Conteúdo ocultar
1 Cary Grant – Melhores filmes

Cary Grant – Melhores filmes

Cary Grant, foi um dos mais belos atores  Hollywoodianos. Seu sucesso, estendeu-se mesmo quando já adentrava a terceira idade, portanto, o motivo do triunfo, seria a beleza, o charme e convencimento, com o qual sempre conquistou seu público.

Melhores filmes – Cary Grant

Ele atuou por muitos anos, dando uma pausa, para lidar com sua empresa, mas, com o passar do tempo, voltou a se apresentar em público como palestrante, sendo detido por um mal súbito. Cary Grant portanto, ainda garante o entretenimento de muitas pessoas, pelo legado que deixou.

cary-2822630-5654426-2624939

Quem foi – Cary Grant

O britânico Archibald Alexander Leach, ou  Cary Grant como é conhecido, nasceu em 18 de janeiro de 1904, em Horfiield, Bristol, Inglaterra, Reino Unido. O mesmo, escapou portanto, de uma vida humilde e instável nos arredores de Bristol, se juntando com uma trupe acrobática, contudo, numerosos bicos o mantiveram, até ele se mudar para os Estados Unidos.

Ele conseguiu perder o sotaque, desenvolvendo portanto, um estilo de fala exclusivamente sua. Depois de atuar em musicais da Broadway, Grant assinou um contrato em 1932 pela Paramount Pictures.

Seu nome verdadeiro, não serviria para letreiros, então o estúdio pegou emprestadas as primeiras iniciais, de sua grande estrela na época, Gary Cooper, inverteu-as, criando portanto, e em seguida, o nome artístico: Cary Grant.

Depois de um ano de papéis pequenos, Grant foi escolhido por Mae West para ser o astro em She Done Him Wrong (1933) e I’m No Angel (1934). Contudo, Grant saltou para o estrelato, embora a Paramount permanecesse, desperdiçando seu potencial em filmes de segunda classe, contudo, o potencial de Grant, sempre superava.

Contratos com Columbia e RKO

Finalmente livre de suas obrigações Paramount em 1935, Grant jurou nunca ser estritamente vinculado a qualquer estúdio de novo, então ele assinou um contrato com a dupla Columbia e RKO que lhe permitia portanto,escolher qualquer papel “de fora” que quisesse.

Sylvia Scarlett (1936) foi o primeiro filme a demonstrar plenamente o talento de Grant. O ator foi nomeado para um Oscar por None But a Lonely Heart (1942), e ganhou portanto, um Oscar especial pelo conjunto da carreira em 1970.

grant-239x300-2767887-7873921-9540012

A maioria dos colegas de trabalho de Grant não tinha nada além de elogios para a sua habilidade e vontade de trabalhar em equipe. Grant contudo, era grande amigo do diretor Alfred Hitchcock, que lançou o ator em três de seus melhores filmes, mais notavelmente o excelênte thriller de Hitchcock, Intriga Internacional (1959).

O ator mais bonito e charmoso na velhice

Sendo considerado mais bonito e mais charmoso com a velhice, Grant manteve o estrelato na década de 1960. Enriqueceu ainda mais com a percentagem dos lucros em seus sucessos de bilheteria como Operation Petticoat (1959) e Charade (1964). Grant dedicou seus anos restantes em uma posição executiva em uma grande empresa de cosméticos.Portanto, Grant nunca aparecia em programas de televisão e raramente concedia entrevistas a jornais.

Na década de 1980, no entanto, tornou-se inquieto, e decidiu embarcar em uma turnê de palestras em todo o país, limitando-se exclusivamente a pequenas cidades em que os moradores poderiam nunca ter a chance de ver uma estrela de Hollywood em pessoa. Foi quando se preparava para uma palestra em Davenport que, com 82 anos de idade, Grant sofreu um derrame súbito e fatal em 1986.

Melhores filmes – Cary Grant

Abaixo temos, alguns do melhores filmes, desse espetacular astro de Hollywood.

