Conteúdo ocultar
1 Olivia de Havilland – Melhores filmes

Olivia de Havilland – Melhores filmes

Olivia de Havilland, é uma das atrizes, considerada pelo mundo cinematográfico, como  lenda! O segredo, além da beleza é claro, diz respeito ao carisma, que prende o público, despertando o desejo de assisti-la mais e mais.

Olivia de Havilland – Melhores filmes

Ela é a única perola das grandes estrelas de sua época, que ainda permanece viva. Embora com idade avançada, não perdeu o charme , e estilo natural, de quem nasceu para ser uma atriz. Vejamos abaixo, um pouco de sua história:

olivia-300x287-7276330-2239843-5208810

Quem foi Olivia de Havilland

Olivia Mary de Havilland,nasceu em 1 de Julho de 1916 em Tokyo no Japão, tornando-se 
Uma das mais respeitáveis estrelas,da chamada Era de Ouro de Hollywood, é uma dentre as poucas que foram contempladas,em mais de uma ocasião com o Oscar de melhor atriz. Filha de um casal britânico,que se encontrava no Japão quando à época de seu nascimento.

Sua mãe era a atriz Lillian Fontaine, e sua irmã mais nova, conhecida pelo nome artístico de Joan Fontaine, tornou-se, tal como a própria Olivia, uma das mais admiradas estrelas do cinema, ambas sendo até hoje as únicas irmãs premiadas com o Oscar.

Ela ficou conhecida pela parceria com o astro Errol Flynn, co-estrelando com ele oito filmes, sendo o mais notório As aventuras de Robin Hood (“The Adventures of Robin Hood”, 1938), tido como um dos maiores clássicos dentre os filmes de aventura.

Mas foi sua performance indicada ao Oscar como Melanie Hamilton Wilkes no épico …E o vento levou (“Gone with the Wind”, 1939) que instantaneamente a colocou nos anais da história do cinema

Esse papel fez com que a atriz ficasse marcada como um símbolo da doçura nos filmes americanos, atribuindo-lhe uma imagem da qual ela própria tentou se desvincular na esperança de obter papéis mais desafiadores e assim provar que a sua capacidade artística lhe permitia ir mais além.

Prêmios recebidos

 Na década de 40 em seus desempenhos subsequentes, que, por sua vez, acabaram rendendo-lhe dois Oscar de melhor atriz, pelos filmes Só resta uma lágrima (“To Each His Own”, 1946) e Tarde demais (“The Heiress”, 1949), além de ter sido indicada ao prêmio também por A porta de ouro (“Hold Back the Dawn”, 1941) e A cova da serpente (“The Snake Pit”, 1948, tido pela atriz como o filme favorito de sua carreira)

olivia-2-300x213-5284562-4496618-5374658

Dentre as honrarias a ela concedidas também incluem-se a estrela na Calçada da Fama de Hollywood, que recebeu em 1960 graças a sua contribuição à indústria cinematográfica, a Medalha Nacional das Artes, concedida pelo presidente americano George W. Bush em 2008, e também a Legião de Honra, com a qual foi condecorada pelo presidente francês Nicolas Sarkozy em 2010, aos 94 anos de idade.

Em 1999 ela foi nomeada uma das 500 grandes lendas do cinema pelo American Film Institute. Atualmente vive em Paris, capital francesa, e é uma das últimas estrelas da era de ouro hollywoodiana ainda vivas.

Olivia de Havilland- Melhores filmes

Confiram aqui grandes sucessos, encenados com a participação, de Olivia de Havillhand.

Uma Loira com Açúcar (1932) – Olivia Havilland

Os autores criaram nesse filme , uma comédia iluminada, repleta de romance sentimental, que fala de um companheiro, que pensa ter sido feito de idiota”.

loira-8052603-3505185-7261624

 

Sinopse do filme “Uma loira com açúcar”- Olivia Havilland

Em Nova Iorque, no ano de 1890, Biff Grimes (James Cagney) se apaixona por uma moça da sociedade, Virginia Brush (Rita Hayworth), mas seu falso companheiro Hugo Barnstead (Jack Carson) passa-lhe a perna e acaba casando-se com ela, além de envolver Biff em seus negócios obscuros e lucrar em cima disso.

