Conteúdo ocultar

Ingrid Bergman, foi uma sueca de beleza indiscutível e talento inquestionável. Fez bastante sucesso no cinema, e deixou portanto, um legado com diversos filmes, para serem assistidos, e permitir que as emoções possam fluir.

Ingrid Bergman – Melhores filmes

Entre seus melhores filmes, estão contidos, jóias que levaram multidões ao cinema, para que se envolvessem com as emoções e fascinantes histórias de amor. Confira a seguir, alguns desses importantes filmes.

ingrid-novi-256x300-3239835-5843763-3143986

Quem foi Ingrid Bergman?

Ingrid Bergman teve seu nascimento em 29 de agosto de 1915, em Estocolmo, Suécia. Tornou-se uma premiada atriz sueca, considerada por muitos uma das maiores estrelas do cinema de todos os tempos.

Ganhou dois Óscares, de Melhor Atriz principal e um, de Melhor Atriz coadjuvante. Ingrid, era filha de mãe alemã e pai sueco. A sua mãe morreu quando tinha dois anos e pai, Justus Bergman, foi um fotógrafo boêmio, que lhe transmitiu o amor pelo teatro.

A atriz entrou para a Real Escola de Arte Dramática de Estocolmo, e antes de terminar o curso, estreou no cinema levada por um caçador de talentos. Em dois anos participou de nove filmes na Suécia.

Já famosa em seu país, Ingrid foi levada para Hollywood em 1939, para estrelar a versão de um dos seus mais bem sucedidos filmes suecos, “Intermezzo”. A partir daí, o mundo inteiro rendeu-se a uma grande atriz, que tinha um estilo próprio que em Hollywood, alguns diretores e produtores, definiam com um glamour ao ar livre.

Isso fazia, com que ela interpretasse da mesma maneira vibrante, tanto uma camponesa como uma princesa.

Ingrid Bergman na escolha de seus papéis

Ingrid sabia escolher bem os seus papéis. Em 1942 ela filmou o grande clássico Casablanca, ao lado de outra lenda Humphrey Bogart. Em 1943 ela foi nomeada para um Oscar por seu papel em: “Por Quem os Sinos Dobram (1943)”, o único filme que ela fez naquele ano.

Os críticos e o público também aplaudiram de pé quando ela fez “À Meia-Luz” (1944), no ano seguinte – seu papel de Paula Alquist lhe rendeu seu primeiro Oscar de Melhor Atriz.

Em 1945, Ingrid foi escalada para Quando Fala o Coração, Mulher Exótica e Os Sinos de Santa Maria, pelo qual recebeu sua terceira indicação ao Oscar por seu papel de Irmã Bento. Bergman também estrelou três filmes de Alfred Hitchcock Spellbound (1945), Notorious (1946), e Under Capricorn (1949).

Ela estudou atuação com o professor Michael Chekhov durante os anos 1940. Chekhov atuou com Bergman em Spellbound e recebeu sua única indicação ao Oscar por sua performance.

Um novo romance

Ela não fez nenhum filme em 1947, mas se recuperou com uma quarta nomeação por Joana D’Arc (1948). Em 1949 ela foi para a Itália para filmar Stromboli (1950), dirigido por Roberto Rossellini. Ela se apaixonou por ele e deixou o marido, Dr. Peter Lindstrom e a filha, Pia Lindström.

“Guardiões morais” dos Estados Unidos, na imprensa e nos púlpitos, ficaram indignados. Essa paixão fez com que Ingrid fosse acusada de adúltera, e de mau exemplo para as mulheres americanas, isso levou-a a ficar anos sem filmar nos Estados Unidos.

Com Rossellini teve três filhos: Roberto e as gêmeas Isotta Ingrid e Isabella, hoje a atriz Isabella Rossellini. Esse casamento durou até 1957, quando se divorciaram. Foi casada com Lars Schmidt de 1958 até 1975, quando também se divorciou.

De volta à carreira

Ingrid continuou a fazer filmes na Itália, e finalmente voltou a Hollywood em 1956, no papel-título em Anastácia, A Princesa Esquecida (1956), que foi filmado na Inglaterra. Este filme lhe rendeu seu segundo Oscar.

Variando  entre a Europa e os EUA, fez diversos filmes. Em sua atuação na tela em 1978 no Sonata de Outono ela teve sua última indicação ao Oscar. Embora ela não tenha ganhado, muitos sentiram que era o desempenho mais impressionante de sua carreira.

Ingrid então se aposentou, mas não antes de demonstrar um excelente desempenho na mini-série Golda (1982), um filme sobre o primeiro-ministro israelense Golda Meir. Ela ganhou um Emmy Award como Melhor Atriz, mas, infelizmente, não viveu para ver os frutos de seu trabalho.

Ingrid morreu de câncer em 29 de agosto de 1982, em seu 67° aniversário, em Londres, Inglaterra. Em uma entrevista um ano antes de falecer, Ingrid disse que se recusava a se render à doença e que por isso continuava a fumar e a beber vinho e champagne. Está sepultada no Norra begravningsplatsen, Estocolmo.

Ingrid Bergman – Melhores filmes

Abaixo temos alguns, dos melhores filmes da carreira dessa grande estrela do cinema. Que tal conferirmos quais são, e seu impacto sobre o público?

Intermezzo: Uma História de Amor (1939)- Ingrid Bergman

Nesse filme, Os duetos musicais, com Howard e Bergman, foram dublados por músicos profissionais. No entanto, as mãos dos atores mostram a música real que está sendo tocada: Ingrid Bergman toca as partes completas do piano , de modo que suas posições nas mãos são corretas para a música trilha sonora, embora não estivesse realmente tocando.

inter-1-3644111-5294639-2469555

Sinopse do filme Intermezzo

O violonista Holger Brandt volta para sua família após uma turnê mundial. Holger e sua esposa Margit Brandt passaram muitos anos juntos, mas o tempo desgastou o amor do casal. Enquanto isso, sua filha Ann-Marie Brandt está tomando aulas de piano da jovem Anita Hoffman.

Holger, no início, não sente nada pela professora, mas, ao vê-la tocar no aniversário de sua filha, se impressiona com tamanho talento e encanto. Entediado com a rotina do casamento e ansioso em recuperar sua juventude, Holger sente uma forte atração pela professora, coisa que há muito tempo não sentia.

Prêmios:

  • Indicado ao Óscar de 1940 na categoria de Melhor Fotografia – Preto e Branco.