A Vênus Loura (1932) – Cary Grant

O pico do sucesso de uma pessoa poderá ocorrer no momento de maior dificuldades de sua vida. Situações difíceis, podem ser as responsáveis, por desencadearem uma necessidade de se doar mais, para se alcançar melhores resultados, chegando ao topo do sucesso.

venus-8329053-2701270-4785279

Sinopse do filme: A Vênus Loura – Cary Grant

Helen (Marlene Dietrich) já brilhou nos clubes noturnos, mas agora está casada com um cientista, Edward Farady (Herbert Marshall), diagnosticado com um envenenamento. Ele precisa conseguir dinheiro para encontrar a cura, que está na Europa. Para isto, Helen volta a se apresentar nos palcos como a “Vênus loura”, tornando-se novamente um grande sucesso.

Curiosidades:

  • A história original “Mother Love” foi escrita pela própria Marlene Dietrich.
  • Dietrich executa três números musicais neste filme, incluindo o obscuro “You Little So-and-So” (música e letra de Sam Coslow e Leo Robin) e “I Could not Be Annoyed” (música e letras de Leo Robin E Richard A. Whiting). O destaque é o infame “Hot Voodoo” (música de Ralph Rainger, letra de Sam Coslow), que tem quase 8 minutos de duração e é principalmente instrumental, com trompete de jazz e bateria.

Ficha Técnica

Título: A Vênus Loura
Título Original: Blonde Venus
Ano: 1932
Direção: Josef von Sternberg
Roteiro: Jules Furthman, Josef von Sternberg, S.K. Lauren
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Marlene Dietrich

Helen Faraday

Herbert Marshall

Edward ‘Ned’ Faraday

Cary Grant

Nick Townsend

Dickie Moore

Johnny Faraday

Gene Morgan

Ben Smith

Rita La Roy

Taxi Belle Hooper

Robert Emmett O’Connor

Dan O’Connor

Sidney Toler

Detetive Wilson

Morgan Wallace

Dr. Pierce

Clarence Muse

Charlie

Sterling Holloway

Joe,o andarilho

Motivos para ver o filme: A Vênus Loura

É um filme que mostra o sucesso absoluto, oriundo da necessidade de se conseguir vencer na vida. Sacrifício, trabalho e sucesso são vistos nas cenas, e vale a pena serem notados

Gunga Din (1939)- Cary Grant

Gunga Din é considerado um dos 100 maiores filmes americanos de todos os tempos pelo Amercan Film Institute. Em 1999, Gunga Din foi considerado “culturalmente e historicamente significativo” pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos e selecionado para preservação no National Film Registry.

gunga-din-225x300-3558583-6306956-2443513

Sinopse do filme Gunga Din

Por volta de 1880, o comando colonial britânico na Índia perde contato com o posto avançado de Tantrapur. O coronel envia um destacamento para consertar o telégrafo e descobrir o que aconteceu, liderado por três sargentos eficientes e indisciplinados: MacChesney, Cutter e Ballantine, amigos de longa data e veteranos do exército. Acompanha o destacamento o humilde nativo carregador de água (bhisti) o Gunga Din.

Prêmios:

  • Indicado ao Oscar de 1940 na categoria de Melhor Fotografia – Preto e Branco

Curiosidades:

  • Produção da RKO Pictures, baseado no poema do mesmo nome de autoria de Rudyard Kipling, combinado com elementos da novela Soldiers Three do mesmo autor.
  • Com o orçamento de quase 2 milhões de dólares, esse foi o filme mais caro que a RKO já havia produzido até o momento. Gunga Din contou com mais de 600 figurantes nas cenas do Mount Whitney.
  • No filme de 1984, Indiana Jones e o Templo da Perdição, os eventos em Gunga Din são aludidos pelo personagem capitão Blumburtt. Também muitos dos eventos e cenas no filme são tiradas diretamente de Gunga Din.

Ficha Técnica

Título: Gunga Din
Título Original: Gunga Din
Ano: 1939
Direção: George Stevens
Roteiro: Rudyard Kipling, Charles MacArthur, Ben Hecht, Fred Guiol, Joel Sayre
Gênero: Ação/Aventura/Guerra
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Cary Grant

Sgt. Archibald Cutter

Victor McLaglen

Sgt. MacChesney

Douglas Fairbanks, Jr.

