Karen Horney e a psicologia infantil

Hoje vamos conhecer a teoria de Karen Horney sobre os diferentes tipos de personalidade, envolvendo o conceito de ansiedade básica.

Karen Horney

Karen Horney, alemã, nasceu em 16/09/1885 e faleceu em Nova York, 04/12/1952. Psiquiatra e psicanalista, estudou as Necessidades e Tendências Neuróticas e desenvolveu outras teorias baseadas no conceito de ansiedade básica.

maxresdefault-3168940-5573414

O conceito de ansiedade básica

O conceito desenvolvido por Horney é chama-se a ansiedade básica; que é tudo o que pode vir a perturbar o status de segurança da criança em relação aos seus próprios pais.  Isso faz com que a criança se encontre isolada e desamparada, num mundo potencialmente hostil e nada convidativo. A solidão muitas vezes é invasiva e causa a impotência, e estes sentimentos são os pais da neurose.

Quando alguém passa por essas situações, poderá reagir de diferentes maneiras, sendo elas:

  • Dominação;
  • Desrespeito;
  • Indiferença;
  • Comportamento imprevisível e falta de objetivos;
  • Falta de admiração ou exagero;
  • Insegurança;
  • Injustiça;
  • discriminação verbal;
  • Comportamento hostil e/ou vingativo.

Todos estes comportamentos são mecanismos usados pelas crianças como “armas” contra o sentimento de desamparo e isolamento. Qualquer tipo de conduta pode se tornar habitual; isso significa que esses comportamentos são capazes de transformarem-se num grande impulso ou necessidade da própria personalidade individual.

karen-horney-8885067-2752451

Se esses mecanismos acabam se fixando na personalidade, então se tornam uma necessidade neurótica do indivíduo como forma de defesa contra sua própria ansiedade.

Necessidades básicas da criança: Karen Horney

Existem dez necessidades básicas para o ajustamento, que abordaremos agora:

Necessidade neurótica de aprovação e afeto

Necessidade neurótica de aprovação e afeto: desejo de satisfazer a outrem, de agradar, onde o indivíduo se torna um escravo da opinião alheia. O comportamento apresentado é um indício muito grande da rejeição ou da falta de amizades.

Necessidade neurótica de um parceiro no qual possa depender

Necessidade neurótica de um parceiro no qual possa depender: necessidade que promove o comportamento parasita, e por vezes, supervaloriza o amor, pois a pessoa tem muito medo de ser abandonado e de ficar só.

Necessidade neurótica de restringir a sua vida a círculos muito estreitos

Necessidade neurótica de restringir a sua vida a círculos muito estreitos: essa neurose incapacita a criação de exigências, a qualidade de fazer exigências; o que cria pessoas que se satisfazem com muito pouco. É comum indivíduos assim preferirem continuar anônimos.

Necessidade neurótica de poder

Necessidade neurótica de poder: o indivíduo possui um forte desejo pelo poder e nessa busca comete desrespeitos contra as outras pessoas.

Necessidade neurótica de exploração alheia

Necessidade neurótica de exploração alheia: a pessoa afetada gosta de tirar vantagem, pede favores de maneira comum e habitual; tornando o hábito de tirar vantagem alheia algo da própria personalidade.

Necessidade neurótica de prestígio

Necessidade neurótica de prestígio: a autoimagem é construída com base naquilo que as outras conhecem e pensam.

Necessidade neurótica de admissão pessoal

Necessidade neurótica de admissão pessoal: causa a extrema vaidade, além da busca por admiração (não como você realmente é, mas como pensa que seja).

Necessidade neurótica de realização pessoal

Necessidade neurótica de realização pessoal: deixa o indivíduo carregado de ambição, e para satisfazer-se, ele cria projetos cada vez maiores e mais ambiciosos; pois esta pessoa quer e precisa ser sempre a melhor.

Necessidade neurótica de autossuficiência e de independência dos outros

Necessidade neurótica de autossuficiência e de independência dos outros: essa neurose ocorre em pessoas muito desapontadas e que sentem um fracasso enorme em suas tentativas de manter relações afetivas saudáveis, calorosas e satisfatórias. A necessidade de independência transforma o sujeito em um lobo solitário.

Necessidade neurótica de perfeição

Necessidade neurótica de perfeição: traz o medo de cometer qualquer tipo de erro e de receber críticas, criando a necessidade constante da busca dos defeitos a fim de ocultá-los do público.

Além das necessidades, existem movimentos que o sujeito pode fazer:

  • Aproximação do público;
  • Afastamento;
  • Ir contra os outros.

Fim

Karen Horney então trás para psicologia geral, e mais especificamente para psicanálise e psicologia da educação um caminho claro de compreender os processos de ansiedade da criança, seus diferentes comportamentos, gatilhos e movimentos.

Logo teremos novos post sobre o tema. Enquanto isso, sugiro nossos outros textos da linha de psicologia da educação:

  1. Teoria Comportamental: Behaviorismo
  2. Teorias da psicologia educacional
  3. Áreas da psicologia
  4. História da psicologia
  5. O que é psicologia da educação?

Abraço e por favor compartilhe esse post. Ele deu um super trabalho e será muito legal se outros educadores e curiosos tiverem acesso ao conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Demonstre Atividades

Demonstre Atividades é um Portal Educacional focado em conteúdo e atividades para professores.