O que são Substâncias químicas?

Oi pessoal, o Demonstre hoje aborda um tema simples, mas que pode gerar dúvidas: o que são as substâncias químicas afinal?

O que são substâncias químicas

No estado em que são encontrados na natureza, os materiais não apresentam propriedades claramente definidas. A água do mar, por exemplo, é uma mistura: pode conter quantidades variáveis de cloreto de sódio e de outros sais, além de vários tipos de materiais orgânicos.

substâncias químicas

Desde a Antiguidade o homem vem aperfeiçoando as técnicas para reconhecer e separar os diferentes tipos de matérias presentes em uma mistura. Cada tipo de matéria é uma substância, e cada substância apresenta um conjunto bem definido de propriedades. As substâncias podem ser classificadas em dois grandes campos: inorgânicas e orgânicas.

Alotropia

Um mesmo elemento químico pode formar mais de um tipo de substância pura – fenômeno chamado de alotropia.

O oxigênio comum (O2) e o ozônio (O3) são variedades alotrópicas de um mesmo elemento, o oxigênio.

Grafite e diamante são alótropos do carbono e diferem muito um do outro: a grafite é preta e de pequena dureza; o diamante é claro e o material mais duro da natureza.

Substâncias químicas inorgânicas

A química inorgânica estuda a matéria morta, ou seja, que não tenha origem animal ou vegetal. Essas substâncias podem ser simples ou compostas e costumam ser agrupadas segundo algumas características e propriedades.

Substâncias simples

Todas as substâncias formadas por átomos de um único elemento são consideradas substâncias simples. Essa categoria inclui desde materiais conhecidos por gases, como o nitrogênio, até metais, como o ouro.

substâncias químicas
Prata, uma substância simples

Algumas substâncias simples podem ser encontradas livres na natureza, outras existem apenas em compostos.

Gases nobres

Família de elementos constituída pelo hélio, neônio, argônio, criptônio, xenônio e radônio. Os gases nobres ocorrem em pequenas quantidades na atmosfera – juntos, representam apenas 1% de seu volume –, com exceção do radônio, mais abundante.

Os estudos sobre a composição da atmosfera realizados por Henry Cavendish, em 1785, já indicam sua existência.

O hélio é identificado em 1868, quando Pierre Jules Janssen e Joseph Norman Lookyer fazem a análise do espectro da luz solar.

substâncias químicas
O gás Hélio está muito presente nas festas de aniversário!

O argônio é separado e identificado por lord Rayleigh e sir William Ramsay, em 1894. Neônio, criptônio e xenônio são isolados por Ramsay e seu assistente Morris William Travers, em 1898. O radônio, último gás nobre descoberto, é identificado por Friedrich Ernst Dornem, em 1900.

Durante muito tempo, os gases nobres são considerados inertes (pouco ou nada reativos) do ponto de vista químico. Sua estrutura atômica, extremamente estável, é usada como modelo para explicar as ligações atômicas.

Em 1961, no entanto, Neil Bartlett obtém o primeiro composto de xenônio, e abre um novo caminho às pesquisas químicas. O argônio é usado em pesquisas científicas para a obtenção de atmosferas inertes. O hélio, por ser incombustível e de baixa densidade, é empregado em balões. Os outros gases são utilizados na fabricação de lâmpadas especiais, como as de néon, por exemplo.

Metais

Cerca de 80% dos elementos químicos existentes são metais – substâncias geralmente sólidas, boas condutoras de corrente elétrica e calor, maleáveis (podem ser laminadas) e dúcteis (podem ser reduzidas a fios).

A maioria tem cor prateada ou cinzenta, com exceção do cobre (avermelhado) e do ouro (amarelo). Seu brilho acentuado é reflexo da luz. Alguns metais são conhecidos desde a Pré-história, como cobre, estanho e ferro. Puros ou na forma de ligas têm diversas aplicações. Muitos, como ferro e alumínio, são abundantes na natureza.

substâncias químicas
Abstract background with different metal textures

Outros são raríssimos, e deles existem apenas vestígios. A maioria não é encontrada em estado livre, mas apenas sob a forma de compostos. Alguns metais, como ouro e platina, não se alteram em contato com o ambiente e esse é um dos motivos de sua valorização.

Outros reagem ao oxigênio presente na água e no ar e oxidam. A ferrugem, por exemplo, é resultado da oxidação do ferro. Alguns metais, como o sódio e o potássio, não resistem ao contato com a água e o ar.

Ouro

Amarelo, inoxidável e de alto brilho, o ouro é um metal valorizado desde a Antigüidade. Apesar de não sofrer oxidação, é um material pouco resistente. Por isso, quase nunca é usado puro, mas em ligas feitas com outros metais.

Nas ligas em que o ouro participa em uma proporção de 18 partes em 24, ou seja, com 75%, temos o ouro de 18 k (quilates). O ouro puro tem 24 k. Os metais mais usados para as ligas de ouro são o cobre e a prata.

Ametais

Elementos que formam substâncias simples, más condutoras de calor e de eletricidade e sem brilho acentuado. Os ametais podem apresentar-se em vários estados físicos: oxigênio, nitrogênio, flúor e cloro em estado gasoso; bromo em estado líquido; e carbono, fósforo e enxofre em estado sólido.

A maioria dos ametais não são encontrados livres na natureza, mas apenas em compostos. As principais fontes são os cloretos, brometos e iodetos presentes na água do mar, os sulfetos metálicos e os variados compostos de carbono.

Alguns, no entanto, são abundantes na forma livre: oxigênio e nitrogênio são os gases predominantes na atmosfera terrestre. O enxofre pode ser encontrado em grandes quantidades nas regiões vulcânicas, em depósitos no subsolo e participa em pequenas quantidades na composição do petróleo.

O carbono está presente na grafite, material abundante na natureza. Esses ametais também participam em diferentes tipos de compostos: o oxigênio em vários óxidos metálicos e dióxido de silício; o nitrogênio nos nitratos; o enxofre nos sulfetos e o carbono nos variados compostos orgânicos.

Compostos inorgânicos – Substâncias químicas

As substâncias que contêm mais de um elemento recebem o nome de substâncias compostas ou compostos. A maioria é constituída pela combinação de metais e ametais. Nos estudos de química inorgânica, destacam-se quatro grupos: ácidos, bases, sais e óxidos.

Ácidos

As substâncias que contêm hidrogênio em sua composição são chamadas ácidos. Têm sabor azedo, atacam a maioria dos metais e reagem com muitas outras substâncias. Os mais importantes são ácido sulfúrico, nítrico, clorídrico e acético.

Bases

As substâncias que contêm o íon OH – em sua composição são chamadas bases ou hidróxidos. Caracterizam-se pelo sabor cáustico. As mais importantes são hidróxido de sódio (soda cáustica), de cálcio (cal) e de amônio (amoníaco).

Sais

As substâncias mais abundantes na natureza são os sais, quase sempre resultantes da reação entre ácidos e bases. Os mais conhecidos são o cloreto de sódio (sal marinho), nitrato de sódio (salitre), sulfato de cálcio (gesso) e carbonato de cálcio (mármore e calcáreo).

Óxidos

Os compostos formados pela combinação do oxigênio e um outro elemento são os óxidos. São encontrados em vários minérios importantes, como óxido de ferro, na hematita; de alumínio, na bauxita; de estanho, na cassiterita e dióxido de silício, presente no quartzo e nas areias. Combinado com o carbono, o oxigênio pode formar dois óxidos: os gases monóxido e dióxido de carbono.

Substâncias químicas orgânicas

Em sua origem, a química orgânica preocupa-se com os compostos de origem animal e vegetal. Organiza-se como um campo específico de estudos a partir de 1828, quando Friedrich Wöhler sintetiza a uréia, uma substância orgânica, a partir de um composto inorgânico.

Atualmente é definida como a área que estuda a variada gama de substâncias compostas com a participação do carbono. Inclui os hidrocarbonetos (petróleo, gás natural), produtos de fermentações (como o álcool comum e o ácido acético do vinagre), ésteres (usados como solventes e aromatizantes), medicamentos (penicilinas, sulfas), corantes (anilinas), polímeros (fibras sintéticas e plásticos), além de substâncias de origem orgânica, como açúcares, gorduras e proteínas.

Referências bibliográficas sobre Substâncias químicas

Gostou de saber detalhadamente o que são as substâncias químicas?

Aproveite para conferir mais textos do Demonstre sobre ciência: Insuficiência cardíaca em cachorros

10 Atividades sobre Ligação Covalente, Molecular ou Homopolar

Como vimos anteriormente, todo objeto é composto de partículas menores e divisíveis, o átomo. Embora vejamos os objetos compactos e preenchido, como se nada estivesse fora de ordem, nem imaginamos o que mantem o objeto assim. Por isso, hoje falaremos um pouco sobre as ligações química, “ponte” entre os átomos que dão “forma” aos objetos.

10 Atividades sobre Ligação Covalente, Molecular ou Homopolar

Dando uma definição mais formal, as ligações químicas são forças intramoleculares e intermoleculares, que interagem dentro e fora dos átomos. Essa ligações podem ser diferenciadas como iônicas, covalentes e moleculares ou homopolar.

Untitled design 4 7059081 5541947

Atividade 01 :Jogo das  Ligações

Recursos

  • O Jogo é composto por papelões; tampas de refrigerante e fita adesiva guache (se preferir)

Passo a Passo

Cada quadrado de papelão é atribuído um elemento químico representado através dos seus
símbolos a fim de se ligarem através de elétrons representados por tampas de refrigerante para formar as ligações e consequentemente completarem as suas camadas de valência.

Jogo da ligação
Jogo da ligação

O professor deverá colocar os cards em caixinhas e separar a turma em dois grupos. Cada grupo pegará dois cards e montará a ligação entre os dois elementos selecionados.

Atividade 02 :Tabuleiro das Ligações

Recursos

  • tabuleiro com 16 casas;
  • roleta;
  • 6 peões de cores distintas;
  • moedas de 1 ponto (amarelas), de 2 pontos (verdes) e de 3 pontos (vermelhas);
  • cartas com perguntas sobre ligações químicas (com 3 níveis de dificuldade)
  • cartas bônus de espécies com as três ligações químicas.

Passo a Passo

A distribuição das peças é feita acomodando a roleta no centro do tabuleiro, os peões no ponto de saída e as cartas bônus devidamente embaralhadas, sendo entregue 5 para cada grupo participante.

Tabuleiro das Ligações
Tabuleiro das Ligações

A dinâmica é a seguinte: o professor conduzirá o jogo, distribuirá as 05 cartas, fará e corrigirá as perguntas, distribuirá os pontos para cada grupo (de 06 estudantes). Os jogadores escolherão os peões de cores diferentes e em seguida se distribuirão as cinco cartas bônus.

No início de cada rodada o grupo da vez rodará a roleta e lançará a pergunta referente ao tipo de ligação sorteada, de forma que respondam no prazo de um minuto. Em seguida, o grupo da vez responde, caso tenha acertado recebe uma moeda de 1, 2 ou 3 pontos e caminha 1 casa no tabuleiro.

No caso de erro, o dono da pergunta além de não receber pontos deixa de caminhar no tabuleiro. O grupo que passar pela casa do tabuleiro onde estiver escrito “BÔNUS”, tem a oportunidade de jogar uma das cartas bônus que tiver (que deverá corresponder à ligação sorteada através da roleta), logo após responder à sua pergunta. Caso a carta seja da ligação correspondente, ganhará 01 ponto.

Atividade 03 :Passa ou repassa

Recursos

  • Dois pote, um identificado como cátion e outro como ânion
  • Etiquetas simbolizando cátions e ânions
  • Quadro Negro
  • Giz
Passa ou repassa
Passa ou repassa

Passo a Passo

Os alunos formam os seus grupos de acordo com suas próprias afinidades. Um representante do grupo vem até o quadro, de frente para a turma, sorteia um papel em cada um dos potes. Depois desta etapa, o mesmo tem a possibilidade de montar a fórmula do composto em questão ou se não souber, ele pode passar para o outro grupo, que por sua vez, não sabendo, pode repassar para o grupo do aluno que sorteou, que agora não tem mais como repassar, apenas tentar fazer.

Após esta etapa, o aluno volta para a sua equipe e vem um representante da outra equipe, para fazer o sorteio, e repetir as etapas, sendo que um aluno não pode ser mais de uma vez na mesma aula o representante da sua equipe.

Atividade 04 : Exercício

Recursos

  • Questionário
    • Um elemento X possui configuração eletrônica igual a 1s2 2s2p6 3se um elemento Y possui configuração eletrônica igual a 1s2 2s2p4. Da ligação iônica entre esses dois elementos resulta o composto de fórmula molecular:
      1. XY
      2. YX
      3. X2Y
      4. XY2
      1. X2Y2
      2. Marque a alternativa em que todos os compostos possuem somente ligações iônicas:
        1. CaO, MgCl2, HCl
        2. NaCl, CaCl2, CaO
        3. PF3­, NaCl, NH3
        4. Na2O, SrCl2, H2O
        1. O2, NH3, MgCl2

Passo a Passo

O aluno deverá responder o questionário como forma de avaliação de conhecimento.

Atividade 05:Trilha das Ligações Químicas

Recursos

  • O tabuleiro do jogo confeccionado por meio papel cartão e pelas figuras impressas em papel A4.
  • Cada aluna possuía um peão com uma determinada cor (azul, vermelho, verde, amarelo, laranja).
Trilha das Ligações Químicas
Trilha das Ligações Químicas

Passo a Passo

1. Inicialmente cada estudante escolhia um peão, determinando em seguida a ordem dos
jogadores. Em cada rodada o estudante podia lançar o dado apenas uma vez para
definir o número de casas que se deveria andar.
2. No percurso as casas eram determinadas por símbolos, cada símbolo associado a um
significado:

Símbolos da trilha
Símbolos da trilha

O tabuleiro continha 9 perguntas (8 objetivas e 1 descritiva) sobre conceitos, constituição, características, e formação das ligações químicas, com destaque para a ligação iônica que foi a assunto que a professora abordou em sala de aula. Havia 5 cartas de curiosidades referentes ao mundo da química, apenas para despertar o interesse das alunas por temáticas diferentes.
3. O jogo terminava quando uma aluna/jogadora conseguisse chegar ao final primeiro e,
portanto, a primeira a concluir o trajeto do tabuleiro era determinada a ganhadora do
jogo

Atividade 06 : Exercícios

Recursos

  • Questionário
    • Os compostos formados pelos pares Mg e Cl; Ca e O; Li e O; K e Br possuem fórmulas cujas proporções entre os cátions e os ânions são, respectivamente:
      Dados: 3Li; 8O; 12Mg; 17Cl; 19K; 20Ca; 35B.a) 1:1    2:2    1:1    1:2
      b) 1:2    1:2    1:1    1:1
      c) 1:1    1:2    2:1    2:1
      d) 1:2    1:1    2:1    1:1
      e) 2:2    1:1    2:1    1:1
    • Se o caráter iônico entre dois ou mais átomos de elementos químicos diferentes é tanto maior quanto for a diferença de eletronegatividade entre eles, a alternativa que apresenta a substância que possui caráter iônico mais acentuado é:(Dados: 1H, 9F, 11Na, 19K, 53I)
      1. NaI
      2. F2
      3. HI
      4. KI
      1. KF

Passo a Passo

O aluno deverá responder o questionário como forma de avaliação de conhecimento.

Atividade 07 : Verdadeiro ou Falso?

Recursos

  •  20 cartas que contém afirmações verdadeiras e afirmações falsas, sobre um ligações químicas
  • uma carta com o desenho do pateta que é o curinga do jogo.

Passo a Passo

1. Distribui-se 3 cartas para cada jogador, deixando o restante sobre a mesa
2. O jogador da direita de quem distribuiu inicia o jogo, pegando uma carta do monte restante
3. Se a carta lhe for útil, ou seja, se for uma afirmação verdadeira, ele deverá ficar com a carta, descartando outra e colocando-a na mesa com o lado escrito para baixo
4. O jogador seguinte poderá pegar uma carta do monte ou a carta descartada pelo jogador anterior, dando assim seguimento ao jogo
5. Assim cada jogador por sua vez vai jogando até que um dos jogadores consiga obter três cartas verdadeiras e a carta curinga com o desenho do pateta.

Atividade 08 :Dança da ligação

Recursos

  • 15 placas, contendo os símbolos dos elementos da tabela periódica com sua respectiva camada de valência;
  • um som com músicas divertidas
  • 07 cartas contendo perguntas relacionadas aos compostos químicos formados

Passo a Passo

O inicio do jogo se dá com a música tocando normalmente e, quando a música é interrompida os participantes devem se deslocar a fim de encontrar o íon ou átomo para formar os compostos químicos. Consequentemente formará 7 combinações de compostos onde o mediador (professor) fará as perguntas para os estudantes que estão participando como ouvinte e subdivididos em dois grupos, A e B. O grupo que não acertar dará o direito de resposta ao seu grupo concorrente e, assim, vencerá o grupo que mais acertar as
perguntas.

Atividade 09 : Jogo das Fórmulas Iônicas

Recursos

  • 109 pequenos cartões onde são escritos os símbolos dos íons.
  • 5 cartões para cada um dos íons: Na+, K+, NH4 +, Ag+, NO3-, Cl-, F-, Br-, I-, OH4
  • cartões para cada um dos íons: Ca2+, Mg2+, Zn2+,Fe2+, O2-, S2-, CO32-, SO4 2-, HCO3-
  • 3 cartões para cada um dos íons: Fe3+, Al3+, PO43-

Passo a Passo

1. Distribuir para cada jogador 5 cartas com as costas viradas para cima. As demais ficam dispostas numa pilha no centro da mesa.
2. Cada jogador procura fazer corretamente a fórmula de um composto com as cartas que tem. Quando o fizer deve indicar o nome do composto formado e só ganha pontos se o nome estiver correto.
3. Quando o jogador não conseguir fazer a fórmula de um composto pode trocar, até no máximo três cartas, com as pilhas de cartas no centro da mesa.
4. A pontuação por cada fórmula e nome corretos é 1 para cada carga positiva (ou negativa). Assim por exemplo, NaCl vale 1 ponto, Na2O vale 2 pontos , etc

5. As cartas que não forem utilizadas para formar fórmulas de compostos não são usadas de novo no jogo.
6. O jogo termina quando se esgotar a pilha das cartas no centro da mesa

Atividade 10 :Dominó

Recursos

  • Caixa de Fósforos forrada, com o símbolo químico de um metal em uma das extremidades e de um ametal na outra.
  • Um pote com papeizinhos de ligações iônicas, covalente e metálicas
  • Quadro negro
  • Giz
Dominó das ligações químicas

    Dominó das ligações químicas

Passo a Passo

O professor distribui 10 peças para cada grupo e coloca uma no centro. A seguir, o professor sorteia no pote o tipo de ligação química(iônica, covalente ou metálica) e um dos integrantes da primeira equipe tem de colocar uma das suas peças de dominó de modo a montar corretamente o que se pediu.

Caso o faça corretamente, ele terá de montar a fórmula do composto, no caso de ser um composto iônico ou covalente. Se não conseguir montar o composto, o aluno passa o direito da tentativa para a próxima equipe. Depois desta etapa, segue o próximo grupo, com o professor sorteando novamente o tipo de ligação.

Se você gostou dessas atividades, talvez você também goste dessa aqui.

Química

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso de químicas, e nesse post vamos trabalhar com o “Estudo das práticas corporais”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão se sentindo.

Química

Química é a ciência que estuda a composição, estrutura, propriedades da matéria, as mudanças sofridas por ela durante as reações químicas e a sua relação com a energia.

A Química possui papel fundamental no desenvolvimento tecnológico, pois a utilização dos conceitos e técnicas dessa ciência permite a obtenção de novas substâncias, além de preocupar-se com a prevenção de danos e exploração sustentável do meio ambiente.

Estequiometria

Estequiometria é o cálculo que permite relacionar quantidades de reagentes e produtos, que participam de uma reação química com o auxílio das equações químicas correspondentes.