Sgt. Thomas Ballantine

Sam Jaffe

Gunga Din

Eduardo Ciannelli

Guru

Joan Fontaine

Emmy Stebbins

Montagu Love

Col. Weed

Robert Coote

Sgt. Bertie Higginbotham

Abner Biberman

Chota

Lumsden Hare

Maj. Mitchell

Motivos para assistir: Gunga Din (1939)- Cary Grant

Os motivos variam, por ser um filme que além de mostrar como ocorriam com os militares, mostra como funcionava o telégrafo, e suas limitações. Muito bom para se ter maior conhecimento, portanto, assistam esse maravilhoso filme.

Paraíso Infernal (1939) – Cary Grant

Esse filme, é  considerado um dos melhores filmes de Howard Hawks, especialmente pelo seu retrato real da profissão dos pilotos, a sua atmosfera, e as seqüências de voo. Ele Inspirou a série televisiva de 1983, Tales of the Gold Monkey.

o-paraiso-infernal-225x300-4470344-4509041-6658052

Sinopse do filme Paraíso infernal com Cary Grant

Quando o navio San Luis faz uma parada no porto de Barranca, para entregar malotes e carregar bananas, a cantora de cabaré Bonnie Lee deixa o barco por algumas horas para conhecer a cidade.

Ela encontra um bando de pilotos americanos que trabalham para um holandês warm-hearted. Ele é o dono de um hotel miserável e também da Barranca Airways, liderada por Geoff Carter. A única maneira de sair voando de Barranca é através de uma passagem a 14.000 pés acima do solo.

Como o tempo muitas vezes está tempestuoso e nebuloso, os vôos são extremamente difíceis, e vários pilotos já perderam suas vidas. Bonnie se apaixona por Geoff, que a faz lembrar de seu pai, um trapezista que trabalhou sem rede de segurança.

Ela decide deixar o barco e passar alguns dias no hotel. Mas Geoff está com medo de ficar amarrado a uma mulher. Ele quer continuar seu estilo de vida cheia de riscos.

Prêmios:

  • Foi indicado ao Oscar de 1940 nas categorias de Melhores Efeitos Especiais e Melhor Fotografia – Preto e Branco.

Curiosidades:

  • Quando Rita Hayworth não conseguiu interpretar muito bem a cena em que está bêbada, Hawks disse a Cary Grant para jogar um balde de água na sua cabeça, secar o cabelo dela, e apenas dizer suas falas.
  • Howard Hawks lembrou que, logo após o lançamento do filme, um crítico disse “Este é o único filme que Hawks já fez que não contém nada de verdade nele”. Então o diretor escreveu uma carta ao crítico dizendo: “Extamente tudo que está naquele filme é verdade. Eu conheci as pessoas que estão nele e tudo mais sobre elas. Mas é que nesse caso a verdade é mais estranha que a ficção.”

Ficha Técnica

Título: Paraíso Infernal
Título Original: Only Angels Have Wings
Ano: 1939
Direção: Howard Hawks
Roteiro: Jules Furthman
Gênero: Aventura/Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Cary Grant

Geoff Carter

Jean Arthur

Bonnie Lee

Richard Barthelmess

Bat Kilgallen – MacPherson

Rita Hayworth

Judy MacPherson

Thomas Mitchell

Kid Dabb

Allyn Joslyn

Les Peters

Sig Ruman

Dutchy

John Carroll

Gent Shelton

Don ‘Red’ Barry

Tex

Pat Flaherty

Mike

Lucio Villegas

Doutor

Pat Flaherty

Mike

Motivos para assistir: Paraíso infernal com Cary Grant

O filme mostra, como situações controversas, podem levar a outros caminhos. situaçoes que provocam

Jejum de Amor (1940)- Cary Grant

Esse filme foi eleito, pelo American Film Institute como uma das 100 melhores comédias de todos os tempos (19ª posição).

jejum-de-amor-300x158-2707401-7225609-8096991Sinopse do filme: Jejum de amor

Walter e Hildy são dois jornalistas que trabalham no mesmo jornal e acabam de se divorciar. Hildy vai até o jornal pedir demissão e avisar que está noiva e vai se casar no dia seguinte. Mas Walter não aceita e pede a ela que escreva uma última grande história sobre o assassino Earl Williams, enquanto ele ganha tempo para usar todos os seus truques para separar o casal.

