Você já ouviu falar no cineasta brasileiro José Mojica Marins, conhecido popularmente pelo seu personagem mais famoso, o Zé do Caixão? Se você é fã de terror e não conhece, deveria conhecer já!

Zé do Caixão é um dos mais importantes cineastas brasileiros de todos os tempos e, apesar de não ter tanto reconhecimento assim dentro do próprio país, acumula prêmios e homenagens internacionais.

Zé do caixão

Nosso querido Zé do Caixão nos deixou em fevereiro desse ano e em sua homenagem vamos indicar aqui na nossa revista 5 filmes para você conhecer a obra desse diretor tão importante para o cenário de terror nacional, preparados?

Quem foi José Mojica Marins, o Zé do Caixão?

José Mojica Marins nasceu em São Paulo no ano de 1936 e sempre esteve ligado ao cinema de alguma forma. Quando criança, passava horas assistindo filmes na sala de projeção em que seu pai trabalhava e, após ganhar uma câmera V8 aos 12 anos, não parou mais de pensar em cinema.

zé do caixão

José Mojica é conhecido principalmente pelo terror, mas no início da sua carreira chegou a dirigir faroestes, dramas e aventuras. Sempre de maneira autodidata nas questões fílmicas, nos anos 1950 abriu sua própria escola de atores.

A partir daí, a carreira profissional de José Mojica se aproximava cada vez mais e ele chegou a realizar alguns filmes na sua escola, sendo o mais notável A sina do aventureiro, que já proporcional desavenças entre ele e a Igreja Católica da época.

O surgimento do personagem Zé do Caixão

Nos anos 1960, em seu primeiro terror À meia-noite levarei sua alma nos é apresentado o personagem que mais tarde se confundiria com o próprio Mojica, o Zé do Caixão.

José afirma que teve a ideia de criar o personagem a partir de um pesadelo que teve ao chegar em casa bastante cansado e ter dormido após a janta:

“Certa noite, ao chegar em casa bem cansado, fui jantar. Em seguida, estava meio sonolento, entre dormindo e acordado, e foi aí que tudo aconteceu: vi num sonho um vulto me arrastando para um cemitério. Logo ele me deixou em frente a uma lápide, lá havia duas datas, a do meu nascimento e a da minha morte. As pessoas em casa ficaram bastante assustadas.”

José Mojica Marins

Zé do Caixão era um personagem sem crenças nem em Deus e nem no Diabo, acreditava ser uma pessoa superior a todas as outras e que precisava de uma mulher igualmente superior para continuar a sua linhagem.

zé do caixão

Toda essa busca pela mulher perfeita inspirou o filme e sua sequência, Esta noite encarnarei no teu cadáver, os dois filmes mais conhecidos do mestre do terror brasileiro.

Reconhecimento de Zé do Caixão

No Brasil, Zé do Caixão não teve tanto reconhecimento oficial, principalmente por fazer parte de uma produção cinematográfica mais underground e, mesmo sendo dono durante muito tempo de parte da TV Brasil, nunca foi aclamado pela academia brasileira.

zé do caixão

No entanto, no exterior onde é conhecido como Coffin Joe, Zé do Caixão já foi homenageado diversas vezes e recebeu alguns prêmios, tanto na Espanha e França quanto nos Estados Unidos.

Em 2000 recebeu o prêmio Fantasporto, o maior festival de cinema de Portugal, pelo conjunto da sua obra.

Por quais filmes de Zé do Caixão devo começar?

Agora que você já conhece um pouco desse que foi um dos cineastas mais importantes do nosso cinema, veja abaixo alguns filmes para iniciar na filmografia de Zé do Caixão:

À meia-noite levarei sua alma (1964)

Um sádico e cruel coveiro percorre a cidade em busca de uma mulher para ter um filho.

Esta noite encarnarei no teu cadáver

O coveiro Zé do Caixão continua sua busca obsessiva pela mulher ideal capaz de gerar o filho perfeito. Com a ajuda do fiel criado, ele rapta seis belas moças, submetendo-as a terríveis sessões de tortura.

Exorcismo Negro (1974)

Homem vai para a casa de um amigo no campo sem saber que a família do mesmo está possuída por demônios, e quer matá-lo.

O despertar da besta (1983)

O psiquiatra Dr. Sérgio teoriza que as perversões sexuais são causadas pelo uso de drogas. Para isso, ele experimenta com LSD em quatro voluntários viciados e apresenta seus resultados a outros psiquiatras em um programa de televisão, sendo por eles veementemente contestado.

Encarnação do demônio (2008)

Josefel Zanatas, o Zé do Caixão, viveu dez anos em um manicômio. A contragosto e temor de todos, é finalmente solto. Mais cruel do que nunca, está decidido a encontrar a mulher certa para gerar seu herdeiro ideal.

Essas foram algumas dicas de filme para você ingressar nesse fantástico e pouco explorado mundo do terror brasileiro. Zé do Caixão nos deixou em Fevereiro deste ano, aos 83 anos, mas continua imortal em sua importantíssima obra.

Se você gostou desse texto, você pode gostar desse: 7 filmes de terror da Netflix.

