades que podem se transformar em câncer com o passar dos anos.

Em alguns casos, quando há contágio genital, pode acontecer ardências, verrugas, coceiras e irritabilidade nos órgãos genitais.

Prevenção do HPV

O uso da camisinha é uma proteção importante para evitar a transmissão do HPV e não deve ser esquecida mesmo durante o sexo anal ou sexo oral. Assista o vídeo abaixo e tire todas as dúvidas que ficaram sobre HPV.

Além da prevenção com o uso de preservativos, atualmente temos um grande aliado contra os efeitos do HPV, que é a vacina. A vacina evita que o HPV cause as lesões que podem gerar o  câncer.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Gonorreia

A gonorreia é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns entre os homens e as mulheres, sendo causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae.

Doenças sexualmente transmissíveis - Gonorreia
Doenças sexualmente transmissíveis – Gonorreia

Causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, ou somente Gonocco, é umas DST com altos índices de ocorrência.

Apesar de possuir tratamento de forma fácil, as infecções causadas pela doença pode trazer diversas complicações, como doenças inflamatórias nos testículos e até mesmo infertilidade feminina.

Contágio do Gonorreia

Assim como as demais, a doença é contraída a partir das relações sexuais sem o uso de preservativos, seja pela penetração ou por contato oral. Ainda pode acontecer o contágio, por meio do parto normal quando a mãe possui a doença.

Sintomas do Gonorreia

Em alguns casos os sintomas podem demorar aparecer, o que dificulta o diagnóstico e ainda, pode facilitar a contaminação. Nos estágios mais avançados pode apresentar :

  • Ardência ao urinar;
  • Corrimento uretral (ou vaginal no caso das mulheres);
  • Movimentos intestinais dolorosos;
  • Coceira;
  • Erupções;
  • Hemorragias.
  • Coceira vaginal;
  • Disúria (ardência ao urinar);
  • Dor durante o ato sexual;
  • Corrimento vaginal;
  • Escape de sangue vaginal.

Prevenção da Gonorreia

É válido ressaltar uma das formas de prevenção mais eficaz: o uso da camisinha durante as relações sexuais. Esse modo de prevenção é válido para essa e as demais DST.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Herpes

Também é uma DST muito popular e com grande número de incidência, sendo que atualmente cerca de 90% da população possui o vírus encubado e que pode se manifestar quando há uma queda da imunidade do organismos.

Doenças sexualmente transmissíveis - HERPES
Doenças sexualmente transmissíveis – HERPES

A Herpes é causada por um vírus, o herpes simplex 1 (HSV), que inimigo invade o corpo, percorre a mucosa da boca e se instala em terminações nervosas, especialmente nos gânglios, ela pode ficar uma vida sem causar sem causar incômodo, esperando baixar a imunidade para se manifestar, começando com um formigamento nos lábios e por fim, eclodem as bolhas e as feridas, que são bem conhecidas.

A Herpes sexualmente transmitida, é a causada pelo vírus herpes simplex tipo 2. Em ambos os casos não existe cura, apenas tratamentos.

Contágio da Herpes

O contágio da Herpes pode ser por contato direto com pessoas que já estavam contaminadas, por meio de beijos ou então sexo oral.

No caso da Herpes tipo 1, o contágio acontece por meio de gotículas de saliva e o do  beijo. Já no  tipo 02,  a contágio é por meio das relações sexuais sem preservativos.

Sintomas da Herpes

Como mencionado anteriormente, grande parte das herpes são assintomáticas, sendo caracterizadas principalmente por feridas.

Além disso, a herpes possui dois tipos de manifestação que se distinguem pelos sintomas apresentados. Mas fique atento,  uma vez adquiridas não podem ser eliminadas no organismo.

Herpes Labial

Esse tipo de doença é considerada o tipo de herpes simples. Os principais sintomas são os que seguem abaixo:

  • Erupções nos lábios;
  • Bolhas avermelhadas;
  • Lesões na boca;
  • Crostas amarelas que coçam;
  • Desconforto na região;
  • Dor de garganta.

Esse tipo é o mais fácil de ser tratado e se diagnosticado com antecedência pode ter cura.

Herpes Genital

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível.

  • Dores e irritação entre 5 a 10 dias após a relação sexual que originou o contágio;
  • Manchas vermelhas;
  • Lesões genitais e bolhas;
  • Cascas;
  • Úlceras que podem sangrar;
  • Dores musculares;
  • Dores de cabeça;
  • Mal estar no geral.

Prevenção da Herpes – DST

A Herpes pode ser facilmente prevenida com uso de preservativos, no entanto, é preciso tomar bastante cuidado com o sexo oral, ele pode causar a herpes labial.

A prevenção das relações com preservativos são a melhor forma de prevenção até mesmo porque a Herpes pode ser a porta de entrada para outra DST ainda mais  graves, como Aids.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Hepatite B

Uma DST gravíssima e com alto índice de contaminação – a Hepatite B é causada pelo vírus pelo vírus VHB (ou HBV), que tem como principal ocorrência a inflamação das células do fígado e com isso ocasionar diversos outros problemas.