Resultado de imagem para Estequiometria

A Química só obteve caráter científico a partir do século XVIII quando se aliaram teoria e prática. Nesta época surge Lavoisier com a lei da conservação da massa ou lei da natureza.

Leis Ponderais

As Leis Ponderais são as leis experimentais que regem as reações químicas em geral e são relativas às massas dos componentes dessas reações. São basicamente leis que relacionam as massas dos reagentes e produtos em uma reação química qualquer.

Vídeo sobre Estequiometria:

Concentração de Solução

A concentração de uma solução deve ser expressa em unidades quantitativas. São usadas as chamadas unidades de concentração que são medidas quantitativas da afinidade de soluto que se dissolve.

Imagem relacionada

A quantidade relativa de uma substância é conhecida como concentração e é expressa em diferentes unidades.

Unidade de Concentração

Concentração Comum (C) Também chamada concentração em g/L (grama por litro), relaciona a massa do soluto em gramas com o volume da solução em litros.

Densidade (d) Relaciona a massa e o volume da solução, geralmente, as unidades usadas são g/mL ou g/cm[Math Processing Error]. Devemos tomar cuidado pois a concentração comum relaciona a massa de soluto com o volume da solução e densidade, a massa de solução com o volume da solução.

Concentração em Quantidade de Matéria (C) Cientificamente, é mais usual esta concentração, que relaciona a quantidade de soluto (mol) com o volume da solução, geralmente em litros.

Título (T) Pode relacionar a massa de soluto com a massa da solução ou o volume do soluto com o volume da solução.

Fração Molar A fração molar (X) de um componente ”a” em solução é a razão do número de mols deste componente pelo número total de mols de todos os componentes.

Molaridade (M) Molaridade ou concentração molar é o número de mols do soluto dissolvido por litro de solução.

Vídeo sobre Unidades de concentração:

pH e pOH

A sigla pH significa potencial (ou potência) hidrogeniônico e indica o teor de íons hidrônio (H3O+(aq)) livres por unidade de volume da solução. Quanto mais hidrônios houver no meio, mais ácida será a solução.

Resultado de imagem para pOH

O cálculo do pOH de uma solução depende diretamente da concentração de hidróxidos (OH-) no meio.

Vídeo sobre pH e pOH:

Radioatividade

A radioatividade é um termo químico que causa muita desconfiança e pavor em muitas pessoas, isso se deve ao que ela ocasionou em certas situações como por exemplo os diversos acidentes nucleares, sendo o mais conhecido o de Chernobyl.

Resultado de imagem para Radioatividade

Porém, este não é um fenômeno ruim, também pelo fato de suas diversas aplicações em nosso dia a dia que possibilitaram entre outras coisas o avanço de tratamentos como o da radioterapia.

Elemento Químico Radioativo

Um elemento químico radioativo é aquele que é capaz de emitir radiações fortes a ponto de por exemplo produzir a fluorescência. O fenômeno de emissão ocorre quando o átomo se encontra com excesso de partículas e/ou cargas precisando assim liberar energia na forma de radiação para se estabilizar.

Vídeo sobre Radioatividade:

Cadeias carbônicas

Cadeias carbônicas são os átomos de carbono têm como característica principal a propriedade de se unirem formando estruturas. Sendo a capacidade de se encadear que possibilita a existência de milhões de compostos orgânicos diferentes.

Átomos como o hidrogênio e halogênios também podem fazer parte de compostos orgânicos, mas como esses átomos são monovalentes, eles nunca farão parte da cadeia carbônica, apenas da molécula.

Classificação das cadeias carbônicas

As cadeias carbônicas podem ser classificadas como: Cadeia aberta, Cadeia fechada, Cadeia normal, Cadeia ramificada, Cadeia saturada, Cadeia insaturada.

Vídeo sobre Cadeias carbônicas:

Eletroquímica

Eletroquímica é uma área da química que estuda as reações que produzem corrente elétrica através de reações chamadas de oxidação e redução.

Resultado de imagem para pilhas de controle

Estuda as reações que ocorrem por intermédio do fornecimento de corrente elétrica, conhecidas como eletrólise.

Eletroquímica no dia a dia

A eletroquímica está presente em pilhas e baterias utilizadas em aparelhos eletrônicos, como celular, controle remoto, lanternas, filmadoras, calculadoras, brinquedos eletrônicos, rádios à pilha, computadores e muitos outros.

Vídeo sobre Eletroquímica:

Soluções

As soluções químicas são misturas homogêneas formadas por duas ou mais substâncias.

Imagem relacionada

Os componentes de uma solução são denominados de soluto e solvente: Soluto: representa a substância dissolvida Solvente: é a substância que dissolve. Geralmente, o soluto de uma solução está presente em menor quantidade que o solvente.

Tipos de Soluções Químicas

  • Soluções Saturadas: solução com a quantidade máxima de soluto para ser totalmente dissolvido pelo solvente. Se mais solvente for acrescentado pode-se acumular, sendo esse excesso chamado de corpo de fundo.
  • Soluções Insaturadas: também chamada de não-saturada, esse tipo de solução contém menor quantidade de soluto.
  • Soluções Supersaturadas: são soluções instáveis, nas quais a quantidade de soluto excede a capacidade de solubilidade do solvente.

Vídeo sobre Soluções:

Oxidação

Oxidação é a reação química em que átomos, íons ou moléculas perdem elétrons. Ela também provoca o aumento do número de oxidação (nox). O termo oxidação foi inicialmente criado para denominar as reações nas quais o oxigênio era o reagente.

Imagem relacionada

As reações de oxidação ocorrem simultaneamente com as reações de redução. Por isso, são chamadas de oxirredução (redox), na qual existe a transferência de elétrons.

Vídeo sobre Oxidação:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Estudo da química, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Ciência tecnologia e sociedade – Química

Olá pessoal, hoje o demonstre traz Química: ciência tecnologia e sociedade, um texto que retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de químicas.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão se trabalhando..

Ciência tecnologia e sociedade

A química tem uma relação muito grande com o cotidiano, de diversas formas que são introduzidas no nosso dia a dia. Sendo que muitas vezes a sociedade não observa essas relações no dia a dia.

Projeto sem título 16

O meio ambiente é um dos que sofre bastante com a utilização da química do dia a a dia, com a poluição da terra, da água, da atmosfera e outros.

Ciência tecnologia e sociedade – Cotidiano

A química está presente em no nosso dia a dia, em todos os materiais que nos cerca, e em todos os seres vivos e de várias formas possíveis, em diversas situações.

 

Por exemplo, na hora de fazer o almoço, precisa de uma química para combinar os alimentos com água e o fogo. Na construção civil também temos a combinação de materiais para fazer o concreto por exemplo, é uma química.

Química no dia a dia

O dia a dia da química é muito complexo sendo que ela está em todos os lugares que imaginamos, como: em casa, nas plantações, nas industrias, nas farmácias, e diversos outros lugares.

Vídeo sobre Química no cotidiano:

 Química na agricultura e na saúde

Na agricultura, a química é importante, pois, permite produzir adubos (fertilizante) que enriquece o solo (geralmente com azoto, fósforo, potássio, enxofre, cálcio e magnésio).

c3a1gua-na-agricultura-5501467-5178082-2267894

Os pesticidas (antigamente produzidos com chumbo, mercúrio e arsênico, materiais altamente tóxicos) que permitem, por um lado o crescimento da planta/cereal rápido, devido ao adubo, e, por outro lado, o crescimento saudável, sem as pestes de insetos que destroem as plantações e culturas.

Química na saúde

O desenvolvimento da indústria farmacêutica e da medicina fortalece a saúde humana, aumentando a expectativa de vida do homem, todos os dias utilizando a química.

Vídeo sobre Química na agricultura e na saúde:

https://youtube.com/watch?v=deVHg_b2d7w

Química nos alimentos

A Química dos alimentos pode nos ajudar a adquirir uma dieta mais saudável, a ser mais seletivos com os alimentos que ingerimos e evitar riscos à nossa saúde e à de nossa família.

Imagem relacionada

Os alimentos passam por diversas transformações diárias como as frutas, que ficam verdes depois amadurecem e se não utilizarem apodrecem.

Vídeo sobre Química nos alimentos:

Energias Químicas no Cotidiano

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de interpretar algumas coias, com base no uso de químicas, e nesse post vamos trabalhar com o “Energias Químicas no Cotidiano”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das coisas baseada em práticas químicas, que demonstram o que realmente está acontecendo.

Energias Químicas no Cotidiano

As energias químicas estão no nosso dia a dia, de alguma forma, que pode ser no transporte que utilizamos, no preparo dos nossos alimentos e entre outros.

Essa forma de energia em algumas formas estão está sendo paradas de ser usadas pelo problema de afetar bastante o meio ambiente.

Petróleo, gás natural e carvão

O petróleo é uma substância inflamável possui estado físico oleoso e com densidade menor do que a água. Sua composição química é a combinação de moléculas de carbono e hidrogênio (hidrocarbonetos). O petróleo gera
a gasolina, que serve de combustível para grande parte dos automóveis que circulam no mundo.

Resultado de imagem para petroleo

O gás natural é uma mistura de derivados de combustíveis fósseis, formado quando camadas de animais soterrados ficam submetidos a intenso calor, que é o gás utilizada na cozinha das casas.. 

Carvão

O carvão mineral é uma rocha sedimentar combustível, de cor preta ou marrom, que ocorre em estratos chamados camadas de carvão. As formas mais duras, como o antracito, podem ser consideradas rochas metamórficas devido à posterior exposição à temperatura e pressão elevadas.

Vídeo sobre Petróleo, gás natural e carvão:

Madeira e hulha

A madeira é uma fonte de energia que pode ser usado no dia a dia mas não é muito conveniente, pelo foto de atrasada, mais é bastante utilizada em diversos lugares.

A madeira é utilizada em fogões a lenha, que a gente ainda ver muito em restaurantes e em casas também, é utilizada em trens mais antigos e outros.

Hulha

A hulha é uma variedade do carvão mineral que apresenta um dos maiores índices de carbono em sua composição. Em relação à madeira e aos outros carvões minerais, ela fica atrás somente do Antracito.

Vídeo sobre Madeira e hulha:

Biomassa

Biomassa é toda matéria orgânica, de origem vegetal ou animal, utilizada na produção de energia. Ela é obtida através da decomposição de uma variedade de recursos renováveis, como plantas, madeira, resíduos agrícolas, restos de alimentos, excrementos e até do lixo.

A biomassa é comumente utilizada em usinas termelétricas para gerar eletricidade. No Brasil, cerca de 9% da energia elétrica produzida é gerada a partir de biomassa.

Vídeo sobre Biomassa:

Biocombustíveis

Os biocombustíveis, como o próprio nome já indica, são um tipo de combustível de origem biológica ou natural.

As vantagens dos biocombustíveis são várias: menor índice de poluição com a sua queima e processamento; podem ser cultivados e, portanto, são renováveis; geram empregos em sua cadeia produtiva; diminuem a dependência em relação aos combustíveis fósseis; além de aumentarem os índices de exportações do país, favorecendo a balança comercial.

Vídeo sobre Biocombustíveis:

Combustíveis fosseis

Os combustíveis fósseis mais comumente conhecidos são o carvão mineral, o petróleo e o gás natural.

Resultado de imagem para Impactos ambientais de combustíveis fosseis

Todos têm origem a partir da decomposição de resíduos orgânicos e embora apresentem diversos aspectos que vão na contramão da sustentabilidade, os combustíveis fósseis ainda permanecem em evidência, sendo, ainda muito utilizados para movimentar motores, aquecer materiais e produzir energia.

Impactos ambientais de combustíveis fosseis

A poluição ambiental é uma das grandes desvantagens do uso de combustíveis fósseis. O dióxido de enxofre, um dos poluentes liberados também na combustão de combustíveis fósseis é a causa principal da chuva ácida. A poluição originada a partir de automóveis (que utilizam combustíveis fósseis) e usinas de carvão pode causar sérios riscos à saúde. Os combustíveis fósseis costumam ser transportados para o local desejado por meio de navios.

Vídeo sobre Impactos ambientais de combustíveis fosseis:

Energia nuclear

Energia nuclear é a energia liberada em uma reação nuclear, ou seja, em processos de transformação de núcleos atômicos. Alguns isótopos de certos elementos apresentam a capacidade de se transformar em outros isótopos ou Elementos através de reações nucleares, emitindo energia durante esse processo.

A energia nuclear nos dias atuais não é mais muito utilizada, pelo caso de agravar muito o meio ambiente e também com a vida das pessoas.

Vídeo sobre Energia nuclear:

Lixo atômico

O lixo atômico não pode ser tratado como lixo comum.

Resultado de imagem para lixo atomico

É formado durante o funcionamento de um reator nuclear, isótopos radioativos extremamente perigosos, como césio, estrôncio, iodo, criptônio e plutônio, são criados e posteriormente descartados.

Vídeo sobre Lixo atômico:

Vantagens e desvantagens do uso de energia nuclear

A energia nuclear como um todo tem suas vantagens e desvantagens.

As vantagens são: Não libera gases estufa; Exigência de pequena área para construção da usina; Grande disponibilidade do combustível; Pequeno risco no transporte do combustível; Pequena quantidade de resíduos; Independência de fatores climáticos (ventos; chuvas).

As desvantagens são: O lixo nuclear radioativo deve ser armazenado em locais seguros e isolados; Mais cara, quando comparada a outras formas; Risco de acidentes nucleares; Problemas ambientais, devido ao aquecimento de ecossistemas aquáticos pela água de resfriamento dos reatores.

Vídeo sobre Vantagens e desvantagens do uso de energia nuclear:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Energias Químicas no Cotidiano, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Compostos de Carbono

Projeto sem título 1 2

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de entender a química, com base no uso experimentos químicos, e nesse post vamos trabalhar com o “Compostos de Carbono”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão representando.

Compostos de Carbono

O carbono é o elemento básico para o estudo da química orgânica, tema que costuma ser cobrado nas provas do Enem. Localizado no grupo 14 (família IVA), o carbono possui seis elétrons, sendo quatro destes localizados em sua camada de valência.

 

Sendo Assim, o carbono, tetravalente, realiza quatro ligações covalentes para adquirir sua estabilidade química. Pode-se ligar com outros átomos de carbono, encadeando-se, para formar tipos inúmeros de cadeias. 

Características gerais dos compostos orgânicos

Os compostos orgânicos são praticamente insolúveis em água e tendem a se dissolver em outros compostos orgânicos, sejam eles polares ou apolares.

Resultado de imagem para fogo do fogão

Há algumas exceções de compostos orgânicos que são polares e podem dissolver na água: ácido acético, açúcar, álcool comum, acetona, etc. O ácido acético é componente do vinagre.

Componentes dos compostos

Combustibilidade: a maior parte da energia consumida atualmente é proveniente da combustão (queima) de compostos orgânicos. Exemplos: gás utilizado em fogões, álcool dos automóveis. Sendo assim, pode-se dizer que os compostos que são bons combustíveis são de origem orgânica.

Polaridade: as ligações mais freqüentes envolvendo compostos orgânicos acontecem entre átomos de carbono ou entre átomos de carbono e hidrogênio. Todas as ligações dos compostos orgânicos formados somente por carbono e hidrogênio são apolares, pois os átomos unidos demonstram uma pequena desigualdade de eletronegatividade.

Temperatura de fusão e de ebulição: os fatores que influenciam a temperatura de ebulição e fusão de uma substância são o tamanho e a geometria da molécula. Quanto maior o tamanho de um composto, maior sua massa molecular e conseqüentemente, maior será seu ponto de ebulição. A geometria de uma molécula interfere em sua força intermolecular, quanto mais forte a ligação, mais elevado se tornará o ponto de ebulição.

Vídeo sobre Características gerais dos compostos orgânicos:

Principais funções orgânicas

Funções orgânicas são grupos de compostos orgânicos que têm comportamento químico similar, devido ao grupo funcional característico.

Imagem relacionada

Os compostos orgânicos se diferenciam dos inorgânicos por apresentarem átomos de carbono distribuídos em cadeias e/ou átomos de carbono ligados diretamente a hidrogênio. As principais funções orgânicas são: cetonas, aldeídos, ácidos carboxílicos, alcoóis, fenóis, ésteres, éteres, aminas e haletos.

Algumas funções orgânicas

Hidrocarbonetos: são um conjunto de funções que só contém carbono e hidrogênio em sua estrutura. Grupo Funcional: C, H. Nomenclatura: terminação -O.

Funções oxigenadas: são funções que apresentam o oxigênio na sua estrutura.

Funções nitrogenadas: são funções que possuem o nitrogênio em sua estrutura.

Funções halogenadas: são funções que possuem em sua estrutura um halogênio (F, Cl, Br ou I).

Ácidos sulfônicos: são compostos orgânicos derivados do ácido sulfúrico (H2SO4) pela substituição de uma hidroxila por um radical orgânico. São largamente aplicados na obtenção de surfactantes (espumantes), que estão presentes em xampus, detergentes e cremes dentais.

Compostos de Grignard: são compostos organometálicos que apresentam pelo menos um átomo de um metal ligado diretamente ao átomo de carbono. Grupo Funcional: ‒MgX (F, Cl, Br, I) Nomenclatura: halogênio + ETO de radical + MAGNÉSIO.

Funções mistas: são compostos que apresentam diversas funções na estrutura. Em geral, possuem nomenclatura IUPAC mais complexa, por esta razão são mais conhecidos por seus nomes usuais.

Vídeo sobre Principais funções orgânicas:

Estrutura dos Hidrocarbonetos

Hidrocarbonetos são muito utilizados na indústria, principalmente na indústria petroquímica, pois os hidrocarbonetos são a maior parte da constituição do petróleo.

Resultado de imagem para Propriedades de Hidrocarbonetos

O petróleo fornece assim inúmeros combustíveis e matérias-primas para a produção de plásticos, detergentes, fibras têxteis, borrachas, tintas, entre outros, e está presente também no gás natural.

Propriedades de Hidrocarbonetos

Polaridade: os hidrocarbonetos são compostos praticamente apolares, e suas moléculas se mantêm unidas pela força de dipolo induzido;

Ponto de Fusão e Ebulição: possuem baixos pontos de fusão e ebulição. Com o aumento da massa molar, aumentam-se os pontos de fusão e ebulição. E em casos de compostos ramificados e não ramificados que apresentam a mesma massa molar, os ramificados têm menores temperaturas de fusão e ebulição;

Estados Físicos: os hidrocarbonetos que possuem até quatro carbonos são gasosos à temperatura ambiente e ao nível do mar. Já os que possuem de cinco a dezessete carbonos são líquidos, e acima disso são sólidos;

Densidade: baixa; inferior a 1,0 g/cm3;

Propriedades organolépticas (propriedades que podem ser percebidas pelos sentidos humanos, por exemplo, a cor, o cheiro, aspecto, textura e assim por diante): não é possível detalhar de forma geral, pois é uma classe muito grande;

Solubilidade: são solúveis em substâncias que assim como eles são apolares ou têm baixa polaridade. Não se dissolvem na água, que é polar;

Usos e aplicações: são muito utilizados na indústria, principalmente na indústria petroquímica, pois os hidrocarbonetos são a maior parte da constituição do petróleo.

Vídeo sobre Estrutura e propriedades de Hidrocarbonetos:

Fermentação

A fermentação é um processo de liberação de energia que ocorre sem a participação do oxigênio, sendo um processo anaeróbio.

A fermentação é um conjunto de reações enzimaticamente controladas, através das quais uma molécula orgânica é degradada em compostos mais simples, liberando energia.

Tipos de Fermentação

Levedura – Fungo unicelular utilizado na fabricação de pães, bebidas alcoólicas em geral. A fermentação é um processo utilizado na fabricação de bebidas alcoólicas, pães e outros alimentos. Hoje sabemos que os processos fermentativos resultam da atividade de microorganismos, como as leveduras e certas bactérias.

