in , , ,

História da Chapeuzinho vermelho

História da Chapeuzinho vermelho 7

História da Chapeuzinho vermelho em variadas versões encantam gerações! Afinal de contas o lobo mau ainda vive por aí bisbilhotando o caminho das garotinhas quando precisam visitar a vovó!

História da Chapeuzinho vermelho 1História da Chapeuzinho vermelho 2História da Chapeuzinho vermelho 3

História da Chapeuzinho vermelho- História Infantil

Todo cuidado é pouco, ao atravessar as ruas e avenidas! Se for possível, não ande sozinha em lugares duvidosos, nunca se sabe onde o lobo mau vai tentar te surpreender!

História da Chapeuzinho vermelho

Em uma cidade do interior, não sei se era no Paraná, Amazonas ou em Minas, mas, só sei que tinha floresta perto da casa. Uma garotinha linda, com maçãs do rosto rosada, duas trancinhas bem fofas e olhinhos de Jabuticaba, todos os dias brincava alegremente em seu quintal. Esqueci de dizer… O nome dela era Cecília!

História da Chapeuzinho vermelho 4 História da Chapeuzinho vermelho 5

Sua mamãe, dona Joana, passava o dia arrumando sua aconchegante casa, contudo, nunca deixava de fazer alguns doces gostosos, os quais com muito carinho, enviava para a vovó de Cecília:

-Cecília, venha cá! Quero que leve esses doces para sua vovó, mas, muito cuidado filha! Ouvi dizer que pela floresta foram ouvidos uivos de lobos, embora não os tenhamos visto, é bom ter cuidado!

– Sim mamãezinha! Não se preocupe, sou bem esperta e caso ouvir algum barulho, irei me esconder. Mas, mamãe me diga: Como é o lobo mau?

História da Chapeuzinho vermelho 6

– Bem, ele tem orelhas grandes, boca enorme e muito pelo,além de ser feroz e perigoso!

– Isso me dá medo mamãe! Vou por fora do bosque, mesmo que a distancia seja maior correrei um risco menor!

Assim, lá foi Cecília! A mãe da garota ajeitou os doces no cestinho e colocou sobre a menina sua capa vermelha com gorro, para que se protegesse do friozinho que caia à tarde, aconselhando-a que não parasse com ninguém que fosse suspeito.

Chapeuzinho vermelho se desvia do caminho

Despedindo-se de sua mãe lá foi Cecília, feliz e cantarolando pelo caminho:

-Pelo bosque afora eu vou bem sozinha leva esses doces para a vovozinha! O caminho é longo, está bem deserto, e o lobo mau pode estar por perto.

História da Chapeuzinho vermelho 7História da Chapeuzinho vermelho 8História da Chapeuzinho vermelho 9

Escondido entre as folhagens, o lobo esperto observava a menina passando e logo se apresentou:

-Onde vai com tanta pressa menina linda?

Sem perceber que se tratava do lobo mau a menina respondeu:

– Vou levar esses doces para minha vovó que mora do outro lado da floresta!

-Então por que não vai por esse caminho aqui? É bem mais rápido e  seguro!

– Nunca passei por ele, mas, se é  mais rápido então eu vou!

A menina do chapeuzinho vermelho entrou pela floresta adentro, e ficou logo perdida, no entanto, por ser boa em encontrar trilhas, foi desbravando o caminho, até  encontrar uma saída que dava na casa da vovó.

História da Chapeuzinho vermelho 10

Chegando perto,a menina sentiu que algo estranho estava acontecendo, pois a casa da vovó estava com a porta aberta, coisa que nunca havia acontecido antes. Adentrando vagarosamente, Cecília foi até o quarto. Percebeu que a vovó parecia maior do que seu tamanho normal. Suas orelhas, boca e mãos estavam muito estranhas! Daí ela perguntou:

– Vovó é você mesma? Está tão diferente!

– Sou eu mesma minha netinha, chegue mais perto de mim!

– Sua voz está estranha vovó, a senhora se resfriou?

-Oh minha netinha, foi a nebrina da noite que me deixou roca!

-Mas, vovó, suas orelhas estão grandes!

-São para te escutar melhor minha netinha!

– E estes olhos tão grandes?

– Para te enxergar melhor minha netinha

Chapeuzinho vermelho foi se aproximando cada vez mais…

– Vovó me diga, por quê você está com sua boca tão grande?

Chapeuzinho vermelho vence o lobo

O lobo ao ouvir a pergunta da pequena, levantou-se rapidamente, dirigindo-se para a menina. Quando estava a ponto de atacá-la, chapeuzinho lhe deu um golpe de Caratê que deixou o lobo tonto! Desta forma ele foi logo amarrado pela menina esperta.