Doenças sexualmente transmissíveis - Hepatite B
Doenças sexualmente transmissíveis – Hepatite B

A hepatite B pode ser entendida como uma doença sexualmente transmissível, entretanto, é válido salientar que ela pode ser transmitida também por meio  do contato com sangue e por materiais cortantes contaminados, como alicate de unha.

Dessa forma, podemos entender do que se trata a hepatite B:  é uma inflamação do fígado causada pela infecção do vírus HBV, que pode tanto provocar uma hepatite aguda ou evoluir para uma fase crônica.

Contágio da Hepatite B

A  Hepatite B pode ser contraída  por meio dos fluídos corporais, seja ela  por meio da exposição ao sangue de pessoa contaminada,  sêmen ou  fluidos vaginais.

  • Contato direto com o sangue e secreções de um indivíduo contaminado;
  • Relações sexuais desprotegidas, sem camisinha;
  • Utilização de material contaminado com sangue ou secreções como agulhas e outros instrumentos usados para fazer tatuagens ou acupuntura, material usado para fazer piercings e os instrumentos de manicure ou pedicure realizada em salões de beleza;
  • Durante o parto normal ou amamentação .

Pode-se ainda, ser contaminado por meio de  compartilhamentos de seringas muito usadas em caso de drogas e utensílios de manicure e barbeiro.

Sintomas da Hepatite B

O período de incubação da hepatite B é de 2 a 6 meses, por isso, os sinais e sintomas da hepatite B aguda podem aparecer após 1 a 3 meses da contaminação.

Por causa dos sintomas abaixo no início a Hepatite B, pode ser confundida como um resfriado.

  • Enjoos;
  • Vômitos;
  • Cansaço;
  • Febre baixa;
  • Falta de apetite;
  • Dor abdominal;
  • Dor nas articulações e nos músculos.

Já na hepatite B crônica, a maioria dos pacientes não manifestam nenhum sintoma, porém o vírus continua no organismo e pode ser transmitido da mesma forma.

Prevenção da Hepatite B

A prevenção da hepatite B pode ser feita através das 3 doses da vacina e do uso da camisinha em todas as relações.

Além disso, é importante não compartilhar objetos pessoais, como escova de dentes, lâminas de barbear ou depilar e instrumentos de manicure ou pedicure, assim como seringas ou outros instrumentos cortantes.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Tricomoníase

A tricomoníase, também conhecida por “tricomoniose” ou “tricomonose”, é uma infecção genital causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis.

rtemagicc_clamidia_ou_tricomoniase-jpg-249x300-5872998-6201639-2444599
10 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Tricomoníase

É uma DST que ocorre mais as mulheres, já que apesar de ser contagiosa para os homens, ela não costuma apresentar sintomas.

Apesar de ser facilmente tratada , quando não diagnosticada no inicio pode ocasionar Infertilidade, Câncer do colo do útero, Parto prematuro (quando gestantes), Infecção urinária e favorecimento da transmissão do HIV.

Contágio da Tricomoníase

Essa doença pode ser transmitida por meio de relações sexuais. Além disso, pode ser transmitida de mãe para filho por meio do parto.

Sintomas da Tricomoníase

Essa doença afeta em sua maioria as mulheres e possui sintomas durante o período menstrual.

Os principais sintomas da tricomoníase na mulher

Os principais sintomas das  tricomoníase para mulheres são as listadas abaixo, veja:

  • Corrimento amarelado ou amarelo-esverdeada.
  • Coceira nos órgãos sexuais.
  • Odor forte e desagradável.
  • Irritação vulvar.
  • Vermelhidão genital.
  • Dor abdominal (raro).
  • Dor durante relações sexuais.
  • Ardência e dificuldade para urinar.

Os sintomas que aparecem nos homens

Para os homens os sintomas da Tricomoníase são os descritos a seguir na lista:

  • Irritação na parte interna do pênis, na uretra (uretrite).
  • Corrimento leve, como uma secreção uretral, de aspecto espumoso lembrando pus.
  • Urinar mais vezes por dias, principalmente pela manhã.
  • Ardor ao urinar ou ejacular.

Prevenção da Tricomoníase

Além do uso de preservativo durante as relações sexuais recomenda-se também:

  • Cuidar da higiene íntima após a relação sexual.
  • Evitar ter muitos parceiros sexuais.
  • Evitar ter relações com pessoas contaminadas que ainda não estão em tratamento.
  • Evitar ter relações sexuais se houver corrimento, consulte o ginecologista.

Pessoas que possuem múltiplos parceiros sexuais e com relações sexuais desprotegidas, tem maior risco de contaminação. Dessa forma, a prevenção é sempre a utilização de preservativos.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Clamídia

Clamídia é a doença sexualmente transmissível (DST) mais comum em todo o mundo. Essa DST muitas vezes é silenciosa e pode afetar tanto homens quanto mulheres.

Doenças-sexualmente-transmissíveis-Clamídia
Doenças sexualmente transmissíveis Clamídia.

