Hoje vou apresentar para você a lenda da Harpia Mitologia Grega, sendo o segundo post sobre o tema aqui no blog.

Harpia Mitologia Grega

Para esse texto vou organizar os tópicos da seguinte maneira:

  1. O que é Harpia?
  2. Ficha técnica da Harpia
  3. Harpia Significado
  4. O mito da Harpia (narrativa autoral)
  5. Curiosidades sobre a harpia
  6. Sugestões de leitura sobre harpia mitologia grega

Então vamos lá!

O que é Harpia

harpia curiosidades

A palavra harpia vem do latim harpyia, que por sua vez deriva-se do grego Άρπυια ou harpuia, traduzido como “arrancadores”. Uma segunda definição para esta nomenclatura vem do inglês moderno, onde harpy também pode ser definida como “turbilhão”. Estas duas traduções são referência às características de atuação das harpias nas lendas mitológicas.

A harpia é um monstro originário da mitologia grega que apresenta asas longas e fortes, o corpo de uma águia e a face de mulher. Diversos textos da mitologia ainda atribuem a esta figura a semelhança com uma ave de rapina, podendo exibir ainda o corpo ou o busto de uma mulher. Os gregos descreviam as harpias como criaturas belas, no entanto, os romanos destacavam a feiura e monstruosidade dessas figuras.

Conta a lenda que as harpias sobrevoam com grande velocidade os céus da antiga Grécia. Suas garras eram capazes de cortar um homem ao meio e os seus olhos poderiam enxergam a longas distâncias. Zeus, pai dos deuses e dos homens na antiga Grécia, usava as harpias para punir e castigar, por isso estas criaturas eram conhecidas como “os cães de caça de Zeus”. Um famoso exemplo da ação das harpias a serviço de Zeus é a história que envolve o rei Phineas da Trácia. Phineas tinha o dom de profetizar, revelando mais do que Zeus permitiria. Devido a estas frequentes revelações, Zeus, com raiva, castigou Phineas, colocando-o em uma ilha com uma variedade de comida que ele nunca poderia desfrutar. As harpias eram responsáveis por roubar a comida das mãos de Phineas antes de que ele fosse capaz de satisfazer a sua fome. Desta forma, as harpias eram agentes de castigo que sequestravam pessoas e torturavam-nas. Elas eram viciosas, cruéis, violentas e moravam na região de Estrófades.

A crueldade das harpias foi descrita em diversos textos da mitologia e se mantém em referências mais atuais a estes monstros. Muitas vezes as harpias são associadas ao vento e ao ar e, por vezes, são vistas como representando a dualidade do ar: calma e graciosidade, mas também a grande capacidade de destruição e caos. Como os deuses e o vento, as harpias eram consideradas imortais.

Ficha técnica da Harpia Mitologia Grega

harpia imagens

Nome: Harpia

Idade: 500 a.C.

Origem: Mitologia grega

Família: Harpias

Atribuições: criatura grega conhecida por seu serviço como cão de caça de Zeus

Aparência: corpo de ave de rapina, asas longas e robustas, bico afiado e brilhante, ora com face de mulher ora com face de ave.  Apresentam tamanho de 1 a 1,6 metros na fase adulta, mas nascem como pequenas aves de até 30 cm.

Habilidades: voos rasantes e rápidos, bater de asas que geram turbilhões de vento, garras e bicos afiados capazes de destruir o corpo humano facilmente, visão noturna e a longa distância, habilidade com as garras mesmo durante o voo.

Como invocar: as harpias são majoritariamente invocadas a comando de Zeus, mas fortes ventanias podem ser um grande atrativo para estas criaturas.

Como se livrar: as harpias podem ser contidas pelo fogo ou pela água, mas precisam estar em condição vulnerável ou distraídas, porque o turbilhão de vento que elas são capazes de gerar por apagar o fogo ou evaporar a água.