Você já ouviu falar no cineasta brasileiro José Mojica Marins, conhecido popularmente pelo seu personagem mais famoso, o Zé do Caixão? Se você é fã de terror e não conhece, deveria conhecer já!

Zé do Caixão é um dos mais importantes cineastas brasileiros de todos os tempos e, apesar de não ter tanto reconhecimento assim dentro do próprio país, acumula prêmios e homenagens internacionais.

Zé do caixão

Nosso querido Zé do Caixão nos deixou em fevereiro desse ano e em sua homenagem vamos indicar aqui na nossa revista 5 filmes para você conhecer a obra desse diretor tão importante para o cenário de terror nacional, preparados?

Quem foi José Mojica Marins, o Zé do Caixão?

José Mojica Marins nasceu em São Paulo no ano de 1936 e sempre esteve ligado ao cinema de alguma forma. Quando criança, passava horas assistindo filmes na sala de projeção em que seu pai trabalhava e, após ganhar uma câmera V8 aos 12 anos, não parou mais de pensar em cinema.

zé do caixão

José Mojica é conhecido principalmente pelo terror, mas no início da sua carreira chegou a dirigir faroestes, dramas e aventuras. Sempre de maneira autodidata nas questões fílmicas, nos anos 1950 abriu sua própria escola de atores.

A partir daí, a carreira profissional de José Mojica se aproximava cada vez mais e ele chegou a realizar alguns filmes na sua escola, sendo o mais notável A sina do aventureiro, que já proporcional desavenças entre ele e a Igreja Católica da época.

O surgimento do personagem Zé do Caixão

Nos anos 1960, em seu primeiro terror À meia-noite levarei sua alma nos é apresentado o personagem que mais tarde se confundiria com o próprio Mojica, o Zé do Caixão.

José afirma que teve a ideia de criar o personagem a partir de um pesadelo que teve ao chegar em casa bastante cansado e ter dormido após a janta:

“Certa noite, ao chegar em casa bem cansado, fui jantar. Em seguida, estava meio sonolento, entre dormindo e acordado, e foi aí que tudo aconteceu: vi num sonho um vulto me arrastando para um cemitério. Logo ele me deixou em frente a uma lápide, lá havia duas datas, a do meu nascimento e a da minha morte. As pessoas em casa ficaram bastante assustadas.”

José Mojica Marins

Zé do Caixão era um personagem sem crenças nem em Deus e nem no Diabo, acreditava ser uma pessoa superior a todas as outras e que precisava de uma mulher igualmente superior para continuar a sua linhagem.

zé do caixão

Toda essa busca pela mulher perfeita inspirou o filme e sua sequência, Esta noite encarnarei no teu cadáver, os dois filmes mais conhecidos do mestre do terror brasileiro.

Reconhecimento de Zé do Caixão

No Brasil, Zé do Caixão não teve tanto reconhecimento oficial, principalmente por fazer parte de uma produção cinematográfica mais underground e, mesmo sendo dono durante muito tempo de parte da TV Brasil, nunca foi aclamado pela academia brasileira.

zé do caixão

No entanto, no exterior onde é conhecido como Coffin Joe, Zé do Caixão já foi homenageado diversas vezes e recebeu alguns prêmios, tanto na Espanha e França quanto nos Estados Unidos.

Em 2000 recebeu o prêmio Fantasporto, o maior festival de cinema de Portugal, pelo conjunto da sua obra.

Por quais filmes de Zé do Caixão devo começar?

Agora que você já conhece um pouco desse que foi um dos cineastas mais importantes do nosso cinema, veja abaixo alguns filmes para iniciar na filmografia de Zé do Caixão:

À meia-noite levarei sua alma (1964)

Um sádico e cruel coveiro percorre a cidade em busca de uma mulher para ter um filho.

Esta noite encarnarei no teu cadáver

O coveiro Zé do Caixão continua sua busca obsessiva pela mulher ideal capaz de gerar o filho perfeito. Com a ajuda do fiel criado, ele rapta seis belas moças, submetendo-as a terríveis sessões de tortura.

Exorcismo Negro (1974)

Homem vai para a casa de um amigo no campo sem saber que a família do mesmo está possuída por demônios, e quer matá-lo.

O despertar da besta (1983)

O psiquiatra Dr. Sérgio teoriza que as perversões sexuais são causadas pelo uso de drogas. Para isso, ele experimenta com LSD em quatro voluntários viciados e apresenta seus resultados a outros psiquiatras em um programa de televisão, sendo por eles veementemente contestado.

Encarnação do demônio (2008)

Josefel Zanatas, o Zé do Caixão, viveu dez anos em um manicômio. A contragosto e temor de todos, é finalmente solto. Mais cruel do que nunca, está decidido a encontrar a mulher certa para gerar seu herdeiro ideal.

Essas foram algumas dicas de filme para você ingressar nesse fantástico e pouco explorado mundo do terror brasileiro. Zé do Caixão nos deixou em Fevereiro deste ano, aos 83 anos, mas continua imortal em sua importantíssima obra.

Se você gostou desse texto, você pode gostar desse: 7 filmes de terror da Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20