Curiosidades:

  • Esta é a grande estréia de Ingrid Bergman em Hollywood. É também estrelado por Leslie Howard como um violinista virtuoso (casado), que cai no amor com sua acompanhante.
  • É um remake do filme sueco de 1936, Intermezzo e apresenta várias orquestrações da peça do mesmo nome, do Heinz Provost. O roteiro de George O’Neil foi baseado no roteiro do filme original.
  •  Leslie Howard, no entanto, não pôde tocar violão, então um violinista profissional – que também tem uma semelhança impressionante com Leslie Howard – foi trazido para ensinar-lhe a postura de violino e a técnica de curvatura. Durante a filmagem, este mesmo músico, Al Sack, ficou de joelhos, fora da vista da câmera, e fez a dedilhada em todos os close-ups. No filme, os telespectadores vêem a mão esquerda do Sack e o braço e o perfil do Sr. Howard.
  • O filme foi reconhecido em 2002 pelo American Film Institute como sendo um dos 100 maiores romances do cinema americano.

Ficha técnica

Título: Intermezzo: Uma História de Amor
Título Original: Intermezzo: A Love Story
Ano: 1939
Direção: Gregory Ratoff
Roteiro: George O’Neil, Gösta Stevens, Gustaf Molander
Gênero: Romance/Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Leslie Howard

Holger

Ingrid Bergman

Anita

Edna Best

Margit

John Halliday

Thomas

Cecil Kellaway

Charles

Enid Bennett

Greta

Ann E. Todd

Ann Marie

Douglas Scott

Eric

Eleanor Wesselhoeft

Emma

Maria Flynn

Marianne

Holmes Herbert

médico

Doris Lloyd

professora

Motivos paraver o filme Intermezzo

É um filme espetacular, o qual mostra a necessidade de um homem que deseja recuperar sua juventude e a capacidade de amar, diante de alguém que lhe atrai profundamente. Bom para aqueles que gostam de musical e romance juntos.

Casablanca (1942) – Ingrid Bergman

O filme Casablanca, considerado como um dos maiores filmes da história do cinema americano, ganhou vários Oscar da Academia, incluindo o de melhor filme em 1943.

casa-blanca-300x225-9958928-7619178-5437649

Sinopse do filme Casablanca

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos fugitivos tentavam escapar dos nazistas por uma rota que passava pela cidade de Casablanca. O exilado americano Rick Blaine (Humphrey Bogart) encontrou refúgio na cidade, dirigindo uma das principais casas noturnas da região.

Clandestinamente, tentando despistar o Capitão Renault (Claude Rains), ele ajuda refugiados, possibilitando que eles fujam para os Estados Unidos. Quando um casal pede sua ajuda para deixar o país, ele reencontra uma grande paixão do passado, a bela Ilsa (Ingrid Bergman).

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1943 nas categorias: Melhor filme; Melhor diretor; Melhor roteiro adaptado (Julius J. Epstein, Philip G. Epstein e Howard Koch)
  • Foi indicado nas categorias: Melhor ator (Humphrey Bogart); Melhor ator coadjuvante (Claude Rains) Melhor fotografia (Arthur Edeson) Melhor edição (Owen Marks) Melhor Trilha sonora (Max Steiner)

Curiosidades:

  • Em 2005 foi nomeado um dos 100 melhores filmes dos últimos 80 anos pela Time.
  • Em 2006, o Writers Guild of America, West escolheram o roteiro de Casablanca o melhor de todos os tempos na sua lista dos “101 Greatest Screenplays”.
  • O filme é considerado o terceiro melhor filme americano de todos os tempos pela American Film Institute (AFI).
  • Em 1989, o filme foi selecionado para preservação no Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos sendo considerado “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo”.

Ficha Técnica

Título: Casablanca
Título Original: Casablanca
Ano: 1942
Direção: Michael Curtiz
Roteiro: Murray Burnett, Joan Alison, Julius J. Epstein, Philip G. Epstein, Howard Koch
Gênero: Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Ilsa Lund

Humphrey Bogart

Rick Blaine

Claude Rains

Capitão Renault

John Qualen

Berger

Marcel Dalio

Emil,crupiê do Rick

Henry Rowland

Oficial alemão

Peter Lorre

Ugarte

Sydney Greenstreet

Signor Ferrari

Conrad Veidt

Major Strasser

Paul Henreid

Victor Laszlo

Motivos para ver o filme Casablanca

Além de mostrar um romance, esse filme traz detalhes de vivencia durante a guerra. Além de entretenimento, é um filme que transfere conhecimento. Vale a pena assistir.

Por Quem os Sinos Dobram (1943) – Ingrid Bergman

Esse filme tornou-se o top hit de bilheteria de 1943, arrecadando US$ 11 milhões. Ele também foi indicado para nove prêmios da Academia, ganhando um. A Trilha sonora de Victor Young foi a primeira partitura completa de um filme a ser registrada.

dobrar-211x300-2077923-6771678-2039176

Sinopse do Filme : Por que os sinos dobram

Espanha na década de 1930, é o local ideal para um homem que gosta de ação, como Robert Jordan. Há uma guerra civil acontecendo, e Jordan se juntou ao lado mais idealista. Foi lhe dada uma tarefa de alto risco nas montanhas, e ele aguarda o momento certo para explodir, uma ponte em uma caverna. Durante a missão, Jordan conhece uma jovem (Ingrid Bergman) cujo os pais foram mortos pelos franquistas.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1943 na categoria de melhor atriz coadjuvante (Katina Paxinou).
  • Indicado na categoria de melhor ator (Gary Cooper), melhor ator coadjuvante masculino (Akim Tamiroff), melhor atriz (Ingrid Bergman), melhor diretor de arte, melhor fotografia colorida, melhor edição, melhor canção e melhor filme.

Curiosidades:

  • O roteiro se baseia em romance homônimo de Ernest Hemingway, adaptado por Dudley Nichols.
  • Ernest Hemingway, autor do livro, escreveu a personagem Maria tendo Ingrid Bergman em mente. Por causa disto o escritor insistiu que Bergman fosse contratada para o papel, o que fez com que o estúdio dispensasse Vera Zorina, que já estava contratada.
  • Ingrid Bergman começou a trabalhar em Por Quem os Sinos Dobram logo após o término das filmagens de Casablanca, tendo apenas cortado seu cabelo.

Ficha técnica

Título: Por Quem os Sinos Dobram
Título Original: For Whom the Bell Tolls
Ano: 1943
Direção: Sam Wood
Roteiro: Dudley Nichols, Ernest Hemingway
Gênero: Aventura/Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Ingrid Bergman

Maria

Gary Cooper

Robert Jordan

Eric Feldary

Andrés

Mikhail Rasumny

Rafael

Vladimir Sokoloff

Anselmo

Arturo de Córdova

Agustín

Katina Paxinou

Pilar

Fortunio Bonanova

Fernando

Akim Tamiroff

Pablo

Joseph Calleia

El Sordo

Feodor Chaliapin Jr.