Curiosidades  do filme: Uma loira com açúcar- Olivia Havilland

  • Tanto o diretor de Uma Loira com Açúcar, Raoul Walsh, quanto sua estrela James Cagney chegaram ao projeto procurando uma mudança de ritmo.
  • Cagney tinha ganhado sua fama com a Warner no início dos anos 1930 interpretando os caras durões, mas ele também tinha mostrado seus talentos em papéis mais leves e musicais.
  • Ele saiu do estúdio em 1938 com um contrato que lhe deu mais controle para escolher papéis e trouxe seu irmão mais novo William Cagney a bordo como um assistente do produção. Mas Cagney logo se viu puxado de volta aos papéis antigos e em 1940, ele queria qualquer personagem que o levasse longe dos gângsteres.
  • O crítico contemporâneo Bosley Crowther elogiou Strawberry Blonde no New York Times, chamando-o de “luxurioso, afetuoso e completamente vitorioso”.
  • Parte de sua “qualidade amável e contagiante”, ele escreveu, veio de seu elenco, outra parte veio do roteiro dos mesmos escritores de Casablanca Julius J. e Philip G. Epstein: “eles pegaram a pequena peça, One Sunday Afternoon.

Ficha Técnica do filme: Uma loira com açúcar

Título: Uma Loira com Açúcar
Título Original: The Strawberry Blonde
Ano: 1941
Direção: Raoul Walsh
Roteiro: Julius J. Epstein, Philip G. Epstein
Gênero: Comédia/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

James Cagney

T. L. Grimes

Olivia de Havilland

Amy Lind

Rita Hayworth

Virginia Brush

Alan Hale

Velho William Grimes

Jack Carson

Hugo Barnstead

George Tobias

Nicholas Pappalas

Una O’Connor.

Mrs. Timothy Mulcahey

George Reeves

Harold

Creighton Hale

Secretário

Jack Mower

Limpador de estrada

 

Motivos para ver : Uma loira com açúcar – Olivia Havilland

Esse filme hoje é reconhecido pelo American Film Institute como um dos 100 melhores romances do cinema americano, só nisso já dá para sentir a qualidade não é? Vai conseguir ficar sem assistir?

Capitão Blood (1935) – Olivia Havilland

Esse foi o primeiro dos oito filmes em que a dupla Errol Flynn e Olivia de Havilland atuaram, sendo que, o sucesso da dupla romântica com o público levou-os a atuarem juntos outras vezes. Os dois, acompanhados de Basil Rathbone, reapareceriam em As Aventuras de Robin Hood de 1938.

captain-212x300-7477048-8953736-9823663

Sinopse do filme Capitão Blood – Olivia Havilland

Século 17, Inglaterra. Ao socorrer um soldado rebelde ferido, o médico Peter Blood é preso injustamente por traição ao Rei James e condenado à morte. Enviado à Jamaica, ele acaba sendo vendido como escravo e passa a trabalhar em uma plantação.

Após a invasão de piratas espanhóis, ele e um grupo de escravos fogem e formam uma tripulação de piratas, “Os Piratas do Caribe”.

Prêmios:

  • Indicado ao Óscar de 1936 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro e Melhor Edição de Som.

Curiosidades:

  • Roteiro adaptado do livro homônimo de Rafael Sabatini.
  • Originalmente, o filme seria estrelado por Robert Donat e Jean Muir. Por problemas contratuais, Donat abandonou o projeto, e o diretor Michael Curtiz resolveu fazer um teste com Errol Flynn, no qual o ator foi aprovado para o papel. No lugar de Jean Muir, foi escalada a então novata Olivia de Havilland.
  • A Warner Bros. Pictures assumiu um grande risco em associar dois artistas relativamente desconhecidos nas funções principais. O desempenho de Flynn tornou-o uma grande estrela de Hollywood e o estabeleceu como o sucessor natural de Douglas Fairbanks, Sr. e um “símbolo de um homem indomável” durante a Depressão.
  • NA sequência de batalha final,Michael Curtiz fez questão de usar uma das maiores equipes técnicas montadas para um filme, exigindo 2500 extras.

