in

10 Animais Noturnos

10 Animais Noturnos 6

Alguns animais têm um organismo preparado para viver na noite. Os hábitos noturnos são comuns em espécies que já estão adaptadas para viver nessa realidade, como os animais que possuem uma visão mais apurada e desenvolvida durante a noite, mas não conseguem distinguir cores durante o dia.

                    10 Animais Noturnos

Diversos animais só se alimentam, caçam e saem de suas tocas e ninhos no período noturno. Eles são dotados de mecanismos diferenciados de sobrevivência para que possam se locomover e enxergar no escuro, como resultado, são conhecidos como animais noturnos.

Morcego – Animais Noturnos

O morcego talvez seja o animal que melhor representa a vida noturna.

Durante o dia, ficam escondidos em cavernas ou brechas escuras, descansando, quando a noite chega, saem à procura de alimentos. Nem todos os morcegos se alimentam de sangue, a maioria gosta de pequenos insetos e frutas. Por viverem a noite eles adquiriram uma habilidade bastante peculiar, a “ecolocalização”. Funciona como um tipo de radar, no qual o morcego emite um som numa frequência muito alta (imperceptível aos ouvidos humanos), e esse som ao tocar em alguma superfície, dá ao animal a percepção necessária para que ele desvie do obstáculo ou avance ao mesmo, caso seja uma presa.

Vídeo sobre o morcego

Confira esse vídeo de um filhote de morcego:

Coruja – Animais Noturnos

A coruja também é um animal bastante conhecido por sua vida noturna.

Elas detém a habilidade da super visão. Elas não enxergam colorido, no entanto isso não é problema, quando se pode enxergar um pequeno alvo a cerca de 10 metros de distância e com baixa luminosidade. Por essa habilidade a coruja é uma eximia caçadora.

Vídeo sobre a Coruja

Confira esse vídeo com informações sobre a coruja:

Urutau – Animais Noturnos

O urutau também conhecido pelo nome de mãe-da-lua, mede 37 centímetros de comprimento, é encontrado na Costa Rica na América Central e por quase toda a América do Sul, com exceção das regiões mais frias.

Os urutaus não gostam de ficar empoleirados em galhos, preferem troncos verticais de árvores mortas, a cor das suas penas é ideal para se camuflar com o tronco das árvores. Por isso, ficam com os olhos fechados e parados como estátuas durante o dia – parecem fazer parte do tronco. Se deixassem os olhos abertos, seriam facilmente descobertos por algum predador, porque seus olhos são enormes e de cor amarela.

São ótimos caçadores de insetos noturnos, seu bico largo abre bastante, lembrando a boca de um sapo, e com esse enorme bico consegue pegar besouros e mariposas grandes. Uma curiosidade sobre essa ave noturna é que ela não constrói ninho, bota seu ovo de cor branca com pintas cinza em uma cavidade natural do tronco. O filhote desde jovem tem a postura de ficar ereto, imitando o tronco de árvore, assim como os pais. Vivem na mata, no Cerrado e até em algumas cidades, mas são difíceis de serem vistos.

Vídeo sobre o urutau

Confira o vídeo sobre essa ave:

Diabo-da-Tasmânia – Animais Noturnos

O diabo-da-tasmânia também é h um animal noturno, ou seja, dorme durante o dia e caça de noite.

Segundo o zoológico de San Diego, eles chegam a caminhar 16 km para caçar. Andam sempre sozinhos (eles são ferozes mesmo com os de sua espécie), mas as vezes é possível ver um bando comendo uma carcaça.

Vídeo sobre o diabo-da-tasmânia

Confira o vídeo sobre esse animal noturno:

Tapiti – Animais Noturnos

Habitante de florestas da América Central e do Sul, o tapiti é uma espécie de coelho. Mesmo sendo encontrado em várias partes do Brasil, esse animal pequeno, de cor castanha com tons alaranjados, olhos escuros e orelhas curtas não é muito conhecido.

Bicho de hábitos noturnos, o tapiti faz a sua própria toca escavando o solo. Ali tem seus filhotes, que nascem frágeis, sem pelos e de olhos fechados. A cada gestação, a mamãe tapiti tem, em geral, quatro coelhos e, para eles, prepara um ninho macio, feito com vegetação e com o seu próprio pelo. Se alimenta apenas de capim, brotos e frutos.

Vídeo sobre o tapiti

Confira o vídeo sobre o tapiti:

Leopardo – Animais Noturnos

O leopardo, Panthera pardus, também chamado de pantera, faz parte da família dos felinos e comumente confundidos com as onças-pintadas.

Os leopardos distinguem-se da onça pintada pela cor suave do pelo dourado com manchas negras, olhos claros e transparentes e formas esbeltas, mas principalmente pelas manchas que no leopardo são circulares e nas onças são em formato de rosas. Alguns leopardos são completamente escuros devido à concentração de melanina na pele e chamados “panteras negras“.