Kashkin

Jean Del Val

Atirador

Motivos para ver o filme: Por que os sinos dobram

Trata-se de um fenômeno, em se tratando de filmes. Bom é assisti-lo por diversas vezes, analisando-o nos mínimos detalhes, e  encontrando cada vez mais novidades.

À Meia Luz (1944) -Ingrid Bergman

Este filme foi indicado nas categorias de melhor filme, melhor ator (Charles Boyer), melhor atriz coadjuvante (Angela Lansbury), melhor roteiro e melhor fotografia – preto e branco

a-meia-luz_t4231-219x300-6976213-3948743-1955475

Sinopse do filme : A meia luz

Paula Alquist conhece o experiente Gregory Anton e, depois de um curto namoro, acabam por se casar e passam duas semanas em lua-de-mel na Itália, onde Paula estuda ópera.

De volta a Londres, o casal muda-se para o lar de uma tia de Paula, antiga e famosa estrela de ópera que fora assassinada misteriosamente – sendo que Paula foi quem encontrou o seu corpo, ainda criança.

Além do casal, residem na casa as empregadas Elizabeth Tompkins, que preparou as refeições para a família durante muitos anos, e Nancy Oliver, uma empregada que se atira constantemente a Gregory desde sua contratação.

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1945 nas categorias de melhor atriz (Ingrid Bergman) e melhor direção de arte..
  • Venceu o Globo de Ouro 1941 (EUA) na categoria de melhor atriz (Ingrid Bergman).

Curiosidades:

  • Para interpretar Paula Alquist, Ingrid Bergman passou algum tempo em uma instituição mental, estudando uma mulher que tinha sofrido um colapso nervoso.
  • Angela Lansbury fez sua estreia no cinema neste filme. Possuía apenas 17 anos quando o fez.
  • A versão de 1944 foi a segunda a ser filmada, seguindo o filme britânico Gaslight, dirigido por Thorold Dickinson e lançado em 1940. Esta versão de 1944 foi dirigida por George Cukor e estrelada por Ingrid Bergman, Charles Boyer. Este filme tinha uma escala e um orçamento maiores do que o filme anterior e dá uma sensação diferente ao material. Para evitar confusão com o primeiro filme, esta versão recebeu originalmente o título The Murder in Thornton Square no Reino Unido.
  • Incentivado pelo sucesso da peça e do filme britânico de 1940, a MGM comprou os direitos do remake, mas com uma cláusula insistindo em que todas as impressões existentes do primeiro filme fossem destruídas, chegando ao ponto de tentar destruir o negativo. Evidentemente, essa ordem não foi honrada ao pé da letra, uma vez que a Gaslight de 1940 ainda está disponível com segurança para exibição teatral e de TV, bem como para lançamento em DVD.
  • O termo psicológico gaslighting, que descreve uma forma de abuso psicológico em que a vítima é gradualmente manipulada para duvidar de sua própria sanidade, originou-se da peça e de suas duas adaptações cinematográficas.

Ficha técnica

Titulo: À Meia Luz
Titulo Original: Gaslight
Ano: 1944
Direção: George Cukor
Roteiro: Patrick Hamilton, John Van Druten, Walter Reisch, John L. Balderston
Gênero: Crime/Suspense/Noir
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Paula Alquist

Charles Boyer

Gregory Anton

Joseph Cotten

Brian Cameron

May Whitty

Miss Thwaites

Angela Lansbury

Nancy Oliver

Barbara Everest

Elizabeth Tompkins

Emil Rameau

Maestro Mario Guardi

Edmund Breon

General Huddleston

Halliwell Hobbes

Sr. Muffin

Tom Stevenson

Williams

Heather Thatcher

Lady Dalroy

Lawrence Grossmith

Lorde Dalroy

Motivos para ver o filme: À meia luz

Além de ser um filme ótimo para entretenimento, esse filme é bom para estudantes do comportamento humano, como estudantes da psicologia ou neurologia, dentre outros.

Quando Fala o Coração (1945) -Ingrid Bergman

É um dos primeiros filmes feitos em Hollywood, cuja trama usa a psicanálise.

quando-219x300-3330898-9466389-9877007

Sinopse do filme: Quando fala o coração

A linda e fria Dra. Constance (Ingrid Bergman) é uma psiquiatra que conhece muito bem o ser humano, ao menos era o que pensava até conhecer o sinistro Dr. Anthony Edwardes (Gregory Peck) que foi nomeado como substituto do diretor da clinica psiquiátrica Green Manors, onde ela trabalha.

Dra. Constance começa a perceber que os comportamentos do famoso médico Dr. Edwardes estão bastante estranhos.

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1946 na categoria de melhor trilha sonora para cinema – comédia/drama.
  • Indicação também nas categorias de melhor filme, melhores efeitos especiais, melhor diretor, melhor fotografia preto-e-branco e melhor ator coadjuvante (Michael Chekhov).
  • Ingrid Bergman recebeu o prêmio NYFCC 1946 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) na categoria de melhor atriz.

Curiosidades:

  • É um dos primeiros filmes feitos em Hollywood, cuja trama usa a psicanálise.
  • Em Spellbound, Hitchcock pode ser visto saindo de um elevador no Empire State Hotel, carregando uma mala de violino e fumando um cigarro, cerca de 43:15 minutos do filme.
  • Spellbound causou grande disputa entre Alfred Hitchcock e o produtor David O. Selznick. O contrato de Hitchcock com Selznick começou em março de 1939, mas apenas resultou em três filmes: Rebecca (1940) e The Paradine Case (1947) (Notorious foi vendido para RKO). Selznick queria que Hitchcock fizesse um filme com base na própria experiência positiva dele com a psicanálise. Selznick trouxe até seu próprio terapeuta, Romm M.D., que foi creditado no filme como um conselheiro técnico. Dr. Romm e Hitchcock entraram em confronto várias vezes.
  • Ingrid Bergman e Gregory Peck eram ambos casados com outros no momento da produção – Bergman com Petter Aron Lindström e Peck com Greta Kukkonen – mas eles tiveram um breve caso durante a filmagem.
  • Seu relacionamento secreto tornou-se público quando Peck confessou a Brad Darrach da People em uma entrevista em 1987, cinco anos após a morte de Bergman: “Tudo o que posso dizer é que eu tinha um amor verdadeiro por ela (Bergman) e acho que é aí que eu deveria parar de falar… Eu era jovem. Ela era jovem. Nós fomos envolvidos por semanas em um trabalho próximo e intenso”.

