Exemplo de Prova Discursiva Para Concurso

Se você está estudando para algum concurso, pode ser de grande ajuda conferir um exemplo de prova discursiva para um concurso, afinal de contas, nessas horas toda ajuda é bem vinda. As provas para essa modalidade geralmente são um pouco mais complicadas, e justamente por isso é recomendado que você estude bastante e tire proveito de todos os meios de obter alguma preparação, e é justamente o nosso intuito com o post de hoje. Confira!

Mulher com unhas pintadas segurando um lápis branco de bolinhas escrevendo uma prova discursiva para concurso em um caderno
Se você está com alguma dificuldade em relação a prova discursiva do concurso público, confira esse post que iremos lhe dar um exemplo!

A prova discursiva de concurso é uma das apostas para os concursos públicos de nível médio e superior e, diferente das provas de múltipla escolha, nessa situação não é possível chutar, pois as questões exigem argumentação. Portanto, é de suma importância que, além de estudar bastante, você tenha na ponta da língua as suas argumentações.

A prova discursiva para o concurso é uma questão aberta para que o candidato exponha sua opinião sobre o assunto dentro de um limite de linhas estabelecido pela banca examinadora. Esse método é utilizado para ter a certeza de que o candidato possui entendimento sobre a questão, e que não a acertou simplesmente através de um chute certeiro.

Para que os resultados sejam positivos, é preciso se preparar para argumentar dentro de algumas regras previamente pré-estabelecidas, pois qualquer distanciamento do que foi estipulado pode causar um impacto negativo na sua prova. Quer saber como se preparar para fazer uma prova discursiva para concurso e evitar frustrações? Então acompanhe esse post e saiba tudo a respeito desse tema.

O que é uma prova discursiva para concurso?

Antes de você saber como realizar uma prova desse nível, é fundamental conhecer os conceitos de o que é prova discursiva e objetiva, afinal de contas, é somente entendendo quais são as suas propostas que irá se conseguir chegar ao objetivo determinado. Primeiro de tudo é essencial compreender que prova discursiva e prova objetiva não se tratam da mesma coisa.

São dois conceitos diferentes e cada um possui características únicas. De maneira simplificada, a prova objetiva é aquela que contém questões com alternativas. Esse tipo de questão pode ser tanto de múltipla escolha como aquelas do tipo CERTO ou ERRADO. As questões objetivas geralmente possuem de quatro a cinco alternativas, sendo somente uma correta.

Homem fazendo prova discursiva para concurso com uma caneta amarela e um notebook
A prova discursiva serve para que o candidato mostre que realmente domina o conteúdo.

É muito comum, nesse tipo de questão, que os candidatos chutem somente para não deixar a questão em branco o que, por um lado, pode demonstrar que em sempre a pessoa domina o conteúdo. A prova discursiva, por outro lado, é uma redação onde o candidato disserta sobre um assunto previamente estabelecido, e o assunto varia muito conforme o concurso que se está fazendo.

Em geral, esse tipo de texto presente nas provas discursivas é o dissertativo, onde o candidato deve defender a sua tese referente ao assunto estipulado. Em vestibulares como o ENEM, é comum ter que apresentar uma proposta de solução da problemática apresentada, mas já nos concursos públicos são corrigidas somente as redações dos candidatos com melhor pontuação nessa etapa.

Quais são os critérios para correção da prova discursiva?

Na grande maioria dos concursos, os critérios para correção da prova discursiva estará detalhado no edital do concurso, e daí a importância de nunca deixar de lê-los. Porém, há um certo padrão da maneira como essas provas são corrigidas, e falaremos logo abaixo. Vale ressaltar, entretanto, que isso não anula a necessidade de ler o edital, pois algumas alterações podem ocorrer. Os critérios são:

  • Se o candidato se manteve no tema proposto;
  • Capacidade de argumentação e organização das ideias;
  • Erros de ortografia e gramática;
  • Linhas a mais ou a menos do que o estipulado no enunciado.

Essas são alguns dos critérios de correção que a maioria dos concursos usam, mas, como já foi dito, é essencial que você confira no edital, pois somente lá você irá ter a informação completa. Ao ler o edital, certifique-se de estudar a fundo cada um dos critérios, pois ao demonstrar conhecimento sobre todos essas exigências, a probabilidade da sua nota ser alta se torna mais próximo da realidade.

Como fazer uma prova discursiva para concurso

Para fazer um bom exame discursivo para concurso é preciso ter em mente que você só terá bons argumentos se for uma pessoa dedicada ao hábito de ler. Porém, isso não quer dizer que precise dominar a literatura brasileira, mas precisa sim, ler muito. Além disso, é necessário noções básicas de pontuação e gramática para que o texto seja elaborado com qualidade e seja entendido pela banca examinadora.

Na hora de fazer a prova discursiva para concurso você terá acesso ao tema e deverá elaborar um texto que aborde algum aspecto do tema geral e dissertar sobre ele. Nessa hora é importante escolher um assunto que você tenha conhecimento, isso lhe trará segurança na hora de escrever. Para ter argumentos sólidos é preciso ter conteúdo, os quais podem ser obtidos em livros, noticiário e na experiência de vida.

Livros organizados para quem quer fazer prova discursiva para concurso
As pessoas que possuem mais acesso as informações, seja através de livros ou do noticiário, possuirão mais facilidade na hora de fazer uma prova discursiva para concurso.