De hábitos predominantemente noturnos, mas podem ser vistos em atividade durante o dia. Possuem a dieta mais ampla dentro dos carnívoros de grande porte, caçam aves e outros mamíferos de menor e maior porte que o seu. Com uma única patada pode provocar feridas graves em suas presas. O leopardo usa a sua força para transportar a sua caça para cima de uma árvore e assim tira do alcance de outros predadores como os leões e as hienas que muitas vezes podem afugentar o leopardo de perto da caça. Um leopardo consegue carregar animais 6 vezes mais pesados que ele mesmo.

Vídeo sobre o leopardo

Confira esse vídeo sobre o leopardo:

Esquilo-voador – Animais Noturnos

Os esquilos-voadores, na verdade, não voam, até porque não têm asas, mas são peritos em planar.

Pois é isso mesmo que fazem, para se deslocarem do topo de uma árvore ao de outra. Pulam da copa das árvores, esticando as pernas e, desse modo, abrindo as membranas que têm junto de cada lado do corpo, que se chamam patágios, fazendo lembrar uma capa resistente que sabe aproveitar as correntes de ar para se deslocar no ar sem cair nas malhas da gravidade. O patágio funciona como pára-quedas. O esquilo-voador não cai no chão de qualquer jeito. Ele usa a cauda como leme. Por isso, controla perfeitamente a direção do seu voo até ao ponto escolhido para a aterragem. A cauda também fica esticada e é usada como travão na hora da aterrissagem.

Raramente descem ao solo, pois a sua membrana não lhes permite uma boa locomoção, deixando-os bastante vulneráveis a predadores.

Estes são animais noturnos, tendo para tal olhos grandes e bem desenvolvidos.

Alimentam-se de bagas, ovos de aves, cogumelos, insetos, nozes e também de aves jovens.

Vídeo sobre o esquilo-voador

Confira esse vídeo sobre o esquilo-voador:

Coiote – Animais Noturnos

O coiote é um dos animais mais famosos, que habita as paisagens norte-americanas. Esta espécie de mamífero, pertencente à família dos cães, são descritos como animais inteligentes e capazes de se adaptarem às alterações dos ecossistemas americanos.

O coiote é capaz de comer quase tudo em matilha (estas são formadas especialmente durante o outono e inverno) eles caçam coelhos, roedores, peixes, sapos e veados. Também se alimentam de insetos, serpentes, fruta, relva e carcaças. São ainda considerados como pragas para os agricultores, visto que eles também matam cabeças de gado.

Possuem uma excelente visão e um forte sentido de olfato, que lhes dá a capacidade de serem bons predadores, especialmente em campos abertos. Conseguem alcançar velocidades de 64 km/h.

Vídeo sobre o coiote

Confira o vídeo sobre esse animal noturno:

Texugo – Animais Noturnos

São animais que estão espalhados por diversas partes do mundo, e comem o que está em maior oferta nas proximidades da toca. Tem hábitos noturnos, é muito veloz pois chega a correr até 30 km/h.Possui unhas grandes e fortes, e também mandíbula forte.

Uma característica marcante são duas listras pretas que ficam em cada lado de sua cabeça, o que dá um destaque muito grande pois sua cabeça é branca.

Embora seja um animal relativamente pequeno, um adulto tem cerca de 90 cm da cabeça a calda. O macho pesa em torno de 11 kg e a fêmea 10 kg. Porém o peso varia ao longo do ano, estando com peso maior no verão. Eles habitam a Europa (exceto a Rússia), Ásia e Portugal, onde a espécie é mais abundante.

Vídeo sobre o texugo

Confira o vídeo sobre o texugo:

Lobo-guará – Animais Noturnos

O Lobo-guará possui hábitos noturnos que iniciam-se no entardecer.

Durante o dia, descansa, mas não costuma eleger um ponto particular, deitando-se sempre em lugares diferentes. Seus hábitos são solitários, gosta de andar e caçar sozinho. Ainda assim no período do acasalamento procura companhia, o que acontece uma vez ao ano. Consequentemente, apresentam baixas densidades por toda a sua distribuição, até porque, gostam de demarcar grandes territórios para sua desejável solidão.

Vídeo sobre o Lobo-guará

Confira o vídeo sobre esse animal noturno:

                                        Fim do post sobre animais noturnos

É isso aí pessoa, chegamos ao fim de mais um post, espero que tenham gostado!

Não se esqueçam de conferir outras postagens do blog.

Deixe uma resposta

Aprenda a estudar para Concursos 3

Aprenda a estudar para Concursos

10 Doenças Renais

10 Doenças Renais