Motivos para ver :Capitão Blood

As Aventuras de Robin Hood (1938)- Olivia Havilland

Nesse filme, o diretor Michael Curtiz (Casablanca) assumiu a direção, quando os produtores acharam que faltavam mais impacto nas cenas de ação.

aventuras-de-robin-211x300-4853490-4160898-1816265

Sinopse do filme: As Aventuras de Robin Hood – Olivia Havilland

Quando o príncipe João e a nobreza, começam a oprimir o povo saxão, na ausência do Rei Ricardo, um bravo saxão torna-se um líder foragido e bem-humorado de um exército guerrilheiro rebelde.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1939 nas categorias de Melhor Direção de Arte, Melhor Edição (Montagem) e Melhor Trilha Sonora Original.
  • Foi indicado na categoria de Melhor Filme.
  • Foi adicionado ao National Film Preservation Board (EUA), em 1995.

Curiosidades:

  • Originalmente o filme seria interpretado por James Cagney, mas o mesmo desistiu e as filmagens foram adiadas por quase 3 anos.
  • O som proveniente da flecha de Robin Hood é o som preferido de Ben Burtt, editor de som, que utilizou este mesmo som na trilogia Jornadas nas Estrelas.
  • Os atores e dublês que eram atingidos pelas flechas recebiam 150 dólares por cada vez que isso ocorresse.
  • Este foi o filme mais caro, até aquela presente data, bancado pelos estúdios da Warner: 2 milhões de dólares.
  • O arqueiro responsável pelos lançamentos era Howard Hill. Ele ainda interpretou o capitão dos arqueiros que é derrotado por Robin Hood no concurso de arco e flecha no filme. A proeza de dividir a flecha em duas, que deu a vitória a Robin Hood no filme, foi de Howard. A cena foi feita em apenas uma tomada.
  • Os dublês usavam uma proteção embaixo das roupas protegendo a caixa toráxica do impacto das flechas.
  • As cenas na floresta de Sherwood foram rodadas em Chico, Califórnia, e o torneio de arco e flecha em Pasadena.

Motivos para ver : As Aventuras de Robin Hood

O maior motivo, simplesmente porque é emocionante! Repleto de novidades e muita diversão, portanto bora lá assistir?

E o Vento Levou (1939) – Olivia Havilland

Esse filme já chegou à 13 indicações ao Oscar, tornando-se na época, o filme com o maior número de indicações ao prêmio, ficando posteriormente, atrás apenas de A malvada (1950) e Titanic (1997), que foram indicados em 14 categorias cada.

ventou-212x300-5201439-1960810-1398242

Sinopse do filme: E o vento levou – Olivia Havilland

O filme começa em abril de 1861, na propriedade de Tara, onde Scarlett ouve que seu amado Ashley Wilkes (Leslie Howard) planeja se casar com sua prima Melanie Hamilton (Olivia de Havilland).

Apesar das advertências de seu pai (Thomas Mitchell) e sua fiel serva Mammy (Hattie McDaniel), Scarlett tem a intenção de se declarar a Ashley no dia em que será anunciado o casamento. Sozinha com Ashley, ela entra em um acesso de histeria, tudo testemunhado por Rhett Butler (Clark Gable), a ovelha negra de uma família rica, que é instantaneamente fascinado pela mal-humorada.

Prêmios:

  • Conseguiu levar oito estatuetas, recebendo outras duas em categorias especiais (uma honorária e outra técnica), somando um total de 10 prêmios, façanha que foi superada apenas por Ben-Hur (1959), O Senhor dos Anéis: Retorno do Rei (2003) e Titanic(1997) que levaram 11 Oscars cada.