Os textos precisam ter introdução, desenvolvimento e conclusão, independentemente do tamanho de sua argumentação, essa regra é básica e vai fazer com que o examinador entenda a sua abordagem. Na introdução é preciso começar a falar do tema, preferencialmente afirmando ou negando algo, para em seguida abordar 2 ou 3 aspectos relacionados ao assunto.

No desenvolvimento você terá que descrever os aspectos que relacionam na introdução com um pouco mais de profundidade. Para que seu texto fique mais organizado, divida os aspectos abordados em parágrafos. Quando chegar na conclusão, é preciso retomar a ideia da introdução apresentando uma solução para o problema mencionado, entrementes, caso não for possível apresentar uma solução, exponha um posicionamento adequado.

Para que você alcance seus objetivos é preciso se preparar para as provas discursivas para concurso. Além disso, diferenciar texto discursivo de texto dissertativo é um dos principais requisitos para não haver confusão e, consequentemente, anulação da prova, afinal de contas, cada modalidade de texto exige determinadas especificações.

Regras básicas para uma boa prova discursiva para concurso

Além de seguir a sequência de introdução, desenvolvimento e conclusão é preciso respeitar algumas outras regras simples para que a nota da prova discursiva seja elevada, que são:

  • Letra legível;
  • Pontuação correta;
  • Coerência;
  • Respeito ao limite, tanto de linhas como em relação ao respeito às margens.
  • Coesão;
  • Grafia correta das palavras;
  • Respeito ao tema;

Caso você tenha alguma dificuldade em alguns dos pontos descritos acima, é essencial praticá-los antes do dia da prova, pois a aparição recorrente desses problemas irá resultar da diminuição de pontos do seu texto e, quiçá, poderá fazer com que o seu texto seja anulado pela bancada examinadora.

Exemplo simples de prova discursiva para concurso

Para ajudar você a ter noção de como redigir um texto para o seu exame, vamos descrever abaixo um simples exemplo de prova discursiva para concurso.

Tema: Suicídio

Informações sobre o tema: A taxa de suicídios a cada 100 mil habitantes aumentou 7% no Brasil, ao contrário do índice mundial, que caiu 9,8%, alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os dados comparam as mortes autoprovocadas registradas pela organização em 2010 e em 2016 em diversos países do mundo.

A taxa média esconde enormes diferenças no número de casos por sexo, que mostram que os homens morrem mais por causas autoprovocadas: foram 2,8 a cada 100 mil entre as mulheres e 9,7 a cada 100 mil entre os homens em 2016 contra 2,8 a cada 100 mil entre as mulheres e 9 a cada 100 mil entre os homens em 2010.

Fonte: G1.

Abordagem: Pesquisas apontam que o suicídio é muito mais comum entre homens

Introdução: Pesquisas apontam que o suicídio é muito mais comum entre homens e infelizmente o índice tem aumentado com o passar dos anos. Embora as causas sejam as mais diferentes, é possível afirmar que os homens são mais difíceis de falar de seus sentimentos ou procurar ajuda médica e psicológica.

Desenvolvimento: No mês de setembro é promovida uma abordagem especial em relação ao suicídio por meio da famosa chamada para o setembro amarelo. Nesse período as pessoas se voltam para esse importante tema que precisa ser discutido cada vez mais.

As pesquisas apontam que a porcentagem de homens que se suicidam é muito maior que a porcentagem de mulheres, e outras pesquisas informam que eles também são mais suscetíveis ao uso de drogas.

Talvez seja o momento de conversar mais com os homens incentivando-os a falar de suas necessidades bem como seus anseios e temores.

É muito comum ver pais educando os filhos com a ideia de que homem não chora, ou que homem é forte. Essa ideia está enraizada em nosso meio de tal forma, que no grupo de amigos da escola ou do trabalho ainda estranhamos ver um homem chorar.

Incentivar os homens a falarem de seus sentimentos e os encorajar a buscar tratamento para suas dificuldades emocionais pode ajudar a reduzir esse índice.

Conclusão: O crescimento do suicídio é algo preocupante, são vidas ceifadas pela iniciativa da própria pessoa, em um momento de desespero.

Conversar ainda tem sido a melhor saída para solucionar o problema e evitar o aumento do índice. Sejam homens ou mulheres, todos merecem atenção.

Não se deve menosprezar qualquer ato suspeito, qualquer manifestação de desejo de viver em paz, de parar de sofrer, ou, em casos de homens, ficar atento à situações de isolamento frequente e extenso.

É exatamente nessa hora que os pensamentos do suicídio são cultivados até que aconteça de fato.

Conclusão

Fazer a prova discursiva para concurso e sair vitorioso é possível, basta se preparar para isso. Fique atento às regras e treine constantemente, pois aos poucos você verá seu progresso e se sentirá seguro para participar de um e certamente ser aprovado. Todas as informações foram passadas, basta você dar o primeiro passo em direção ao sucesso, comece agora a estudar com os melhores especialistas em concursos público aqui, como passar.

O post termina por aqui, mas não deixe de compartilhar com seu amigo de estudo para que ele também tenha acesso a essas dicas. Fora isso, compartilhe nas suas redes sociais para ajudar ainda mais pessoas. Além do mais, convidamos você a conferir outros posts daqui do site, temos certeza que você irá gostar de muitos deles. Sucesso nos estudos! Nos vemos na próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20