Conteúdo ocultar

Orson Welles, marcou sua geração, com talento e carisma únicos. Um ator que sabia representar bem seus personagens, permitindo que o povo se envolvesse, emocionalmente com suas representações. No entanto, por algum motivo, nem todos seus filmes, foram bem aceitos pelo público.

Orson Welles – Melhores filmes

O artista em foco, possuía tão grande talento, que era capaz de fazer sua platéia sentir que sua encenação era real, chegando a tentarem se esconder, em cenas que simulavam ataques extraterrestres.

welles-mkk-8104848-5625610-6306302

Quem foi Orson Welles

George Orson Welles, nasceu em 06 de maio de 1915, em Kenosha, Wisconsin, EUA. Ele foi um ator norte-americano , diretor, roteirista e produtor que trabalhou em teatro, rádio e cinema. O mesmo, é lembrado por seu trabalho inovador em todos os três meios de comunicação, principalmente em Caesar (1937), uma adaptação da Broadway de Júlio César.

Também em A Guerra dos Mundos (1938), uma das mais famosas transmissões de rádio da história, que inclusive gerou pânico em alguns ouvintes, ao acreditarem que a Terra , realmente estava sendo invadida por alienígenas. E Cidadão Kane (1941), classificado constantemente, como um dos maiores filmes de todos os tempos.

Depois de dirigir uma série de produções, de alto nível nos seus primeiros vinte anos, incluindo uma adaptação inovadora, de Macbeth e The Cradle Will Rock, Welles ganhou fama nacional e internacional, como o diretor e narrador da adaptação do romance de HG Wells, A Guerra dos Mundos, para a rádio, em 1938, que disparou Welles para a fama.

Longas-metragens

Seu primeiro longa-metragem foi Cidadão Kane (1941), que ele co-escreveu, produziu, dirigiu e estrelou como Charles Foster Kane. Welles não se adaptou ao sistema de estúdio. Ele dirigiu apenas 13 longas-metragens em sua carreira. Enquanto  lutava pelo controle criativo, fazendo frente aos estúdios, seus filmes sofreram muita edições, cortes e alguns nunca saíram.

Seu estilo de direção era original, com destaque para narrativas não lineares, uso inovador de iluminação, ângulos de câmera incomuns, técnicas de som emprestadas do rádio, e tomadas longas. Ele é colocado, como uma grande força criativa de seu tempo. Além de Cidadão Kane, fez outros filmes, também aclamados pela crítica como: Soberba em 1942 e A Marca da Maldade em 1958.

Prêmio por atuação

Em 2002, Welles foi eleito, o maior cineasta de todos os tempos. Sobressaiu, em duas pesquisas da British Film Institute, entre diretores e críticos. Bem conhecido por sua voz de barítono, Welles era um ator bem-visto, e foi eleito na 16° colocação na lista da AFI dos 100 maiores maiores atores, do cinema americano de todos os tempos.

Ele morreu de ataque cardíaco, em sua casa em Hollywood, Califórnia, em 10 de outubro de 1985, aos 70 anos, e, segundo a lenda, teria feito o seguinte comentário sobre sua profissão antes de morrer: “Esse é o maior trem elétrico que um menino já teve.”

Orson Welles – Melhores filmes

Abaixo temos alguns, dos melhores filmes de Orson Welles, vamos conferir?

Cidadão Kane (1941) -Orson Welles

Esse filme, marcou sua época devido às inovações, sobretudo, nas técnicas narrativas, e nos enquadramentos cinematográficos. É até hoje considerado, como um dos grandes marcos da história do cinema.

91mmgsubabl-_sl1500_-272x300-6738068-9742217-6981063

Sinopse do filme: Cidadão de Kane – Orson Welles

O filme é supostamente baseado, na vida do magnata das comunicações, William Randolph Hearst. Na trama conhecemos a história de Charles Foster Kane, a partir de sua morte. Um jornalista recebe a tarefa de investigar, qual era afinal o significado de sua última palavra, “Rosebud”.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1942 na categoria de melhor roteiro original.
  • Foi indicado nas categorias de melhor ator protagonista (Orson Welles), melhor direção de arte preto-e-branco, melhor fotografia preto-e-branco, melhor diretor, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor filme e melhor som.
  • Venceu o Prêmio NYFCC 1941 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) na categoria de melhor filme.

Curiosidades:

  • O filme é considerado por boa parte da crítica, como o maior filme da história até o momento, figurando em primeiro lugar na lista, do American Film Institute (AFI).
  • Cidadão Kane, encontrou forte oposição, por parte de William Randolph Hearst, pois ele julgava que a obra denegria sua imagem. Em realidade, havia muitos pontos coincidentes das biografias de Hearst e de Kane, embora publicamente, Orson Welles sempre negasse essa relação.
  • Cidadão Kane foi o primeiro longa metragem, dirigido por Orson Welles. Mesmo dirigindo outros filmes, ele nunca mais conseguiu alcançar, o sucesso de crítica e público de sua estréia, e não conseguiu ser contratado novamente, por um grande estúdio de Hollywood.

Ficha técnica

Título: Cidadão Kane
Título Original: Citizen Kane
Ano: 1941
Direção: Orson Welles
Roteiro: Orson Welles, Herman J. Mankiewicz
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Orson Welles

Charles Foster Kane

George Coulouris

Walter Parks Thatcher

William Alland

Jerry Thompson

Everett Sloane

Sr. Bernstein

Ray Collins

James W. Gettys

Ruth Warrick

Emily Monroe Norton Kane

Agnes Moorehead

Mary Kane

Dorothy Comingore

Susan Alexander Kane

Joseph Cotten

Jedediah Leland

Philip Van Zandt

Sr. Rawlston

Paul Stewart

Raymond

Harry Shanon

Pai de Kane

Fortunio Bonanova

Senhor Matiste

Motivo para assistir o filme: Cidadão de Kane – Orson Welles

Um bom motivo, é o fato desse filme aproximar-se de fatos reais da vida do ator, e especialmente do cinema. Isso torna o filme quase um documentário.

Soberba (1942)- Orson Welles

Esse filme,  foi  mal recebido pela plateia, quando de sua primeira exibição: vaias, risos nas horas erradas, ofensas ao elenco. Diante disso, o presidente da RKO Pictures ordenou um corte de aproximadamente quarenta minutos ao montador Robert Wise. No entanto, ele foi indicado ao óscar.

soberba-213x300-2077913-9579076-9359315

Sinopse do filme Soberba – Orson Welles

A bela Isabel reina na mansão Amberson, a mais espetacular de Indianápolis. Isabel ia casar-se com Eugene, brilhante inventor, mas ele a humilhou em público, levando-a se decidir por Wilbur Minafer.

O casal tem um filho, com o nome de George, o qual é arrogante, invejoso, intratável. Após a morte de Wilbur, Eugene, agora rico fabricante de automóveis, corteja novamente Isabel, que o aceita. George, porém, deseja a mãe só para si, e faz de tudo para atrapalhar o namoro. Com a ajuda da tia Fanny, ele provoca e também acaba vítima, de uma série de infortúnios que se abate sobre os Ambersons.

Prêmios:

  • Indicado ao Óscar de 1943 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante (Agnes Moorehead), Melhor Fotografia (Preto e Branco), Melhor Direção de Arte.

Curiosidades:

  • Apesar de ter ganhado ritmo, os espectadores continuaram a reclamar agora do final pessimista.
  • Assim, outro final foi feito, também sem a intervenção de Welles. Por fim, o filme acabou reduzido de 148 para meros 88 minutos de duração e lançado em programas duplos com a comédia classe B Mexican Spitfire Sees a Ghost.
  • A estratégia não funcionou: a película foi largamente ignorada pelo público e recebeu fria recepção da maioria da crítica.
  • Soberba, custou aos cofres da RKO $1,125,000 e resultou em um prejuízo de $624,000.

Ficha Técnica

Título: Soberba
Título Original: The Magnificent Ambersons
Ano: 1942
Direção: Orson Welles, Fred Fleck, Robert Wise
Roteiro: Booth Tarkington, Orson Welles
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Orson Welles

Narrador (voz)

Joseph Cotten

Eugene Morgan

Agnes Moorehead

Fanny Minafer

Ray Collins

Jack Minafer

Anne Baxter

Lucy Morgan

Tim Holt

George Minafer

Dolores Costello

Isabel Minafer

Erskine Sanford

Roger Bronson

Motivos para ver o filme: Soberba – Orson Welles

Se o filme não foi muito bem aceito pelo publico, talvez por causar repulsa, mas isso não quer dizer que, não seja curioso, a ponto de despertar desejo de saber o que existe nesse filme que o povo repugna, não acha?

Jornada do Pavor (1943)- Orson Welles

Conta-se que, durante a pós-produção do filme, Welles foi demitido da RKO, principalmente por conta de problemas com o projeto It’s All True, filmado no Brasil na mesma época, mas não lançado. Jornada do Pavor foi editado sem o envolvimento de Welles.

jorno-300x235-7883493-2078937-6598419

Sinopse do filme:Jornada do pavor

Howard Graham e sua esposa Stephanie acabam de chegar em um hotel em Istambul. Howard é engenheiro da empresa americana que fornece armas a marinha turca. Ele é levado a uma casa de shows quando durante a apresentação de um número de mágica, o próprio mágico é morto.

O coronel Haki informa que o atirador é um agente nazista que pretende eliminá-lo. Howard acaba sofrendo um atentado num hotel e por pura sorte escapa, somente para se ver no centro de uma complexa intriga onde sua cabeça faz parte do cardápio.

Curiosidades:

  • O roteiro de Jornada do Pavor foi baseado no romance homônimo de Eric Ambler.
  • Em julho de 1941 foi anunciado que Orson Welles iria desempenhar um papel principal e dirigir o filme. Ele faria isso após a conclusão de seu segundo filme, Soberba (1942). Welles desconsiderou o roteiro de Hecht e escreveu um novo com Joseph Cotten. Ele também trouxe Jack Moss da Paramount como produtor.
  • Welles produziu, dirigiu e escreveu o roteiro com Joseph Cotten. A principal contribuição de Welles como produtor foi a sequência de abertura em que o assassino escuta um velho disco de gramofone enquanto carregava sua arma. Welles disse que na época pensava ter sido o primeiro a criar uma cena antes do início dos títulos. Mais tarde, soube que Lewis Milestone havia feito isso em Of Mice and Men, um filme que Welles não tinha visto.

Elenco

Joseph Cotten

Howard Graham

Dolores del Rio

Josette Martel

Ruth Warrick

Mrs. Stephanie Graham

Agnes Moorehead

Mrs. Mathews

Jack Durant

Gogo Martel

Stefan Schnabel

Tradutor

Orson Welles

Coronel Haki

Richard Bennett

Capitão do Navio

Motivos para ver o filme: Jornada do pavor – Orson Welles

É um filme interessantíssimo, que traz muito suspense e ação, fazendo o telespectador ficar preso na história. Vale a pena assistir!

O Estranho (1946) – Orson Welles

Depois de Cidadão Kane, esse foi o filme de Welles, melhor acolhido pelo público.

estranho-300x225-6328314-9803177-9249311

Sinopse do filme: O estranho

Em 1946, Wilson da Comissão Aliada para os Crimes de Guerra descobre que um fugitivo líder nazista, Franz Kindler, está nos Estados Unidos da América usando uma identidade falsa. Depois de seguir outro nazista, que deixara fugir deliberadamente, Wilson chega à cidade de Harper, Connecticut. Passa a desconfiar de Charles Rankin, um professor universitário da cidade e que está noivo de Mary Longstreet, filha de um juiz da Suprema Corte.

Curiosidades:

  • Traz imagens reais de campos de concentração na II Guerra Mundial.

Ficha técnica

Título: O Estranho
Título Original: The Stranger
Ano: 1946
Direção: Orson Welles
Roteiro: Anthony Veiller, Victor Trivas, Decla Dunning, John Huston, Orson Welles
Gênero: Drama/Suspense
Nacionalidade: Estados Unidos
Duração: 95 minutos

Elenco:

Edward G. Robinson

Sr. Wilson

Loretta Young

Mary Longstreet

Orson Welles

Professor Charles Rankin

Philip Merivale

Juíz Adam Longstreet

Richard Long

Motivos para ver o filme: O estranho – Orson Welles

Está entre os melhores de Welles, e traz uma história bem interessante, inclusive apontado para o posicionamento nazista. Vale a pena assistir.

Duelo ao Sol (1946) – Orson Welles

Em 2006, Duelo ao Sol foi considerado um dos 10 melhores faroestes de todos os tempos pelo American Film Institute, também foi considerado um dos 100 melhores romances.

duelo-206x300-1166952-6198191-4131054

Sinopse: Duelo ao sol

Após o assassinato da mãe (nativa) e a morte por enforcamento do pai (norte-americano), uma mestiça vai morar em uma fazenda e acaba dividida entre o amor de dois irmãos, um advogado e um despreocupado, que vão disputar até às últimas conseqüências.

Prêmios:

  • Foi indicado ao Óscar de 1947 nas categorias Melhor Atriz (Jennifer Jones) e Melhor Atriz Coadjuvante (Lillian Gish).

Curiosidades:

  • O filme foi adaptado por Oliver H.P. Garrett e David O. Selznick do romance de Niven Busch.
  • O produtor Selznick esperava com essa nova produção repetir o sucesso de E O Vento Levou mas o filme gerou controvérsias pelo alto teor sensual da história e pelo relacionamento de Selznick com Jennifer Jones que estrelou o filme. Mas obteve ótima bilheteria nos Estados Unidos, arrecadando 11 milhões e trezentos mil dólares no primeiro lançamento e mais com o relançamento de 1954.
  • Martin Scorsese declarou a James Lipton no Inside the Actors Studio que este foi o primeiro filme que viu e mantém em grande consideração. Ele mencionou isso em seu documentário de filmes americanos.

Ficha técnica

Título: Duelo ao Sol 

Título Original: Duel in the Sun 

Ano: 1946 

Direção: King Vidor 

Roteiro: Niven Busch, Oliver H.P. Garrett, David O. Selznick 

Gênero: Drama/Faroeste/Romance 

Nacionalidade: Estados Unidos 

Elenco

Jennifer Jones.

Pearl Chavez

Joseph Cotten

Jesse McCanles

Gregory Peck

Lewton McCanles

Lionel Barrymore

Senador Jackson McCanles

Herbert Marshall

Scott Chavez

Lillian Gish

Laura Belle McCanles

Walter Huston

Jubal Crabbe, o pregador

Charles Bickford

Sam Pierce

Harry Carey

Lem Smoot

Butterfly McQueen.

Vashti

Orson Welles

Narrador (não creditado)

 

Motivos para ver o filme: Duelo ao sol

É um romance que mostra a competição de dois homens apaixonados, por uma única mulher. Uma ótima opção para refletir sobre um triangulo amoroso.

A Dama de Shanghai (1947) – Orson Welles

Esse filme foi considerado um desastre na América no momento do seu lançamento, embora a cena final em um corredor de espelhos tenha se tornado uma das grandes pérolas do cinema noir. Pouco depois do lançamento, Welles e Hayworth finalizaram seu divórcio.

ss-1-211x300-7745860-8121314-2391860

Sinopse do filme: A dama de Shangai

Narrado e protagonizado por Michael O’Hara, envolvido em um caso escabroso com uma loira misteriosa. Elsa ‘Rosalie’ Bannister foi salva de um grupo de ladrões pelo jovem Michael. Como agradecimento, ela o convida para trabalhar no iate de seu milionário marido. Michael aceita o emprego, mas não pelo dinheiro, e sim para ficar mais próximo de Elsa.

Curiosidades:

  • A decisão de Orson Welles em fazer com que sua esposa Rita Hayworth cortasse seus longos cabelos e os pintasse de loiro para o filme gerou grande polêmica na época, sendo apontado como um dos motivos do filme ter fracassado nas bilheterias.
  • As filmagens ocorreram em 1946, mas seu lançamento nos cinemas foi apenas no ano seguinte. Isto aconteceu porque Harry Cohn, chefe da Columbia Pictures, ordenou seu adiamento por considerar que A Dama de Shanghai arruinaria a carreira de Rita Hayworth.
  • Neste período Harry Cohn ordenou que Orson Welles incluísse cenas de close-up de Rita Hayworth, além de rodar uma cena em que ela cantasse “Please Don’t Kiss Me”. O motivo foi o sucesso das cenas de canto de Hayworth em filmes anteriores.
  • Orson Welles ficou bastante descontente com a trilha sonora composta por Heinz Roemheld, indicado pelos produtores. Numa exibição-teste Welles usou uma trilha temporária que deveria servir de modelo para Roemheld, mas o compositor descartou suas sugestões. Uma das causas do descontentamento foi a cena na sala de espelhos, que Welles queria que não tivesse música alguma para passar ao público a sensação de terror.
  • O iate visto em cena pertencia ao ator Errol Flynn, que navegava com ele nos intervalos das filmagens. Flynn também aparece em uma pequena ponta, como um dos figurantes na cena do restaurante.
  • Embora A Dama de Shanghai tenha recebido muitas críticas, o filme cresceu em estatura ao longo dos anos, e muitos críticos atuais têm louvado sua estética e trabalho de câmera.
  • Titulo: A Dama de Shanghai

Ficha técnica

Titulo Original: The Lady from Shanghai
Ano: 1947
Direção: Orson Welles
Roteiro: Sherwood King, Orson Welles, William Castle, Charles Lederer, Fletcher Markle
Gênero: Drama/Crime/Noir
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Orson Welles

Michael O’Hara

Rita Hayworth

Elsa Bannister

Everett Sloane

Arthur Bannister

Glenn Anders

George Grisby

Ted de Corsia

Sidney Broome

Erskine Sanford

O juiz

Gus Schilling

Goldie Goldfish

Carl Frank

Advogado Galloway

Louis Merrill

Jake

Evelyn Ellis

Bessie

Philip Van Zandt

Policial

Edward Peil Sr.

Guarda

Motivos para ver o filme  a dama de Shangai

Esse filme mostra que a realidade pode trazer mistérios em sua execução. Existe sempre algo novo envolvendo o amor, e inúmeras questões não reveladas em uma relação. Filme bastante misterioso.

Fim

Terminamos aqui, com alguns filmes do ator Orson Welles , em mais um catálogo de melhores filmes. Se você está nos acompanhando, e quer conhecer ainda, outros filmes antigos de sucesso, já temos alguns cadastros. Continue nos seguindo, pois, breve teremos muito mais para apresentar a você.

Um grande abraço e até breve!

Orson Welles, marcou sua geração, com talento e carisma únicos. Um ator que sabia representar bem seus personagens, permitindo que o povo se envolvesse, emocionalmente com suas representações. No entanto, por algum motivo, nem todos seus filmes, foram bem aceitos pelo público.

Orson Welles – Melhores filmes

O artista em foco, possuía tão grande talento, que era capaz de fazer sua platéia sentir que sua encenação era real, chegando a tentarem se esconder, em cenas que simulavam ataques extraterrestres.

welles-mkk-8104848-5625610-6306302

Quem foi Orson Welles

George Orson Welles, nasceu em 06 de maio de 1915, em Kenosha, Wisconsin, EUA. Ele foi um ator norte-americano , diretor, roteirista e produtor que trabalhou em teatro, rádio e cinema. O mesmo, é lembrado por seu trabalho inovador em todos os três meios de comunicação, principalmente em Caesar (1937), uma adaptação da Broadway de Júlio César.

Também em A Guerra dos Mundos (1938), uma das mais famosas transmissões de rádio da história, que inclusive gerou pânico em alguns ouvintes, ao acreditarem que a Terra , realmente estava sendo invadida por alienígenas. E Cidadão Kane (1941), classificado constantemente, como um dos maiores filmes de todos os tempos.

Depois de dirigir uma série de produções, de alto nível nos seus primeiros vinte anos, incluindo uma adaptação inovadora, de Macbeth e The Cradle Will Rock, Welles ganhou fama nacional e internacional, como o diretor e narrador da adaptação do romance de HG Wells, A Guerra dos Mundos, para a rádio, em 1938, que disparou Welles para a fama.

Longas-metragens

Seu primeiro longa-metragem foi Cidadão Kane (1941), que ele co-escreveu, produziu, dirigiu e estrelou como Charles Foster Kane. Welles não se adaptou ao sistema de estúdio. Ele dirigiu apenas 13 longas-metragens em sua carreira. Enquanto  lutava pelo controle criativo, fazendo frente aos estúdios, seus filmes sofreram muita edições, cortes e alguns nunca saíram.

Seu estilo de direção era original, com destaque para narrativas não lineares, uso inovador de iluminação, ângulos de câmera incomuns, técnicas de som emprestadas do rádio, e tomadas longas. Ele é colocado, como uma grande força criativa de seu tempo. Além de Cidadão Kane, fez outros filmes, também aclamados pela crítica como: Soberba em 1942 e A Marca da Maldade em 1958.

Prêmio por atuação

Em 2002, Welles foi eleito, o maior cineasta de todos os tempos. Sobressaiu, em duas pesquisas da British Film Institute, entre diretores e críticos. Bem conhecido por sua voz de barítono, Welles era um ator bem-visto, e foi eleito na 16° colocação na lista da AFI dos 100 maiores maiores atores, do cinema americano de todos os tempos.

Ele morreu de ataque cardíaco, em sua casa em Hollywood, Califórnia, em 10 de outubro de 1985, aos 70 anos, e, segundo a lenda, teria feito o seguinte comentário sobre sua profissão antes de morrer: “Esse é o maior trem elétrico que um menino já teve.”

Orson Welles – Melhores filmes

Abaixo temos alguns, dos melhores filmes de Orson Welles, vamos conferir?

Cidadão Kane (1941) -Orson Welles

Esse filme, marcou sua época devido às inovações, sobretudo, nas técnicas narrativas, e nos enquadramentos cinematográficos. É até hoje considerado, como um dos grandes marcos da história do cinema.

91mmgsubabl-_sl1500_-272x300-6738068-9742217-6981063

Sinopse do filme: Cidadão de Kane – Orson Welles

O filme é supostamente baseado, na vida do magnata das comunicações, William Randolph Hearst. Na trama conhecemos a história de Charles Foster Kane, a partir de sua morte. Um jornalista recebe a tarefa de investigar, qual era afinal o significado de sua última palavra, “Rosebud”.

Prêmios:

  • Venceu o Oscar de 1942 na categoria de melhor roteiro original.
  • Foi indicado nas categorias de melhor ator protagonista (Orson Welles), melhor direção de arte preto-e-branco, melhor fotografia preto-e-branco, melhor diretor, melhor montagem, melhor trilha sonora, melhor filme e melhor som.
  • Venceu o Prêmio NYFCC 1941 (New York Film Critics Circle Awards, EUA) na categoria de melhor filme.

Curiosidades:

  • O filme é considerado por boa parte da crítica, como o maior filme da história até o momento, figurando em primeiro lugar na lista, do American Film Institute (AFI).
  • Cidadão Kane, encontrou forte oposição, por parte de William Randolph Hearst, pois ele julgava que a obra denegria sua imagem. Em realidade, havia muitos pontos coincidentes das biografias de Hearst e de Kane, embora publicamente, Orson Welles sempre negasse essa relação.
  • Cidadão Kane foi o primeiro longa metragem, dirigido por Orson Welles. Mesmo dirigindo outros filmes, ele nunca mais conseguiu alcançar, o sucesso de crítica e público de sua estréia, e não conseguiu ser contratado novamente, por um grande estúdio de Hollywood.

Ficha técnica

Título: Cidadão Kane
Título Original: Citizen Kane
Ano: 1941
Direção: Orson Welles
Roteiro: Orson Welles, Herman J. Mankiewicz
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Orson Welles

Charles Foster Kane

George Coulouris

Walter Parks Thatcher

William Alland

Jerry Thompson

Everett Sloane

Sr. Bernstein

Ray Collins

James W. Gettys

Ruth Warrick

Emily Monroe Norton Kane

Agnes Moorehead

Mary Kane

Dorothy Comingore

Susan Alexander Kane

Joseph Cotten

Jedediah Leland

Philip Van Zandt

Sr. Rawlston

Paul Stewart

Raymond

Harry Shanon

Pai de Kane

Fortunio Bonanova

Senhor Matiste

Motivo para assistir o filme: Cidadão de Kane – Orson Welles

Um bom motivo, é o fato desse filme aproximar-se de fatos reais da vida do ator, e especialmente do cinema. Isso torna o filme quase um documentário.

Soberba (1942)- Orson Welles

Esse filme,  foi  mal recebido pela plateia, quando de sua primeira exibição: vaias, risos nas horas erradas, ofensas ao elenco. Diante disso, o presidente da RKO Pictures ordenou um corte de aproximadamente quarenta minutos ao montador Robert Wise. No entanto, ele foi indicado ao óscar.

soberba-213x300-2077913-9579076-9359315

Sinopse do filme Soberba – Orson Welles

A bela Isabel reina na mansão Amberson, a mais espetacular de Indianápolis. Isabel ia casar-se com Eugene, brilhante inventor, mas ele a humilhou em público, levando-a se decidir por Wilbur Minafer.

O casal tem um filho, com o nome de George, o qual é arrogante, invejoso, intratável. Após a morte de Wilbur, Eugene, agora rico fabricante de automóveis, corteja novamente Isabel, que o aceita. George, porém, deseja a mãe só para si, e faz de tudo para atrapalhar o namoro. Com a ajuda da tia Fanny, ele provoca e também acaba vítima, de uma série de infortúnios que se abate sobre os Ambersons.

Prêmios:

  • Indicado ao Óscar de 1943 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante (Agnes Moorehead), Melhor Fotografia (Preto e Branco), Melhor Direção de Arte.

Curiosidades:

  • Apesar de ter ganhado ritmo, os espectadores continuaram a reclamar agora do final pessimista.
  • Assim, outro final foi feito, também sem a intervenção de Welles. Por fim, o filme acabou reduzido de 148 para meros 88 minutos de duração e lançado em programas duplos com a comédia classe B Mexican Spitfire Sees a Ghost.
  • A estratégia não funcionou: a película foi largamente ignorada pelo público e recebeu fria recepção da maioria da crítica.
  • Soberba, custou aos cofres da RKO $1,125,000 e resultou em um prejuízo de $624,000.

Ficha Técnica

Título: Soberba
Título Original: The Magnificent Ambersons
Ano: 1942
Direção: Orson Welles, Fred Fleck, Robert Wise
Roteiro: Booth Tarkington, Orson Welles
Gênero: Drama
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco

Orson Welles

Narrador (voz)

Joseph Cotten

Eugene Morgan

Agnes Moorehead

Fanny Minafer

Ray Collins

Jack Minafer

Anne Baxter

Lucy Morgan

Tim Holt

George Minafer

Dolores Costello

Isabel Minafer

Erskine Sanford

Roger Bronson

Motivos para ver o filme: Soberba – Orson Welles

Se o filme não foi muito bem aceito pelo publico, talvez por causar repulsa, mas isso não quer dizer que, não seja curioso, a ponto de despertar desejo de saber o que existe nesse filme que o povo repugna, não acha?

Jornada do Pavor (1943)- Orson Welles

Conta-se que, durante a pós-produção do filme, Welles foi demitido da RKO, principalmente por conta de problemas com o projeto It’s All True, filmado no Brasil na mesma época, mas não lançado. Jornada do Pavor foi editado sem o envolvimento de Welles.

jorno-300x235-7883493-2078937-6598419

Sinopse do filme:Jornada do pavor

Howard Graham e sua esposa Stephanie acabam de chegar em um hotel em Istambul. Howard é engenheiro da empresa americana que fornece armas a marinha turca. Ele é levado a uma casa de shows quando durante a apresentação de um número de mágica, o próprio mágico é morto.

O coronel Haki informa que o atirador é um agente nazista que pretende eliminá-lo. Howard acaba sofrendo um atentado num hotel e por pura sorte escapa, somente para se ver no centro de uma complexa intriga onde sua cabeça faz parte do cardápio.

Curiosidades:

  • O roteiro de Jornada do Pavor foi baseado no romance homônimo de Eric Ambler.
  • Em julho de 1941 foi anunciado que Orson Welles iria desempenhar um papel principal e dirigir o filme. Ele faria isso após a conclusão de seu segundo filme, Soberba (1942). Welles desconsiderou o roteiro de Hecht e escreveu um novo com Joseph Cotten. Ele também trouxe Jack Moss da Paramount como produtor.
  • Welles produziu, dirigiu e escreveu o roteiro com Joseph Cotten. A principal contribuição de Welles como produtor foi a sequência de abertura em que o assassino escuta um velho disco de gramofone enquanto carregava sua arma. Welles disse que na época pensava ter sido o primeiro a criar uma cena antes do início dos títulos. Mais tarde, soube que Lewis Milestone havia feito isso em Of Mice and Men, um filme que Welles não tinha visto.

Elenco

Joseph Cotten

Howard Graham

Dolores del Rio

Josette Martel

Ruth Warrick

Mrs. Stephanie Graham

Agnes Moorehead

Mrs. Mathews

Jack Durant

Gogo Martel

Stefan Schnabel

Tradutor

Orson Welles

Coronel Haki

Richard Bennett

Capitão do Navio

Motivos para ver o filme: Jornada do pavor – Orson Welles

É um filme interessantíssimo, que traz muito suspense e ação, fazendo o telespectador ficar preso na história. Vale a pena assistir!

O Estranho (1946) – Orson Welles

Depois de Cidadão Kane, esse foi o filme de Welles, melhor acolhido pelo público.

estranho-300x225-6328314-9803177-9249311

Sinopse do filme: O estranho

Em 1946, Wilson da Comissão Aliada para os Crimes de Guerra descobre que um fugitivo líder nazista, Franz Kindler, está nos Estados Unidos da América usando uma identidade falsa. Depois de seguir outro nazista, que deixara fugir deliberadamente, Wilson chega à cidade de Harper, Connecticut. Passa a desconfiar de Charles Rankin, um professor universitário da cidade e que está noivo de Mary Longstreet, filha de um juiz da Suprema Corte.

Curiosidades:

  • Traz imagens reais de campos de concentração na II Guerra Mundial.

Ficha técnica

Título: O Estranho
Título Original: The Stranger
Ano: 1946
Direção: Orson Welles
Roteiro: Anthony Veiller, Victor Trivas, Decla Dunning, John Huston, Orson Welles
Gênero: Drama/Suspense
Nacionalidade: Estados Unidos
Duração: 95 minutos

Elenco:

Edward G. Robinson

Sr. Wilson

Loretta Young

Mary Longstreet

Orson Welles

Professor Charles Rankin

Philip Merivale

Juíz Adam Longstreet

Richard Long

Motivos para ver o filme: O estranho – Orson Welles

Está entre os melhores de Welles, e traz uma história bem interessante, inclusive apontado para o posicionamento nazista. Vale a pena assistir.

Duelo ao Sol (1946) – Orson Welles

Em 2006, Duelo ao Sol foi considerado um dos 10 melhores faroestes de todos os tempos pelo American Film Institute, também foi considerado um dos 100 melhores romances.

duelo-206x300-1166952-6198191-4131054

Sinopse: Duelo ao sol

Após o assassinato da mãe (nativa) e a morte por enforcamento do pai (norte-americano), uma mestiça vai morar em uma fazenda e acaba dividida entre o amor de dois irmãos, um advogado e um despreocupado, que vão disputar até às últimas conseqüências.

Prêmios:

  • Foi indicado ao Óscar de 1947 nas categorias Melhor Atriz (Jennifer Jones) e Melhor Atriz Coadjuvante (Lillian Gish).

Curiosidades:

  • O filme foi adaptado por Oliver H.P. Garrett e David O. Selznick do romance de Niven Busch.
  • O produtor Selznick esperava com essa nova produção repetir o sucesso de E O Vento Levou mas o filme gerou controvérsias pelo alto teor sensual da história e pelo relacionamento de Selznick com Jennifer Jones que estrelou o filme. Mas obteve ótima bilheteria nos Estados Unidos, arrecadando 11 milhões e trezentos mil dólares no primeiro lançamento e mais com o relançamento de 1954.
  • Martin Scorsese declarou a James Lipton no Inside the Actors Studio que este foi o primeiro filme que viu e mantém em grande consideração. Ele mencionou isso em seu documentário de filmes americanos.

Ficha técnica

Título: Duelo ao Sol 

Título Original: Duel in the Sun 

Ano: 1946 

Direção: King Vidor 

Roteiro: Niven Busch, Oliver H.P. Garrett, David O. Selznick 

Gênero: Drama/Faroeste/Romance 

Nacionalidade: Estados Unidos 

Elenco

Jennifer Jones.

Pearl Chavez

Joseph Cotten

Jesse McCanles

Gregory Peck

Lewton McCanles

Lionel Barrymore

Senador Jackson McCanles

Herbert Marshall

Scott Chavez

Lillian Gish

Laura Belle McCanles

Walter Huston

Jubal Crabbe, o pregador

Charles Bickford

Sam Pierce

Harry Carey

Lem Smoot

Butterfly McQueen.

Vashti

Orson Welles

Narrador (não creditado)

 

Motivos para ver o filme: Duelo ao sol

É um romance que mostra a competição de dois homens apaixonados, por uma única mulher. Uma ótima opção para refletir sobre um triangulo amoroso.

A Dama de Shanghai (1947) – Orson Welles

Esse filme foi considerado um desastre na América no momento do seu lançamento, embora a cena final em um corredor de espelhos tenha se tornado uma das grandes pérolas do cinema noir. Pouco depois do lançamento, Welles e Hayworth finalizaram seu divórcio.

ss-1-211x300-7745860-8121314-2391860

Sinopse do filme: A dama de Shangai

Narrado e protagonizado por Michael O’Hara, envolvido em um caso escabroso com uma loira misteriosa. Elsa ‘Rosalie’ Bannister foi salva de um grupo de ladrões pelo jovem Michael. Como agradecimento, ela o convida para trabalhar no iate de seu milionário marido. Michael aceita o emprego, mas não pelo dinheiro, e sim para ficar mais próximo de Elsa.

Curiosidades:

  • A decisão de Orson Welles em fazer com que sua esposa Rita Hayworth cortasse seus longos cabelos e os pintasse de loiro para o filme gerou grande polêmica na época, sendo apontado como um dos motivos do filme ter fracassado nas bilheterias.
  • As filmagens ocorreram em 1946, mas seu lançamento nos cinemas foi apenas no ano seguinte. Isto aconteceu porque Harry Cohn, chefe da Columbia Pictures, ordenou seu adiamento por considerar que A Dama de Shanghai arruinaria a carreira de Rita Hayworth.
  • Neste período Harry Cohn ordenou que Orson Welles incluísse cenas de close-up de Rita Hayworth, além de rodar uma cena em que ela cantasse “Please Don’t Kiss Me”. O motivo foi o sucesso das cenas de canto de Hayworth em filmes anteriores.
  • Orson Welles ficou bastante descontente com a trilha sonora composta por Heinz Roemheld, indicado pelos produtores. Numa exibição-teste Welles usou uma trilha temporária que deveria servir de modelo para Roemheld, mas o compositor descartou suas sugestões. Uma das causas do descontentamento foi a cena na sala de espelhos, que Welles queria que não tivesse música alguma para passar ao público a sensação de terror.
  • O iate visto em cena pertencia ao ator Errol Flynn, que navegava com ele nos intervalos das filmagens. Flynn também aparece em uma pequena ponta, como um dos figurantes na cena do restaurante.
  • Embora A Dama de Shanghai tenha recebido muitas críticas, o filme cresceu em estatura ao longo dos anos, e muitos críticos atuais têm louvado sua estética e trabalho de câmera.
  • Titulo: A Dama de Shanghai

Ficha técnica

Titulo Original: The Lady from Shanghai
Ano: 1947
Direção: Orson Welles
Roteiro: Sherwood King, Orson Welles, William Castle, Charles Lederer, Fletcher Markle
Gênero: Drama/Crime/Noir
Nacionalidade: Estados Unidos

Elenco:

Orson Welles

Michael O’Hara

Rita Hayworth

Elsa Bannister

Everett Sloane

Arthur Bannister

Glenn Anders

George Grisby

Ted de Corsia

Sidney Broome

Erskine Sanford

O juiz

Gus Schilling

Goldie Goldfish

Carl Frank

Advogado Galloway

Louis Merrill

Jake

Evelyn Ellis

Bessie

Philip Van Zandt

Policial

Edward Peil Sr.

Guarda

Motivos para ver o filme  a dama de Shangai

Esse filme mostra que a realidade pode trazer mistérios em sua execução. Existe sempre algo novo envolvendo o amor, e inúmeras questões não reveladas em uma relação. Filme bastante misterioso.

Fim

Terminamos aqui, com alguns filmes do ator Orson Welles , em mais um catálogo de melhores filmes. Se você está nos acompanhando, e quer conhecer ainda, outros filmes antigos de sucesso, já temos alguns cadastros. Continue nos seguindo, pois, breve teremos muito mais para apresentar a você.

Um grande abraço e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20