Curiosidades:

  • Rosalind Russell achou que sua personagem não tinha falas tão boas quanto as de Cary grant e por isso contratou um escritor por conta própria para escrever suas falas.
  • Baseado em uma peça de teatro. No roteiro original a personagem “Hildy”, é um homem (Hildebrand Johnston), que cansado do trabalho estressante resolve abandonar o jornal por um grande amor.

Ficha Técnica

Título: Jejum de Amor
Título Original: His Girl Friday
Ano: 1940
Direção: Howard Hawks
Roteiro: Charles Lederer, Ben Hecht, Charles MacArthur
Gênero: Comédia/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos
Duração: 92 minutos

Elenco

Cary Grant

Walter Burns

Porter Hall

Murphy

Rosalind Russell

Hildegaard

Ralph Bellamy

Bruce Baldwin

Gene Lockhart

Peter

Abner Biberman

Louis ‘Diamond

John Qualen

Earl Williams

Motivos para assistir: Jejum de amor

Bem interessante, esse filme mostra que não é tão fácil se desprender dos laços antigos! Uma boa oportunidade para casais assistirem juntos.

Núpcias de Escândalo (1940) – Cary Grant

Núpcias de escândalo foi filmado em 8 semanas, e não foi necessária uma segunda tentativa ou retomada. Durante a cena em que James Stewart soluça quando está bêbado, é possível ver Cary Grant olhando para baixo e rindo. Isso porque o acesso de soluço não havia sido planejado e Grant teve que se segurar para não ter um ataque de riso.

cat-300x300-8475768-3058427-2982154

Sinopse do filme: Núpcias de escândalo 

Dois anos depois de se divorciar do primeiro marido, a socialite Tracy Lord está prestes a contrair matrimônio com George Kittredge, um aspirante a político. Porém, dias antes da celebração, a família é surpreendida pela chegada de Mike Connor, um escritor metido a repórter; Elizabeth Imbrie, uma pintora metida a fotógrafa; e Dexter Haven, o ex-marido, que se instalam como hóspedes na casa graças a uma chantagem envolvendo o pai da noiva.

A dupla do jornal deve escrever a história do casamento de Tracy, e ela e sua família decidem colaborar com a farsa para não ver o nome do patriarca da família ser manchado em público. Mas a presença tanto do ex-marido quanto do escritor farão com que Tracy repense sua decisão até o fatídico momento do sim.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1941 na categoria de melhor roteiro adaptado e de melhor ator (James Stewart).
  • Indicado nas categorias melhor filme, melhor direção, melhor atriz (Katharine Hepburn) e melhor atriz coadjuvante (Ruth Hussey).
  • NYFCC Award 1940 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) – Venceu na categoria de melhor atriz (Katharine Hepburn).

Curiosidades:

  • Katharine Hepburn pediu à MGM para escalar Clark Gable como Dexter e Spencer Tracy como Mike antes mesmo dela conhecer algum deles. Ambos estavam ocupados com outros projetos e não puderam participar do filme, então Cary Grant e James Stewart entraram no filme.
  • O dramaturgo Philip Barry baseou o personagem de Tracy em Helen Hope Montgomery Scott, uma socialite da Philadelphia que ficou famosa por dar festas extravagantes na fazenda da sua família de 800 acres de extensão. Os produtores disseram ter tentado filmar na propriedade da família, mas voltaram atrás depois de terem visto o tamanho e a grandiosidade tanto da casa principal quanto das terras. Eles disseram que se contassem ninguém acreditaria que alguém pudesse viver daquele modo, principalmente nos Estados Unidos dos anos 40.
  • Katharine Hepburn foi a estrela da peça da Broadway na qual esse filme foi baseado. O milionário Howard Hughes comprou os direitos dessa peça, para que ela pudesse ser adaptada ao cinema, e deu à Hepburn como um presente.
  • James Stewart não tinha planos de ir na cerimônia do Oscar no ano em que ele foi indicado por causa do filme. Um pouco antes da premiação começar, ele recebeu uma ligação dizendo para ele colocar um terno e ir para o Oscar. Ele então resolveu ir e ganhou o Oscar de Melhor Ator.
  • O roteiro, escrito por Donald Ogden Stewart e por Waldo Salt (não creditado), foi baseado em peça de teatro de Philip Barry.
  • Foi refilmado em 1956 como musical, sob o título de High Society.