O lobo  ficou imobilizado por um bom tempo, até que o IBAMA chegasse, e recolhesse o selvagem animal para mandá-lo de volta para sua casa, de onde nunca deveria ter saído! “Que mico hein seu lobo!”

História da Chapeuzinho vermelho 11História da Chapeuzinho vermelho 12

 

Mas, após vencer o lobo outra coisa preocupou a menina… Onde estava a vovozinha?  Chapeuzinho então olhou para cima, e sentada em uma barra de ferro, lá no alto estava a vovó, sã e salva!

– Vovó! Como a senhora conseguiu subir aí?

– Ah minha netinha! Se não fosse as aulas de Pilates as quais frequento toda semana, não conseguiria! Mas ainda bem que estava em forma, e quando o lobo quis me pegar e dei um salto e parei nesse lugar!

– A senhora é fantástica vovó! Sei que conseguiu se livrar, mas, quanto a mim, nunca mais darei pista a  estranhos sobre meu destino, pois quase fomos devoradas! ” Prevenir é melhor que remediar”, não é mesmo vovó?

História da Chapeuzinho vermelho 13História da Chapeuzinho vermelho 14 História da Chapeuzinho vermelho 15

Assim Chapeuzinho abraçou sua vovó e juntas comemoraram por se livrarem do lobo mau!

Moral da história: Todo cuidado é pouco, para se livrar da lábia dos mal intencionados!

Autor da história – Charles Perrault   –     Adaptação: Elaine Costa

Sobre o autor – história da Chapeuzinho vermelho: Charles Perraut

Charles Perrault  nasceu em Paris aos 12 de janeiro de 1628 – Paris, 16 de maio de 1703. foi um escritor e poeta francês do século XVII, que estabeleceu as bases para um novo gênero literário, o conto de fadas, além de ter sido o primeiro a dar acabamento literário a esse tipo de literatura, o que lhe conferiu o título de “Pai da Literatura Infantil”.

História da Chapeuzinho vermelho 16

O escritor também foi advogado e exerceu algumas atividades como superintendente do Rei Luís XIV de França. A maioria de suas histórias ainda hoje são editadas, traduzidas e distribuídas em diversos meios de comunicação, e adaptadas para várias formas de expressões, como o teatro, o cinema e a televisão, tanto em formato de animação como de ação viva.

Exercícios de leitura para fundamental I

  1. Qual a lição que aprendemos com a História do Chapeuzinho vermelho?
  2. Com quais tipos de pessoas e atitudes poderemos comparar o ato do lobo mau?
  3. A vozinha estava com boa disposição física, qual tipo de atividade ela praticava? Onde e com quem se deve fazer esse tipo de exercício?
  4. Circule a reação de Chapeuzinho quando o lobo quis atacá-la:
  • Correu
  • Gritou
  • saiu correndo
  • Deu um golpe de Karatê no lobo

5. A Chapeuzinho vermelho de nossa história, não matou o lobo, como na versão antiga da história. No entanto, ela chamou o IBAMA! Você sabe para que serve o IBAMA ? Após assistir o vídeo abaixo, faça um resumo em seu caderno de tudo o que aprendeu sobre o assunto, vamos lá?

O que acontece com os animais que são recuperados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente- IBAMA

Proposta de atividade/dinâmica: história da Chapeuzinho vermelho – Karatê

Artes maciais ou lutas para auto defesa, são ensinadas em diversas culturas, principalmente na oriental. Até mesmo crianças podem aprendê-las a fim de se defenderem quando necessário. Vamos assistir e dentro das possibilidades, repetir  algumas posições do famoso Karatê?

Outra versão: história da Chapeuzinho vermelho

Fim

Observou como a história da Chapeuzinho vermelho, poderá ter uma versão atualizada? Afinal de contas, existem lobos-maus espalhados por cada rua ou esquina, tentando destruir nossas meninas e vovós, portanto, nada melhor do que se precaver!

temos diversas outras histórias como essa no blog, portanto, não perca tempo! Venha conferir um mundo de conselhos e sabedoria, os quais permanecem por gerações! Visite as páginas da Demonstre e encontre material feito com muito carinho para auxiliá-lo em seu trabalho. Conte sempre conosco!

Um grande abraço, e até a próxima!

 

 

O que fazer em Fortaleza 14

O que fazer em Fortaleza

Números ordinais em inglês - definição e aplicações

Números ordinais em inglês – definição e aplicações