Ficha técnica

Titulo: Quando Fala o Coração
Titulo Original: Spellbound
Ano: 1945
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: John Palmer, Hilary St. George Sanders, Angus MacPhail, Ben Hecht, May E. Romm
Gênero: Suspense/Noir/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Dra. Constance Petersen

Gregory Peck

John Ballantine / Dr. Anthony Edwardes

Michael Chekhov

Dr. Alexander (Alex) Brulov

Leo G. Carroll

Dr. Murchison

Rhonda Fleming

Mary Carmichael

John Emery

Dr. Fleurot

Norman Lloyd

Sr. Garmes

Steven Geray

Dr. Graff

Donald Curtis

Harry

Addison Richards

Capitão da polícia

Wallace Ford

Estranho no Saguão do Hotel

Alfred Hitchcock

Homem deixando o elevador

Edward Fielding

Dr. Anthony Edwards

Regis Toomey

Detetive GIllespie

Victor Kilian

Xerife

Dave Willock

Mensageiro do hotel

Motivos para ver o filme: Quando fala o coração

Uma oportunidade para estudiosos da psicanalise, obterem contato com cenas, que tratam com personalidades diferenciadas.

Os Sinos de Santa Maria (1945) -Ingrid Bergman

Durante as filmagens, Bing Crosby e Ingrid Bergman decidiram fazer uma brincadeira com o padre católico que supervisionava a produção como consultor. Os atores pediram ao diretor mais uma tomada da cena final e, durante a despedida do Padre O’Malley e da Irmã Benedict, os dois se despedem dando um abraço e um beijo apaixonado, fazendo com que o religioso conselheiro desse um pulo da cadeira gritando em protesto.

sinoa-300x169-3004032-8134530-1307639

Sinopse do filme: Os sinos de Santa Maria

O padre católico Charles (Bing Crosby) chega para ser o novo diretor da escola de freiras Santa Maria, sediada em Nova Iorque. A situação é precária com o prédio antigo prestes a ser demolido e parte do terreno já vendido ao construtor milionário Horace P. Bogardus, que inicia uma grande e moderna construção para sua empresa. Nesse meio o padre conhece a líder das freiras, Irmã Mary Benedict (Ingrid Bergman).

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1946 na categoria de melhor som
  • Indicado a melhor ator (Bing Crosby), melhor atriz (Ingrid Bergman), mellhor diretor, melhor edição, melhor trilha sonora original, melhor canção (para Jimmy Van Heusen e Johnny Burke por “Aren’t You Glad You’re You”) e melhor filme.
  • Venceu o Globo de Ouro de 1946 na categoria Melhor Atriz – Drama (Ingrid Bergman).

Curiosidades:

  • Bing Crosby interpreta novamente o personagem do padre O’Malley, com o qual havia recebido o Oscar no ano anterior pela atuação em O Bom Pastor.
  • Escrito antes de O Bom Pastor (1944), a intenção original era que o longa de 1944 fosse a sequência de Os Sinos de Santa Maria.
  • Em 1959, foi exibida uma adaptação em videotape pela televisão americana. Estrelaram o programa Claudette Colbert, Marc Connelly, Glenda Farrell, Nancy Marchand, Barbara Myers, Robert Preston e Charles Ruggles. A direção foi de Tom Donovan.

Motivo para ver o filme Sinos de Santa Maria

O filme Sinos de Santa Maria, é considerado o quinquagésimo de maior bilheteria em todos os tempos, portanto, só esse fato já mostra o quanto é interessante.

Interlúdio (1946) – Ingrid Bergman

Boa parte de Interlúdio foi filmado no Rio de Janeiro. A Avenida Rio Branco, os bancos da Cinelândia onde Ingrid Bergman e Cary Grant se encontravam e a praia de Copacabana servem como fundo para a história.

interludio-216x300-7874027-2032642-5694541

Sinopse do filme Interlúdio – Ingrid Bergman

Após seu pai alemão ser condenado como espião, uma jovem mulher (Ingrid Bergman) passa a se refugiar em bebida e homens. É assim que se aproxima de um agente do governo (Cary Grant), que pergunta se ela concorda em ser uma espiã americana no Rio de Janeiro, onde nazistas amigos do pai dela estão operando.

Ela acaba se casando com um espião nazista, mas se apaixona pelo seu contato no governo americano.

Prêmios:

  • Indicado ao Oscar nas categoria melhor ator coadjuvante (Claude Rains) e melhor roteiro original.
  • Alfred Hitchcock recebeu indicação ao Grande Prêmio no Festival de Cannes.

Curiosidades:

  • O roteiro é baseado em The Song of the Dragon, história de John Taintor Foote, que não foi creditado como roteirista.
  • A tradicional aparição do diretor Alfred Hitchcock surge com aproximadamente uma hora de filme, em meio à festa realizada na mansão de Alexander Sebastian.
  • Alfred Hitchcock consultou o ganhador do Prêmio Nobel, Robert Andrews Millikan, sobre como fazer uma bomba atômica, mas ele se recusou a responder, apenas confirmou que o principal componente, o urânio, poderia caber numa garrafa de vinho.
  • Em muitas das cenas em que contracenou com Ingrid Bergman, o ator Claude Raines estava sobre um caixote, para dar a impressão que ele era bem mais alto que a atriz.
  • Em 7 de março de 1979, o American Film Institute homenageou Hitchcock. No jantar de tributo, Ingrid Bergman deu-lhe a chave da adega de vinho de Interlúdio. Depois que as filmagens terminaram, Cary Grant pegou a chave. Alguns anos mais tarde, ele deu a Bergman, dizendo que tinha dado sorte e esperava o mesmo para ela. Ao dar a chave para Hitchcock, ela expressou a esperança de que daria sorte para ele também.

Ficha técnica

Título: Interlúdio
Título Original: Notorious
Ano: 1946
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Ben Hecht, Alfred Hitchcock, Clifford Odets
Gênero: Suspense/Noir/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Cary Grant

T.R. Devlin

Ingrid Bergman

Alicia Huberman

Claude Rains

Alexander Sebastian

Louis Calhern

Capitão Paul Prescott

Leopoldine Konstantin

Madame Anna Sebastian

Reinhold Schünzel

Dr. Anderson

Moroni Olsen

Walter Beardsley

Ivan Triesault

Eric Mathis

Wally Brown

Sr. Hopkins

Charles Mendl

Comodoro

Virginia Gregg

Arquivista

Ricardo Costa

Dr. Julio Barbosa

Eberhard Krumschmidt

Emil Hupka

Alexis Minotis

Joseph

Fay Baker

Ethe

Motivos para ver Interlúdio

É um filme inteligente, que mostra como não é possível ter autonomia completa sobre o próprio coração.  Vale a pena assistir.

FIM

Findamos aqui, mais  um catálogo de melhores filmes, desta vez com a incrível Ingrid Bergman. Temos outras listas como a apresentada. Se gostou e quer mais,  se mantenha conectado conosco. Será um prazer, compartilhar as riquezas culturais contidas nos filmes antigos, e ainda, trazer outras informações educativas!

Um abraço enorme, e até breve!