Ficha Técnica – Núpcias de escândalo

Título: Núpcias de Escândalo
Título Original: The Philadelphia Story
Ano: 1940
Direção: George Cukor
Roteiro: Philip Barry, Donald Ogden Stewart, Waldo Salt
Gênero: Comédia/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

James Stewart

Macaulay Connor

Cary Grant

C. K. Dexter Haven

Katharine Hepburn

Tracy Lord

Ruth Hussey

Elizabeth Imbrie

John Howard

George Kittredge

Roland Young

Tio Willie

John Halliday

Seth Lord

Mary Nash

Margaret Lord

Virginia Weidler

Dinah Lord

Henry Daniell

Sidney Kidd

Lionel Pape

Edward

Rex Evans

Thomas

Lita Chevret

manicure

Veda Buckland

Elsie

David Clyde

Mac

Motivos para assistir: Núpcias de escândalo

Para se divertir bastante e aprender que a vingança nunca é plena…

Suspeita (1941) – Cary Grant

O roteiro, foi baseado na novela Before the Fact, de Anthony Berkeley. Suspeita foi o primeiro filme em que Hitchcock atuou como diretor e produtor.

suspeita-1941-cary-grant-225x300-5643582-4867639-1482924

Sinopse do filme: Suspeita

Johnny Aysgarth é um playboy viciado em jogos que vive pedindo dinheiro emprestado. Ele casa com a tímida Lina McLaidlaw, uma rica herdeira. Mas é apenas após a lua-de-mel que ela começa a desconfiar do caráter do marido, quando o parceiro e amigo de Johnny é morto misteriosamente. Ela suspeita do marido e teme que possa ser a próxima vítima.

Prêmios do filme: Suspeita

  • Venceu o Oscar de 1942 na categoria de melhor atriz principal (Joan Fontaine).
  • Indicado na categoria de melhor filme e melhor trilha sonora de filme dramático.
  • Venceu o Prêmio NYFCC 1941 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) na categoria de melhor atriz (Joan Fontaine).

Curiosidades do filme: Suspeita

  • Originalmente, o filme foi concebido para ser um filme-B estrelando George Sanders e Anne Shirley. Então, quando Alfred Hitchcock se envolveu no projeto, o orçamento aumentou e Laurence Olivier e Frances Dee foram cotados para os papéis principais. Posteriormente foi decidido lançar Cary Grant e Joan Fontaine, Fontaine havia acabado de participar de outro grande sucesso de Hitchcock “Rebecca – A Mulher Inesquecível (1940)”
  • Joan Fontaine tornou-se a única atriz a ganhar um Oscar (na categoria de melhor atriz principal) pela atuação num filme de Hitchcock.
  • As aparições do diretor Alfred Hitchcock eram a sua marca registrada em seus filmes. Em Suspeita, ele pode ser visto aos 45 minutos no filme, enviando uma carta no posto dos correios da cidade.
  • Uma das autoras do roteiro foi Alma Reville, mulher de Alfred Hitchcock e sua mais chegada colaboradora. Ela contribuiu em todos os filmes do marido, e geralmente não era creditada.

Ficha Técnica do filme: Suspeita

Título: Suspeita
Título Original: Suspicion
Ano: 1941
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Anthony Berkeley, Samson Raphaelson, Joan Harrison, Alma Reville
Gênero: Suspense
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco do filme: Suspeita

Joan Fontaine

Lina McLaidlaw Aysgarth

Cary Grant

Johnnie Aysgarth

Cedric Hardwicke

General McLaidlaw

Nigel Bruce

Gordon Cochrane Thwaite

Dame May Whitty

Sra. Martha McLaidlaw

Isabel Jeans

Sra. Newsham

Heather Angel

Ethel

Auriol Lee

Isobel Sedbusk

Leo G. Carroll

Capitão Melbeck

Lumsden Hare

Inspetor Hodgson

Billy Bevan

Bilheteiro

Motivos para assistir o filme: Suspeita

Bastante adrenalina e suspense! Você vai se arrepiar ao ver que mais uma vítima poderá ser feita a qualquer momento. Assistam, e tirem suas conclusões! Muito top!