Vídeo sobre Fermentação:

Estrutura e propriedades de compostos orgânicos nitrogenados

Funções Nitrogenadas são um dos 4 grupos funcionais dos compostos orgânicos. Os compostos que pertencem a essa função são formados por nitrogênio, por isso são chamados de compostos nitrogenados.

Imagem relacionada

Os principais são as aminas, as amidas, as nitrilas e os nitrocompostos.

Aminas, Amidas, Nitrocompostos e Nitrilas

As aminas são compostos orgânicos que podem ser encontradas nos estados sólido, líquido ou gasoso. São produzidas pela decomposição de animais e podem ser encontradas também em compostos extraídos de vegetais.

As amidas são compostos orgânicos que podem ser encontradas nos estados sólido ou líquido. São derivados da acila ligada ao nitrogênio e produzidas em laboratório.

Os nitrocompostos são compostos orgânicos encontrados no estado líquido que não dissolvem na água porque são densos e são bastante reativos. A fórmula geral dos nitrocompostos é NO2.

As nitrilas, também chamadas de cianetos, são compostos orgânicos encontrados no estado sólido e são solúveis em água. A fórmula geral das nitrilas é R — C ≡ N.

Vídeo sobre Estrutura e propriedades de compostos orgânicos nitrogenados:

Macromoléculas naturais e sintéticas

As macromoléculas também podem ser chamadas de polímeros e  podem ser dividas em macromoléculas naturais e sintéticas.

Resultado de imagem para Macromoléculas naturais e sintéticas

As macromoléculas naturais são biomoléculas fundamentais para todos os seres vivos, que são as seguintes: – Glicídios – Lipídios – Proteínas.

As macromoléculas sintéticas são a base para a fabricação dos plásticos. A seguir, iniciaremos o estudo das macromoléculas com os glicídios e conheceremos seus principais tipos (glicose, frutose, sacarose, etc).

Vídeo sobre Macromoléculas naturais e sintéticas:

Noções básicas sobre polímeros

Polímeros são macromoléculas formadas a partir de unidades estruturais menores. Os monômeros são moléculas de baixa massa molecular os quais, a partir das reações de polimerização, vêm a gerar a macromolécula polimérica. As unidades repetitivas, chamadas de mero, provem da estrutura do monômero.

Resultado de imagem para polímeros

O número de unidades estruturais repetidas, ou seja, o número de meros que podem se verificar na estrutura de uma macromolécula, é chamado grau de polimerização. Em geral, os polímeros contêm os mesmos elementos nas mesmas proporções relativas que seus monômeros, mas em maior quantidade absoluta.

Vídeo sobre Noções básicas sobre polímeros:

Amido, glicogênio

Amido é um polissacarídeo de reserva energética dos vegetais. As batatas, arroz e a mandioca estão repletos de amido, armazenado pelo vegetal e consumido em épocas desfavoráveis pela planta.

Glicogênio é um polissacarídeo de reserva energética dos animais; portanto, equivalente ao amido dos vegetais. No nosso organismo, a síntese de glicogênio ocorre no fígado, a partir de moléculas de glicose. Logo, fígado de boi e fígado de galinha são alimentos ricos em glicogênio.

Celulose

Celulose é o polissacarídeo de papel estrutural, isto é, participa da parede das células vegetais. Poucos seres vivos conseguem digeri-lo, entre eles alguns microrganismos que habitam o tubo digestivo de certos insetos (cupins) e o dos ruminantes (bois, cabras, ovelhas, veados etc.).

Vídeo sobre Amido, glicogênio e celulose:

Borracha natural e sintética

A borracha é um polímero natural que é obtido da seiva de vários vegetais, sendo que as árvores da seringueira (Hevea brasiliensis) são as principais. Cada árvore dessa produz cerca de 30 gramas de látex todos os dias, que é um líquido branco de aspecto leitoso que pode ser extraído do caule por meio de uma incisão ou ranhuras.

Resultado de imagem para Borracha natural

A borracha é obtida através de uma massa branca, pastosa, que é moída e processada com a finalidade de remover contaminantes e para secar. No entanto, ela possui vários inconvenientes para a sua utilização pela indústria, entre eles, o fato de ser pouco resistente a variações na temperatura; em dias frios, ela fica dura e quebradiça; e em dias quentes, ela fica mole e pegajosa.

Vídeo sobre Borracha natural e sintética:

Macromoléculas sintéticas

As macromoléculas sintéticas são os polímeros, que são a base para a fabricação dos plásticos. Os plásticos começaram a ser produzidos no final do século XIX e têm grande importância no desenvolvimento do século XX.

Resultado de imagem para náilon

A partir destas macromoléculas foi possível obter, além dos plásticos, as fibras têxteis, como o náilon e o poliéster, e as borrachas sintéticas.

Polietileno, poliestireno, PVC, Teflon, náilon

O polietileno (ou polieteno) tem fórmula geral (CH2-CH2)n, é um polímero de alta produção mundial e economicamente viável, daí o porquê de seu uso em larga escala. 

O poliestireno é um homopolímero resultante da polimerização do monômero de estireno. Trata-se de uma resina do grupo dos termoplásticos, cuja característica reside na sua fácil flexibilidade ou moldabilidade sob a ação do calor, que a deixa em forma líquida ou pastosa.

O policloreto de polivinila (também conhecido como cloreto de vinila ou policloreto de vinil; nome IUPAC policloroeteno) mais conhecido pelo acrónimo PVC (da sua designação em inglês Polyvinyl chloride) é um plástico não 100% originário do petróleo, pois é originário da adição de átomos do elemento cloro ao monômero etileno.

O Teflon é o nome popular do polímero Politetrafluoretileno, a sigla PTFE ajuda na identificação deste composto de nome complicado. O PTFE surgiu em meio aos experimentos do químico Roy Plunkett, no ano de 1938, enquanto realizava experimentos com gás tetrafluoretileno.

O náilon é um polímero resultante da condensação de diaminas com diácidos. É uma poliamida (náilon-66).

Vídeo sobre Macromoléculas sintéticas:

Óleos e gorduras, sabões e detergentes sintéticos

Óleos e gorduras são tipos de lipídios compostos majoritariamente por compostos denominados triacilgliceróis.

Resultado de imagem para Óleos e gorduras, sabões e detergentes sintéticos

As gorduras e óleos formam com outros vários componentes os sabões e detergentes utilizados em nossas casas.

Sabões e Detergentes

Gorduras e lipídios não interagem com água, sendo assim quando estes constituem sujeiras ou é desejável removê-los de algum recipiente, torna-se necessária a presença de algum composto que tenha caráter “híbrido”, polar e apolar ao mesmo tempo (caráter anfifílico), para que este possa interagir com ambos, água e óleo (ou gordura), e seja capaz de promover a retirada do composto que não se deseja.

Vídeo sobre Óleos e gorduras, sabões e detergentes sintéticos:

Enzimas

As enzimas são substâncias do grupo das proteínas e atuam como catalisadores de reações químicas. Catalisador é uma substância que acelera a velocidade de ocorrência de uma certa reação química.

Resultado de imagem para Proteínas e enzimas

Muitas enzimas possuem, além da porção protéica propriamente dita, constituída por uma sequência de aminoácidos, uma porção não-protéica. A parte protéica é a apoenzima e a não protéica é o co-fator. Quando o co-fator é uma molécula orgânica, é chamado de coenzima.

Proteínas

As proteínas são grandes moléculas formadas pela união de moléculas menores, chamados aminoácidos. Quando ingerimos proteínas elas são digeridas em nosso tubo digestório. Os aminoácidos que os formam se separam e são absorvidos no intestino. Depois passam para o sangue e são distribuídos para as células do organismo.

Vídeo sobre Proteínas e enzimas:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Compostos de Carbono, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

O que é um Átomo

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “O que é um Átomo”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, que demonstram como estão se sentindo.

O que é um Átomo

Átomo é uma unidade básica de matéria que consiste num núcleo central de carga elétrica positiva envolto por uma nuvem de eletrões de carga negativa.

Projeto sem título 5

O núcleo atómico é composto por protões e neutrões. Os eletrões de um átomo estão ligados ao núcleo por força eletromagnética.

Modelo corpuscular da matéria

A matéria é o constituída por pequeníssimos corpúsculos invisíveis e em um constante movimento o que define cada um dos estados físicos é o estado de agregação das partículas e a mobilidade das mesmas.

Resultado de imagem para Modelo corpuscular da matéria

Se alternamos o estado de agregação das partículas, estaremos a alterar o estado físico da substancia.

Estados físicos e agregação corpuscular

Estado sólido: é caracterizado pela falta de mobilidade das partículas pela organização e pela proximidade das mesmas.

Estado líquido: Neste estado as particukas tem maior movimento do que estado sólido, que se encontam mais afastadas umas das outras do que o estado sólido.

Vídeo sobre Modelo corpuscular da matéria:

Um vídeo que fala da Teoria corpuscular da matéria, no canal triplex.

https://youtube.com/watch?v=aYyQtEfuUcE

Modelo atômico de Dalton

O Modelo Atômico de Dalton acaba com a ideia de que todas as substâncias são constituídas de pequenas partículas indivisíveis chamadas átomos. Os átomos dos diferentes elementos têm diferentes propriedades, mas todos os átomos do mesmo elemento são exatamente iguais.

Resultado de imagem para Modelo atômico de Dalton

Nas alterações químicas, o átomo participa como um todo. Os átomos não se alteram quando formam compostos químicos. Eles não podem ser criados nem destruídos.

John Dalton

Foi um químico, meteorologista e físico inglês. Foi um dos primeiros cientistas a defender que a matéria é feita de pequenas partículas, os átomos. É também um dos pioneiros na meteorologia, iniciando suas observações em 1787 com instrumentos confeccionados por ele mesmo e publicando, seis anos mais tarde, o livro Meteorological Observations and Essays (Observações e Ensaios Meteorológicos), um dos primeiros concernentes à ciência meteorológica.

Vídeo sobre Modelo atômico de Dalton:

Um vídeo que fala sobre Modelo atômico de Dalton, foi postado no canal Stoodi – Enem 2019.

Natureza elétrica da matéria

Segundo a visão atomista do universo, todos os corpos são constituídos por partículas elementares que formam átomos.

Resultado de imagem para Modelo Atômico de Thomson

Estes, por sua vez, se enlaçam entre si para dar lugar às moléculas de cada substância. As partículas elementares são o próton e o nêutron, contidos no núcleo, e o elétron, que gira ao seu redor e descreve trajetórias conhecidas como órbitas.

Modelo Atômico de Thomson

Modelo atômico de Thomson é a teoria sobre a estrutura atômica proposta por Joseph John Thomson, descobridor do elétron e da relação entre a carga e a massa do elétron, antes do descobrimento do próton ou do nêutron.

Vídeo sobre Natureza elétrica da matéria: Modelo Atômico de Thomson:

O video fala sobre a Natureza elétrica da matéria: Modelo Atômico de Thomson, postado pelo canal da Claudia Regina.

Rutherford

Foi um físico e químico neozelandês naturalizado britânico, que se tornou conhecido como o pai da física nuclear. Em um trabalho no começo da carreira, descobriu o conceito de meia-vida radioativa, provou que a radioatividade causa a transmutação de um elemento químico em outro, e também distinguiu e nomeou as radiações alfa e beta.

Resultado de imagem para Rutherford

Foi premiado com o Nobel de Química em 1908 “por suas investigações sobre a desintegração dos elementos e a química das substâncias radioativas”.

Vídeo sobre Rutherford:

O vídeo fala sobre o modelo atômico de Rutherford.

Rutherford-Bohr

Bohr conseguiu explicar como se comportava o átomo de hidrogênio, o que não era possível mediante a teoria atômica de Rutherford. Mas, embora tenha aperfeiçoado o modelo atômico de Rutherford, o modelo de Bohr ainda não é perfeito, uma vez que continuam havendo lacunas por explicar. Em 1913 Bohr promoveu experimentos que mostravam essas falhas e propunha um novo modelo.

Resultado de imagem para Rutherford-Bohr

Se o modelo proposto de Rutherford estivesse correto, ao serem acelerados, os elétrons emitiriam ondas eletromagnéticas. Na sequência, essas partículas perderiam energia e consequentemente colidiriam com o núcleo atômico.

Vídeo sobre Rutherford-Bohr:

O vídeo fala sobre Modelos Atômicos O modelo de Rutherford Bohr, postado no canal Levi Silva.

Átomos e sua estrutura

A estrutura do átomo é formada pelo núcleo, que é constituído por duas partículas (prótons e nêutrons), e pela eletrosfera, que detém os elétrons.

estrutura do atomo 2428100 5155585 4047231

Os átomos são partículas infinitamente pequenas que constituem toda matéria no universo. Ao longo do tempo, a ideia de como seria a estrutura atômica foi mudando de acordo com as novas descobertas feitas pelos cientistas.

Vídeo sobre Átomos e sua estrutura:

Um vídeo sobre Estrutura Atômica, foi postado no canal tenho prova amanhã.

Número atômico, número de massa, isótopos, massa atômica

Os modelos atômicos propostos indicam que os átomos diferem entre si pelo número de prótons, nêutrons e elétrons que contêm. Para identificar o número dessas partículas, são determinados o número de massa e o número atômico.

Resultado de imagem para Número atômico, número de massa, isótopos, massa atômica

As massas atômicas são determinadas por comparação das massas dos átomos com um padrão de massas que equivale a 1/12 da massa do átomo de carbono. O valor numérico da massa atômica é muito próximo do valor do número de massa.

Isótopos

Átomos com o mesmo número atômico (número de prótons) e diferentes números de massa. Pertencem ao mesmo elemento químico. Os isótopos possuem propriedades químicas iguais e propriedades físicas diferentes.

Vídeo sobre Número atômico, número de massa, isótopos, massa atômica:

Um vídeo que fala sobre a Estrutura Atômica Tenho Prova Amanha.

Elementos químicos

Elemento químico é um conjunto de átomos que apresentam no interior do seu núcleo a mesma quantidade de prótons, ou seja, átomos com o mesmo número atômico (característica representada pela letra Z).

Resultado de imagem para Elementos químicos

Os elementos químicos podem ser chamados ainda de substâncias simples.

Representação dos elementos químicos

São representados por meio de uma sigla, na qual a letra inicial é maiúscula e que pode vir acompanhada de uma ou duas letras minúsculas.

Vídeo sobre Elementos químicos:

Um vídeo sobre o elemento químico, postado e feito pelo canal Brasil Escola.

Tabela Periódica

A tabela periódica é uma disposição sistemática dos elementos químicos ordenados por seus números atômicos, configuração eletrônica, e recorrência das propriedades periódicas.

Resultado de imagem para Tabela Periódica

Este ordenamento mostra tendências periódicas, tais como elementos com comportamentos similares na mesma coluna.

Vídeo sobre Tabela Periódica:

Um vídeo que fala sobre Tabela Periódica, postado no canal do descomplica.

Reações químicas

Uma reação química é uma transformação da matéria na qual ocorrem mudanças qualitativas na composição química de uma ou mais substâncias reagentes, resultando em um ou mais produtos.

Resultado de imagem para Reações químicas

Classificação das reações

  • Reações de Síntese ou Adição (A+B → AB): corresponde a reação entre duas substâncias reagentes gerando uma mais complexa, por exemplo: C + O2 → CO2.
  • Reações de Análise ou de Decomposição (AB → A+B): corresponde a reação onde uma substância reagente se divide em duas ou mais substâncias simples, por exemplo: 2HGO → 2HG + O2. Essa decomposição pode ocorrer de três maneiras: pirólise (decomposição do calor), fotólise (decomposição da luz) e eletrólise (decomposição da eletricidade).
  • Reações de Deslocamento ou de Substituição ou de Simples Troca (AB+C → AC+B ou AB+C → CB+A): corresponde a reação entre uma substância simples e outra composta, levando à transformação da substância composta em simples, por exemplo: Fe + 2HCL → H2 + FeCl2.
  • Reações de Dupla-Troca ou de Dupla Substituição (AB+CD → AD+CB): correspondem as reações entre duas substâncias compostas que permutam entre si os elementos químicos, gerando duas novas substâncias compostas, por exemplo: NaCl + AgNO3 → AgCl + NaNO3.

Vídeo sobre Reações químicas:

Um vídeo que fala das reações químicas, postado no canal aula de.

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala sobre O que é um Átomo, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Dinâmica das Transformações Químicas

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nossos acontecimentos na químicas, com base em diversos fatores, e nesse post vamos trabalhar com a “Dinâmica das Transformações Químicas”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão se passando na química antiga e atual.

Dinâmica das Transformações Químicas

As transformações químicas ocorrem quando há alteração na constituição do material, formando assim novas substâncias. Chamamos de sistema o conjunto de materiais isolados para estudo. Uma maneira de comprovar a existência de uma transformação química é através da comparação do estado inicial e final do sistema.

Projeto sem título 3 1

Algumas evidências podem ser observadas, permitindo verificar a ocorrência dessas transformações, como modificação na cor, cheiro, estado físico e temperatura.

Transformações Químicas

Transformações químicas são mudanças onde ocorre a formação de novas substâncias devido à alteração das propriedades das substâncias iniciais – reagentes. As matérias sofrem, constantemente, transformações.

Resultado de imagem para Transformações Químicas

Quando as mudanças são apenas relacionadas ao seu estado, ou ainda à agregação do material, chamamos de transformação física da matéria. A transformação somente pode ser chamada química quando resulta na produção de um material distinto do inicial, com características também distintas.

Velocidade das reações químicas

A velocidade das reações químicas é uma área estudada pela Cinética Química. Esse estudo é importante porque é possível encontrar meios de controlar o tempo de desenvolvimento das reações, tornando-as mais lentas ou mais rápidas, conforme a necessidade.

Vídeo sobre Transformações Químicas e velocidade:

Velocidade de reação

A velocidade de uma reação é baseada na rapidez ou taxa de desenvolvimento de uma reação química é a concentração dos reagentes.

Imagem relacionada

Conforme dito no texto “Influência da Concentração na Velocidade das Reações”, geralmente, um aumento na concentração dos reagentes aumenta a rapidez de uma reação.

Lei da velocidade

Lei da velocidade é diretamente proporcional à velocidade da reação. Essa relação entre a rapidez de uma reação e as concentrações dos reagentes é dada por uma expressão matemática que é denominada lei da velocidade da reação.

Vídeo sobre Velocidade de reação:

Energia de ativação

Energia de ativação é o mesmo que complexo de ativação. Para ocorrer uma reação química entre duas substâncias orgânicas que estão na mesma solução é preciso fornecer uma certa quantidade de energia, geralmente na forma de calor, que favoreça o encontro e a colisão entre elas.

Resultado de imagem para Energia de ativação

A energia também é necessária para romper ligações químicas existentes entre os átomos de cada substância, favorecendo, assim, a ocorrência de outras ligações químicas e a síntese de uma nova substância a partir de duas iniciais.

Vídeo sobre Energia de ativação:

Fatores que alteram a velocidade de reação

Os principais fatores que alteram a velocidade das reações são a superfície de contato, a temperatura, a concentração dos reagentes e o uso de catalisadores.

Resultado de imagem para Fatores que alteram a velocidade de reação:

Concentração, pressão, temperatura e catalisador

Superfície de contato: Quanto maior a superfície de contato, maior é a velocidade da reação. Isso ocorre porque as reações acontecem entre as moléculas que ficam nas superfícies dos reagentes. Elas realizam colisões que, se forem efetivas (com orientação correta e com a quantidade de energia necessária), resultarão na quebra das antigas ligações e formação de novas ligações, ou seja, a reação química ocorrerá.

Temperatura: Quanto maior a temperatura, maior será a velocidade da reação. Isso acontece porque, com o aumento da temperatura, a energia cinética das moléculas das substâncias reagentes aumenta, ou seja, elas movimentam-se em uma maior velocidade, o que aumenta a quantidade de choques efetivos que resultam em uma reação mais rápida.

Concentração: Quanto maior a concentração dos reagentes, maior é a velocidade da reação. Quando aumentamos a concentração dos reagentes, aumentamos o número de moléculas ou partículas reagentes por unidade de volume e, consequentemente, o número de colisões entre elas aumenta, resultando em uma maior velocidade da reação.

