Competência discursiva

Olá, gente! Hoje vamos falar sobre um dos termos da língua que mais parece um palavra: a competência discursiva. Vem com a gente pra aprender mais!

A competência discursiva

O conceito de competência discursiva pode variar de acordo com o significado dos termos do discurso, mas, em geral, a capacidade do discurso é definida como a capacidade de um usuário da linguagem produzir e entender texto falado ou escrito, a fim de contextualizar sua interação através da linguagem falada (ou outra Idioma) para adaptar o produto de texto ao ambiente de pronúncia.

Isso deve ser considerado no sentido estrito (isto é, na situação atual em que a linguagem do texto ocorre) ou no sentido amplo (isto é, na história social e no contexto ideológico). Portanto, a capacidade de falar representa o domínio das regras e princípios do uso da linguagem em diferentes situações.

Como podemos ver melhor a competência discursiva?

A competência discursiva pode ser vista como uma superpotência que cobre e influencia a linguagem e as habilidades textuais, porque permite que os usuários percebam que a sequência da linguagem considerada como texto não significa a si mesma, mas porque elementos como: quem disse o quê; por que / por que; para quem; onde está o papel social do interlocutor na comunicação oral? Quais são suas crenças e como eles veem os elementos do mundo sobre os quais estão falando? Em resumo, qual é a ideologia (visão de mundo e crença) que “molda” o texto.

A capacidade do discurso deve estar relacionada à capacidade dos usuários da linguagem de se expressar na forma de discurso ou discurso social, e é entendida de maneira muito simples e mais operacional como um conjunto de métodos específicos para estabelecer significado, ou seja, o significado que funciona na linguagem. Formas de pensamento social e histórico da sociedade e da cultura (por exemplo, “discurso viril”, “discurso neoliberal”, “discurso do PT”). Nesse sentido, a capacidade de expressão é a capacidade dos usuários de idiomas de reconhecer se podem ou não ser falados na forma de fala, pois ambos podem dizer o que podem dizer e conhecer as expectativas de um determinado discurso.

Os opostos e a competência discursiva

As palavras machistas dizem o que as feministas não disseram; as religiosas dizem o que as materialistas não disseram, saber lidar com elas faz parte da capacidade de falar. Além disso, a mesma palavra ou expressão pode ter significados diferentes em diferentes formas de discurso. Por exemplo, a palavra felicidade tem significados diferentes em anúncios e discursos religiosos, é considerada parte da capacidade do discurso. Para o ensino da produção e compreensão de textos orais e escritos (portanto, na leitura e na escrita), é importante agir e levar em consideração a dimensão discursiva do texto nas funções sociais.

O que achou do texto sobre competência discursiva?

Aproveite para ver mais textos do Demonstre, separei um exclusivamente para você: Fonética.

Add Comment