E a Vida Continua (1942)- Cary Grant

Embora muitas vezes considerado uma comédia, o filme é realmente um drama social recheado com algumas cenas humorísticas e algumas palhaçadas. É certamente um dos primeiros exemplos disso, já que a maioria das comédias não tem um enredo tão forte e sério.

e-a-vida-300x235-8999730-1551792-4895153

Sinopse do filme: E a vida continua

Quando uma fábrica de tecidos pega fogo, Andrew Holmes (Charles Dingle), o dono, diz que o incêndio foi de origem criminosa e acusa Leopold Dilg (Cary Grant), o seu empregado e activista político, de ser o responsável.

Dilg é preso por incêndio premeditado e assassinato, pois um homem está desaparecido. O réu é inocente, mas durante o julgamento sente que será condenado. Desta forma assim que tem uma hipótese foge e acaba por ir pedir ajuda para Nora Shelley (Jean Arthur), por quem desde a juventude sentia uma paixão.

Prêmios:

  • E a Vida Continua foi nomeado ao Óscar de 1943, nas seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor História Original, Melhor Argumento, Melhor Edição, Melhor Fotografia – Preto e Branco, Melhor Direcção de Arte – Preto e Branco, Melhor Banda Sonora.

Curiosidades:

  • O filme foi produzido pela Columbia Pictures. Esta foi a segunda vez que Grant e Arthur foram escalados juntos em um filme, depois de Paraiso Infernal (1939).

Ficha técnica do filme: E a vida continua

Titulo: E a Vida Continua
Titulo Original: The Talk of the Town
Ano: 1942
Direção: George Stevens
Roteiro: Sidney Harmon, Dale Van Every, Irwin Shaw, Sidney Buchman
Gênero: Comédia/Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco: E a vida continua

Cary Grant

Leopold Dilg

Jean Arthur

Nora Shelley

Ronald Colman

Professor Michael Lightcap

Edgar Buchanan

Sam Yates

Glenda Farrell

Regina Bush

Charles Dingle

Andrew Holmes

Emma Dunn

Shelley

Rex Ingram

Tilney

Leonid Kinskey

Jan Pulaski

Tom Tyler

Clyde Bracken

Lloyd Bridges

Donald Forreste

Motivos para assistir: E a vida continua

Será muito divertido, ver  o Dilg pedindo ajuda sua amada, depois que a fabrica pegou fogo… Você não pode deixar de assistir!

Este Mundo é um Hospício (1944)- Cary Grant

Este Mundo é um Hospício foi eleito pelo American Film Institute como uma das 100 melhores comédias de todos os tempos (30ª posição).

este_mundo_-236x300-3492707-8904299-5907240

Sinopse do filme: Este mundo é um hospício

Mortimer Bruster (Cary Grant) é um crítico teatral conhecido por suas manifestações contrárias ao matrimônio. Ele aprende uma dura lição e justamente no dia de seu próprio casamento, acaba descobrindo um estranho hábito de suas doces e idosas tias: matar velhos solitários, como se fosse um ato de caridade.

Curiosidades do filme: Este mundo é um hospício

  • O filme é baseado em uma peça de teatro de grande sucesso escrita por Joseph Kesselring.
  • Foi filmado em 1941, mas por termos contratuais, teve que esperar o fim da peça na Broadway para ser lançado, o que só ocorreu em 1944.
  • O ator Cary Grant doou todo seu salário obtido em Este Mundo é um Hospício, US$ 100 mil, ao U.S. War Relief Fund, um fundo americano que enviava suprimentos e ajuda financeira aos soldados Aliados da Segunda Guerra Mundial.
  • Na cena em que Cary Grant está sentado no cemitério, uma das lapides tem o nome Archie Leach gravado nela, esse é o verdadeiro nome de Grant.