Catalisadores: São substâncias que aumentam a velocidade de determinadas reações sem participar delas, ou seja, sem serem consumidas durante a reação. Por exemplo, a água oxigenada decompõe-se com o tempo, mas quando ela é colocada em contato com o sangue de um machucado, essa reação ocorre com uma velocidade muito maior, o que é visto por meio da formação de bolhas.

Vídeo sobre Fatores que alteram a velocidade de reação:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala da Dinâmica das Transformações Químicas, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Transformações Químicas e Energia

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso cotidiano, com base no uso de químicas, e nesse post vamos trabalhar com o “Transformações Químicas e Energia”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Transformações Químicas e Energia, que demonstram a sua atuação.

Transformações Químicas e Energia

Transformações químicas com a energia resulta na formação de novas substâncias energetica. Diferenciam-se das transformações físicas pelo fato de que as transformações físicas apenas alteram estado e as substâncias continuam sendo as mesmas.

Projeto sem título 1 1

A mudança de estado, as variações de materiais, de cor, de densidade e de temperatura podem ser evidências de transformações químicas ligadas a energia.

Transformações químicas

As transformações químicas são chamadas reações químicas, estas são constituídas por reagentes se transformando em produtos.

Resultado de imagem para energia calorífica

Existem algumas leis de transformação:

A primeira destas leis é a Lei da Conservação das Massas, (enunciada por A. L. Lavoisier em 1774) e a segunda é a Lei das Proporções Definidas. (também chamada Lei da Composição Definida).

Energia calorífica

Energia calorífica é aquela que é desenvolvida através do calor. A energia calorífica apresenta-se e move-se de três maneiras: Condução: a condução do calor acontece quando a energia passa diretamente de um local para outro.

Vídeo sobre Transformações químicas e energia calorífica:

Calor de reação

Calor de reação corresponde à variação de entalpia (calor absorvido) observada em uma reação, e sua classificação depende do tipo de reação decorrente: Reação de neutralização → calor de neutralização e Reação de combustão → calor de combustão.

Resultado de imagem para Calor de reação

Calores

Calor de vaporização: corresponde à variação de entalpia na vaporização total de 1 mol da substância, à pressão de 1 atm.

Calor de dissolução: é a variação de entalpia observada na dissolução de 1 mol da substância em solvente suficiente para se considerar a solução como diluída.

Calor de fusão: corresponde à variação de entalpia na fusão total de 1 mol da substância, à pressão de 1 atm.

Calor de solidificação: corresponde à variação de entalpia na solidicação total de 1 mol da substância, à pressão de 1 atm.

Calor de condensação: corresponde à variação de entalpia na condensação total de 1 mol da substância, à pressão de 1 atm.

Calor de formação: é a variação de entalpia constatada na formação de 1 mol de moléculas de um determinado composto, cujos elementos estão em seu estado padrão.

Vídeo sobre Calor de reação:

Equações termoquímicas

Uma equação termoquímica é uma forma de se representar uma reação química, semelhante a uma equação química comum, que informa a variação de entalpia resultante do processo, a pressão e a temperatura ambiente, podendo informar também os estados físicos dos reagentes e produtos.

Resultado de imagem para Equações termoquímicas

O sinal da entalpia determina a quantidade de energia absorvida ou liberada pela reação. Uma entalpia positiva mostra uma reação endotérmica, que absorve energia. Uma entalpia negativa mostra uma reação exotérmica, que liberta energia.

Vídeo sobre Equações termoquímicas:

Lei de Hess

Lei de Hess estabelece que a energia não pode ser nem criada nem destruída; somente pode ser trocada de uma forma em outra. A soma de equações químicas pode levar a mesma equação resultante. Se a energia se inclui para cada equação e é somada, o resultado será a energia para a equação resultante.

Resultado de imagem para Lei de Hess

A troca de entalpia de uma reação química que transforma os reagentes em produtos é independente do caminho escolhido para a reação. Isto é chamado função de estado.

Vídeo sobre Lei de Hess:

Transformações químicas e energia elétrica

Em nosso dia a dia presenciamos muitos fenômenos que ocorrem com o envolvimento de eletricidade: os raios que caem em uma tempestade, funcionamento de eletrodomésticos, a atração dos nossos cabelos por um pente plástico e também a passagem de corrente por diversos materiais (soluções iônicas).

Resultado de imagem para Transformações químicas e energia elétrica

A energia elétrica pode ser obtida por pilhas e baterias, pela ocorrência de transformações químicas e, para isso, são utilizados dois sólidos condutores associados com soluções aquosas condutoras ou pastas feitas a partir de materiais iônicos.

Eletrolise

Eletrólise é o processo de indução de reações químicas de oxidação e redução não espontâneas, pela passagem de corrente elétrica em soluções iônicas ou em sais fundidos.

O processo de eletrolise é um método responsável pela obtenção de várias substâncias importantes, como cloro, hidróxido de sódio, hidrogênio. Na eletrólise, o pólo onde ocorre redução é o negativo e o pólo onde ocorre oxidação é o positivo.

Vídeo sobre Transformações químicas e energia elétrica:

Reação de oxirredução

Reação de oxirredução é um processo simultâneo de perda e ganho de elétrons, pois os elétrons perdidos por um átomo, íon ou molécula são imediatamente recebidos por outros.

Resultado de imagem para Reação de oxirredução

As reações de oxirredução são aquelas em que há transferência de elétrons entre as espécies químicas envolvidas. Isso pode ser percebido por meio do número de oxidação (Nox) de cada elemento, que se trata da carga elétrica real, no caso de íons monoatômicos (um átomo que ganhou ou perdeu elétrons), e, no caso de compostos moleculares ou de íons polinuclerares, é a carga elétrica que ele teria se a ligação fosse rompida, ou seja, sua tendência de atrair os elétrons.

Vídeo sobre Reação de oxirredução:

Potenciais padrão de redução

Potenciais de redução é, por convenção, utilizado o potencial do hidrogênio como referência, sendo este estabelecido como zero.

Resultado de imagem para Potenciais padrão de redução

O potencial de uma semi-reação é utilizado para medir essa tendência das substâncias em serem oxidadas ou reduzidas, entretanto uma vez que essa grandeza é relativa ela deve ser medida em relação a um referencial.

Diferença de Potencial

A diferença de potencial (d.d.p) também denominada de tensão elétrica (V) é uma grandeza física que esta intimamente ligada ao conceito de corrente elétrica, então iniciaremos nosso estudo relacionando brevemente a definição de corrente elétrica com o aprendizado da diferença de potencial.

Vídeo sobre Potenciais padrão de redução:

Leis de Faraday

A Leis de Faraday é uma das equações básicas do eletromagnetismo. Ela prevê como um campo magnético interage com um circuito elétrico para produzir uma força eletromotriz — um fenômeno chamado de indução eletromagnética.

Resultado de imagem para Leis de Faraday

É a base do funcionamento de transformadores, alternadores, dínamos, indutores, e muitos tipos de motores elétricos, geradores e solenoides.

Equação de Maxwell–Faraday

Uma generalização da lei de Faraday, e compõe uma das equações de Maxwell. Ela descreve como a variação de um campo magnético no tempo através de um circuito em repouso produz um campo elétrico não-eletrostático que, por sua vez, produz uma corrente elétrica no circuito. O movimento relativo entre um imã e o condutor e a produção, ou não, de um campo elétrico nessa experiência levaram a uma aparente dicotomia, exercendo, por sua vez, papel fundamental no desenvolvimento da relatividade restrita por Albert Einstein em 1905.

Vídeo sobre Leis de Faraday:

Transformações nucleares

Transformações nucleares ocorre quando dois núcleos se movem um em direção ao outro e, apesar da repulsão coulombiana, se aproximam o suficiente para que haja interação entre as partículas de um com as partículas do outro pela força nuclear, pode ocorrer uma redistribuição de núcleons.

Reações nucleares são produzidas bombardeando-se um núcleo alvo com um projétil que pode ser algum tipo de partícula ou núcleo pequeno, de modo que a repulsão coulombiana não se torne um obstáculo muito grande.

Reações artificiais

Os núcleos radioativos artificiais são produzidos por reações nucleares. Os elementos transurânicos, em particular, são normalmente produzidos pela captura de nêutrons seguida de decaimento b-. Por outro lado, o que se chama de espalhamento é a reação nuclear em que projétil e partícula liberada são a mesma partícula. O espalhamento é elástico quando, durante o processo, não varia a energia cinética da partícula, e inelástico, caso contrário.

Vídeo sobre Transformações nucleares:

Conceitos fundamentais da radioatividade

A radioatividade é um fenômeno natural ou artificial, pelo qual algumas substâncias ou elementos químicos, chamados radioativos, são capazes de emitir radiações, as quais têm a propriedade de impressionar placas fotográficas, ionizar gases, produzir fluorescência e atravessar corpos opacos à luz.

Resultado de imagem para Conceitos fundamentais da radioatividade

A radioatividade ocorre porque as forças de ligações do núcleo são insuficientes para manter suas partículas perfeitamente ligadas.

Reações de fusão nuclear

Radiação corpuscular: Partículas subatômicas de alta velocidade (alta frequência): elétrons-, prótons+, nêutrons, alfa, beta, gama,.

Eletromagnética: Oscilações elétrica e magnética (ondas) que não têm massa.

Campo eletromagnético: é um distúrbio elétrico e magnético oscilante que se espalha como uma onda no espaço vazio, o vácuo.

Vídeo sobre Conceitos fundamentais da radioatividade:

Desintegração radioativa

Desintegração radioativa, ou decaimento radioativo, é o nome dado ao fenômeno da transformação de um átomo em outro por meio da emissão de radiação a partir de seu núcleo instável.

Resultado de imagem para Radioisótopos

O núcleo de um átomo é instável quando a combinação do número de prótons e do número de nêutrons em seu interior não confere estabilidade.

Radioisótopos

Um radioisótopo ou isótopo radioativo caracteriza-se por apresentar um núcleo atómico instável que emite energia quando se transforma num isótopo mais estável.

Vídeo sobre Desintegração radioativa e radioisótopos:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Transformações Químicas e Energia, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Transformação Química e Equilíbrio

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com a nossa química, como usamos, e nesse post vamos trabalhar com a “Transformação Química e Equilíbrio”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das substancias e materiais, baseada em Transformação Química e Equilíbrio.

Transformação Química e Equilíbrio

As transformações químicas e o equilíbrio são ações que resultam na formação de novas substâncias.

Projeto sem título 14

Onde diferenciam-se das transformações físicas pelo fato de que as transformações físicas apenas alteram estado e as substâncias continuam sendo as mesmas.

O equilíbrio na química é um grande vilão para que seja feito os experimentos todos na medida certa.

Caracterização do sistema em equilíbrio

No equilíbrio, a velocidade da reação direta (v1) é a mesma velocidade da reação inversa (v2). A impressão externa é de que tudo cessa, mas isso não ocorre.

Tanto a reação direta como a inversa permanecem contínuas e sem interrupções, no entanto, com a mesma velocidade. A igualdade das velocidades direta e inversa mantém o equilíbrio químico contínuo.

Constante de equilíbrio

A constante de equilíbrio é um valor que relaciona as concentrações das espécies reagentes e do produto no momento em que ocorre o equilíbrio.

Vídeo sobre Caracterização do sistema em equilíbrio:

Produto iônico da água

Água é um eletrólito muito fraco, com valores baixos de grau de ionização e de constante de ionização no equilíbrio (Kc). É exatamente por isso que a água possui condutividade tão baixa.

O  cientista Friedrich Kohlrausch (1840-1910) foi o primeiro a dizer que a água pura conduz eletricidade, ainda que em pequena escala. Isso ocorre porque a água se comporta de modo anfótero; isto é, em determinadas ocasiões ela age como ácido, doando prótons (H+); e em outras se comporta como base, recebendo prótons.

Equilíbrio ácido-base e pH

O pH define se há acidose ou alcalose, se seu valor estiver abaixo ou acima da faixa de normalidade do sangue. Como o pH normal do sangue arterial é de 7,4 o indivíduo apresenta acidose se o pH cai abaixo desse valor, e alcalose se o pH estiver acima de 7,4. O limite inferior do pH em que uma pessoa pode viver mais que algumas horas é de 6,8 e o limite superior é de 8,0.

Vídeo sobre Produto iônico da água, equilíbrio ácido-base e pH:

Solubilidade dos sais

A solubilidade dos sais é uma forma de classificação que nos mostra a capacidade que essas substâncias inorgânicas possuem de se dissolver ou não em água.

Resultado de imagem para Solubilidade dos sais e hidrólise

Conhecer a solubilidade dos sais é importante porque, quando eles se dissolvem em água, sofrem o fenômeno da dissociação (liberação de cátions e ânions).

Hidrólise

É reação química de quebra de ligação química de uma molécula com a adição de uma molécula de água. Nessa reação ocorre a quebra da molécula de água em íons de hidrogênio e hidroxila que se ligam às duas moléculas resultantes da quebra, estas últimas podem ter caráter positivo e negativo.

Vídeo sobre Solubilidade dos sais e hidrólise:

Fatores que alteram o sistema em equilíbrio

Uma reação química atinge o equilíbrio quando as velocidades das reações direta e inversa se igualam, e as concentrações dos reagentes e produtos permanecem inalteradas.

O estado de equilíbrio é vulnerável a alguns fatores que podem alterar uma dessas velocidades e, consequentemente, modificar as concentrações de reagentes e/ou produtos, provocando o deslocamento do equilíbrio.

Fatores

Os fatores trata-se da alteração das condições de pressão, temperatura e na adição ou retirada de uma ou mais substâncias presentes no sistema (alterando assim a concentração).

Vídeo sobre Fatores que alteram o sistema em equilíbrio:

Aplicação da velocidade

Na aplicação da velocidade, além das concentrações dos reagentes elevadas aos seus respectivos expoentes (também denominados de ordens), temos a presença de uma constante K que depende da temperatura em que a reação química está sendo processada.

Resultado de imagem para Aplicação da velocidade e do equilíbrio químico no cotidiano

Equilíbrio químico no cotidiano

São reagentes se transformando em produtos e de produtos se transformando de volta em reagentes. Contudo, em certas reações, como a de combustão, praticamente 100% dos reagentes são convertidos em produtos, e não se observa ocorrer o contrário (ou pelo menos não em escala mensurável); tais reações são chamadas de irreversíveis.

Vídeo sobre Aplicação da velocidade e do equilíbrio químico no cotidiano:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala da Transformação Química e Equilíbrio, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Materiais, suas propriedades e usos na Química

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso tempo, com base no uso de químicas, e nesse post vamos trabalhar com o “Materiais, suas propriedades e usos na Química”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão se passando.

Materiais, suas propriedades e usos na Química

Os materiais são de diferentes tipos que podem ser usado no nosso dia a dia, que são feitos com relações a química com diferentes transformações. As propriedades dos materiais são de acordo com as suas formações, que não podem mudar.

Projeto sem título 12

Os objetos que nos cercam são compostos dos mais variados materiais. Cada um com uma característica que o faz ser aceitável para aquela função.

Propriedades de materiais

As propriedades dos materiais se dividem em específicas e gerais.

Resultado de imagem para Propriedades de materiais

As propriedades gerais são características comuns em quase todas as substâncias, já as específicas dizem respeito a uma ou um pequeno grupo de substâncias.

Propriedades gerais

Extensão: é todo o espaço ocupado pela matéria.

Inércia: É uma propriedade responsável por preservar o movimento ou repouso da matéria uniforme e reto. É importante saber que quanto maior for a massa, maior será a inércia, pois a massa é considerada a medida da inércia.

Impenetrabilidade: Essa propriedade diz respeito ao fato de que, dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo.

Divisibilidade: diz respeito a divisão de partículas pequenas da matéria, sem que ela perca suas características.

Compressibilidade: Essa propriedade diz respeito a diminuição do volume de um corpo. Os gases são os mais fáceis de serem comprimidos.

Propriedades Específicas

A cor é percebida pela visão, ex.: a mata é verde.
O brilho também é percebido pela visão, ex.: metal polido, por refletir a luz.
O sabor é percebido pelo paladar, ex.: o açúcar é doce.
O odor é percebido pelo olfato, ex.: á água é inodora.

Vídeo sobre Propriedades de materiais:

Estados físicos de materiais

Fases ou estados da matéria são conjuntos de configurações que objetos macroscópicos podem apresentar. O estado físico tem relação com a velocidade do movimento das partículas de uma determinada substância. Canonicamente e segundo o meio em que foram estudados, são quatro os estados ou fases considerados: Sólido, Líquido, Gasoso Plasma.

Resultado de imagem para Estados físicos de materiais

Outros tipos de fases da matéria, como o condensado de bose-einstein ou o supersólido são estudados em níveis mais avançados de física. As características de estado físico são diferentes em cada substância e dependem da temperatura e pressão em que ela se encontra.

Vídeo sobre Estados físicos de materiais:

Mudanças de estado

Os estados físicos da matéria são tidos como o estado de agregação da mesma. São influentes no comportamento dessa matéria em determinada reação, e estão classificados em três tipos:

Resultado de imagem para Mudanças de estado

Sólido: é o mais estável, nele as moléculas estarão dispostas uma junto da outra, sem agitação. Líquido: neste, as moléculas já se encontram mais desorganizadas e com certa agitação. Gasoso: é o estado mais instável, as moléculas se dispõem distantes, desorganizadas e com movimento intenso.

Vídeo sobre Mudanças de estado:

Misturas: tipos e métodos de separação

Um processo de separação é um processo que permite separar componentes de uma mistura, tanto em pequena escala, como nos laboratórios, quanto em grande, como na indústria química e diversas outras.

Resultado de imagem para Misturas: tipos e métodos de separação

Processos de separação de misturas

O processo de separação pode ocorrer de várias formas e o método a ser utilizado depende dos seguintes aspectos:

  • Tipo de mistura: homogênea ou heterogênea;
  • Natureza dos elementos químicos que formam as misturas;
  • Densidade, temperatura e solubilidade dos elementos.

Vídeo sobre Misturas: tipos e métodos de separação:

https://youtube.com/watch?v=XvoHJMu1e_s

Substâncias químicas: classificação

Uma substância química pode ser classificada como pura ou mistura. Substâncias puras possuem características definidas e sempre se comportam da mesma maneira, como é o caso do ácido clorídrico (HCl), ácido forte presente no estômago humano.

Resultado de imagem para Substâncias químicas

Já as misturas são a junção de duas ou mais substâncias puras, como a água do mar ou a maionese e podem ser subdivididas em homogêneas ou heterogêneas.

Substâncias químicas: características gerais

Substância química é qualquer espécie de matéria formada por uma composição constante de elementos químicos, e que tenha propriedades físicas e químicas definidas. Por exemplo, a substância química água é um líquido à temperatura ambiente (25°C), de característica incolor e inodora, composta por moléculas de H2O, que à pressão de 1 atm possui temperatura de fusão igual a 0ºC e de ebulição igual a 100°C.

Um mesmo elemento químico pode formar substâncias diferentes, dependendo de como estes elementos se organizam, ou com quais outros elementos se combinam, podendo se ligar com um isótopo ou com outros elementos, formando substâncias simples ou compostas.

Vídeo sobre Substâncias químicas: classificação e características gerais:

Metais

Os metais puros geralmente não apresentam todas as características necessárias para serem aplicados na fabricação de produtos utilizados na sociedade.

Resultado de imagem para Metais e Ligas metálicas

Sendo assim, surgiram as ligas metálicas, que são misturas de dois ou mais metais ou de um metal com outra substância simples por meio de aquecimento.

Ligas metálicas

Ligas metálicas são formações de alguns metais que se formam junto  a outros tipos de metais para formar o metal desejado, como é o exemplo do aço: Formado pela mistura de aproximadamente 98,5% de ferro, 0,5 a 1,7% de carbono e traços de silício, enxofre e oxigênio.