Ingrid Bergman, foi uma sueca de beleza indiscutível e talento inquestionável. Fez bastante sucesso no cinema, e deixou portanto, um legado com diversos filmes, para serem assistidos, e permitir que as emoções possam fluir.

Ingrid Bergman – Melhores filmes

Entre seus melhores filmes, estão contidos, jóias que levaram multidões ao cinema, para que se envolvessem com as emoções e fascinantes histórias de amor. Confira a seguir, alguns desses importantes filmes.

ingrid-novi-256x300-3239835-5843763-3143986

Quem foi Ingrid Bergman?

Ingrid Bergman teve seu nascimento em 29 de agosto de 1915, em Estocolmo, Suécia. Tornou-se uma premiada atriz sueca, considerada por muitos uma das maiores estrelas do cinema de todos os tempos.

Ganhou dois Óscares, de Melhor Atriz principal e um, de Melhor Atriz coadjuvante. Ingrid, era filha de mãe alemã e pai sueco. A sua mãe morreu quando tinha dois anos e pai, Justus Bergman, foi um fotógrafo boêmio, que lhe transmitiu o amor pelo teatro.

A atriz entrou para a Real Escola de Arte Dramática de Estocolmo, e antes de terminar o curso, estreou no cinema levada por um caçador de talentos. Em dois anos participou de nove filmes na Suécia.

Já famosa em seu país, Ingrid foi levada para Hollywood em 1939, para estrelar a versão de um dos seus mais bem sucedidos filmes suecos, “Intermezzo”. A partir daí, o mundo inteiro rendeu-se a uma grande atriz, que tinha um estilo próprio que em Hollywood, alguns diretores e produtores, definiam com um glamour ao ar livre.

Isso fazia, com que ela interpretasse da mesma maneira vibrante, tanto uma camponesa como uma princesa.

Ingrid Bergman na escolha de seus papéis

Ingrid sabia escolher bem os seus papéis. Em 1942 ela filmou o grande clássico Casablanca, ao lado de outra lenda Humphrey Bogart. Em 1943 ela foi nomeada para um Oscar por seu papel em: “Por Quem os Sinos Dobram (1943)”, o único filme que ela fez naquele ano.

Os críticos e o público também aplaudiram de pé quando ela fez “À Meia-Luz” (1944), no ano seguinte – seu papel de Paula Alquist lhe rendeu seu primeiro Oscar de Melhor Atriz.

Em 1945, Ingrid foi escalada para Quando Fala o Coração, Mulher Exótica e Os Sinos de Santa Maria, pelo qual recebeu sua terceira indicação ao Oscar por seu papel de Irmã Bento. Bergman também estrelou três filmes de Alfred Hitchcock Spellbound (1945), Notorious (1946), e Under Capricorn (1949).

Ela estudou atuação com o professor Michael Chekhov durante os anos 1940. Chekhov atuou com Bergman em Spellbound e recebeu sua única indicação ao Oscar por sua performance.

Um novo romance

Ela não fez nenhum filme em 1947, mas se recuperou com uma quarta nomeação por Joana D’Arc (1948). Em 1949 ela foi para a Itália para filmar Stromboli (1950), dirigido por Roberto Rossellini. Ela se apaixonou por ele e deixou o marido, Dr. Peter Lindstrom e a filha, Pia Lindström.

“Guardiões morais” dos Estados Unidos, na imprensa e nos púlpitos, ficaram indignados. Essa paixão fez com que Ingrid fosse acusada de adúltera, e de mau exemplo para as mulheres americanas, isso levou-a a ficar anos sem filmar nos Estados Unidos.

Com Rossellini teve três filhos: Roberto e as gêmeas Isotta Ingrid e Isabella, hoje a atriz Isabella Rossellini. Esse casamento durou até 1957, quando se divorciaram. Foi casada com Lars Schmidt de 1958 até 1975, quando também se divorciou.

De volta à carreira

Ingrid continuou a fazer filmes na Itália, e finalmente voltou a Hollywood em 1956, no papel-título em Anastácia, A Princesa Esquecida (1956), que foi filmado na Inglaterra. Este filme lhe rendeu seu segundo Oscar.

Variando  entre a Europa e os EUA, fez diversos filmes. Em sua atuação na tela em 1978 no Sonata de Outono ela teve sua última indicação ao Oscar. Embora ela não tenha ganhado, muitos sentiram que era o desempenho mais impressionante de sua carreira.

Ingrid então se aposentou, mas não antes de demonstrar um excelente desempenho na mini-série Golda (1982), um filme sobre o primeiro-ministro israelense Golda Meir. Ela ganhou um Emmy Award como Melhor Atriz, mas, infelizmente, não viveu para ver os frutos de seu trabalho.

Ingrid morreu de câncer em 29 de agosto de 1982, em seu 67° aniversário, em Londres, Inglaterra. Em uma entrevista um ano antes de falecer, Ingrid disse que se recusava a se render à doença e que por isso continuava a fumar e a beber vinho e champagne. Está sepultada no Norra begravningsplatsen, Estocolmo.

Ingrid Bergman – Melhores filmes

Abaixo temos alguns, dos melhores filmes da carreira dessa grande estrela do cinema. Que tal conferirmos quais são, e seu impacto sobre o público?

Intermezzo: Uma História de Amor (1939)- Ingrid Bergman

Nesse filme, Os duetos musicais, com Howard e Bergman, foram dublados por músicos profissionais. No entanto, as mãos dos atores mostram a música real que está sendo tocada: Ingrid Bergman toca as partes completas do piano , de modo que suas posições nas mãos são corretas para a música trilha sonora, embora não estivesse realmente tocando.

inter-1-3644111-5294639-2469555

Sinopse do filme Intermezzo

O violonista Holger Brandt volta para sua família após uma turnê mundial. Holger e sua esposa Margit Brandt passaram muitos anos juntos, mas o tempo desgastou o amor do casal. Enquanto isso, sua filha Ann-Marie Brandt está tomando aulas de piano da jovem Anita Hoffman.

Holger, no início, não sente nada pela professora, mas, ao vê-la tocar no aniversário de sua filha, se impressiona com tamanho talento e encanto. Entediado com a rotina do casamento e ansioso em recuperar sua juventude, Holger sente uma forte atração pela professora, coisa que há muito tempo não sentia.

Prêmios:

  • Indicado ao Óscar de 1940 na categoria de Melhor Fotografia – Preto e Branco.

