Olá pessoal,  Junior Dalberto é o poeta entrevistado da vez no programa Poetas Brasileiros. Espero que gostem de conhecer mais esse grande poeta potiguar!

Junior Dalberto – Poetas Brasileiros

Junior Dalberto, Alberto Barros da Rocha Junior, é escritor, dramaturgo, encenador, poeta potiguar e policial federal aposentado. Ele é autor de 15 peças teatrais e dois roteiros musicais. É autor e encenador dos textos infantis “Um Robô no Mundo da Fantasia” no Rio de Janeiro, Pinóquio e o Circo” e “A Trilha da Caveira que Ri” em Natal/RN.

Seus textos poéticos, sejam peças teatrais ou em poemas, são cheios de imagens e metáforas. Eles são uma porta de saída para desabafar seus sentimentos mais profundos ou retratar a realidade de sua perspectiva única, emocionando e comovendo a todos que os leem.

Junior Dalberto – Publicações

Junior Dalberto fez em 2013 sua primeira experiência na poesia com a obra “Leveza Infinita”. Escreveu 15 textos teatrais e dois roteiros musicais. É autor e encenador dos textos infantis “Um Robô no Mundo da Fantasia” no Rio de Janeiro, Pinóquio e o Circo” e “A Trilha da Caveira que Ri” em Natal/RN. Dalberto também fez a direção cênica da inauguração do Cine Teatro Parnamirim/RN e integrou a Caravana Literária Potiguar. Integra ainda o projeto Carrossel da Leitura e representou o Brasil participando da obra literária coletânea Brasilis – Feira Literária Internacional de Cuba-2017.

Junior Dalberto – Leveza infinita (2013)

Livro do escritor Junior Dalberto lançado no início de 2014 mostra sua incursão na poesia.
Numa mistura de estilos onde poemas cocretos pactuam com textos viscerais e uma intrigante e instigante poesia moderna leva a refletir sobre sensações, sentimentos e coisas. Atualmente esgotado.

Leveza infinita - Junior Dalberto

Junior Dalberto – Pipa Avoada (2011)

Uma obra de realismo fantástico que é também barroca, pois apresenta o contraponto entre alegria e dor, sombra e luz, tragédia e comédia”. Assim o próprio autor e boa parte da crítica classificam o livro “Pipa voada sobre brancas dunas”, do dramaturgo e escritor potiguar Júnior Dalberto. A história fala sobre o surreal agrupamento de humanos em suas lidas e labores com o vento de todas as mudanças, a que pode ser submetido. Sem queixas ou louvores, estas pessoas, que podem ser qualquer um de nós ou dos nossos (como adverte o autor), vivem e vivenciam ininterruptamente todos os dramas e comédias que se desdobram alucinadamente pelas mãos de um títere do tempo, implacável e alheio à condição humana. Repleto de cenários comuns e paradoxais as personagens se recriam ininterruptamente num suceder de fatos e fofocas, que lembram uma espécie de “1.001 Noites Árabes” — só que em vez de uma história dentro de uma história trata-se uma crônica dentro da outra. Episódios hilários se multiplicam e desdobram em tragédias únicas e pessoais que, por sua vez, se abrem em outras sequencias igualmente hilárias e trágicas num ritmo incessante e quase alucinado. As aventuras de Brancas Dunas são cheias de referências interessantes a quase tudo o que é parte da formação da sociedade nordestina onde necessariamente, qualquer semelhança não passa de mero acaso (ou não).

Pipa Avoada - Junior Dalberto

Junior Dalberto – O Teatro Mágico de Junior Dalberto: Coletânea de Dramaturgia Infantil (2012)

Lançado em 2012 reune a dramaturgia infantil do escritor onde sobressaem as montagens das obras Um Robô no Mundo da Fantasia, Titina e A Fada dos Sonhos, A Trilha da Ilha da Caveira que Ri e Pinóquio e o Circo. (Edição esgotada)

Junior Dalberto – O Teatro Mágico de Junior Dalberto: Coletânea de Dramaturgia Infantil (2012)

Junior Dalberto – Teatro Mágico de Junior Dalberto : Dramaturgia Adulta (2015)

Lançados em 2015 os textos dramáticos do autor, onde sobressaem o premiado monólogo Borderline e as montagens do drama A Barca de Caronte, o drama O Fio da Navalha e a comédia O Velório da Marquesa Di Fátimo. (Edição esgotada)

Junior Dalberto – Teatro Mágico: Dramaturgia Adulta (2015)

Junior Dalberto – Refens no Andes: baseado em fatos reais (2015)

Uma viagem de lazer vivida pelo autor e alguns amigos de ônibus pelos Andes Peruanos em 2014 traforma-se quase em tragédia quando são feitos Reféns de um grupo de guerrilheiros, passando por avalanche, lago Titicaca, exótica gastronomia e cultura andinas em uma emocionante aventura até a complicada saida do país.

Reféns no Andes: baseado Em Fatos Reais - Junior Dalberto

Junior Dalberto – Cangaço e o Carcará Sanguinolento: e Outras Contações de Histórias (2017)

O livro Cangaço e o Carcará Sanguinolento é uma coletânea de contos do autor potiguar Junior Dalberto. O ecletismo de estilos presente na obra comprova a versatilidade do escritor que oscila entre gêneros literários diversos. Os contos “Borderline” e “O Velório da Marquesa di Fátimo” já serviram de inspiração poética para ensaios teatrais de grande sucesso na cidade Natal, Mossoró e João Pessoa, foram também, sucessos na internet com milhares de acessos através de um estilo batizado pelo autor como “Blogs Novelas” que eram publicadas semanalmente em capítulos, sendo acessados por mais de 50 mil internautas.
Através da Internet, o conto “O Velório da Marquesa Di Fátimo” foi descoberto pela cantora e compositora Ângela Ro Ro que durante um show no dia 09 de janeiro de 2012 no Teatro Riachuelo (um dos maiores do país) elogiou-o em público, citando detalhes do divertido conto e solicitando sua presença no camarim, onde logo após, foram apresentados e na ocasião, o autor presenteou-a com um exemplar do romance “Pipa Voada Sobre Brancas Dunas” (obra esgotada e publicada pelo SESC/RN).
O inédito conto que dá título a minha mais nova obra é baseado no realismo mágico, onde o personagem principal, um menino apelidado de “cangaço” é descendente de cangaceiros, e busca uma solução para destruir seu arqui-inimigo, um “carcará”, que dizima a criação de aves de sua região. Ricamente narrado, o conto se passa na bela paisagem do açude de Gargalheiras na cidade de Acari/RN, com envolventes historias paralelas.
Os divertidos contos “Nefertiti, a Gata Egípcia” e “O Elevador” retratam a reação de pessoas comuns ao se deparar com acontecimentos inesperados que modificam o cotidiano. Outro hilário e inédito conto é “A Sopa da Discórdia” que nos leva a uma Natal no final dos anos setenta, retratando fielmente episódios ocorridos na praia dos Artistas através de seus divertidos personagens.
O conto “O Tango no Espelho” é outra obra baseado no estilo realismo mágico, nele é possível embarcar em um fantástico emaranhado policial rocambolesco que acontece entre as cidades de Natal, Rio de Janeiro e Buenos Aires.
No conto “A Barca de Caronte” o autor revive a mitologia da figura de “Caronte” adaptado a um drama atual que se passa na cidade de São Paulo, onde a solidão mescla emoções dos personagens em situações surreais em clima de suspense.

Cangaço e o Carcará Sanguinolento: e Outras Contações de Histórias - Junior Dalberto

Cangaço e o Carcará Sanguinolento: e Outras Contações de Histórias - Junior Dalberto

Junior Dalberto – Blattodea: Contos (2017)

O que torna a leitura do conto Blattodea necessário é que o mais asqueroso não é essencialmente o inseto, mas o quanto podemos ser pequenos, mesquinhos, medíocres. E nessa escala de nossa condição de vileza, também encontrar nobreza, esperança, dignidade.
Essa dualidade presente no que somos permeia todos os textos desse livro. O autor consegue transitar da fantasia ao realismo em histórias em um mundo onírico e poético como em Blattodea e Ventre de Ostra para narrações prosaicas e divertidas, como em Saga Cariri. Em Malca o realismo é quase jornalístico. Há ainda o belo, lúdico e envolvente Auto natalino: uma história animal. Tudo isso sem abandonar a poesia e desprezar a visão reflexiva, aguda e crítica sobre nossas mazelas.