Vídeo sobre Metais e Ligas metálicas:

Ferro, cobre e alumínio

O alumínio é um metal extraído da bauxita (A^2O3 hidratado), por eletrólise do A12O3 fundido. O ânodo usado na eletrólise é de carvão; o oxigênio liberado no ânodo combina-se com o carvão, fornecendo CO.

Resultado de imagem para Ferro, cobre e alumínio

Em fios condutores de eletricida-de. Em utensílios diversos: panelas, lustres, etc. Em encanamentos. Sob forma de latão (liga: Cu + Zn) é utilizado na fabricação de pregos, parafusos, estatuetas, monumen­tos, etc.

Vídeo sobre Ferro, cobre e alumínio:

Ligações metálicas

Ligação metálica é uma ligação química de átomos caracterizada normalmente por um subnível eletrônico d completo e um s incompleto pelo qual os elétrons fluem livremente através de uma estrutura cristalina definida.

Resultado de imagem para Ligações metálicas

Exemplos de ligas metálicas

Aço Comum: liga metálica muito resistente composta de ferro (Fe) e carbono (C), utilizada nas construções de pontes, fogão, geladeira, dentre outras.

Aço Inoxidável: composta de ferro (Fe), carbono (C), cromo (Cr) e níquel (Ni). Diferente do aço comum, essa liga metálica não sofre oxidação, ou seja, não enferruja, sendo utilizada na construção de vagões de metrô, trens, fabricações de peças automotivas, utensílios cirúrgicos, fogões, pias, talheres, etc.

Bronze: liga metálica formada por cobre (Cu) e estanho (Sn) e utilizada na construção de estátuas, fabricação de sinos, moedas, etc.

Vídeo sobre Ligações metálicas:

https://youtube.com/watch?v=FYw4nARXUXo

Substâncias iônicas: características e propriedades

Os arranjos entre compostos iônicos formam substâncias iônicas, também chamadas de compostos iônicos.

Resultado de imagem para Substâncias iônicas

A união entre os íons acontece em consequência das forças de atração eletrostática, que ocorrem a todo o momento ao nosso redor, onde existem cargas elétricas de sinais opostos atraindo-se.

Vídeo sobre Substâncias iônicas: características e propriedades:

Ligação iônica

Ligação iônica é uma interação entre átomos na qual ocorre a perda e o ganho de elétrons, resultando em compostos com características e fórmulas bem particulares.

Ligação iônica é o nome dado a uma das três formas como os átomos podem interagir entre si. As outras formas de interação entre átomos são a ligação covalente, que ocorre entre átomos de ametais, hidrogênios, ou ametal e hidrogênio, e a ligação metálica, a qual acontece somente entre átomos de um mesmo metal.

Vídeo sobre Ligação iônica:

Substâncias moleculares: características

As substâncias moleculares são aquelas que se formam quando átomos se ligam por meio de ligações covalentes, originando moléculas de número determinado. A ligação covalente pode originar também compostos em uma estrutura de rede com um número muito grande e indeterminado de átomos, que são macromoléculas.

Tais substâncias são denominadas de compostos covalentes ou sólidos de rede covalente. Alguns exemplos desses compostos são: diamante (C), grafita (C), dióxido de silício (SiO2) e Carbeto de silício (SiC).

Propriedades

As substâncias moleculares não apresentam cargas livres e por isso são incapazes de produzir ou conduzir corrente elétrica São arranjos entre moléculas. Moléculas e, portanto a menor combinação de átomos que mantém a composição da matéria inalterada (os átomos se ligam por ligações químicas).

Vídeo sobre Substâncias moleculares: características e propriedades:

Ligação Covalente

Ligação covalente é uma ligação química caracterizada pelo compartilhamento de um ou mais pares de elétrons entre átomos. O nome ligação covalente surgiu em 1939.

Resultado de imagem para Ligação Covalente

Características dos compostos químicos formados por ligação iônica De uma forma geral, os compostos iônicos, isto é, substâncias formadas mediante ligação iônica, apresentam as seguintes características: São sólidos à temperatura ambiente.

teoria do octeto

A teoria do octeto ou regra do octeto fundamenta-se a partir da tendência de os átomos realizarem ligações de modo a preencherem completamente a camada mais externa possível com exatamente 8 elétrons: sendo essa a configuração eletrônica dos gases nobres, os elementos menos reativos da tabela periódica (justamente pela sua “estabilidade” perante os outros elementos).

Vídeo sobre Ligação Covalente:

Polaridade de moléculas

A polaridade das moléculas pode ser identificada de acordo com dois critérios: a diferença de eletronegatividade dos átomos e a geometria molecular.

Resultado de imagem para Polaridade de moléculas

A polaridade de uma ligação e de uma molécula está relacionada à distribuição dos elétrons ao redor dos átomos.

Geometria da molécula

A geometria da molécula interfere em como os elétrons estarão distribuídos nela e, consequentemente, na sua polaridade. Se a molécula for formada por três átomos ou mais, teremos que analisar cada ligação que é feita e a geometria da molécula.

Vídeo sobre Polaridade de moléculas:

Forças intermoleculares

As forças intermoleculares influenciam a química de muitas formas: Elas são diretamente relacionadas às propriedades como ponto de fusão, ponto de ebulição e a energia necessária para converter um sólido em um líquido ou um líquido em vapor.

São importantes na determinação da solubilidade de gases, líquidos e sólidos em vários solventes. As demais são cruciais na determinação de moléculas biologicamente importantes, como o DNA e proteína.

Vídeo sobre Forças intermoleculares:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala dos Materiais, suas propriedades e usos na Química, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

 Leis físicas de NEWTON

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o ” Leis físicas de NEWTON”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, que demonstram como estão se sentindo.

 Leis físicas de NEWTON

Leis de Newton é uma expressão designada às três leis que possibilitam e constituem a base primária para compreensão dos comportamentos estático e dinâmico dos corpos materiais, em escalas quer celeste quer terrestre. As três leis foram formuladas pelo físico inglês Isaac Newton ainda no século XVII e encontram-se primariamente publicadas em seu livro Philosophiae Naturalis Principia Mathematica.

Projeto sem título 9

Em essência, as leis estabelecem inicialmente os observadores (referenciais) que podem corretamente usá-las, a fim de explicar a estática e a dinâmica dos corpos em observação (as leis valem em referenciais inerciais); e assumindo estes referenciais por padrão, passam então a mensurar as interações físicas entre dois (ou, via princípio da superposição, entre todos os) corpos materiais bem como o resultado destas interações sobre o repouso ou o movimento de tais corpos.

Leis de Newton

Depois do entendimento da gravidade, vieram o entendimento de força onde surgiram as três leis de Newton. Na cinemática, estuda-se o movimento sem compreender sua causa. Na dinâmica, estudamos a relação entre a força e movimento. Força: É uma interação entre dois corpos.

O conceito de força é algo intuitivo, mas para compreendê-lo, pode-se basear em efeitos causados por ela, como: Aceleração: faz com que o corpo altere a sua velocidade, quando uma força é aplicada. Deformação: faz com que o corpo mude seu formato, quando sofre a ação de uma força. Força Resultante: É a força que produz o mesmo efeito que todas as outras aplicadas a um corpo.

As 3 leis de Newton

1ª Lei de Newton – Princípio da Inércia: “Um corpo em repouso tende a permanecer em repouso, e um corpo em movimento tende a permanecer em movimento.” Então, conclui-se que um corpo só altera seu estado de inércia se alguém ou alguma coisa aplicar nele uma força resultante diferente de zero.

2ª Lei de Newton – Princípio Fundamental da Dinâmica: A 2ª lei de Newton diz que a Força é sempre diretamente proporcional ao produto da aceleração de um corpo pela sua massa.

3ª Lei de Newton – Princípio da Ação e Reação: “As forças atuam sempre em pares, para toda força de ação, existe uma força de reação.”

Vídeo sobre Leis de Newton:

Centro de massa e a ideia de ponto material

O centro de massas é o ponto hipotético onde toda a massa de um sistema físico está concentrada e que se move como se todas as forças externas estivessem sendo aplicadas nesse ponto.

Resultado de imagem para Leis de Newton

Se o sistema for constituído por um corpo, o centro de massas pode ser considerado como o ponto onde aplicada uma força o corpo se move sem rotacionar, com torque resultante zero.

Ideia de Ponto Material

Em mecânica clássica, ponto material, massa pontual ou massa puntiforme é uma abstração feita para representar qualquer objeto que em virtude do fenômeno tem dimensões desprezíveis, ou seja, dimensões tais que não afetam o estudo do fenômeno.

Vídeo sobre Centro de massa e a idéia de ponto material:

Conceito de forças externas e internas

Para entender o que são forças internas e externas, devemos entender a ideia de sistema. O corpo ou conjunto de corpos que são adotados como objetos de estudo são considerados um sistema.

As forças internas são aquelas exercidas entre os objetos que compõem o sistema. No exemplo acima da colisão entre dois veículos, tanto a força feita por A em B quanto a força efetuada por B em A são consideradas forças internas.

As forças internas não são capazes de alterar a quantidade de movimento de um sistema. Se isso fosse possível, um motorista com o carro enguiçado poderia, sentado no banco, colocar as mãos no painel e empurrar o veículo.

Vídeo sobre Conceito de forças externas e internas:

Lei da conservação da quantidade de movimento

A quantidade de movimento também é chamada de momento linear. Sempre haverá a sua conservação para um sistema formado por corpos diversos.

Resultado de imagem para Lei da conservação da quantidade de movimento

Também chamada de momento linear, a quantidade de movimento é a grandeza vetorial que resulta do produto da velocidade do corpo por sua massa. Essa grandeza deve ser conservada para um sistema livre da ação de forças externas.

Teorema do impulso

O chamado Teorema do Impulso mostra que essa grandeza é igual à variação da quantidade de movimento. Um sistema só é considerado conservativo se não existir ação de forças externas, portanto, para um sistema conservativo, o impulso é nulo. Tendo isso em vista, podemos escrever que a quantidade de movimento final de um sistema deve ser exatamente igual à sua quantidade de movimento inicial.

Vídeo sobre Lei da conservação da quantidade de movimento (momento linear) e teorema do impulso:

Momento de uma força

Resultado de imagem para Momento de uma força

Momento de uma força em relação a um polo como sendo o produto da força (em módulo, isto é, considerando o valor positivo independentemente se o objeto gira no sentido horário ou anti-horário) pela distância entre o polo e o ponto de aplicação da força (ou linha de ação da força aplicada).

Torque

O momento de uma força em relação a um ponto (eixo) é a grandeza física que dá uma medida da tendência de aquela força provocar rotação em torno de um ponto (eixo). O momento de uma força em relação a um ponto também pode ser denominado de torque.

Vídeo sobre Momento de uma força (torque):

Força de atrito, força peso, força normal de contato e tração

As forças de atrito são contrarias ao movimento. Existem dois tipos de atrito estático e cinético. Quando existe força atuando em um corpo mas ele não se move, o atrito é denominado estático, quando existe força atuando num corpo e ele se move, o atrito é denominado cinético.

Na força peso o Peso de um corpo é a força com que a Terra o atrai, podendo ser váriável, quando a gravidade variar, ou seja, quando não estamos nas proximidades da Terra. A massa de um corpo, por sua vez, é constante, ou seja, não varia.

Resultado de imagem para força

Força Normal é exercida pela superfície sobre o corpo, podendo ser interpretada como a sua resistência em sofrer deformação devido ao peso do corpo. Esta força sempre atua no sentido perpendicular à superfície, diferentemente da Força Peso que atua sempre no sentido vertical.

Vídeo sobre Força de atrito, força peso, força normal de contato e tração:

Diagramas de forças

É uma ferramenta analítica usada em conjunção com a análise estrutural determinando os valores de força cisalhante.

Resultado de imagem para Diagramas de forças

São utilizados facilmente determinado o tipo e tamanho e material de um membro de uma estrutura, tal que um dado conjunto de cargas estruturais podem ser suportadas sem falha estrutural.

Momento fletor

A linha que une o centro de gravidade de todas as seções transversais constitui-se no eixo longitudinal da peça, e o mesmo está submetido a cargas perpendiculares ao seu eixo. Este elemento desenvolve em suas seções transversais o qual gera momento fletor.

Vídeo sobre Diagramas de forças:

Identificação das forças que atuam nos movimentos circulares

Quando uma partícula descreve um movimento circular uniforme, a resultante das forças que atuam sobre ela aponta para o centro da trajetória. Por esse motivo, a resultante das forças no movimento circular uniforme é denominada força centrípeta.

Resultado de imagem para forças que atuam nos movimentos circulares

Não esqueça que, no movimento circular uniforme, a força centrípeta é a resultante de todas as forças que atuam sobre a partícula.

Vídeo sobre Identificação das forças que atuam nos movimentos circulares:

Noção de força centrípeta e sua quantificação

Força centrípeta é a força resultante que puxa o corpo para o centro da trajetória em um movimento curvilíneo ou circular. Objetos que se deslocam em movimento retilíneo uniforme possuem velocidade modular constante.

Resultado de imagem para força centrípeta

Força centrípeta é a força resultante que puxa o corpo para o centro da trajetória em um movimento curvilíneo ou circular. Objetos que se deslocam em movimento retilíneo uniforme possuem velocidade modular constante.

Vídeo sobre Noção de força centrípeta e sua quantificação:

A hidrostática: aspectos históricos e variáveis relevantes

Hidrostática é o ramo da Física que estuda a força exercida por e sobre líquidos em repouso. Este nome faz referência ao primeiro fluido estudado, a água, é por isso que, por razões históricas, mantém-se esse nome.

HidrostC3A1tica 6374335 9162922 7653637

Fluido é uma substância que pode escoar facilmente, não tem forma própria e tem a capacidade de mudar de forma ao ser submetido à ação e pequenas forças. A palavra fluido pode designar tanto líquidos quanto gases.

Vídeo sobre A hidrostática: aspectos históricos e variáveis relevantes:

https://youtube.com/watch?v=iVDLqR4xCw0

Empuxo

Em aerodinâmica, o empuxo é a força aerodinâmica produzida por uma turbina ou hélice. Quando uma certa quantidade de massa é expelida ou acelerada em uma direção, a terceira lei de Newton prevê o surgimento de uma força de reação na mesma direção e sentido oposto.

Resultado de imagem para Empuxo

Sendo uma força de reação descrita quantitativamente pelas segunda e terceira leis de Newton. Quando um sistema expele ou acelera massa em uma direção, a massa acelerada vai causar uma força de igual magnitude mas em sentido oposto.

Vídeo sobre Empuxo:

Princípios de Pascal

Resultado de imagem para Princípios de Pascal

O Princípio de Pascal é o princípio físico elaborado pelo físico e matemático francês Blaise Pascal, que estabelece que a alteração de pressão produzida em um fluido em equilíbrio transmite-se integralmente a todos os pontos do fluido e às paredes do seu recipiente.

Princípios de Arquimedes e Stevin

O princípio de Arquimedes afirma que a força de empuxo ascendente exercida sobre um corpo imerso em um fluido, total ou parcialmente submerso, é igual ao peso do fluido que o corpo desloca e atua na direção ascendente no centro de massa do fluido. o fluido deslocado.

O Teorema de Stevin, ou Lei de Stevin é um princípio físico, estabelecido pelo matemático, engenheiro, e físico Simon Stevin, que estabelece que a pressão absoluta num ponto de um líquido homogêneo e incompressível, de densidade e à profundidade h, é igual à pressão atmosférica mais a pressão efetiva.

Vídeo sobre Princípios de Pascal, Arquimedes e Stevin:

Condições de flutuação

É a força hidrostática resultante exercida por um fluido (líquido ou gás) em condições hidrostáticas sobre um corpo que nele esteja imerso.

A impulsão existe graças à diferença de pressão hidrostática do corpo, visto que esta é proporcional à densidade (massa específica) do líquido, à aceleração da gravidade, e à altura de profundidade.

Vídeo sobre Condições de flutuação:

Relação entre diferença de nível e pressão hidrostática

autor

Vídeo sobre Relação entre diferença de nível e pressão hidrostática:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Leis físicas de NEWTON falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Representação das transformações químicas

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de observar algumas coisas, com base no uso de experimentos químicos, e nesse post vamos trabalhar com o “Representação das transformações químicas”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em práticas químicas, que demonstram como estão se sentindo e observando as coisas.

Representação das transformações químicas

A representação da transformações químicas é feita de diversas maneiras e por diversos elementos que compõe a química.

Projeto sem título 8

Em algumas transformações somente o estado ou a agregação do material são alterados, caracterizando uma transformação física da matéria.

Fórmulas químicas

Fórmula química é uma representação gráfica de um composto químico e representa o número e o tipo de átomos que constituem uma molécula.

Resultado de imagem para Fórmulas químicas

É o modo abreviado para representar as reações químicas por símbolos químicos.

Formula molecular

A fórmula química sendo uma representação de um composto químico pode nos fornecer algumas informações sobre a substância que ela representa. Por exemplo a fórmula da água H2O. Nesta fórmula aparecem letras e número. As letras representam os elementos químicos que se unem para formar a molécula de água. O número subscrito é chamado de índice e indica a quantidade de átomos do elemento presente em cada molécula.

Vídeo sobre Fórmulas químicas:

Balanceamento de equações químicas

O balanceamento de equações químicas consiste em ajustar os coeficientes estequiométricos de modo que o número de átomos de cada elemento na equação química seja conservado.

Resultado de imagem para Balanceamento de equações químicas

Isto é, o número de átomos de um determinado elemento é o mesmo no reagente e no produto.

Métodos de balanceamento

Consiste na escolha de números arbitrários para os coeficientes estequiométricos. Assim, apesar de mais simples, pode se tornar a forma mais trabalhosa de balancear uma equação.

Vídeo sobre Balanceamento de equações químicas:

Aspectos quantitativos das transformações químicas

Química, como ciência, procura explicar os fatos observáveis, então, foram apresentados modelos explicativos para se poder compreender tais fatos, ampliando seus conhecimentos e sua visão do mundo físico.

Dessa forma, você tem mais subsídios para se posicionar diante de novas situações. Quanto ao aspecto das massas de reagentes e produtos numa transformação química, você sabe estabelecer relações entre elas, através das leis de Lavoisier e Proust.

Diversos aspectos quantitativos

O trabalho com os aspectos quantitativos, isto é, com as concentrações das soluções, envolve o conhecimento de diversos aspectos: Massa do soluto Massa do solvente Massa da solução (é a soma entre a massa do soluto e a massa do solvente) Volume do soluto Volume do solvente Volume da solução (é a soma entre o volume do soluto e o volume do solvente) Número de mols do soluto Número de mols do solvente Número de mols da solução (é a soma entre o número de mols do soluto e o número de mols do solvente)

Vídeo sobre Aspectos quantitativos das transformações químicas:

Leis ponderais das reações químicas

As Leis Ponderais foram postuladas no século XVIII, sendo essenciais para os estudos da estequiometria e de outras teorias que foram postuladas posteriormente.

Resultado de imagem para Leis ponderais das reações químicas

Elas estão relacionadas com as massas dos elementos químicos dentro das reações químicas.

As leis

A Lei de Lavoisier é chamada de “Lei de Conservação das Massas” e foi introduzida pelo químico francês Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794). Seu enunciado é: “A soma das massas das substâncias reagentes em um recipiente fechado é igual à soma das massas dos produtos da reação”.

A Lei de Proust é chamada de “Lei das Proporções Constantes” e foi postulada pelo químico francês Joseph Louis Proust (1754-1826). Seu enunciado é: “Uma determinada substância composta é formada por substâncias mais simples, unidas sempre na mesma proporção em massa”.

Vídeo sobre Leis ponderais das reações químicas:

Grandezas Químicas: massa, volume, mol, massa molar, constante de Avogadro

Massa atômica A União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) estabeleceu como padrão de massas atômicas o átomo de carbono-12. A massa de 1/12 do isótopo carbono-12 é chamada de unidade de massa atômica. Logo, a massa atômica é o número que indica quantas vezes um átomo de um determinado elemento químico é mais pesado que 1/12 do isótopo carbono-12.