Curiosidades:

  • Esta é a grande estréia de Ingrid Bergman em Hollywood. É também estrelado por Leslie Howard como um violinista virtuoso (casado), que cai no amor com sua acompanhante.
  • É um remake do filme sueco de 1936, Intermezzo e apresenta várias orquestrações da peça do mesmo nome, do Heinz Provost. O roteiro de George O’Neil foi baseado no roteiro do filme original.
  •  Leslie Howard, no entanto, não pôde tocar violão, então um violinista profissional – que também tem uma semelhança impressionante com Leslie Howard – foi trazido para ensinar-lhe a postura de violino e a técnica de curvatura. Durante a filmagem, este mesmo músico, Al Sack, ficou de joelhos, fora da vista da câmera, e fez a dedilhada em todos os close-ups. No filme, os telespectadores vêem a mão esquerda do Sack e o braço e o perfil do Sr. Howard.
  • O filme foi reconhecido em 2002 pelo American Film Institute como sendo um dos 100 maiores romances do cinema americano.

Ficha técnica

Título: Intermezzo: Uma História de Amor
Título Original: Intermezzo: A Love Story
Ano: 1939
Direção: Gregory Ratoff
Roteiro: George O’Neil, Gösta Stevens, Gustaf Molander
Gênero: Romance/Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Leslie Howard

Holger

Ingrid Bergman

Anita

Edna Best

Margit

John Halliday

Thomas

Cecil Kellaway

Charles

Enid Bennett

Greta

Ann E. Todd

Ann Marie

Douglas Scott

Eric

Eleanor Wesselhoeft

Emma

Maria Flynn

Marianne

Holmes Herbert

médico

Doris Lloyd

professora

Motivos paraver o filme Intermezzo

É um filme espetacular, o qual mostra a necessidade de um homem que deseja recuperar sua juventude e a capacidade de amar, diante de alguém que lhe atrai profundamente. Bom para aqueles que gostam de musical e romance juntos.

Casablanca (1942) – Ingrid Bergman

O filme Casablanca, considerado como um dos maiores filmes da história do cinema americano, ganhou vários Oscar da Academia, incluindo o de melhor filme em 1943.

casa-blanca-300x225-9958928-7619178-5437649

Sinopse do filme Casablanca

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos fugitivos tentavam escapar dos nazistas por uma rota que passava pela cidade de Casablanca. O exilado americano Rick Blaine (Humphrey Bogart) encontrou refúgio na cidade, dirigindo uma das principais casas noturnas da região.

Clandestinamente, tentando despistar o Capitão Renault (Claude Rains), ele ajuda refugiados, possibilitando que eles fujam para os Estados Unidos. Quando um casal pede sua ajuda para deixar o país, ele reencontra uma grande paixão do passado, a bela Ilsa (Ingrid Bergman).

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1943 nas categorias: Melhor filme; Melhor diretor; Melhor roteiro adaptado (Julius J. Epstein, Philip G. Epstein e Howard Koch)
  • Foi indicado nas categorias: Melhor ator (Humphrey Bogart); Melhor ator coadjuvante (Claude Rains) Melhor fotografia (Arthur Edeson) Melhor edição (Owen Marks) Melhor Trilha sonora (Max Steiner)

Curiosidades:

  • Em 2005 foi nomeado um dos 100 melhores filmes dos últimos 80 anos pela Time.
  • Em 2006, o Writers Guild of America, West escolheram o roteiro de Casablanca o melhor de todos os tempos na sua lista dos “101 Greatest Screenplays”.
  • O filme é considerado o terceiro melhor filme americano de todos os tempos pela American Film Institute (AFI).
  • Em 1989, o filme foi selecionado para preservação no Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos sendo considerado “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo”.

Ficha Técnica

Título: Casablanca
Título Original: Casablanca
Ano: 1942
Direção: Michael Curtiz
Roteiro: Murray Burnett, Joan Alison, Julius J. Epstein, Philip G. Epstein, Howard Koch
Gênero: Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Ilsa Lund

Humphrey Bogart

Rick Blaine

Claude Rains

Capitão Renault

John Qualen

Berger

Marcel Dalio

Emil,crupiê do Rick

Henry Rowland

Oficial alemão

Peter Lorre

Ugarte

Sydney Greenstreet

Signor Ferrari

Conrad Veidt

Major Strasser

Paul Henreid

Victor Laszlo

Motivos para ver o filme Casablanca

Além de mostrar um romance, esse filme traz detalhes de vivencia durante a guerra. Além de entretenimento, é um filme que transfere conhecimento. Vale a pena assistir.

Por Quem os Sinos Dobram (1943) – Ingrid Bergman

Esse filme tornou-se o top hit de bilheteria de 1943, arrecadando US$ 11 milhões. Ele também foi indicado para nove prêmios da Academia, ganhando um. A Trilha sonora de Victor Young foi a primeira partitura completa de um filme a ser registrada.

dobrar-211x300-2077923-6771678-2039176

Sinopse do Filme : Por que os sinos dobram

Espanha na década de 1930, é o local ideal para um homem que gosta de ação, como Robert Jordan. Há uma guerra civil acontecendo, e Jordan se juntou ao lado mais idealista. Foi lhe dada uma tarefa de alto risco nas montanhas, e ele aguarda o momento certo para explodir, uma ponte em uma caverna. Durante a missão, Jordan conhece uma jovem (Ingrid Bergman) cujo os pais foram mortos pelos franquistas.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1943 na categoria de melhor atriz coadjuvante (Katina Paxinou).
  • Indicado na categoria de melhor ator (Gary Cooper), melhor ator coadjuvante masculino (Akim Tamiroff), melhor atriz (Ingrid Bergman), melhor diretor de arte, melhor fotografia colorida, melhor edição, melhor canção e melhor filme.

Curiosidades:

  • O roteiro se baseia em romance homônimo de Ernest Hemingway, adaptado por Dudley Nichols.
  • Ernest Hemingway, autor do livro, escreveu a personagem Maria tendo Ingrid Bergman em mente. Por causa disto o escritor insistiu que Bergman fosse contratada para o papel, o que fez com que o estúdio dispensasse Vera Zorina, que já estava contratada.
  • Ingrid Bergman começou a trabalhar em Por Quem os Sinos Dobram logo após o término das filmagens de Casablanca, tendo apenas cortado seu cabelo.

Ficha técnica

Título: Por Quem os Sinos Dobram
Título Original: For Whom the Bell Tolls
Ano: 1943
Direção: Sam Wood
Roteiro: Dudley Nichols, Ernest Hemingway
Gênero: Aventura/Drama/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Ingrid Bergman

Maria

Gary Cooper

Robert Jordan

Eric Feldary

Andrés

Mikhail Rasumny

Rafael

Vladimir Sokoloff

Anselmo

Arturo de Córdova

Agustín

Katina Paxinou

Pilar

Fortunio Bonanova

Fernando

Akim Tamiroff

Pablo

Joseph Calleia

El Sordo

Feodor Chaliapin Jr.

Kashkin

Jean Del Val

Atirador

Motivos para ver o filme: Por que os sinos dobram

Trata-se de um fenômeno, em se tratando de filmes. Bom é assisti-lo por diversas vezes, analisando-o nos mínimos detalhes, e  encontrando cada vez mais novidades.