Curiosidades:

  • A produção do filme E o Vento Levou passou por diversos problemas. As filmagens foram adiadas por dois anos pois Sezlnick estava determinado a assegurar o papel de Rhett Butler para Clarck Gable, e a gigantesca procura pela Scarlett, que fez com que mais de 1400 mulheres fossem entrevistadas para conseguir o papel.
  • O roteiro original foi escrito por Sidney Howard, mas passou por diversas revisões por vários escritores, para que pudesse obter um ritmo adequado.
    • O diretor original de “E o Vento Levou” era George Cukor, mas ele foi demitido poucos dias após o início das filmagens e foi substituído por Victor Fleming, que durante alguns dias também foi substituído por Sam Wood enquanto Fleming tirava alguns dias de folga devido ao cansaço.
    • Lançado em 15 de dezembro de 1939 nos Estados Unidos, E o Vento Levou foi recebido de forma majoritariamente positiva pela crítica, que elogiaram sua produção e seu roteiro, embora alguns tenham analisado que não possuía drama o suficiente e que era longo.
  • Ficha técnica

    Título: …E o Vento Levou
    Título Original: Gone with the Wind
    Ano: 1939
    Direção: Victor Fleming, George Cukor, Sam Wood
    Roteiro: Margaret Mitchell, Sidney Howard
    Gênero: Drama/Guerra/Romance
    Nacionalidade: Estados Unidos

    Elenco

    Vivien Leigh

    Scarlett O’Hara

    Clark Gable

    Rhett Butler

    Thomas Mitchell

    Gerald O’Hara

    Oscar Polk

    Pork

    Butterfly McQueen

    Prissy

    Ann Rutherford

    Carreen O’Hara

    Hattie McDaniel

    Mãe

    Evelyn Keyes

    Suellen O’Hara

    Olivia de Havilland

    Melanie Hamilton

    Leslie Howard

    Ashley Wilkes

    Everett Brown

    Big Sam

    Ward Bond

    Tom

    Barbara O’Neil

    Hellen O’Hara

    George Reeves

    Stuart Tarleton

    Fred Crane

    Brent Tarleton

    Motivos para ver o Filme:..E o vento levou Olivia Havilland

    E o vento levou, já atrai o público só pelo nome, contudo não dá para resistir um filme tão romântico e dramático ao mesmo tempo. Vale a pena assistir.

Meu Reino Por um Amor (1939)- Olivia Havilland

É um consenso entre a crítica que a atuação de Bette Davis, como Elizabeth I, é muito superior à de Errol Flynn, como Devereux, pois neste caso, a forma de interpretação sempre casual de Flynn, não se adequou bem ao papel. A despeito disso, o filme agradou muito ao público e teve boa bilheteria.

reino-1-300x232-7055480-8352621-6422413

Sinopse do filme: Meu reino por um amor – Olivia Havilland

O filme mostra o relacionamento tanto político quanto pessoal entre a rainha inglesa Elizabeth I e Robert Devereux, conde de Essex. Devereux era muito inteligente, ativo e loquaz, além de bom estrategista militar. Era também descendente do rei Henrique IV, mas seu orgulho e arrogância dificultaram sua vida entre as intrigas da corte britânica.

Prêmios:

  • Recebeu cinco indicações ao Óscar de 1940 nas categorias de melhor direção de arte, melhor fotografia, melhores efeitos especiais visuais, melhor trilha sonora original e melhor mixagem de som.

Curiosidades:

É um consenso entre a crítica que a atuação de Bette Davis, como Elizabeth I, é muito superior à de Errol Flynn, como Devereux, pois neste caso a forma de interpretação sempre casual de Flynn não se adequou bem ao papel. A despeito disso, o filme agradou muito ao público e teve boa bilheteria.

Muitos anos mais tarde, no entanto, Davis viu o filme com sua amiga, Olivia de Havilland. No final do filme, Davis voltou-se para de Havilland e admitiu: “Eu estava errada, errada, errada. Flynn foi brilhante!”

Em 2002 o filme entrou na lista do American Film Institute como uma das 100 maiores paixões do cinema.

