• Início
  • Artigos
  • O fenômeno The Witcher: entenda como a série se tornou um sucesso de público

“Dê um trocado pro seu Bruxo!” ficou na mente do público, mas não foi a única cena marcante de The Witcher. A série vem conquistando seu espaço, e já bateu inúmeros recordes de visualizações na plataforma. Neste artigo, iremos entender algumas situações que ajudaram a série a alcançar o topo, ainda na sua primeira temporada.

Série nova, velhos conhecidos

images-76-1-3943748-4318354

O universo de The Witcher já estava pronto, como uma orquestra sinfônica com seus vários músicos. Em meados dos anos 80, o escritor polonês Andrzej Sapkowski criou a saga de Geralt nos livros. No começo, eram contos que descreviam a trajetória do bruxo com habilidades mutantes que era contratado para matar monstros. Nos anos 90, romances foram sendo feitos, contando mais sobre a relação de Geralt com Ciri e Yennefer. Em 2007, a CD Projekt Red lançou o primeiro jogo baseado na história de The Witcher, este que veio a se tornar uma trilogia, culminando com The Witcher 3: Wild Hunt, eleito o GOTY (Jogo do Ano) em 2015. A partir daí, a série da Netflix já possuía um enorme público alvo esperando o lançamento da série.

Henry Cavill

images-77-1-5015176-7639753

O ator que viveu o Superman da DC Comics surpreendeu na identificação com o papel. A sua trajetória para conseguir ser Geralt de Rívia foi algo incrível. Ele conheceu a história através dos jogos, e confessou a vontade de participar da série. Logo após, os fãs começaram a fazer campanha para os produtores contratarem Cavill para viver Geralt. O mesmo implorou uma audição com a showrunner da série, e conseguiu o papel. O ator nunca disfarçou que Geralt era um de seus personagens preferidos dos jogos, e certamente isso impulsionou mais ainda sua performance na série. Cavill ficou “gigante” no papel, é a grata e grande surpresa de The Witcher.

Confrontos e aparência

seriado-the-witcher-16-jpg-1024x683-2835733-9863371
WW_104_23.01.2019_546.NEF

Claro, The Witcher possui uma história fantástica e um enredo cativante, com personagens carismáticos. Por outro lado, é impossível não destacar as coreografias de luta produzidas na série. As cenas, quando vinham, se destacavam pelos movimentos e pela aproximação da realidade conforme a câmera andava. Alguns críticos, até, comparavam a série com o aclamado Game of Thrones, dizendo que suas lutas deixavam GoT “passar vergonha”.

Apesar disso, a maior parte dos críticos não amou tanto a série como o público. Alguns achavam a série confusa por suas três linhas do tempo diferentes, e a criticavam por não demonstrar a história claramente pro público geral.

A beleza visual da série é deslumbrante. Os cenários medievais, o figurino dos personagens, juntamente com a roteirização funcionam com coesão, quase como um perfeito instrumento de música, assim como nas grandes orquestras sinfônicas.

“Dê um trocado pro seu Bruxo!” ficou na mente do público, mas não foi a única cena marcante de The Witcher. A série vem conquistando seu espaço, e já bateu inúmeros recordes de visualizações na plataforma. Neste artigo, iremos entender algumas situações que ajudaram a série a alcançar o topo, ainda na sua primeira temporada.

Série nova, velhos conhecidos

images-76-1-3943748-4318354

O universo de The Witcher já estava pronto, como uma orquestra sinfônica com seus vários músicos. Em meados dos anos 80, o escritor polonês Andrzej Sapkowski criou a saga de Geralt nos livros. No começo, eram contos que descreviam a trajetória do bruxo com habilidades mutantes que era contratado para matar monstros. Nos anos 90, romances foram sendo feitos, contando mais sobre a relação de Geralt com Ciri e Yennefer. Em 2007, a CD Projekt Red lançou o primeiro jogo baseado na história de The Witcher, este que veio a se tornar uma trilogia, culminando com The Witcher 3: Wild Hunt, eleito o GOTY (Jogo do Ano) em 2015. A partir daí, a série da Netflix já possuía um enorme público alvo esperando o lançamento da série.

Henry Cavill

images-77-1-5015176-7639753

O ator que viveu o Superman da DC Comics surpreendeu na identificação com o papel. A sua trajetória para conseguir ser Geralt de Rívia foi algo incrível. Ele conheceu a história através dos jogos, e confessou a vontade de participar da série. Logo após, os fãs começaram a fazer campanha para os produtores contratarem Cavill para viver Geralt. O mesmo implorou uma audição com a showrunner da série, e conseguiu o papel. O ator nunca disfarçou que Geralt era um de seus personagens preferidos dos jogos, e certamente isso impulsionou mais ainda sua performance na série. Cavill ficou “gigante” no papel, é a grata e grande surpresa de The Witcher.

Confrontos e aparência

seriado-the-witcher-16-jpg-1024x683-2835733-9863371
WW_104_23.01.2019_546.NEF

Claro, The Witcher possui uma história fantástica e um enredo cativante, com personagens carismáticos. Por outro lado, é impossível não destacar as coreografias de luta produzidas na série. As cenas, quando vinham, se destacavam pelos movimentos e pela aproximação da realidade conforme a câmera andava. Alguns críticos, até, comparavam a série com o aclamado Game of Thrones, dizendo que suas lutas deixavam GoT “passar vergonha”.

Apesar disso, a maior parte dos críticos não amou tanto a série como o público. Alguns achavam a série confusa por suas três linhas do tempo diferentes, e a criticavam por não demonstrar a história claramente pro público geral.

A beleza visual da série é deslumbrante. Os cenários medievais, o figurino dos personagens, juntamente com a roteirização funcionam com coesão, quase como um perfeito instrumento de música, assim como nas grandes orquestras sinfônicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20