Resultado de imagem para Grandezas Químicas

Mol é a quantidade de matéria que contém tantas entidades elementares (átomos, moléculas, íons, etc) quanto são os átomos contidos em 0,012 Kg de carbono-12. Experimentalmente conclui-se que uma amostra de 0,012 Kg de carbono-12 é formada por 6,02*10.

Vídeo sobre Grandezas Químicas:

Cálculos estequiométricos

Estequiometria (ou equações químicas) vem do grego stoikheion (elemento) e metriā (medida, de metron). O termo “estequiométrico” é usado com frequência em Termodinâmica para referir-se à “mistura perfeita” de um combustível e o ar.

Resultado de imagem para Cálculos estequiométricos

A estequiometria baseia-se na lei da conservação das massas, na lei das proporções definidas (ou lei da composição constante) e na lei das proporções múltiplas. Em geral, as reações químicas combinam proporções definidas de compostos químicos. Já que a matéria não pode ser criada ou destruída, a quantia de cada elemento deve ser a mesma antes, durante e após a reação. Por exemplo, a quantia de um elemento A no reagente deve ser igual à quantia do mesmo elemento no produto.

Vídeo sobre Cálculos estequiométricos:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala da Representação das transformações químicas, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Transformações Químicas e os Sistemas gasosos

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “Conhecimentos básicos e fundamentais da Física”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, que demonstram como estão se sentindo.

Transformações Químicas e os Sistemas gasosos

Transformações químicas são ações que resultam na formação de novas substâncias. Diferenciam-se das transformações físicas pelo fato de que as transformações físicas apenas alteram estado e as substâncias continuam sendo as mesmas.

Projeto sem título 6

Os gases são fluidos que não possuem forma, nem volume próprio, ou seja, a forma e o volume dos gases dependem diretamente do recipiente no qual estão inseridos. Isso ocorre porque as moléculas dos gases, diferente dos sólidos, estão separadas umas das outras.

Evidências de transformações químicas

As transformações químicas, são fenômenos que ocorrem aos milhares em diversas situações e condições ao nosso redor. Às vezes percebemos algumas delas, mas muitas vezes não as notamos.

Resultado de imagem para Evidências de transformações químicas

Uma grande evidência é a formação de ferrugem em um portão de ferro exposto à ação do ar é uma dessas reações que percebemos. É comum os químicos representarem as reações químicas por meio de equações químicas.

Como ocorre a transformação química

As evidências de que uma transformação química ocorreu são, em geral: a liberação de gases e/ou luz, a mudança de cor ou temperatura e a formação de precipitado (formação de um sólido insolúvel após interação de dois reagentes sol.

Vídeo obre Evidências de transformações químicas:

Interpretando transformações químicas

Nas transformações químicas os átomos deveriam combinar-se em números inteiros, mas com um rearranjo diferente. Assim, com essas ideias era possível explicar a conservação de massa e as proporções definidas entre as quantidades de reagentes numa transformação química.

Imagem relacionada

Dalton representava suas ideias sobre os átomos utilizando símbolos; por exemplo, para o hidrogênio, usava . Nessa representação o símbolo de um elemento indicava não só o elemento, mas, também, um átomo dele com massa característica, ou uma massa com um certo número de átomos.

Vídeo sobre Interpretando transformações químicas:

Sistemas Gasosos: Lei dos gases

As leis de gás foram criadas no final do século XVIII, quando os cientistas começaram a perceber que nas relações entre a pressão, o volume e a temperatura de uma amostra de gás pode ser obtida uma fórmula que seria válida para todos os gases.

Eles comportam-se de forma semelhante numa ampla variedade de condições, devido à boa aproximação com moléculas que estão mais afastadas, e agora a equação de estado para um gás ideal é derivada da teoria cinética. Agora as leis anteriores de gás são como casos especiais da equação do gás ideal, com uma ou mais das variáveis ​​mantidas constantes.

Lei dos gases

A Lei de Boyle-Mariotte, proposta pelo químico e físico irlandês Robert Boyle (1627-1691), apresenta a transformação isotérmica dos gases ideais, de modo que a temperatura permanece constante, enquanto a pressão e o volume do gás são inversamente proporcionais.

A Lei de Gay-Lussac, proposta pelo físico e químico francês, Joseph Louis Gay-Lussac (1778-1850), apresenta a transformação isobárica dos gases, ou seja, quando a pressão do gás é constante, a temperatura e o volume são diretamente proporcionais.

A Lei de Charles, proposta pelo físico e químico francês Jacques Alexandre Cesar Charles (1746-1823), apresenta a transformação isométrica ou isocórica dos gases perfeitos, ou seja, o volume do gás é constante, enquanto a pressão e a temperatura são grandezas diretamente proporcionais.

A Equação de Clapeyron foi formulada pelo físico-químico francês Benoit Paul Émile Clapeyron (1799-1864). Essa equação consiste na união das três leis dos gases, na qual relaciona as propriedades dos gases dentre: volume, pressão e temperatura absoluta.

Vídeo sobre Sistemas Gasosos: Lei dos gases:

Princípio de Avogadro

A Hipótese de Avogadro, proposta em 1811 por Amedeo Avogadro, diz que: Volumes iguais, de quaisquer gases, nas mesmas condições de pressão e temperatura, apresentam a mesma quantidade de substâncias em mol (moléculas).

Resultado de imagem para Princípio de Avogadro

Essa lei está relacionada ao volume molar de gases. Conceito de volume molar de gases: volume ocupado por um mol de qualquer gás, a uma determinada pressão e temperatura.

Exemplo do princípio

Se enchermos um balão com gás Hélio (He) teremos o volume de 22,4 litros e 6,02 x 1023moléculas de gás. Mas se enchermos o mesmo balão até que ele ocupe o mesmo volume, só que com outro gás, o hidrogênio (H2), por exemplo, quantas moléculas de H2 teríamos? A mesma quantidade = 6,02 x 1023 moléculas.

O volume é praticamente o mesmo para qualquer gás, considerando que o tamanho de uma molécula gasosa é desprezível se comparado com o espaço vazio que há entre elas.

Vídeo sobre Princípio de Avogadro:

Conceito de molécula

Molécula é um grupo de átomos, iguais ou diferentes, que se mantêm unidos e que não podem ser separados sem afetar ou destruir as propriedades das substâncias.

Resultado de imagem para Conceito de molécula

Existe um conceito antigo que diz que a molécula é a menor parte de uma substância que mantém suas características de composição e propriedades químicas.

Vídeo sobre conceito de molécula:

Massa molar

A massa molar é a massa em gramas de um mol de entidades elementares – átomos, moléculas, íons, elétrons, outras partículas ou outros grupos específicos de tais partículas.

Resultado de imagem para massa molar

É representada pela letra “MM” e expressa na unidade g/mol.

Massa molecular (MM)

É possível calcular a massa de uma molécula pela soma das massas atômicas de cada átomo que forma a respectiva molécula. O resultado é denominado de Massa Molecular (MM). A massa molecular é a soma das massas atômicas dos átomos.

Vídeo sobre massa molar:

Volume molar dos gases

Volume molar é a razão entre o volume e a quantidade de substância. Equivale ao volume ocupado por 1 mol de entidades elementares (átomos, moléculas, íons, outras partículas ou grupos especificados de tais partículas).

Resultado de imagem para volume molar dos gases

Para o volume molar, a unidade de medida correspondente no SI é o metro cúbico por mol (m³/mol) porém as medidas mais usuais são o centímetro cúbico por mol (cm³/mol), o mililitro por mol (mL/mol) e o litro por mol (L/mol) ou o decimetro cúbico por mol (dm³/mol) (sendo 1dm³ igual a 1 L).

Vídeo sobre volume molar dos gases:

Teoria cinética dos gases

Teoria cinética dos gases um gás ideal é constituído por um grande número de pequenas partículas (átomos ou moléculas), que estão em constante e aleatório movimento. Essas partículas que se deslocam rapidamente e colidem constantemente umas com as outras e com as paredes do recipiente que contém o gás.

Resultado de imagem para Teoria cinética dos gases

O volume ocupado pelo gás é muito maior do que a soma dos volumes das partículas, de modo que a magnitude das forças intermoleculares é muito pequena. Nesse modelo teórico, pelo fato de encontrarmos um número muito grande de partículas por unidade de volume (1020 partículas por cm³)(sob condição de gás ideal), existem hipóteses impostas que representam o que deve acontecer, em média, com as partículas do gás.

Vídeo sobre Teoria cinética dos gases:

Misturas gasosas

As misturas gasosas são muito comuns no cotidiano. É possível descobrir sua pressão e volume total através das pressões e volumes parciais dos gases componentes da mistura.

Resultado de imagem para Misturas gasosas

Estamos cercados mais por misturas de gases do que por gases isolados. O ar que respiramos é um exemplo de mistura de vários gases, sendo que os principais são o nitrogênio (N2), que corresponde a cerca de 80% do ar; e o oxigênio (O2), que é quase 20%.

Lei de Amagat

A soma dos volumes parciais é igual ao volume total, assim como o caso da pressão visto anteriormente. Por isso, usamos a equação de estado dos gases, com a única diferença que agora se coloca o volume parcial do gás e não a pressão:

P. VN2= nN. RT

Vídeo sobre Misturas gasosas:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala das Transformações Químicas e os Sistemas gasosos, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

O calor e os fenômenos térmicos

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “O calor e os fenômenos térmicos”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, que demonstram como estão se sentindo.

O calor e os fenômenos térmicos

Calor é associado à transferência de energia térmica de um sistema a outro, ou entre partes de um mesmo sistema, exclusivamente em virtude da diferença de temperaturas entre eles. Designa também a quantidade de energia térmica transferida em tal processo.

Projeto sem título

Os fenômenos térmicos são vistos diariamente e as pessoas não observam, sendo as vezes em grandes e pequenas proporções, que podem ser por parte de um fenômeno artificial ou natural.

Conceitos de calor e de temperatura

O Calor é a energia térmica em trânsito entre corpos com temperaturas diferentes. A temperatura é definida como estado de agitação das partículas de um corpo, caracterizando seu estado térmico.

Resultado de imagem para calor

Quanto mais agitadas estiverem essas moléculas, maior será sua temperatura. Quanto menos agitadas essas moléculas, menor será sua temperatura.

Equilíbrio Térmico

O equilíbrio térmico acontece quando dois corpos com temperaturas diferentes são colocados em contato e depois disso alcançam um mesmo valor de temperatura.

Vídeo sobre Conceitos de calor e de temperatura:

Escalas termométricas

As escalas termométricas são usadas para indicar a temperatura, ou seja, a energia cinética associada à movimentação das moléculas.

Resultado de imagem para Escalas termométricas

No Sistema Internacional de Unidades (SI) a temperatura pode ser medida em três escalas: Escala Celsius (°C) Escala Kelvin (K) Escala Fahrenheit (°F).

As escalas

A Escala Fahrenheit foi criada em 1724 pelo físico e engenheiro Daniel Gabriel Fahrenheit (1686-1736). Recebe esse nome em homenagem ao seu criador. Nos Estados Unidos e na Inglaterra a temperatura é medida em Fahrenheit. O símbolo dessa escala termométrica é °F.

A Escala Celsius foi criada em 1742 pelo astrônomo sueco Anders Celsius (1701-1744). Recebe esse nome em homenagem ao seu criador. É a escala termométrica mais utilizada no mundo, inclusive no Brasil. O símbolo dessa escala é °C.

A Escala Kelvin é chamada de “escala absoluta” pois tem como ponto de referência o zero absoluto. Ela foi criada em 1864 pelo físico, matemático e engenheiro irlandês William Thomson (1824-1907). Recebe esse nome uma vez que ele também ficou conhecido como Lord Kelvin. O símbolo dessa escala termométrica é K.

Vídeo sobre Escalas termométricas:

Transferência de calor e equilíbrio térmico

A transferência de calor é a troca de energia entre corpos com temperaturas diferentes, a transferência de calor pode ocorrer de três formas: radiação, condução e convecção.

Resultado de imagem para equilíbrio térmico

A radiação térmica, também conhecida como irradiação, é uma forma de transferência de calor que ocorre por meio de ondas eletromagnéticas, onde os corpos devem se tocar.

A condução é um meio de transferência de calor onde ocorre através de uma agitação que transmite molécula até que todo o objeto fique aquecido.

A convecção, que é a forma de transferência de calor comum para os gases e líquidos.

Equilíbrio térmico

O equilíbrio térmico acontece quando dois corpos com temperaturas diferentes são colocados em contato e depois disso alcançam um mesmo valor de temperatura.

Vídeo sobre Transferência de calor e equilíbrio térmico:

Capacidade calorífica e calor específico

A capacidade calorífica C de um material é a quantidade de calor necessária para elevar a sua temperatura de 1ºC (ou 1ºK).

Resultado de imagem para calor específico

É uma grandeza independente da quantidade de material. Assim se ao material for cedida a quantidade de calor Q, e a sua temperatura varia de ΔTºK.

Calor específico

Calor específico é uma grandeza física intensiva que define a variação térmica de determinada substância ao receber determinada quantidade de calor. Também é chamado de capacidade térmica mássica. A unidade no SI é. Uma unidade usual bastante utilizada para calores específicos é cal/.

Vídeo sobre Capacidade calorífica e calor específico:

Condução do calor e a dilatação térmica

A condução de calor é a forma como o calor passa de um corpo a outro que pode ser de várias maneiras, como: condução térmica, convecção térmica e irradiação.

Dilatação térmica é o nome que se dá ao aumento do volume de um corpo ocasionado pelo aumento de sua temperatura( as vezes o corpo é bem pequeno e fica grande de acordo com a temperatura), o que causa o aumento no grau de agitação de suas moléculas e consequentemente aumento na distância média entre as mesmas.

Vídeo sobre Condução do calor e a dilatação térmica:

Mudanças de estado físico e calor latente de transformação

A mudança de estado físico ocorre de 3 maneiras, que são os 3 estados: líquido sólido e gasoso.

estados fisicos da agua 5669142 6598664 7327989

Fase líquida, a força entre as partículas é menor do que as do estado sólido, o que implica em um volume definido e uma forma variável (exemplo: água num copo).

Fase sólida caracteriza-se por apresentar uma grande força de atração entre as partículas, força essa de origem elétrica, o que implica em uma forma e volume definidos (exemplo: gelo).

Fase gasosa, a força entre as partículas é quase inexistente, o que corresponde a volume e formas variáveis (exemplo: vapor da água).

Calor latente

Calor latente, também chamado de calor de transformação, é a grandeza física relacionada à quantidade de calor que uma unidade de massa de determinada substância deve receber ou ceder para mudar de fase, ou seja, passar do sólido para o líquido, do líquido para o gasoso e vice-versa.

Vídeo sobre Mudanças de estado físico:

Comportamento de Gases ideais

Um gás ideal ou perfeito pode ser compreendido como um conjunto de moléculas ou átomos que estão em movimento constante e aleatório, cujas velocidades médias estão relacionadas com a temperatura – quanto maior a temperatura do sistema, maior a velocidade média das moléculas.

Resultado de imagem para e Gases ideais

O comportamento do gás ideal tendem a diminuir com mais alta temperatura e menor densidade, como o trabalho realizado por forças intermoleculares tornando-se menos significativas comparadas com a energia cinética das partículas, e o tamanho das moléculas torna-se menos significativo comparado ao espaço vazio entre ela

Vídeo sobre Comportamento de Gases ideais:

Máquinas térmicas

Máquina térmica, em termodinâmica, é aquela integrada num sistema que realiza a conversão de calor (energia térmica) em trabalho mecânico. Isto se dá quando uma fonte de calor leva uma substância de trabalho de um estado de baixa temperatura para um estado de temperatura mais alta.

Resultado de imagem para Máquinas térmicas

A substância de trabalho (normalmente gás ou vapor em expansão térmica) transfere essa energia através de sua expansão no interior da máquina térmica acionando o sistema mecânico (pistão, rotor ou outro) e realizando trabalho. Durante essa expansão, a substância de trabalho perde calor para o meio.

Vídeo sobre Máquinas térmicas:

Ciclo de Carnot e as Leis da Termodinâmica

Ciclo de Carnot é o ciclo executado pela máquina de Carnot, idealizada pelo engenheiro francês Carnot.

Resultado de imagem para Ciclo de Carnot

Funcionando entre duas transformações isotérmicas e duas adiabáticas alternadamente, permite menor perda de energia (Calor) para o meio externo (fonte fria).

Leis da Termodinâmica

A Primeira Lei da Termodinâmica se relaciona com o princípio da conservação da energia. Isso quer dizer que a energia em um sistema não pode ser destruída nem criada, somente transformada. No entanto, parte dessa energia se transforma em calor, que é perdida para o meio.

Segunda Lei da Termodinâmica, não é possível que o calor se converta integralmente em outra forma de energia. Por esse motivo, o calor é considerado uma forma degradada de energia.

A Lei Zero da Termodinâmica trata das condições para a obtenção do equilíbrio térmico. Dentre essas condições podemos citar a influência dos materiais que tornam a condutividade térmica maior ou menor.

A Terceira Lei da Termodinâmica surge como uma tentativa de estabelecer um ponto de referência absoluto que determine a entropia. A entropia é, na verdade, a base da Segunda Lei da Termodinâmica.

Vídeo sobre Ciclo de Carnot e as Leis da Termodinâmica:

Aplicações e fenômenos térmicos de uso cotidiano

No dia a dia das pessoas são usados diversas aplicações da termodinâmica que as pessoas não observam.

Os usos da termodinâmica podem ser em casa, no trabalho nas escolas, acontece muito uso da termodinâmica nas industrias que transformam materiais em energia.

Ciência dos materiais

Uma das aplicações da termodinâmica está ligada à ciência dos materiais, que estuda meios para obtenção de novos tipos de materiais, que possuam propriedades químicas e físicas bem definidas. A termodinâmica, podemos assim dizer, é uma das bases da engenharia dos materiais, pois os processos de fabricação de novos materiais envolvem bastante a transferência de calor e trabalho para as matérias primas.

Vídeo sobre Aplicações e fenômenos térmicos de uso cotidiano:

Compreensão de fenômenos climáticos relacionados ao ciclo da água

O ciclo da água é o permanente processo de transformação da água na natureza, passando de um estado para outro (líquido, sólido ou gasoso).

Resultado de imagem para Compreensão de fenômenos climáticos relacionados ao ciclo da água

A essa transformação e circulação da água dá-se o nome de ciclo da água ou ciclo hidrológico, que se desenvolve através dos processos de evaporação, condensação, precipitação, infiltração e transpiração.

Passos do ciclo da água

  1. O calor irradiado pelo sol aquece a água dos rios, lagos, mares e oceanos ocorrendo o fenômeno da Evaporação. Nesse momento, ocorre a transformação do estado líquido da água para o seu estado gasoso, à medida que se desloca da superfície da Terra para a atmosfera.
  2. O vapor da água esfria, se acumula na atmosfera e se condensa na forma de gotículas, que formarão as nuvens ou nevoeiros. Neste momento, ocorre o processo de Condensação, ou seja, a transformação do estado gasoso da água para seu estado líquido, sendo as nuvens, as gotículas de água líquida suspensas no ar.
  3. Com muita água condensada na atmosfera, se inicia o processo de Precipitação, onde as gotículas suspensas no ar se tornam pesadas e caem no solo na forma de chuva. Em regiões muito frias a água condensada passa do estado gasoso para o líquido e rapidamente para o estado sólido, formando a neve ou o granizo.
  4. Quando o vapor de água condensado cai sobre a superfície terrestre, ocorre a Infiltração de uma parte dessa água que vai alimentar os lençóis subterrâneos.
  5. Parte da água que se infiltrou no solo pode ser absorvida pelas plantas que, depois de utilizá-la a devolvem à atmosfera por meio do processo de Transpiração.