À Meia Luz (1944) -Ingrid Bergman

Este filme foi indicado nas categorias de melhor filme, melhor ator (Charles Boyer), melhor atriz coadjuvante (Angela Lansbury), melhor roteiro e melhor fotografia – preto e branco

a-meia-luz_t4231-219x300-6976213-3948743-1955475

Sinopse do filme : A meia luz

Paula Alquist conhece o experiente Gregory Anton e, depois de um curto namoro, acabam por se casar e passam duas semanas em lua-de-mel na Itália, onde Paula estuda ópera.

De volta a Londres, o casal muda-se para o lar de uma tia de Paula, antiga e famosa estrela de ópera que fora assassinada misteriosamente – sendo que Paula foi quem encontrou o seu corpo, ainda criança.

Além do casal, residem na casa as empregadas Elizabeth Tompkins, que preparou as refeições para a família durante muitos anos, e Nancy Oliver, uma empregada que se atira constantemente a Gregory desde sua contratação.

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1945 nas categorias de melhor atriz (Ingrid Bergman) e melhor direção de arte..
  • Venceu o Globo de Ouro 1941 (EUA) na categoria de melhor atriz (Ingrid Bergman).

Curiosidades:

  • Para interpretar Paula Alquist, Ingrid Bergman passou algum tempo em uma instituição mental, estudando uma mulher que tinha sofrido um colapso nervoso.
  • Angela Lansbury fez sua estreia no cinema neste filme. Possuía apenas 17 anos quando o fez.
  • A versão de 1944 foi a segunda a ser filmada, seguindo o filme britânico Gaslight, dirigido por Thorold Dickinson e lançado em 1940. Esta versão de 1944 foi dirigida por George Cukor e estrelada por Ingrid Bergman, Charles Boyer. Este filme tinha uma escala e um orçamento maiores do que o filme anterior e dá uma sensação diferente ao material. Para evitar confusão com o primeiro filme, esta versão recebeu originalmente o título The Murder in Thornton Square no Reino Unido.
  • Incentivado pelo sucesso da peça e do filme britânico de 1940, a MGM comprou os direitos do remake, mas com uma cláusula insistindo em que todas as impressões existentes do primeiro filme fossem destruídas, chegando ao ponto de tentar destruir o negativo. Evidentemente, essa ordem não foi honrada ao pé da letra, uma vez que a Gaslight de 1940 ainda está disponível com segurança para exibição teatral e de TV, bem como para lançamento em DVD.
  • O termo psicológico gaslighting, que descreve uma forma de abuso psicológico em que a vítima é gradualmente manipulada para duvidar de sua própria sanidade, originou-se da peça e de suas duas adaptações cinematográficas.

Ficha técnica

Titulo: À Meia Luz
Titulo Original: Gaslight
Ano: 1944
Direção: George Cukor
Roteiro: Patrick Hamilton, John Van Druten, Walter Reisch, John L. Balderston
Gênero: Crime/Suspense/Noir
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Paula Alquist

Charles Boyer

Gregory Anton

Joseph Cotten

Brian Cameron

May Whitty

Miss Thwaites

Angela Lansbury

Nancy Oliver

Barbara Everest

Elizabeth Tompkins

Emil Rameau

Maestro Mario Guardi

Edmund Breon

General Huddleston

Halliwell Hobbes

Sr. Muffin

Tom Stevenson

Williams

Heather Thatcher

Lady Dalroy

Lawrence Grossmith

Lorde Dalroy

Motivos para ver o filme: À meia luz

Além de ser um filme ótimo para entretenimento, esse filme é bom para estudantes do comportamento humano, como estudantes da psicologia ou neurologia, dentre outros.

Quando Fala o Coração (1945) -Ingrid Bergman

É um dos primeiros filmes feitos em Hollywood, cuja trama usa a psicanálise.

quando-219x300-3330898-9466389-9877007

Sinopse do filme: Quando fala o coração

A linda e fria Dra. Constance (Ingrid Bergman) é uma psiquiatra que conhece muito bem o ser humano, ao menos era o que pensava até conhecer o sinistro Dr. Anthony Edwardes (Gregory Peck) que foi nomeado como substituto do diretor da clinica psiquiátrica Green Manors, onde ela trabalha.

Dra. Constance começa a perceber que os comportamentos do famoso médico Dr. Edwardes estão bastante estranhos.

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1946 na categoria de melhor trilha sonora para cinema – comédia/drama.
  • Indicação também nas categorias de melhor filme, melhores efeitos especiais, melhor diretor, melhor fotografia preto-e-branco e melhor ator coadjuvante (Michael Chekhov).
  • Ingrid Bergman recebeu o prêmio NYFCC 1946 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) na categoria de melhor atriz.

Curiosidades:

  • É um dos primeiros filmes feitos em Hollywood, cuja trama usa a psicanálise.
  • Em Spellbound, Hitchcock pode ser visto saindo de um elevador no Empire State Hotel, carregando uma mala de violino e fumando um cigarro, cerca de 43:15 minutos do filme.
  • Spellbound causou grande disputa entre Alfred Hitchcock e o produtor David O. Selznick. O contrato de Hitchcock com Selznick começou em março de 1939, mas apenas resultou em três filmes: Rebecca (1940) e The Paradine Case (1947) (Notorious foi vendido para RKO). Selznick queria que Hitchcock fizesse um filme com base na própria experiência positiva dele com a psicanálise. Selznick trouxe até seu próprio terapeuta, Romm M.D., que foi creditado no filme como um conselheiro técnico. Dr. Romm e Hitchcock entraram em confronto várias vezes.
  • Ingrid Bergman e Gregory Peck eram ambos casados com outros no momento da produção – Bergman com Petter Aron Lindström e Peck com Greta Kukkonen – mas eles tiveram um breve caso durante a filmagem.
  • Seu relacionamento secreto tornou-se público quando Peck confessou a Brad Darrach da People em uma entrevista em 1987, cinco anos após a morte de Bergman: “Tudo o que posso dizer é que eu tinha um amor verdadeiro por ela (Bergman) e acho que é aí que eu deveria parar de falar… Eu era jovem. Ela era jovem. Nós fomos envolvidos por semanas em um trabalho próximo e intenso”.