Ficha Técnica do filme: Este mundo é um hospício

Título: Este Mundo é um Hospício
Título Original: Arsenic and Old Lace
Ano: 1944
Direção: Frank Capra
Roteiro: Joseph Kesselring, Julius J. Epstein, Philip G. Epstein
Gênero: Comédia/Suspense
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco do filme: Este mundo é um hospício

Cary Grant

Brewster

Priscilla Lane

Elaine Harper

Raymond Massey

Jonathan Brewster

Jack Carson

O’Hara

Edward Everett Horton

Mr. Witherspoon

Peter Lorre

Dr. Herman Einstein

Josephine Hull

Abby Brewster

Jean Adair

Martha Brewster

John Alexander

Theodore Brewster

James Gleason

Rooney

Grant Mitchell

Reverendo Harper

Chester Clute

Dr. Gilchrist

Motivos para assistir o filme: Este mundo é um hospício

O motivo é de que você não pode perder a melhor comédia de todos os tempos! Corra para assistir!

Interlúdio (1946) – Cary Grant

Interlúdio é considerado por críticos como uma marca para Hitchcock artisticamente. Seu biógrafo, Donald Spoto, escreveu que “Notorious é de fato a primeira tentativa de Alfred Hitchcock, aos quarenta e seis anos, de direcionar seu talento para a criação de uma séria história de amor.

cary-grant-e-ingrid-300x231-5789910-6039262-5760497

Sinopse do filme Interlúdio com Cary Grant

 Após seu pai alemão ser condenado como espião, uma jovem mulher (Ingrid Bergman) passa a se refugiar em bebida e homens. É assim que se aproxima de um agente do governo (Cary Grant), que pergunta se ela concorda em ser uma espiã americana no Rio de Janeiro, onde nazistas amigos do pai dela estão operando. Ela acaba se casando com um espião nazista, mas se apaixona pelo seu contato no governo americano.

Prêmios do filme Interlúdio com Cary Grant

  • Indicado ao Oscar nas categoria melhor ator coadjuvante (Claude Rains) e melhor roteiro original.
  • Alfred Hitchcock recebeu indicação ao Grande Prêmio no Festival de Cannes.

Curiosidades:

  • Boa parte de Interlúdio foi filmado no Rio de Janeiro. A Avenida Rio Branco, os bancos da Cinelândia onde Ingrid Bergman e Cary Grant se encontravam e a praia de Copacabana servem como fundo para a história.
  • O roteiro é baseado em The Song of the Dragon, história de John Taintor Foote, que não foi creditado como roteirista.
  • A tradicional aparição do diretor Alfred Hitchcock surge com aproximadamente uma hora de filme, em meio à festa realizada na mansão de Alexander Sebastian.
  • Alfred Hitchcock consultou o ganhador do Prêmio Nobel, Robert Andrews Millikan, sobre
  • Em 7 de março de 1979, o American Film Institute homenageou Hitchcock. No jantar de tributo, Ingrid Bergman deu-lhe a chave da adega de vinho de Interlúdio. Depois que as filmagens terminaram, Cary Grant pegou a chave. Alguns anos mais tarde, ele deu a Bergman, dizendo que tinha dado sorte e esperava o mesmo para ela. Ao dar a chave para Hitchcock, ela expressou a esperança de que daria sorte para ele também.

Ficha Técnica do filme Interlúdio

Título: Interlúdio
Título Original: Notorious
Ano: 1946
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Ben Hecht, Alfred Hitchcock, Clifford Odets
Gênero: Suspense/Noir/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco do filme Interlúdio

Cary Grant

T.R. Devlin

Ingrid Bergman

Alicia Huberman

Claude Rains

Alexander Sebastian

Louis Calhern

Capitão Paul Prescott

Leopoldine Konstantin

Madame Anna Sebastian

Reinhold Schünzel

Dr. Anderson

Moroni Olsen

Walter Beardsley

Ivan Triesault

Eric Mathis

Wally Brown

Sr. Hopkins

Charles Mendl

Comodoro

Virginia Gregg

Arquivista

Ricardo Costa

Dr. Julio Barbosa

Eberhard Krumschmidt

Emil Hupka

Alexis Minotis

Joseph

Fay Baker

Ethel

Motivos para assistir:

Fim

Finalizamos aqui, mais um catálogo de melhores filmes, desta vez com Cary Grant. Se você está nos acompanhando com os catálogos, e deseja saber mais sobre filmes, visite nosso blog, e confira inúmeras novidades para você assistir com a família.

Um forte abraço e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20