Harpia significado

Segundo o Dicionário Priberam har·pi·a é um substantivo feminino e significa

  1. Monstro alado com rosto de mulhercorpo de abutreunhas em forma de garraque personificava as tempestades e a morte.
  2. [Figurado]  Pessoa que vive de extorsões.
  3. Mulher ávida e .
  4. [Zoologia]  Espécie de águia da América.

Você sabe como se dá a construção da moral durante o desenvolvimento infantil?

Entenda os motivos para trabalhar educação sexual na escola!

Não deixe de se inscrever no meu canal do youtube: Vídeos diários para professores!

Confira também as entrevistas que estamos realizando no canal do Demonstre:

Não deixe de se inscrever no canal do youtube do Demonstre: Vídeos diários de poesia!

 

O mito da Harpia Mitologia Grega

harpia significado

Fazia um vento muito forte e ela nasceu, mais uma harpia linda e feroz. Dentro do último turbilhão barulhento cresceram as suas garras, as suas asas, os seus olhos puxados. Ela conseguiu ver ao longe e avistou outras criaturas parecidas com aquele corpo recém-criado. Eram criaturas maiores, imponentes, com asas enormes e castanhas, cabelos negros ao vento e garras afiadas. Ela sentiu um reconhecimento da sua imagem e começou a escutar grunhidos distantes. Foi possível avistar uma parte da ilha, com vegetação mediterrânea e muitas pedras, com um céu azul brilhante ao fundo. Ela parou de observar quando uma criatura maior se aproximou, a pegou e a levou para uma grande sala, cheia de outras pequenas aves-meninas como ela.

– Este é o novo grupo de harpias! Nasceram do turbilhão de Estrófades, a mando de Zeus, pai dos deuses e dos homens, para punir Phineas pela eternidade!

A pequena harpia foi então apresentava ao seu destino: deveria punir o rei Phineas da Trácia pela ira criada em Zeus. Phineas era um homem bom, forte, moreno, com alguns cabelos grisalhos, mas que falava demais. As profecias de Phineas afrontaram muitos deuses, muitos homens e até mesmo as harpias. Zeus foi complacente por muitos anos, no entanto, quando Phineas revelou aos homens que Zeus criaria o semi-deus Hércules e que ele governaria o mundo, não houve mais redenção. Phineas foi tirado do trono de Trácia e atirado na ilha de Estrófades, onde habitam as harpias. E todo um ciclo de punição foi gerado, para que cada harpia nascida de um turbilhão de vento pudesse punir Phineas por seus erros.

A família de harpias cuidava das aves-meninas por sete dias até que elas atingissem a maturidade para trabalhar a serviço de Zeus. Após sete dias as harpias eram nomeadas e recebiam cargos, de acordo com as suas habilidades. Uma harpia chefe era responsável por cada escolha e de cima do Olímpio Zeus supervisionava todo o processo. A pequena harpia nascida do último turbilhão não foi capaz de esperar os sete dias e na sexta tarde em Estrófades voo tão rápido quanto nunca se foi visto antes. Zeus desceu do Olímpio no mesmo instante e buscou pela harpia de voo precoce, nomeando-a como Ocípite que significa “a rápida no voo”.

Ocípite era tão veloz que fazia o serviço de outras cem harpias. Suas asas eram fortes, majestosas, com penas longas e cheias. Seu corpo era leve, porém musculoso, com garras mais afiadas que as espadas dos homens. Phineas temia a Ocípite muito mais do que a outras harpias; ele sabia que o seu voo era veloz e que suas garras eram mais afiadas do que sua fina pele poderia aguentar. Por vezes, Phineas foi ferido pelas garras de Ocípite e se sentia aliviado quando outras harpias se aproximavam, porque assim conseguia comer pequenos pedaços de pão que escondia entre os dedos. As outras harpias conseguiram perceber a diferença em Ocípite, surgindo inveja, boicotes e muitas brigas. Claramente Zeus demonstrada a sua preferência por Ocípite, o que aumentava os conflitos entre as outras harpias.

