Poema de Hilda Hilst – terceiro poema do livro Do Desejo. Narrada por Felipo Bellini Confira mais poemas da série “Uma Poesia por Dia”

“Colada à tua boca a minha desordem.
O meu vasto querer.
O incompossível se fazendo ordem.
Colada à tua boca, mas descomedida
Árdua
Construtor de ilusões examino-te sôfrega
Como se fosses morrer colado à minha boca.
Como se fosse nascer
E tu fosses o dia magnânimo
Eu te sorvo extremada à luz do amanhecer.”

Você sabe como se dá a construção da moral durante o desenvolvimento infantil?

Entenda os motivos para trabalhar educação sexual na escola!

Não deixe de se inscrever no meu canal do youtube: Vídeos diários para professores!

Confira também as entrevistas que estamos realizando no canal do Demonstre:

Não deixe de se inscrever no canal do youtube do Demonstre: Vídeos diários de poesia!

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.