Vídeo sobre Compreensão de fenômenos climáticos relacionados ao ciclo da água:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde falamos sobre O calor e os fenômenos térmicos, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Oscilações, ondas, óptica e radiação

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “Oscilações, ondas, óptica e radiação”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Oscilações, ondas, óptica e radiação, que demonstram como estão se sentindo.

Oscilações, ondas, óptica e radiação

Oscilações, ondas, óptica e radiação é um assunto da física que mostra como funciona alguns determinados objetos e instrumentos que estão presente em nossos dia a dia, como é o caso do espelho.

Projeto sem título 42

As ondas que fazem a total diferença no nossos dia a dia, como a onda sonora que é o meio que nos relacionamos através do som.

Feixes e frentes de ondas

feixes de onda: é a fronteira da região ainda não atingida pela onda com a região já atingida.

Resultado de imagem para frentes de ondas

Raio de onda: é possível definir como o raio de onda a linha que parte da fonte e é perpendicular às frentes de onda, indicando a direção e o sentido de propagação.

Frente de Onda

Frente de onda é a região do espaço que reúne todos os pontos do meio alcançados simultaneamente por um pulso (dizemos que todos os pontos de uma frente de onda têm a mesma fase). As frentes de onda podem ser chamadas de superfícies de onda.

Vídeo sobre Feixes e frentes de ondas:

Reflexão e refração

Reflexão é o fenômeno que consiste no fato de a luz voltar a se propagar no meio de origem, após incidir sobre uma superfície de separação entre dois meios.

Resultado de imagem para Reflexão e refração

Refração é o fenômeno que consiste no fato de a luz passar de um meio para outro diferente.

Reflexão e refração seletiva

A luz branca que recebemos do sol, ou de lâmpadas fluorescentes, por exemplo, é policromática, ou seja, é formada por mais de uma luz monocromática, no caso do sol, as sete do arco-íris: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta. Sendo assim, um objeto ao ser iluminado por luz branca “seleciona” no espectro solar as cores que vemos, e as refletem de forma difusa, sendo assim, vistas por nós.

Vídeo sobre Reflexão e refração:

Óptica geométrica: lentes e espelhos

Um sistema óptico pode ser definido como qualquer elemento físico que realize interação com a luz, ou seja, que altere as características dos raios luminosos que nele incidem.

Resultado de imagem para Óptica geométrica

Lentes convergentes e divergentes, espelhos côncavos e convexos, telescópios, prismas, superfícies polidas, gotas-d’água e papel podem ser considerados, cada um à sua maneira, sistemas ópticos.

Espelhos

Um espelho plano é aquele em que a superfície de reflexão é totalmente plana. Os espelhos planos têm utilidades bastante diversificadas, desde as domésticas até como componentes de sofisticados instrumentos ópticos.

Chamamos espelho esférico qualquer calota esférica que seja polida e possua alto poder de reflexão. É fácil observar-se que a esfera da qual a calota acima faz parte tem duas faces, uma interna e outra externa. Quando a superfície refletiva considerada for a interna, o espelho é chamado côncavo.

Vídeo Óptica geométrica: lentes e espelhos:

Formação de imagens

O processo de formação da imagem tem a ver com a reflexão. Para entendermos o processo de formação das imagens em espelhos começaremos pela análise da imagem de um ponto.

Isto é, começaremos a discussão de formação da imagem de um objeto muito pequeno. Tão pequenos que suas dimensões são desprezíveis.

Vídeo sobre Formação de imagens:

Instrumentos ópticos simples

Os instrumentos ópticos são utilizados no nosso cotidiano e baseiam-se nos princípios da óptica para permitir, facilitar ou aperfeiçoar a visualização de determinados objetos, que vão desde seres minúsculos, como alguns tipos de bactérias, até enormes planetas e estrelas.

Tipos de instrumentos

Existe uma infinidade de instrumentos ópticos, podemos citar: microscópio, telescópio, projetores, lupa, câmera fotográfica, óculos, lentes etc. Veja a seguir como ocorre o funcionamento de alguns dos instrumentos ópticos que são utilizados no nosso cotidiano.

Vídeo sobre Instrumentos ópticos simples:

Fenômenos ondulatórios

Fenômenos ondulatórios são os movimentos que ocorrem com mais frequência em física. Se você parar para pensar pode lembrar várias ocasiões em que esses fenômenos acontecem como, por exemplo: onda do mar, terremotos, ondas de rádio, ondas em cordas e etc.

Imagem relacionada

Os fenômenos possuem uma importância muito grande em física, por isso vário cientistas começaram a tentar descrever tal acontecimento. Após muitos estudos concluiu-se que fenômenos ondulatórios podem ser entendidos como sendo uma perturbação que pode ou não se propagar infinitamente em um meio qualquer.

Vídeo sobre Fenômenos ondulatórios:

Pulsos e ondas

A definição de onda é qualquer perturbação (pulso) que se propaga em um meio. Ex: uma pedra jogada em uma piscina (a fonte), provocará ondas na água, pois houve uma perturbação.

Imagem relacionada

Essa onda se propagará para todos os lados, quando vemos as perturbações partindo do local da queda da pedra, até ir na borda. Uma sequência de pulsos formam as ondas.

O que é a onda

A onda é somente energia, pois ela só faz a transferência de energia cinética da fonte, para o meio. Portanto, qualquer tipo de onda, não transporta matéria!.

Vídeo sobre Pulsos e ondas:

Período, frequência, ciclo

O intervalo de tempo que é necessário para que um ponto vibrante percorra um ciclo completo é denominado período (T). O número de ciclos feitos por um ponto vibrante na unidade de tempo é denominado freqüência (f). Na onda, a distância de uma crista ou um vale ao nível de equilíbrio, é denominada amplitude (A).

Comprimento de onda

O comprimento de onda é a distância que a perturbação percorre durante um período.

Vídeo sobre Período, frequência, ciclo:

Propagação: relação entre velocidade, frequência

A velocidade da propagação da onda depende de duas relações do meio: Densidade: refere-se à quantidade de massa existente em uma porção unitária do meio. É medida em kg/m, kg/m2, ou kg/m3.

Resultado de imagem para Propagação: relação entre velocidade, frequência

Elasticidade: toda vez que uma parte do meio é deslocada de sua posição de equilíbrio ou repouso por um agente externo, surge uma força que tende a trazer essa parte para a posição inicial.

Vídeo sobre Propagação:

Ondas em diferentes meios de propagação

As ondas podem ser classificadas como um movimento harmônico simples. Ondas se propagando na superfície de um meio líquido. Onda unidimensional. Em física, uma onda é uma perturbação oscilante de alguma grandeza física no espaço e periódica no tempo. A oscilação espacial se caracteriza por seu comprimento de onda, enquanto que o tempo decorrido em uma oscilação completa é denominado período da onda, e é o inverso da sua frequência.

Resultado de imagem para meios de propagação da ondA

V

O comprimento de onda e a frequência estão relacionadas pela velocidade com que a onda se propaga. Fisicamente, uma onda é um pulso energético que se propaga através do espaço ou através de um meio (líquido, sólido ou gasoso), com velocidade definida.Segundo alguns estudiosos e até agora observado, nada impede que uma onda magnética se propague no vácuo ou através da matéria, como é o caso das ondas eletromagnéticas no vácuo ou dos neutrinos através da matéria, onde as partículas do meio oscilam à volta de um ponto médio mas não se deslocam.

Vídeo sobre Ondas em diferentes meios de propagação:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde falamos das Oscilações, ondas, óptica e radiação, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Fenômenos Elétricos e Magnéticos

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “Fenômenos Elétricos e Magnéticos”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Fenômenos Elétricos e Magnéticos, que demonstram como estão se sentindo.

Fenômenos Elétricos e Magnéticos

Os fenômenos elétricos são diversos e alguns não podem ser observados pela vista humana, e outros as pessoas veem constantemente. Sendo que a energia é presente no nosso dia a dia, e observamos algumas coisas como a luz da nossa casa, o carregamento do celular e outros.

Projeto sem título 35

Magnetismo é a denominação dada aos estudos dos fenômenos relacionados com as propriedades dos imãs. Os primeiros fenômenos magnéticos foram observados na Grécia antiga, em uma cidade chamada Magnésia.

Carga elétrica

A carga elétrica é um conceito físico que determina as interações eletromagnéticas dos corpos eletrizados.

Resultado de imagem para Carga elétrica

Assim, a partir do atrito entre os corpos, ocorre o fenômeno chamado “eletrização”, de modo que todos os corpos possuem a propriedade de se atraírem ou se repelirem.

Corrente elétrica

Corrente elétrica é o fluxo ordenado de partículas portadoras de carga elétrica ou o deslocamento de cargas dentro de um condutor, quando existe uma diferença de potencial elétrico entre as extremidades. Tal deslocamento procura restabelecer o equilíbrio desfeito pela ação de um campo elétrico ou outros meios (reações químicas, atrito, luz, etc.).

Vídeo sobre Carga elétrica e corrente elétrica:

Lei de Coulomb

A Lei de Coulomb é uma lei da física que descreve a interação eletrostática entre partículas eletricamente carregadas. Foi formulada e publicada pela primeira vez em 1783 pelo físico francês Charles Augustin de Coulomb e foi essencial para o desenvolvimento do estudo da Eletricidade.

Resultado de imagem para Lei de Coulomb

O que a Lei de Coulomb enuncia é que a intensidade da força elétrica de interação entre cargas puntiformes é diretamente proporcional ao produto dos módulos de cada carga e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa.

Vídeo sobre Lei de Coulomb:

Campo elétrico e potencial elétrico

Um campo elétrico é o campo de força provocado pela ação de cargas elétricas, ou por sistemas delas.

Resultado de imagem para Campo elétrico e potencial elétrico

Cargas elétricas colocadas num campo elétrico estão sujeitas à ação de forças elétricas, de atração e repulsão.

Potencial elétrico

Potencial elétrico é a capacidade que um corpo energizado tem de realizar trabalho, ou seja, atrair ou repelir outras cargas elétricas. Com relação a um campo elétrico, interessa-nos a capacidade de realizar trabalho, associada ao campo em si, independentemente do valor da carga q colocada num ponto desse campo.

Vídeo sobre Campo elétrico e potencial elétrico:

Linhas de campo

Linha de campo é um lugar geométrico definido por um campo vetorial e um ponto de começo dentro do campo.

Resultado de imagem para Linhas de campo

São úteis para visualizar campos vetoriais, que seriam de outra maneira, difícil de descrever.

Linhas de força

As linhas de campo também podem ser denominadas de linhas de força, basicamente são linhas imaginárias dentro de um campo de forças.

Vídeo sobre Linhas de campo:

Superfícies equipotenciais

Superfícies equipotenciais são superfícies de potencial escalar constante. Eles são utilizados para visualizar uma função potencial escalar-dimensional em espaço dimensional.

Resultado de imagem para Superfícies equipotenciais

O gradiente do potencial, que denota a direção do maior aumento, é perpendicular à superfície.

Vídeo sobre Superfícies equipotenciais:

Poder das pontas

Poder das pontas é a capacidade dos corpos eletrizados de se descarregarem pelas pontas.

Resultado de imagem para Poder das pontas

Em outras palavras, o Poder das Pontas se resume na facilidade que as cargas elétricas terão para entrar e para sair por lugares pontiagudos.

Carga elétrica e as pontas

A carga elétrica em excesso num corpo condutor distribui-se apenas pela superfície exterior do corpo e concentra-se nas zonas mais pontiagudas (ou de menor raio), rarefazendo-se nas restantes.

Vídeo sobre Poder das pontas:

Blindagem

Blindagem é a tecnologia utilizada especialmente em veículos para a proteção pessoal contra armas de fogo. Criada para a guerra, a inovação em pouco tempo alcançou centros urbanos de países com altos índices de violência, como o Brasil,Paraguai ou a Colômbia.

No Brasil, para blindar um carro é necessário uma autorização do Exército e não basta que a empresa blindadora tenha o CR (Certificado de Registro) no Exército, sem o qual a blindadora não pode atuar no segmento. Também tem que obter uma autorização específica para cada veículo a ser blindado.

Vídeo sobre Blindagem:

https://youtube.com/watch?v=cufSyU6HnGQ

Capacitores

Capacitor ou condensador é um componente que armazena cargas elétricas num campo elétrico, acumulando um desequilíbrio interno de carga elétrica.

Resultado de imagem para Capacitores

Historicamente, a ideia de seu uso baseia-se na Garrafa de Leiden em 1746 por Pieter van Musschenbroek na cidade de Leiden, na Holanda.

Ewald Georg von Kleist

Ewald nasceu em Wicewo, Transpomerânia. Estudou jurisprudência na Universidade de Leipzig e na Universidade de Leiden e pode ter despertado seu interesse em eletricidade nesta última universidade, sob a influência de Willem Jacob ’s Gravesande. De 1722 a 1745 foi reitor da catedral de Kamień Pomorski no Reino da Prússia, sendo depois presidente da corte real em Koszalin.

Vídeo sobre Capacitores:

Efeito Joule

A lei de Joule é uma lei física que expressa a relação entre o calor gerado e a corrente elétrica que percorre um condutor em determinado tempo. Um resistor é um dispositivo que transforma a energia elétrica integralmente em calor.

Resultado de imagem para Efeito Joule

O nome é devido a James Prescott Joule (1818-1889) que estudou o fenômeno em 1840 e, um ano mais tarde, publicada na Philosophical Magazine, pela Royal Society.

Unidade joule

Um joule é o trabalho realizado para transportar um coulomb (unidade de medida da carga elétrica) de um ponto para outro, estando os dois pontos a uma diferença de potencial de um volt (unidade de medida da diferença de potencial).

Vídeo sobre Efeito Joule:

Lei de Ohm

A Lei de Ohm, assim designada em homenagem ao seu formulador, o físico alemão Georg Simon Ohm, afirma que, para um condutor mantido à temperatura constante, a razão entre a tensão entre dois pontos e a corrente elétrica é constante.

Resultado de imagem para Lei de OhmLei de Ohm

Essa constante é denominada de resistência elétrica.

Interpretação da resistência elétrica

A resistência elétrica pode ser entendida como a dificuldade de se estabelecer uma corrente elétrica num determinado condutor. Por exemplo, um fio de nicromo precisa ser submetido à uma diferença de potencial elétrico de 300 V para que seja estabelecida uma corrente de 1 A, enquanto um fio de tungstênio precisa ser submetido à apenas 15 V para que nele se estabeleça a mesma corrente.

Vídeo sobre Lei de Ohm:

Resistividade

Resistividade eléctrica (também resistência eléctrica específica) é uma medida da oposição de um material ao fluxo de corrente eléctrica. Quanto mais baixa for a resistividade, mais facilmente o material permite a passagem de uma carga eléctrica. Sua unidade no SI é o ohm metro (Ωm).

Vídeo sobre Resistividade:

Circuitos elétricos simples

Circuito elétrico é um circuito fechado. Ele começa e termina no mesmo ponto e é formado por vários elementos que se ligam e, assim, tornam possível a passagem da corrente elétrica.

Resultado de imagem para Circuitos elétricos simples

Circuito Elétrico Simples é aquele que percorre apenas um caminho. O exemplo mais comum é uma bateria. Nas baterias, são sempre os mesmos elétrons que estão circulando. Se não fosse assim, elas não conseguiam receber energia logo depois de a ter fornecido.

Tipo de Circuitos Elétrico Simples

Circuito Elétrico em série: é aquele em que existe uma associação. A partir dessa associação, os componentes ligam-se entre si na mesma sequência e na mesma direção.

Circuito Elétrico em paralelo: é aquele em que existe uma associação onde a corrente elétrica se divide ao longo do circuito.

Vídeo sobre Circuitos elétricos simples:

Correntes contínua

Uma corrente é considerada contínua quando não altera seu sentido, ou seja, é sempre positiva ou sempre negativa.

Resultado de imagem para Correntes contínua

A maior parte dos circuitos eletrônicos trabalha com corrente contínua, embora nem todas tenham o mesmo “rendimento”, quanto à sua curva no gráfico i x t, a corrente contínua pode ser classificada por corrente contínua constante e corrente contínua pulsante.

Corrente Alternada

É a corrente onde a forma como é gerada a corrente, esta é invertida periodicamente, ou seja, ora é positiva e ora é negativa, fazendo com que os elétrons executem um movimento de vai-e-vem.

Vídeo sobre Correntes contínua e alternada:

Medidores elétricos

Medidor de energia elétrica, popularmente chamado de relógio de luz, é um dispositivo ou equipamento eletromecânico e/ou eletrônico capaz de mensurar o consumo de energia elétrica.

Resultado de imagem para Medidores elétricos

A unidade mais usada é kWh. Está presente na maioria de casas e habitações no mundo moderno.

Alguns Medidores

Voltímetro é um aparelho utilizado para medir a diferença de potencial entre dois pontos; por esse motivo deve ser ligado sempre em paralelo com o trecho do circuito do qual se deseja obter a tensão elétrica. Para não atrapalhar o circuito, sua resistência interna deve ser muito alta, a maior possível.

Amperímetro é um aparelho utilizado para medir a intensidade de corrente elétrica que passa por um fio. Pode medir tanto corrente contínua como corrente alternada. O amperímetro deve ser ligado sempre em série, para aferir a corrente que passa por determinada região do circuito. Para isso o amperímetro deve ter sua resistência interna muito pequena, a menor possível.

Vídeo sobre Medidores elétricos:

Potência e consumo de energia em dispositivos elétricos

Quando utilizamos algum aparelho que funciona à base de transformação de energia, podemos observar que ele esquenta durante o seu funcionamento. Isso não é diferente quando estamos lidando com aparelhos que funcionam à base de energia elétrica.

Resultado de imagem para consumo de energia

Esse aquecimento é conhecido como efeito Joule, e ele é fruto das colisões que os elétrons sofrem contra os átomos e íons que pertencem ao condutor. A energia que é drenada nesse aquecimento é chamada de energia dissipada.

Vídeo sobre Potência e consumo de energia em dispositivos elétricos:

Campo magnético

Campos magnéticos cercam materiais em correntes elétricas e são detectados pela força que exercem sobre materiais magnéticos ou cargas elétricas em movimento. O campo magnético em qualquer lugar possui tanto uma direção quanto uma magnitude, por tanto é um campo vetorial.

Resultado de imagem para Campo magnético

À luz da relatividade especial, os campos elétrico e magnético são dois aspectos inter-relacionados de um mesmo objeto, chamado de campo eletromagnético. Um campo elétrico puro em um sistema de referência é observado como uma combinação de um campo elétrico e um campo magnético em um sistema de referência em movimento em relação ao primeiro.

Vídeo sobre Campo magnético:

Imãs permanentes

Os ímãs permanentes são objetos que foram fabricados a partir de um material magnetizado e são assim capazes de criar seus próprios campos magnéticos persistentes. De modo geral, os ímãs podem ser divididos em duas categorias: não-permanentes e permanentes.

Os tipos de ímãs não-permanentes são eletroímãs, que exigem uma corrente elétrica externa para acionar o magnetismo. Os ímãs permanentes, por outro lado, mantêm o seu magnetismo indefinidamente ou até que sejam desmagnetizados por vibrações, sujeira, corrosão ou interferência de campos magnéticos.

Fabricação dos ímãs permanentes

São fabricados com base em elementos químicos, tais como elementos de terra rara como o alnico (alumínio, níquel, cobalto), cerâmica (tais como estrôncio e ferrite de bário), e ligas de elementos raros, incluindo Sm-Co (cobalto-samário) e NdFeB (neodímio-ferro-boro).

Vídeo sobre Imãs permanentes:

Linhas de campo magnético

Linha de campo é um lugar geométrico definido por um campo vetorial e um ponto de começo dentro do campo.

Resultado de imagem para Linhas de campo magnético

São úteis para visualizar campos vetoriais, que seriam de outra maneira, difícil de descrever.

Vídeo sobre Linhas de campo magnético:

Campo magnético terrestre

O campo magnético terrestre assemelha-se a um dipolo magnético com seus polos próximos aos polos geográficos da Terra.