Esse foi o quinto de nove filmes em que Errol Flynn e de Havilland atuaram juntos, e também o segundo de três de Flynn com Bette Davis

Ficha técnica

Título: Meu Reino Por um Amor
Título Original: The Private Lives of Elizabeth and Essex
Ano: 1939
Direção: Michael Curtiz
Roteiro: Norman Reilly Raine, Æneas MacKenzie, Maxwell Anderson
Gênero: Drama/Histórico/Romance
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Bette Davis

Rainha Elizabeth

Errol Flynn

Conde de Essex

Olivia de Havilland

Lady Penelope Gray

Donald Crisp

Francis Bacon

Vincent Price

Sir Walter Raleigh

Henry Daniell

Sir Robert Cecil

Henry Stephenson

Lorde Burghley

Alan Hale

Conde de Tyrone

Nanette Fabray

Srta. Margaret Radcliffe

James Stephenson

Sir Thomas Egerton

Leo G. Carroll

Sir Edward Coke

John Sutton

Capitão Armand

Robert Warwick

Lorde Mountjoy

Doris Lloyd

Camareira

Holmes Herbert

Mordomo

 Motivo para ver esse filme

Em 2002 o filme entrou na lista do American Film Institute como uma das 100 maiores paixões do cinema, não vai ficar curioso para assisti-lo?

O Intrépido General Custer (1941)- Olivia Havilland

O filme foi uma das maiores bilheterias de 1941. Foi a oitava colaboração entre Errol Flynn e Olivia de Havilland.

general-210x300-1603039-7430960-4236035

Sinopse do filme: O  Intrépido General Custer (1941)- Olivia Havilland

Errol Flynn interpreta o famoso, General George Armstrong Custer, nesta crônica sobre sua vida, desde os seus dias em West Point, até a Guerra Civil e sua reputação como herói da fronteira, imortalizado pela Batalha de Little Big Horn.

Curiosidades:

  • Três homens foram mortos durante as filmagens. Um caiu de um cavalo e quebrou o pescoço. Outro dublê teve um ataque cardíaco. O terceiro, o ator Jack Budlong, insistiu em usar um sabre real para liderar um pelotão de cavalaria sob fogo de artilharia. Quando uma carga explosiva o enviou voando de seu cavalo, ele caiu em cima de sua espada.
  • O enredo do filme oferece uma versão ficcional da vida do general George Armstrong Custer, hoje em dia alguns de seus feitos são contestados principalmente por conta de ataques contra indios nativos da América do Norte.

Ficha técnica

Titulo: O Intrépido General Custer
Titulo Original: They Died with Their Boots On
Ano: 1941
Direção: Raoul Walsh
Roteiro: Wally Kline, Eneas MacKenzie
Gênero: Biografia/Histórico/Guerra/Faroeste
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Errol Flynn

George Armstrong Custer

Olivia de Havilland

Elizabeth Bacon

Arthur Kennedy

Ned Sharp

Charley Grapewin

California Joe

Gene Lockhart

Samuel Bacon

Anthony Quinn

Crazy Horse

Stanley Ridges

Maj. Romulus Taipe

John Litel

Gen. Phil Sheridan

Walter Hampden

William Sharp

Sydney Greenstreet

Lt. Gen. Winfield Scott

Regis Toomey

Fitzhugh Lee

Minor Watson

Senador Smith

Hattie McDaniel

Callie

G.P. Huntley

Tenente

John Hamilton

Coronel

Francis Ford

Veterano

Wade Crosby

Barman de Lincoln

Spencer Charters

Chefe da Estação

Frank Wilcox

Capitão Webb

Russell Hicks

Corone

 

Motivos para ver o filme: O Intrépido General Custer

São grandes as emoções contidas nesse filme, vale a pena assisti-lo mais de uma vez, para saborear a cada cena, e tirar mutas conclusões.

Fim

Mais um catálogo expondo  Olivia de Havilland, a preciosa joia de Hollywood. Se você gosta de qualidade e classe, corre pra cá e veja diversos filmes que temos para lhe mostrar. Continue nos seguindo, temos muitas novidades para você, professor, aluno, pai, mãe  e toda essa galera importante!

Um grande abraço e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20