Clamídia é como é chamada a infecção causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Muito parecida com a Gonorreia, não tem sintomas no começo e com grandes índices de propagação, mas também é facilmente curada quando identificada no seu início.

Contágio da Clamídia

Clamídia é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia trachomatis.

Ela pode ser transmitida via contato sexual anal, oral, ocular ou vaginal e pode também ser congênita, ou seja, pode ser passada de mãe para filho durante a gravidez.

Sintomas da Clamídia

Em alguns casos os sintomas podem demorar aparecer, o que dificulta o diagnostico e ainda, pode facilitar a contaminação. Nos estágios mais avançados pode apresentar:

  • Ardência ao urinar
  • Dor abdominal
  • Corrimento vaginal
  • Corrimento peniano
  • Penetração dolorosa durante o ato sexual, no caso de mulheres
  • Sangramento intermenstrual e após a relação sexual
  • Dor nos testículos
  • Dor ou secreção retal
  • Sintomas de doença inflamatória pélvica.

A única maneira 100% garantida de não contrair clamídia é não mantendo relações sexuais. Mas o uso de preservativos durante o ato sexual já é um método preventivo bastante eficaz contra essa e outras doenças sexualmente transmissíveis.

Prevenção da Clamídia

O uso de preservativos durante o ato sexual já é um método preventivo bastante eficaz contra essa e outras doenças sexualmente transmissíveis.

10 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Micoplasma

Mycoplasma genitalium é uma bactéria sexualmente transmissível que infecta o sistema reprodutor masculino e feminino, causando problemas como inflamação persistente do útero nas mulheres e da uretra em homens.

O tratamento dessa doença é feito com o uso de antibióticos, sendo necessário usar preservativo para prevenir novas infecções.

Doenças sexualmente transmissíveis - Micoplasma
Doenças sexualmente transmissíveis – Micoplasma.

Causada pela bactéria Mycoplasma genitalium, essa DST foi durante muito tempo confundida com a gonorreia ou a clamídia. A micoplasma é facilmente tratada quando diagnosticada a tempo, mas pode trazer infecções graves que podem gerar a infertilidade.

Contágio da Micoplasma genitalium

Além do contágio por meio da relação sexual sem  preservativos. O organismo que causa esta infecção é transmitido durante as relações sexuais e adere à superfície dos órgãos do trato genital, atacando os tecidos do hospedeiro.

As condições de higiene e demais cuidados com a saúde,  podem interferir diretamente em sua propagação, visto que a mesma é uma  bactéria que pode se alojar com maior facilidade nestes ambientes.

Sintomas da Micoplasma

O maior sintoma da doença é o aparecimento de feridas nos órgãos genitais, em torno de 5 dias após a contaminação. Confira abaixo mais detalhes dos sintomas desta doença:

Dor e ardor ao urinar;
Dor ao ter relações íntimas;
Dor na região da pélvis;
Febre.

11 Doenças Sexualmente Transmissíveis – Cancro mole

Causada pela bactéria Haemophilus ducreyi, bacilo do tipo gram-negativo intracelular , o cancro mole é uma DST que é predominante em regiões com clima tropical.

Inicialmente, a doença era tida como um efeito da sífilis, no entanto já em 1889 foi diagnosticada como uma doença totalmente diferente da sífilis, mas que também é uma das DST mais antigas a qual temos noticias.

Contágio do Cancro Mole

A transmissão ocorre através do ato sexual vaginal, anal ou oral, e pode também ocorrer através do contato pele-a-pele com alguém infectado.

As condições de higiene e demais cuidados com a saúde podem interferir diretamente em sua propagação, visto que a mesma é uma  bactéria que pode se alojar com maior facilidade nestes ambientes.

O tempo de incubação da bactéria é de 3 a 5 dias e o de transmissibilidade pode ser de semanas ou até meses, variando de acordo com o tempo de não tratamento das lesões.

Sintomas do Cancro Mole

Por conta da infecção bacteriana, a doença é caracterizada por após 5 dias da contaminação o aparecimento de feridas abertas, irregulares, avermelhadas, com base mole e fundo purulento.

Normalmente aparecem na região do órgão genital, ou próximo a ele, tanto do homem quanto da mulher, mas também há casos da doença que ocorrem nos lábios, boca, língua e garganta.

Prevenção do Cancro Mole

Preservativo em todas as relações que tiver;
Limitar o número de parceiros sexuais não infectados;
Evitar tocar nas feridas típicas da doença. Se caso toque, lave bem as mãos para evitar o risco de transmissão para outras partes de seu corpo.

Fonte

Minuto Saudável, link: https://minutosaudavel.com.br/

Obrigado por pesquisar sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis

Muito obrigado por se preocupar e ter interesse pelo tema. Acreditamos que a informação é o principal aliado na hora de enfrentar as DST’s.

Confira também Educação sexual – Por que tratar de sexo na escola? e Atividades sobre sexualidade e saúde.

Por favor compartilhe esse post e dissemine a informação para o BEM!

doenças, Doenças Sexualmente Transmissíveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *