Shaft 2019 é como chamo o filme Shaft dirigido por Tim Story, diretor afro-americano conhecido pela adaptação de Quarteto Fantástico para o cinema e diretor do filme Taxi.

Shaft filho, pai e avô, em Shaft 2019.

Shaft 2019 é a continuação, presente no serviço de streaming Netflix, de um clássico do cinema Blaxploitation de 1971, onde um detetive resolve um caso de sequestro da filha de um dos chefes do Harlem.

Shaft, nesse contexto dos anos 1970, era um herói, um símbolo de mocinho negro no meio de tantos westerns lançados na época estrelados por mocinhos brancos como Clint Eastwood. Mas será que ele continuou como herói nessa continuação?

Shaft 2019, a decadência de um herói

É natural que passado tanto tempo de 1971, ano do filme original, o Shaft (personagem) não tivesse ainda o pique de sua versão jovem e cheia de vontade de mudar a periferia de Nova York.

John Shaft e seu filho, em Shaft 2019

No entanto, o que se vê do roteiro de Kenya Barris e Alex Barnow é algo totalmente distante do que se criou com o antológico filme de Ernest Tidyman. Mas vamos começar com uma breve contextualização: o que era o Blaxploitation?

Por que Shaft 2019 foge completamente do ideal Blaxploitation e por que isso não faz sentido?

O cinema Blaxploitation foi um cinema de ação surgido nos Estados Unidos, que reunia negros em sua produção, direção, atuação e que voltava o tema para a questão negra, apresentando elementos de problemática da época.

O problema das drogas, ao qual os negros eram submetidos era constantemente abordado como algo partido de um ente maior e não inerente aos negros como o presidente da época, Nixon, gostava de deixar nas entrelinhas.

shaft 2019
Cena de Foxy Brown, representante da Blaxploitation

Nesse cenário de drogas devastando comunidades, negros traindo negros a mando de brancos poderosos e cada um querendo seu lugar ao sol em uma sociedade que não ligava pra eles, surgiam os grandes heróis do cinema Blaxploitation.

Shaft era um deles. Esses heróis não reforçavam estereótipos de opressão, ainda que às vezes a própria narrativa o fizesse para que fossem quebrados em seguida.

John Shaft em 1971 - Shaft 2019
John Shaft em 1971

Eram heróis por serem heróis, por serem negros que faziam a diferença para a comunidade negra sem rebaixar outras comunidades oprimidas. Eram heróis dentro desse contexto e só.

Se você estiver interessado no cinema Blaxploitation, pode ler clicando no link deste parágrafo nosso texto sobre essa fase tão inspiradora do cinema estadunidense.

Veja um top 5 de filmes Blaxploitation para iniciar neste gênero

Abaixo, 5 recomendações da Demonstre Cinema para iniciar no cinema Blaxploitation:

Shaft (1971)

O detetive Shaft é contratado por um grande chefe da máfia do Harlem para encontrar a sua filha desaparecida.

Super Fly (1972)

Um traficante começa a perceber que sua vida não vai acabar bem nesse meio, então planeja uma maneira arriscada de sair dele.

Coffy (1973)

Observando as consequências do uso de heroína na sua irmã, a enfermeira Coffy inicia uma busca pelos que espalham essa droga entre as pessoas.

u003cstrongu003eSweet Sweetback’s Baadasssss Song (1971)u003c/strongu003e

Após defender um jovem negro de um ataque de policiais racistas, um homem precisa a todo custo fugir das autoridades que o perseguem.

Blacula (1972)

Um principe africano é amaldiçoado e torna-se um vampiro. Ele se alimenta de pessoas inocentes enquanto busca uma mulher parecida com sua esposa morta.

A partir dessa lista, você já conhecerá boa parte das nuances do gênero.

O Shaft mudou da água para o vinho (ou veneno) em Shaft 2019

Partido dos elementos apresentados no tópico anterior sobre o cinema Blaxploitation fica claro o porquê roteiro e direção estragaram um personagem icônico desse período.

O Shaft no novo filme é um detetive particular decadente, e isso não seria um problema, visto que é comum que se abandone ícones do passado, delegando a eles apenas um lugar na sargeta.

O problema é o tipo de decadência. O filme de 2019 impõe ao Shaft vários estereótipos que hoje não fazem mais sentido algum: o negro extremamente sexualizado que só pensa em sexo é um deles.

shaft 2019

Além do mais, ao longo de todo o filme, o personagem possui várias frases homofóbicas. Vejam só, um ícone audiovisual de um movimento de resistência que ataca outros movimentos que resistem.

Não existe espaço para esse tipo de associação do negro, nem na sociedade e muito menos na arte. A intenção de transformar o Shaft em alguém Badass seguindo os padrões de hoje nem sequer faz sentido, já que é inerente ao herói do Baxlploitation esse status, ou seja, ele já era o “bonzão”.

Considerações finais acerca de Shaft 2019

É um filme que mostra bastante a que veio, ainda que dirigido por um afro-americano: o reforço de estereótipos tanto do negro quanto do que é ser uma pessoa Badass.

Shaft 2019 decepciona pelo roteiro fraco, sem cenas de ação bem desenvolvidas,, como é uma característica dos filmes que ele se inspira, pela falta de um personagem realmente carismático, seja o Shaft ou o filho.

Mas, principalmente, por retirar um herói do pedestal em que foi posto em 1971, ao status de basicamente um trumpminion.

Shaft 2019 é como chamo o filme Shaft dirigido por Tim Story, diretor afro-americano conhecido pela adaptação de Quarteto Fantástico para o cinema e diretor do filme Taxi.

Shaft filho, pai e avô, em Shaft 2019.

Shaft 2019 é a continuação, presente no serviço de streaming Netflix, de um clássico do cinema Blaxploitation de 1971, onde um detetive resolve um caso de sequestro da filha de um dos chefes do Harlem.

Shaft, nesse contexto dos anos 1970, era um herói, um símbolo de mocinho negro no meio de tantos westerns lançados na época estrelados por mocinhos brancos como Clint Eastwood. Mas será que ele continuou como herói nessa continuação?

Shaft 2019, a decadência de um herói

É natural que passado tanto tempo de 1971, ano do filme original, o Shaft (personagem) não tivesse ainda o pique de sua versão jovem e cheia de vontade de mudar a periferia de Nova York.

John Shaft e seu filho, em Shaft 2019

No entanto, o que se vê do roteiro de Kenya Barris e Alex Barnow é algo totalmente distante do que se criou com o antológico filme de Ernest Tidyman. Mas vamos começar com uma breve contextualização: o que era o Blaxploitation?

Por que Shaft 2019 foge completamente do ideal Blaxploitation e por que isso não faz sentido?

O cinema Blaxploitation foi um cinema de ação surgido nos Estados Unidos, que reunia negros em sua produção, direção, atuação e que voltava o tema para a questão negra, apresentando elementos de problemática da época.

O problema das drogas, ao qual os negros eram submetidos era constantemente abordado como algo partido de um ente maior e não inerente aos negros como o presidente da época, Nixon, gostava de deixar nas entrelinhas.

shaft 2019
Cena de Foxy Brown, representante da Blaxploitation

Nesse cenário de drogas devastando comunidades, negros traindo negros a mando de brancos poderosos e cada um querendo seu lugar ao sol em uma sociedade que não ligava pra eles, surgiam os grandes heróis do cinema Blaxploitation.

Shaft era um deles. Esses heróis não reforçavam estereótipos de opressão, ainda que às vezes a própria narrativa o fizesse para que fossem quebrados em seguida.

John Shaft em 1971 - Shaft 2019
John Shaft em 1971

Eram heróis por serem heróis, por serem negros que faziam a diferença para a comunidade negra sem rebaixar outras comunidades oprimidas. Eram heróis dentro desse contexto e só.

Se você estiver interessado no cinema Blaxploitation, pode ler clicando no link deste parágrafo nosso texto sobre essa fase tão inspiradora do cinema estadunidense.

Veja um top 5 de filmes Blaxploitation para iniciar neste gênero

Abaixo, 5 recomendações da Demonstre Cinema para iniciar no cinema Blaxploitation:

Shaft (1971)

O detetive Shaft é contratado por um grande chefe da máfia do Harlem para encontrar a sua filha desaparecida.

Super Fly (1972)

Um traficante começa a perceber que sua vida não vai acabar bem nesse meio, então planeja uma maneira arriscada de sair dele.

Coffy (1973)

Observando as consequências do uso de heroína na sua irmã, a enfermeira Coffy inicia uma busca pelos que espalham essa droga entre as pessoas.

u003cstrongu003eSweet Sweetback’s Baadasssss Song (1971)u003c/strongu003e

Após defender um jovem negro de um ataque de policiais racistas, um homem precisa a todo custo fugir das autoridades que o perseguem.

Blacula (1972)

Um principe africano é amaldiçoado e torna-se um vampiro. Ele se alimenta de pessoas inocentes enquanto busca uma mulher parecida com sua esposa morta.

A partir dessa lista, você já conhecerá boa parte das nuances do gênero.

O Shaft mudou da água para o vinho (ou veneno) em Shaft 2019

Partido dos elementos apresentados no tópico anterior sobre o cinema Blaxploitation fica claro o porquê roteiro e direção estragaram um personagem icônico desse período.

O Shaft no novo filme é um detetive particular decadente, e isso não seria um problema, visto que é comum que se abandone ícones do passado, delegando a eles apenas um lugar na sargeta.

O problema é o tipo de decadência. O filme de 2019 impõe ao Shaft vários estereótipos que hoje não fazem mais sentido algum: o negro extremamente sexualizado que só pensa em sexo é um deles.

shaft 2019

Além do mais, ao longo de todo o filme, o personagem possui várias frases homofóbicas. Vejam só, um ícone audiovisual de um movimento de resistência que ataca outros movimentos que resistem.

Não existe espaço para esse tipo de associação do negro, nem na sociedade e muito menos na arte. A intenção de transformar o Shaft em alguém Badass seguindo os padrões de hoje nem sequer faz sentido, já que é inerente ao herói do Baxlploitation esse status, ou seja, ele já era o “bonzão”.

Considerações finais acerca de Shaft 2019

É um filme que mostra bastante a que veio, ainda que dirigido por um afro-americano: o reforço de estereótipos tanto do negro quanto do que é ser uma pessoa Badass.

Shaft 2019 decepciona pelo roteiro fraco, sem cenas de ação bem desenvolvidas,, como é uma característica dos filmes que ele se inspira, pela falta de um personagem realmente carismático, seja o Shaft ou o filho.

Mas, principalmente, por retirar um herói do pedestal em que foi posto em 1971, ao status de basicamente um trumpminion.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdo Relacionado

Este é um site do grupo B20