Ficha técnica

Titulo: Quando Fala o Coração
Titulo Original: Spellbound
Ano: 1945
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: John Palmer, Hilary St. George Sanders, Angus MacPhail, Ben Hecht, May E. Romm
Gênero: Suspense/Noir/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Ingrid Bergman

Dra. Constance Petersen

Gregory Peck

John Ballantine / Dr. Anthony Edwardes

Michael Chekhov

Dr. Alexander (Alex) Brulov

Leo G. Carroll

Dr. Murchison

Rhonda Fleming

Mary Carmichael

John Emery

Dr. Fleurot

Norman Lloyd

Sr. Garmes

Steven Geray

Dr. Graff

Donald Curtis

Harry

Addison Richards

Capitão da polícia

Wallace Ford

Estranho no Saguão do Hotel

Alfred Hitchcock

Homem deixando o elevador

Edward Fielding

Dr. Anthony Edwards

Regis Toomey

Detetive GIllespie

Victor Kilian

Xerife

Dave Willock

Mensageiro do hotel

Motivos para ver o filme: Quando fala o coração

Uma oportunidade para estudiosos da psicanalise, obterem contato com cenas, que tratam com personalidades diferenciadas.

Os Sinos de Santa Maria (1945) -Ingrid Bergman

Durante as filmagens, Bing Crosby e Ingrid Bergman decidiram fazer uma brincadeira com o padre católico que supervisionava a produção como consultor. Os atores pediram ao diretor mais uma tomada da cena final e, durante a despedida do Padre O’Malley e da Irmã Benedict, os dois se despedem dando um abraço e um beijo apaixonado, fazendo com que o religioso conselheiro desse um pulo da cadeira gritando em protesto.

sinoa-300x169-3004032-8134530-1307639

Sinopse do filme: Os sinos de Santa Maria

O padre católico Charles (Bing Crosby) chega para ser o novo diretor da escola de freiras Santa Maria, sediada em Nova Iorque. A situação é precária com o prédio antigo prestes a ser demolido e parte do terreno já vendido ao construtor milionário Horace P. Bogardus, que inicia uma grande e moderna construção para sua empresa. Nesse meio o padre conhece a líder das freiras, Irmã Mary Benedict (Ingrid Bergman).

Prêmios:

  • Venceu o Óscar de 1946 na categoria de melhor som
  • Indicado a melhor ator (Bing Crosby), melhor atriz (Ingrid Bergman), mellhor diretor, melhor edição, melhor trilha sonora original, melhor canção (para Jimmy Van Heusen e Johnny Burke por “Aren’t You Glad You’re You”) e melhor filme.
  • Venceu o Globo de Ouro de 1946 na categoria Melhor Atriz – Drama (Ingrid Bergman).

Curiosidades:

  • Bing Crosby interpreta novamente o personagem do padre O’Malley, com o qual havia recebido o Oscar no ano anterior pela atuação em O Bom Pastor.
  • Escrito antes de O Bom Pastor (1944), a intenção original era que o longa de 1944 fosse a sequência de Os Sinos de Santa Maria.
  • Em 1959, foi exibida uma adaptação em videotape pela televisão americana. Estrelaram o programa Claudette Colbert, Marc Connelly, Glenda Farrell, Nancy Marchand, Barbara Myers, Robert Preston e Charles Ruggles. A direção foi de Tom Donovan.

Motivo para ver o filme Sinos de Santa Maria

O filme Sinos de Santa Maria, é considerado o quinquagésimo de maior bilheteria em todos os tempos, portanto, só esse fato já mostra o quanto é interessante.

Interlúdio (1946) – Ingrid Bergman

Boa parte de Interlúdio foi filmado no Rio de Janeiro. A Avenida Rio Branco, os bancos da Cinelândia onde Ingrid Bergman e Cary Grant se encontravam e a praia de Copacabana servem como fundo para a história.

interludio-216x300-7874027-2032642-5694541

Sinopse do filme Interlúdio – Ingrid Bergman

Após seu pai alemão ser condenado como espião, uma jovem mulher (Ingrid Bergman) passa a se refugiar em bebida e homens. É assim que se aproxima de um agente do governo (Cary Grant), que pergunta se ela concorda em ser uma espiã americana no Rio de Janeiro, onde nazistas amigos do pai dela estão operando.

Ela acaba se casando com um espião nazista, mas se apaixona pelo seu contato no governo americano.

Prêmios:

  • Indicado ao Oscar nas categoria melhor ator coadjuvante (Claude Rains) e melhor roteiro original.
  • Alfred Hitchcock recebeu indicação ao Grande Prêmio no Festival de Cannes.

Curiosidades:

  • O roteiro é baseado em The Song of the Dragon, história de John Taintor Foote, que não foi creditado como roteirista.
  • A tradicional aparição do diretor Alfred Hitchcock surge com aproximadamente uma hora de filme, em meio à festa realizada na mansão de Alexander Sebastian.
  • Alfred Hitchcock consultou o ganhador do Prêmio Nobel, Robert Andrews Millikan, sobre como fazer uma bomba atômica, mas ele se recusou a responder, apenas confirmou que o principal componente, o urânio, poderia caber numa garrafa de vinho.
  • Em muitas das cenas em que contracenou com Ingrid Bergman, o ator Claude Raines estava sobre um caixote, para dar a impressão que ele era bem mais alto que a atriz.
  • Em 7 de março de 1979, o American Film Institute homenageou Hitchcock. No jantar de tributo, Ingrid Bergman deu-lhe a chave da adega de vinho de Interlúdio. Depois que as filmagens terminaram, Cary Grant pegou a chave. Alguns anos mais tarde, ele deu a Bergman, dizendo que tinha dado sorte e esperava o mesmo para ela. Ao dar a chave para Hitchcock, ela expressou a esperança de que daria sorte para ele também.

Ficha técnica

Título: Interlúdio
Título Original: Notorious
Ano: 1946
Direção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Ben Hecht, Alfred Hitchcock, Clifford Odets
Gênero: Suspense/Noir/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Cary Grant

T.R. Devlin

Ingrid Bergman

Alicia Huberman

Claude Rains

Alexander Sebastian

Louis Calhern

Capitão Paul Prescott

Leopoldine Konstantin

Madame Anna Sebastian

Reinhold Schünzel

Dr. Anderson

Moroni Olsen

Walter Beardsley

Ivan Triesault

Eric Mathis

Wally Brown

Sr. Hopkins

Charles Mendl

Comodoro

Virginia Gregg

Arquivista

Ricardo Costa

Dr. Julio Barbosa

Eberhard Krumschmidt

Emil Hupka

Alexis Minotis

Joseph

Fay Baker

Ethe

Motivos para ver Interlúdio

É um filme inteligente, que mostra como não é possível ter autonomia completa sobre o próprio coração.  Vale a pena assistir.

FIM

Findamos aqui, mais  um catálogo de melhores filmes, desta vez com a incrível Ingrid Bergman. Temos outras listas como a apresentada. Se gostou e quer mais,  se mantenha conectado conosco. Será um prazer, compartilhar as riquezas culturais contidas nos filmes antigos, e ainda, trazer outras informações educativas!

Um abraço enorme, e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20