• Início
  • Artigos
  • Crítica │ Peaky Blinders – Gangues, apostas, violência e sangue

Crítica │ Peaky Blinders – Gangues, apostas, violência e sangue

Primeira Temporada: Bem vindos a Birmingham

A primeira temporada trouxe a apresentação da família Shelby ou melhor se referindo os Peaky Blinders, as gangues inglesas e os bons negócios das apostas nas regiões de Birmingham, Inglaterra. Com um momento muito histórico vemos as pessoas lutando bravamente pela Inglaterra aquele patriotismo envolvente e a eterna tensão justamente entre Irlanda e Inglaterra em uma época de formação da versão mais organizada do IRA, que começara oficialmente em 1917.

Esses pontos são trabalhados e desenvolvidos com o passar das temporadas, não ficando a desejar e sim em mostrar ao público como era difícil realmente as consequências da Primeira Guerra Mundial.

O comunismo entrando em cena é tão presente e ao mesmo tempo perturbador,mesmo nascendo na Europa exatamente no século XIX e estourando por uma sociedade igualitária sem classes na série ainda está visada e não tomada por planos contra o parlamento britânico.

No final da temporada o fator muda trazendo consigo a construção para um grande embate, e acabando em uma resolução um contra um que te deixa com aquele ar de curiosidade querendo mais da onde veio a diversão toda. De todas as formas, Peaky Blinders, prende a atenção do público com as apostas, brigas com uma música combinatória ao momento e os planos de Thomas Shelby para sempre sair dos problemas e, dar a volta por cima.

Segunda Temporada: Com as vitórias surgem as consequências

Na primeira temporada fomos apresentados todo o cenário da sútil Inglaterra, em especial a Birmingham e todo o ambiente das gangues e apostas.

Começando com um novo personagem Alfie Solomons, interpretado por Tom Hardy, uma pessoa imprevisível e ardiloso de princípio não sabemos qual lado ele realmente luta. Os diálogos de Tommy e Alfie mostram ter mais semelhanças do que diferenças por mais que queiram ser individualistas a aliança é necessária.

O Inspetor Campbell se erradica e acaba se tornando o diabo em pessoa para acabar com Thomas Shelby, mas o problema maior nessa temporada é a ameaça italiana liderada por Darby Sabini.

As evoluções são bem vindas para a família Shelby,Ada se mostra uma forte aliada dos comunistas, Arthur pertubado pelos fantasmas da guerra, John se vê com uma outra visão mesmo ainda seguindo o irmão mais velho e mãezona Polly com uma surpresa inesperada e mais forte.

A segunda temporada podemos estar mais presentes e vivenciar esse jogo de gato e rato, a pressão psicológica. Eles não deixam a força cair deixando uma mensagem bem clara para todos.

Não se intrometa com os Peaky Blinders.

Terceira Temporada: Manipulações Ardilosas

Depois de dois anos conhecendo os personagens e os planos mirabolantes, de Tommy Shelby para conseguir se dar bem e dar a volta por cima, o terceiro ano se encarrega da chegada da personagem Grace e seu belo romance com o líder da Peaky Blinders novamente.

De princípio a atitude e comportamento de Arthur Shelby é de tirar o chapéu, já seguro de si, casado com uma mulher bem culta Linda e sensato com os acontecimentos que os perturbavam. Por mais que Arthur se mostre um homem fiel e temente, ainda continua cuidando dos negócios da família, o curioso se mostrar uma pessoa unilateral, não deixa de lado suas raízes como já mostra a série “sangue, apostas e navalhas” é o que nos oferece de prato cheio dessa ambição.

Os negócios de apostas não terminaram, mas agora, o foco era outro. Tommy viria a fechar negócios com os russos, e descobriria logo mais, que haveria grandes consequências. Alfie Solomons mais uma vez está presente em alguns episódios, trazendo mais da sua filosofia e seus monólogos bem pontuais.

Vemos no final uma reviravolta já esperada onde Tommy é distanciado dos seus planos e se vê obrigado a se juntar com os russos mais uma vez a corrida contra o tempo. A ambição de Thomas Shelby viria à tona nessa temporada e a consequência seria a distância da família Shelby, o próprio chefe da Peaky Blinders se voltando ao russos pela manipulação e a reconquista dos seus aliados mais importantes seria um pouco mais tarde no quarto ano.

Quarta Temporada: Máfia e Vingança

Mostrando a nova temporada da série, o líder dos Shelby tentando salvar sua família, a presença da desconstrução familiar e as quase mortes é motivo para desfazer laços sentimentais e a nova ameaça para todos começa a bater na porta. Todas as três temporadas anteriores tiveram seis parcelas que levaram os espectadores a uma jornada acelerada pelo mundo muitas vezes violento dos Shelbys e suas negociações.

Tommy estará firmemente de volta à sua terra natal em Birmingham, deixando seu país para trás. A comum reviravolta dentro da série passam a ser baseada nas armadilhas que os italianos tentam contra a família Shelby.

Enquanto isso, eram as greves constantes nas fábricas e o novo investimento em lutas – a Inglaterra foi o grande símbolo da Primeira Revolução Industrial, ocasião caracterizada pela própria invenção da máquina a vapor, com aumento da produtividade, maior exploração do trabalho e estabelecimento do sistema capitalista na economia, ou seja, a história está presente em todo o fator narrativo.

Alfie Solomons – Tom Hardy nos impressiona sendo essa carisma ambulante – se prova um personagem essencial na trama, demonstrando suas loucas filosofias para Tommy, mostrando para o próprio que está ao seu lado custe o que custar. Nas primeiras temporadas não havia muito espaço para brigas e tiroteios como a máfia tem essa propaganda, mas essa temporada mostra que sempre tem um prato cheio para mostrar ao público sem se cansar dos problemas envolventes.

Não tem espaço para a palavra sossego no vocabulário de Tommy, amargurado, levando cicatrizes nas costas e sempre perdendo as pessoas que amam e sempre estando ativo para as próximas adversidades, voltando para os negócios mais cedo do que o previsto.

A quarta temporada chegou com um ar de vingança estilo filmes dignos de mafiosos, mas em episódios. Tommy com mais um plano espetacular no episódio final, apesar das perdas e o novo rumo que todos tomaram os Peaky Blinders ainda têm muito o que contar.

Peaky Blinders está disponível na Netflix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20