Jean Jacques Rousseau – Contrato Social

0

Oi pessoal, o post da vez vai falar sobre Jean Jacques Rousseau – Contrato Social. Esperamos que goste da discussão e dos pontos que vão ser levantados sobre esse importante filósofo!

Jean Jacques Rousseau – Contrato Social

 Jean Jacques Rousseau (1712-1778) foi o principal filósofo da Revolução Francesa e um dos principais fundadores do pensamento político e educacional moderno. Filho de um relojoeiro, Rousseau foi criado apenas por seu pai, já que sua mãe faleceu assim que ele nasceu.

Jean Jacques Rousseau - Contrato Social

Uma das frases mais conhecidas desse grande pensador é: “O homem nasce bom mas a sociedade o corrompe”. Analisando essa frase entendemos que o homem nasce livre, mas acaba se tornando escravo de suas necessidades e daquilo que os rodeiam. Deste modo, trata-se de orgulho, busca por status.

Rousseau queria que fosse possível a existência de uma sociedade perfeita, e refletiu suas ideias no Iluminismo, durante toda a Revolução Francesa, tentando criar o chamado “Contrato Social”

Jean Jacques Rousseau – O que era o contrato social?

Para Rousseau o único modo de vivermos em uma sociedade perfeita seria através do contrato social. Esse contrato social nada mais é que um contrato que tivesse meios pelos quais prevaleceria a soberania da sociedade, a soberania politica da vontade da maioria.

A grande questão que o contrato poderia responder era como preservar a liberdade natural do homem e ao mesmo tempo garantir segurança e bem estar para uma vida em sociedade.

Rousseau percebeu que para que houvesse a busca pelo bem estar um indivíduo devia contar com a assistência de seus semelhantes. Porém, em outros momentos, todos acabariam desconfiando uns dos outros.

Portanto, nesse contrato social precisaria ser garantido o comprometimento de todos. A vontade do cidadão sempre devia ser coletiva, para que assim tivesse resultados positivos em todo um interesse comum.

Jean Jacques Rousseau – Contrato Social aplicação

Para ele (Rousseau) seria possível instituir a justiça e a paz para que assim tratassem com igualdade o poderoso e o fraco, o rico e o pobre. Um dos principais pontos de sua obra está na afirmação que ele faz, dizendo que a propriedade privada seria a origem da desigualdade entre os homens sendo que assim alguns poderiam apossar-se de outros.

A origem da propriedade privada estaria ligada a formação de uma sociedade privada. Ele acreditava que o caos só existia por causa da desigualdade.  Isso acontece pela destruição da justiça e da piedade e era esse o motivo da existência as guerras. Na construção de uma sociedade civil, toda piedade simplesmente desaparecia, e ele queria muito mudar isso.

E aí então apareceria a real importância do contrato social pois quando os homens perdessem sua liberdade natural, iriam precisar ganhar a liberdade civil, sendo esse contrato um mecanismo para isso. A população ao mesmo tempo que fosse parte ativa desse processo seria também parte passiva, já que elaborariam as leis mas também seriam os mandados a cumpri-la.

Desse modo, o contrato era então voltado para alienação total das vontades e igualdades de todos.

Jean Jacques Rousseau – Importância do Contrato Social

O contrato social expressava de forma digna, o modo como Rousseau gostaria que os pensamentos fossem seguidos, ele acreditava nisso porque a repercussão e manutenção da liberdade cabe ao povo, que por meio democrático escolhem seus representantes e a melhor forma de governo.

O contrato social de Rousseau faz parte ate hoje da nossa sociedade, da estrutura de nossa sociedade, ele é um divisor das teoria filosóficas.

Fim do post sobre Jean Jacques Rousseau – Contrato Social

O brigada por ter acompanhado esse post sobre Jean Jacques Rousseau – Contrato Social. Espero que tenha correspondido às suas expectativas.

Deixe suas sugestões para o nosso Blog Demonstre melhorar a cada dia!

Você também pode gostar de:

10 Filósofos do Pensar – Filosofia da Educação