Resultado de imagem para Campo magnético terrestre

Uma linha imaginária traçada entre os polos sul e norte magnéticos apresenta uma inclinação de aproximadamente 11,3º relativa ao eixo de rotação da Terra.

teoria do dínamo

A teoria do dínamo propõe um mecanismo pelo qual um corpo celestial, como a Terra, gera um campo magnético. A teoria descreve o processo pelo qual um fluido condutor de eletricidade em rotação e convecção pode manter um campo magnético durante escalas temporais astronômicas.

Vídeo sobre Campo magnético terrestre:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde falamos dos Fenômenos Elétricos e Magnéticos, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

A Mecânica e o funcionamento do Universo

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “A Mecânica e o funcionamento do Universo”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em A Mecânica e o funcionamento do Universo, que demonstram como estão se sentindo.

A Mecânica e o funcionamento do Universo

O universo é composto por diversos fatores que influenciam no nosso dia a dia, sendo eles diretamente ou indiretamente. Assim como a gravidade que é uma das forças fundamentais da natureza, em conjunto com o eletro magnetismo, a força fraca e a força forte.

Projeto sem título 31

Esse funcionamento se baseia de acordo com esses elementos como os fatores climáticos, como as tempestades, as marés altas  baixas, as ocorrências de chuvas e outros.

Força peso

A força peso (P) é um tipo de força que atua na direção vertical sob a atração da gravitação da Terra.

Resultado de imagem para Força peso

Ou seja é a força que existe sobre todos os corpos, sendo exercida sobre eles por meio do campo gravitacional da Terra.

Força Normal

Além da força peso, temos a força normal que também atua na direção vertical num plano reto. Assim, a força normal será de mesma intensidade da força peso, no entanto, em sentido oposto.

Vídeo sobre Força peso:

Aceleração gravitacional

A aceleração gravitacional é a aceleração na qual um corpo de determinada massa fica submetido por algum outro corpo de massa extremamente maior (planeta, lua, estrela – dado o alto valor das massas desses corpos).

Resultado de imagem para Aceleração gravitacional

Podendo ser definida como o aumento gradativo da velocidade, a cada instante de tempo, que um corpo sofre caso estivesse em queda livre (liberado de um ponto mais alto, a partir do repouso).

Vídeo sobre Aceleração gravitacional:

Lei da Gravitação Universal

A lei afirma que, se dois corpos possuem massa, ambos sofreram uma força de atração mútua proporcional às suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que separa seus centros de gravidade.

Resultado de imagem para Lei da Gravitação Universal

A gravidade é uma força fundamental de atração que age entre todos os objetos por causa de suas massas, isto é, a quantidade de matéria de que são constituídos.

Origem da Lei

Essa lei foi formulada pelo físico inglês Isaac Newton em sua obra Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, publicada em 1687, que descreve a lei da gravitação universal e as Leis de Newton — as três leis dos corpos em movimento que assentaram-se como fundamento da mecânica clássica.

Vídeo sobre Lei da Gravitação Universal:

Leis de Kepler

As leis de Kepler são as três leis do movimento planetário definidas por Johannes Kepler (1571 – 1630), um matemático e astrônomo alemão. Essas leis foram a principal contribuição de Kepler à astronomia e à astrofísica.

Resultado de imagem para Leis de Kepler

As leis:

1 – Esta lei definiu que as órbitas não eram circunferências, como se supunha até então, mas sim elipses.

2 – Esta lei determina que os planetas se movem com velocidades diferentes, dependendo da distância a que estão do Sol.

3 – Os quadrados dos períodos de translação dos planetas são proporcionais aos cubos dos semi-eixos maiores de suas órbitas.

Johannes Kepler

foi um astrônomo, astrólogo e matemático alemão. Considerado figura-chave da revolução científica do século XVII, é todavia célebre por ter formulado as três leis fundamentais da mecânica celeste, denominadas por Leis de Kepler, tendo estas sido codificadas por astrônomos posteriores com base nas suas obras Astronomia Nova, Harmonices Mundi, e Epítome da Astronomia de Copérnico. Essas obras também forneceram uma das bases para a teoria da gravitação universal de Isaac Newton.

Vídeo sobre Leis de Kepler:

Corpos celestes

Corpo celeste é todo e qualquer astro que se encontra no espaço sideral.

Resultado de imagem para Corpos celestes

A ciência que estuda o Universo é a Astronomia, mas existem outras ciências que contribuem para o aprimoramento do conhecimento acerca do Universo.

Movimentos dos Corpos celestes

O movimento dos corpos celestes ao redor das estrelas é dado pela lei da gravitação universal, em que o campo gravitacional da estrela atrai os demais corpos celestes. O mesmo ocorre com os satélites planetários: o campo gravitacional do sol e do planeta faz o satélite o orbitar.

Vídeo sobre Movimentos de corpos celestes:

Influência na Terra: marés e variações climática

O planeta conta com essas influências que ao longo do nosso dia vemos diariamente, principalmente pessoas que moram em litoral.

Estas variações dizem respeito a mudanças de temperatura, precipitação, nebulosidade e outros fenômenos climáticos em relação às médias históricas. Tais variações podem alterar as características climáticas de uma maneira a alterar sua classificação didática.

As Marés

A maré é um dos fenômenos naturais mais conhecidos. Esse fenômeno ocorre em razão do movimento periódico de subida e descida do nível da água, produzindo dessa maneira as chamadas marés altas e marés baixas. Foi Isaac Newton que, a partir da expressão da força gravitacional, deu a explicação para esse fenômeno natural.

Vídeo sobre Influência na Terra:

Concepções históricas sobre a origem do universo e sua evolução

Na cosmologia moderna, a origem do Universo é o instante em que surgiram toda a matéria e a energia que existem atualmente no Universo como consequência de uma grande expansão. A teoria do Big Bang é abertamente aceita pela ciência em nossos dias e implica que o Universo poderia se ter originado fazem 13 730±120 milhões de anos, num instante definido.

Resultado de imagem para origem do universo e sua evolução

Na década de 1930, o astrónomo estadunidense Edwin Hubble confirmou que o Universo estava se expandindo, fenômeno que o sacerdote e astrofísico George Lemaitre descreveu em sua investigação sobre a expansão do Universo (Big Bang), baseado nas equações de Albert Einstein e com a teoria da relatividade geral .

Vídeo sobre Concepções históricas sobre a origem do universo e sua evolução:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde falamos das Mecânica e o funcionamento do Universo, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Conhecimentos básicos e fundamentais da Física

Olá pessoal hoje o demonstre traz um trabalho onde retrata do nosso dia a dia de acordo com o nosso modo de viver, com base no uso da física, e nesse post vamos trabalhar com o “Conhecimentos básicos e fundamentais da Física”.

Onde vamos mostrar o modo de se relacionar das pessoas baseada em Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, que demonstram como estão se sentindo.

Conhecimentos básicos e fundamentais da Física

O campo de estudo e pesquisa da Física é muito grande,abrangem várias ciências existentes, ela possui divisões de estudo que possibilitam um melhor compreendimento dos conceitos mostrados nesse post.

Projeto sem título 24

Apesar de existir uma divisão, não quer dizer que o estudo é isolado, pelo contrário, à medida que se evolui no percurso de estudo da ciência Física percebe-se que um assunto é continuação do outro, ou seja, há uma interligação das áreas de estudo.

Noções de ordem de grandeza

Ordem de grandeza de uma medida é uma estimativa de potência de base 10 mais próxima de uma determinada medida.

A ordem de Grandeza

Ao físico o que importa é o seu valor aproximado e a partir do valor eles definem a ordem de grandeza, A ordem de grandeza é a potencia de dez mais próxima do número.

Vídeo sobre Noções de ordem de grandeza:

Notação Científica

A notação científica serve para expressar números muito grandes ou muito pequenos. O segredo é multiplicar um numero pequeno por uma potência de 10. A forma de uma Notação científica é: m . 10 e, onde m significa mantissa e E significa ordem de grandeza. A mantissa SEMPRE será um valor em módulo entre 1 e 10.

Propriedades

Notação científica é uma forma muito conveniente para escrever pequenos ou grandes números e fazer cálculos com eles. Também transmite rapidamente duas propriedades de uma medida que são úteis para os cientistas, algarismos significativos e ordem de grandeza. Escrita em notação científica permite a uma pessoa eliminar zeros na frente ou de trás dos algarismos significativos. Isto é mais útil para medições muito grandes ou muito pequenas em astronomia e no estudo de moléculas. Os exemplos abaixo podem demonstrar isso.

Vídeo sobre Notação Científica:

Sistema Internacional de Unidades

Resultado de imagem para Sistema Internacional de Unidades

Sistema Internacional de Unidades é a forma moderna do sistema métrico e é geralmente um sistema de unidades de medida concebido em torno de sete unidades básicas e da conveniência do número dez. É o sistema de medição mais usado do mundo, tanto no comércio todos os dias e na ciência.

Vídeo sobre Sistema Internacional de Unidades:

Metodologia de investigação

Resultado de imagem para Metodologia de investigação

Métodos é o conjunto de determinadas normas que devem ser satisfeitas, caso se deseja que a investigação seja adequadamente conduzida e capaz de levar a conclusões merecedoras da adesão pela comunidade cientifica. Em sentido amplo pode se dizer que todas as atividades podem ser executadas de alguma forma mas segura, econômica e perfeita.Todavia, o roteiro desta ação mais perfeita, constitui o seu método peculiar. Assim, existem métodos para aprender piano, para ler, escrever, resumir, estudar e assim por diante. Entretanto, a palavra método,significa o traçado das etapas fundamentais da investigação.

Tipos de Métodos de investigação

São diversos sistemas de procedimentos, utilizados para obter conhecimentos, os diversos modelos de trabalho ou sequências lógicas, que ajudam a obtenção do conhecimento científico e orientam uma determinada investigação cientifica; Partindo de que toda a investigação necessita de métodos, isto é, para aproximar-se ao fenômeno estudado.

Vídeo sobre Metodologia de investigação:

Representação de grandezas físicas

Resultado de imagem para Representação de grandezas físicas

Grandezas físicas são aquelas grandezas que podem ser medidas, ou seja, que descrevem qualitativamente e quantitativamente as relações entre as propriedades observadas no estudo dos fenômenos físicos. Em Física, elas podem ser vetoriais ou escalares, como, por exemplo, o tempo, a massa de um corpo, comprimento, velocidade, aceleração, força, e muitas outras.

Grandezas Vetoriais

As grandezas vetoriais possuem uma representação especial. Elas são representadas por um símbolo matemático denominado vetor. Nele se encontram três características sobre um corpo ou móvel, veja: Módulo: representa o valor numérico ou a intensidade da grandeza; Direção e Sentido: determinam a orientação da grandeza.

Vídeo sobre Representação de grandezas físicas:

Gráficos e vetores

Resultado de imagem para Gráficos e vetores

Vetores são grandezas matemáticas que indicam módulo, direção e sentido. Vetor é a representação matemática feita através de uma seta, com o objetivo de indicar a medida que ele representa.

Velocidade Vetorial

Vetor Velocidade Média: Considere-se um móvel percorrendo a trajetória do gráfico acima, ocupando posições e nos instantes e , respectivamente.

Vetor Velocidade Instantânea: Análogo à velocidade escalar instantânea, quando o intervalo de tempo tender a zero (), a velocidade calculada será a velocidade instantânea.

Vídeo sobre Gráficos e vetores:

Grandezas Vetoriais

São grandezas vetoriais: Velocidade, Aceleração, Força, Deslocamento, Empuxo, Campo elétrico, Campo magnético, Força peso, etc

Grandezas Escalares

São grandezas escalares: Tempo, Temperatura, Volume, Massa, Trabalho de uma Força, etc. Aquelas que necessitam de uma direção e um sentido, além do valor numérico e da unidade de medida, são chamadas de grandezas vetoriais. As grandezas vetoriais são representadas por vetores.

Vídeo sobre Grandezas vetoriais e escalares:

Operações básicas com vetores

Resultado de imagem para Operações básicas com vetores

As operações básicas com vetores são equivalentes às operações básicas matemáticas, uma vez que as componentes de um vetor são números reais.

Vetores

Vetores são objetos matemáticos amplamente utilizados nos estudos de Mecânica, na disciplina de Física, pois eles descrevem a trajetória em linha reta de um ponto, indicando sua direção, sentido e intensidade de movimento.

Vídeo sobre Operações básicas com vetores:

FIM

Chegamos ao fim do poste onde fala dos Conhecimentos básicos e fundamentais da Física, falando e explicando como foi feito até os dias atuais, assim tanto nos negócios quanto na vida pessoal. Se você gostou compartilhe nas redes sociais.

Bioquímica e as bases moleculares da vida – Biologia

Olá, como sabemos a biologia está presente em nosso dia a dia de várias formas, sendo assim o demonstre hoje vem com uma lista de fatores que influenciam na biologia, e principalmente no modo de viver pelas pessoas.

E hoje vamos falar de Bioquímica e as bases moleculares da vida, onde baseado em estudos, vamos mostra como é o desenvolver desse processo biológico que envolve diversos fatores.

Bioquímica e as bases moleculares da vida

Ciência interdisciplinar que utiliza princípios e métodos da química na investigação das transformações que ocorrem nas substâncias e moléculas provenientes de seres vivos e de seus processos metabólicos; química biológica, química fisiológica.

Projeto sem título 6

As bases moleculares da vida começam por matérias que são compostas por elementos químicos, elementos esses que são químicos inorgânicos e orgânicos, Um processo que envolve a formação dos seres vivos, que precisão de água para viver e também de sais mineira, que formam vitaminas, proteínas, lipídios e outros.

A química da vida

Resultado de imagem para A química da vida

As matérias são compostas por elementos químicos, sendo assim os seres vivos também são compostos por elementos químicos, os seres vivos são formados por elementos químicos, devo dizer que os elementos químicos podem ser orgânicos ou inorgânicos.

Elementos químicos

Elementos químicos inorgânicos que costumamos estudar são os sais minerais e a água, existem outros, mas como eu disse antes, não estamos na aula de química.

Elementos químicos orgânicos estudados são: glicídios, lipídios proteínas, vitaminas e ácidos nucléicos.

Videos sobre A química da vida:

Componentes da matéria vida

Resultado de imagem para Componentes da matéria vida

A classificação entre substâncias inorgânicas e orgânicas ocorreu na metade do século XVIII e dizia-se que o primeiro grupo era constituído de compostos de origem mineral, sem vida. Já o grupo dos compostos orgânicos se originava dos organismos vivos vegetais e animais.

Elementos químicos e substâncias químicas dos seres vivos

Ao analisarmos os componentes das células de diversos seres vivos, veremos que existem algumas substâncias que estarão sempre presentes. São elas: água, minerais, carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucleicos.

Videos sobre Componentes da matéria vida:

A importância da água para vida

A água é, provavelmente o único recurso natural que tem a ver com todos os aspectos da civilização humana, desde o desenvolvimento agrícola e industrial aos valores culturais e religiosos arraigados na sociedade. É um recurso natural essencial, seja como componente bioquímico de seres vivos, como meio de vida de várias espécies vegetais e animais, como elemento representativo de valores sociais e culturais e até como fator de produção de vários bens de consumo final e intermediário.

Videos sobre A importância da água para vida:

https://youtube.com/watch?v=yxt-cAoPPmE

Sais minerais nos seres vivos

Resultado de imagem para Sais minerais nos seres vivos

Os sais minerais são nutrientes que apresentam as mais variadas funções e podem ser observados em seres vivos e também na matéria não viva. Nos seres vivos, encontram-se dissolvidos em água ou imobilizados. Os dissolvidos em água estão sob a forma de íons, enquanto os imobilizados são encontrados nas estruturas esqueléticas, sendo pouco solúveis.

Videos sobre Sais minerais nos seres vivos:

Glicídios

Os glicídios são biomoléculas orgânicas formadas hidrogênio, oxigênio e carbono, que tem a função de gerar energia e atuar na formação de partes dos corpos dos seres vivos.

Classificação dos glicídios

São classificados em Glicose: é um glicídio energético, também conhecido como dextrose, encontrado no açúcar do mel, na uva e outros frutos. Sacarose: também energético, é encontrado principalmente na cana-de-açúcar e na beterraba. É o açúcar comum muito utilizado no mundo todo. Amido: glicídio que serve, nas plantas, como reserva de energia.  Celulose: tem a função de formar as paredes das células dos vegetais.

Videos sobre Glicídios:

Lipídios

Resultado de imagem para Lipídios

São um amplo grupo de compostos químicos orgânicos naturais, que constituem uns dos principais componentes dos seres vivos, formados principalmente por carbono, hidrogénio e oxigénio, apesar de também poder conter fósforo, nitrogénio e enxofre, entre os quais se incluem gorduras, ceras, esteróis, vitaminas lipossolúveis

tipos de lipídios

Os ácidos graxos são os lipídios mais conhecidos, deles derivam os óleos e as gorduras e eles são derivados de hidrocarbonetos, são ácidos carboxílicos. Suas cadeias variam de 4 a 36 carbonos, muitas vezes possuem ramificações e são saturadas, outras são insaturadas. A partir dos ácidos graxos, são construídos alguns tipos de lipídios.

Videos sobre Lipídios:

Proteínas

Resultado de imagem para Proteínas

A proteína é a mais importante das macromoléculas biológicas, compondo mais da metade do peso seco de uma célula. Está presente em todo ser vivo e tem as mais variadas funções.

funções das proteínas

Ela é um polímero de aminoácidos que pode atuar como enzimas, catalisando reações químicas, podem transportar pequenas moléculas ou íons; podem ser motoras para auxiliar no movimento em células e tecidos; participam na regulação gênica, ativando ou inibindo; estão no sistema imunológico, entre outras centenas de funções. Praticamente todas as funções celulares necessitam de proteínas para intermediá-las.

Videos sobre Proteínas:

Vitaminas

Resultado de imagem para Vitaminas

As vitaminas são compostos orgânicos não sintetizados pelo organismo, sendo incorporados através da alimentação. Elas são essenciais para o funcionamento de importantes processos bioquímicos do organismo, especialmente como catalisadoras de reações químicas.

Tipo de Vitaminas

Vitaminas lipossolúveis: São as vitaminas solúveis em gordura e por isso podem ser armazenadas. Fazem parte deste grupo as vitaminas A, D, E e K.

Vitaminas hidrossolúveis: São as vitaminas do complexo B e a vitamina C, solúveis em água. Elas não podem ser armazenadas no corpo, tornando raro os casos de hipervitaminose. Também são absorvidas e excretadas rapidamente.

Videos sobre Vitaminas:

Ácidos nucleicos

Resultado de imagem para Ácidos nucleicos

Os ácidos nucleicos são moléculas gigantes, formadas por unidades monoméricas menores conhecidas como nucleotídeos. Cada nucleotídeo, por sua vez, é formado por três partes: um açúcar do grupo das pentoses; um radical “fosfato”, derivado da molécula do ácido ortofosfórico; uma base orgânica nitrogenada.

Videos sobre Ácidos nucleicos:

A dieta e a bioquímica

Resultado de imagem para A dieta e a bioquímica

A dieta e a bioquímica significa que cada organismo é único, com necessidades nutricionais únicas, deficiências únicas, metabolismo único, desequilíbrios únicos e tendências únicas a desenvolver doenças. Justamente por isso que, para que uma dieta ou planejamento alimentar seja eficiente, tanto para perda de peso quanto para melhorar a qualidade de vida, ele deve respeitar não apenas as preferências, mas principalmente a individualidade bioquímica de cada um.

Videos sobre A dieta e a bioquímica:

FIM

Chegamos ao fim de mais uma lista de fatores que envolvem a biologia, e hoje falamos de Bioquímica e as bases moleculares da vida. Se você gosta de nossos trabalhos, ajude para que mais pessoas possam também conhecer do nosso conteúdo, compartilhe nas redes sociais, indique amigos.-

Demonstre Atividades

Demonstre Atividades é um Portal Educacional focado em conteúdo e atividades para professores.

Demonstre Atividades - 2020 | Desenvolvido por Nixem Dev