Em uma manhã de tempestade, Zeus se cansou dos grunhidos estridentes das harpias e desceu mais uma vez para Estrófades. Reunindo todas as harpias na sala central, Zeus fez parar os ventos:

– Eu ordeno que se calem! (E um silêncio assustador dominou o lugar). Desejo que todo o conflito entre as harpias se desfaçam, por isso irei desconstruir o ciclo de punição criado para Phineas. Não mais nascerá uma única harpia com o objetivo de punir o rei da Trácia, não mais criarei um único turbilhão de vento que origine aves-meninas. É uma ordem! Deste dia em diante e até a eternidade apenas uma harpia será responsável por punir os erros de Phineas: Ocípite, a harpia mais rápida de todos os séculos!

Houve mais silencio. As harpias foram dispensadas e começaram outros afazeres da vida em Estrófades, ora, porque com o ciclo de punição, as harpias não tinham tempo para cuidar da ilha ou explorar outras partes da terra. Ocípite orgulhou-se da escolha de Zeus e aceitou com satisfação o seu destino. Assim, nasceu a harpia mais rápida da mitologia grega, um monstro forte e gracioso, responsável por todos os dias de castigo do rei profeta da Trácia.

Autor: Felipo Bellini

Curiosidades sobre a Harpia – Mitologia Grega

  1. A harpia é considerada um monstro de segundo nível da mitologia grega, por ser mais representada em obras de artes do que na literatura mitológica, embora possam ocasionalmente ser usadas na cultura popular de hoje.
  2. A teoria sobre a origem da harpia ainda é incerta, não existindo um consenso generalizado. Foi sugerido que as Harpias foram originalmente adaptadas dos ornamentos em caldeiras de bronze do Reino de Urartu, conhecido reino da Idade do Ferro centrado ao redor do lago Van no planalto Armênio. Outros estudiosos destacam que esta teoria se baseia na ideia de que as Harpias eram monstros de pássaros com cabeças humanas, o que não era verdade nos mitos originais.
  3. Originalmente, as Harpias foram concebidas como espíritos do vento, a personificação de uma ocorrência da natureza que é frequente em culturas antigas. O céu era um lugar significativo para os antigos gregos, e muito parecido com as partes mais profundas do oceano, era reverenciado porque era inacessível. O Monte Olimpo, o reino dos deuses, estava localizado no alto do céu e, portanto, a atmosfera e o clima se tornaram associados aos caprichos dos deuses. Portanto, é concebível que a ideia das Harpias possa ter vindo dos ventos que mudam consistentemente. Não foi até mais tarde que as Harpias receberam uma forma física, por causa da narração de histórias.

Galeria de imagens sobre Harpias

harpia mitologia harpia significado harpia curiosidades harpia imagens harpias mitologia grega

Harpia Mitologia Grega na internet

Bulfinch, Thomas, 1796-1867. 26a ed O livro de ouro da mitologia: (a idade da fábula) : histórias de deuses e heróis / Thomas Bulfinch ; tradução de David Jardim Júnior — 26a ed. — Rio de janeiro, 2002. Disponível em: http://filosofianreapucarana.pbworks.com/f/O+LIVRO+DE+OURO+DA+MITOLOGIA.pdf.

Dicionário Etimológico da Mitologia Grega. – www.demgol.units.it. Disponível em: https://demgol.units.it/pdf/demgol_pt.pdf.

Odisséia Homero. Tradução de Manoel Odorico Mendes (1799-1864) Prefácio de Prof. Silveira Bueno. Fonte digital Digitalização da 3a edição. 2009. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/odisseiap.pdf.

Cruéis HARPIAS, a morte alada da MITOLOGIA GREGA – Mitos. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JYJMeGuCmiE.

15 criaturas mais lendárias da mitologia grega. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=qqyGbRRY9bs&t=344s.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.