Blattodea: Contos - Junior Dalberto

Junior Dalberto – Titina e a fada dos sonhos (2017)

Lançado em 2017 esse texto de Junior Dalberto tem as lindas e envolventes ilustrações de Alexandre Souza conta a historinha de uma menina que questiona os contos de fadas, as fábulas brasileiras e personagens. “Por que o Príncipe da Cinderela procura a princesa por um sapatinho? Ele não lembra do rosto dela?” “Por que o Saci fuma? Ele não é um menino? Ele não sabe que faz mal à saúde?” “O Bicho papão existe” essas e outras respostas são respondidas pela criatividade do autor. Foi transformada em espetáculo teatral.

Titina e a fada dos sonhos - Junior Dalberto

Junior Dalberto – Poemas

O projeto poema de bom dia mostrou um pouquinho da obra publicada do poeta Junior Dalberto. Agora vamos ter a alegria de compartilhar seus poemas e assim, seu sentir o mundo com vocês. Todo esse material, assim como a entrevista estão sendo publicadas em nosso canal do youtube. Vamos conferir os poemas de Junior Dalberto?

Junior Dalberto –  A queda

Fui jogado das nuvens ao som das sete trombetas

Cai sobre uma macieira com minhas patas voltadas aos céus

Asas partidas na queda em uma mistura de sangue, penas, maçãs e dor,

Desci e caminhei ereto

Vestido com uma alma insone e covarde

E um espírito curioso e sedento.

Cresci dividido entre um ser que lutava para sair

Numa luta infame contra a própria alma retraída

Que sofria com o medo do desconhecido

E a culpa das chicotadas cristãs.

Minha alma foi chutada ao underground episcopal

Divorciou-se.

Enlameou-se

Amou demais

Lambuzou-se

Satisfez-se.

A aflição da face oculta criou asas e partiu com os ventos.

Nada ficou como antes,

Etérea lucidez.

Confira o vídeo do poema A queda de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Te liberto

Na palavra escrita

Cheio de rimas

Tu me libertas

Entre vírgulas e indagações.

Exclamo!

Estou livre, posso voar

Com uma lágrima

Me coloca de volta

Ao solo

Me deixas assim

solto, desacompanhado

A plenitude desse vazio

É preencher-me de ti

somente

Feito um poço sem fim

Com mentiras acompanhadas

Feitos dois tão iguais

Em mundo tão desigual

Não finjo que nada sinto

Tu continua escrita

Como uma palavra em fuga

Na minha mente.

Confira o vídeo do poema Te liberto de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Se é pra ir

Se é pra ir,

Va sem dor

Como uma flor que secou no galho

Feito fumaça de caminhão de mudanças!

Suma sem ressentimentos,

Sem sofrimentos,

Suma suave

Como uma semente de algodão linda, leve e solta.

Leve todo sentimento,

Vá e apague suas pegadas.

Não deixe nem saudade

Que é pra não querer voltar!

Confira o vídeo do poema Se é pra ir de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Saudades

Saudades,

Dos amigos de ontem, dos amigos da hora e dos que foram embora.

Saudade danada de um xêro da minha avó que nunca me deixava só.

Saudade da Narizinho da Emília e do Pedrinho,

de descobrir o mundo sozinho.

De amores passados e caminhos ousados.

De perigos extremos e das estrelas cadentes,

de sorrisos sinceros e livros envolventes.

De acampar com amigos.

Saudades, muitas saudades

dos banhos de lagoas, corridas atrás das pipas voadas com direitos a brigas e porradas…e o triunfo da pipa agarrada

 Olha quanta saudade!

Saudades de quando criança

Um lápis de cor, um papel e um traço e desenhar planetas, anjos, borboletas, discos voadores e estrelas na imensidão do espaço,

Saudade de um abraço,

Até de quem não conheço.

Mas que um dia tive um apreço!

Eita saudade danada que invade minha alma de porta adentro sem pedir licença.

Saudades de outrora e do agora que acabou de passar,

Saudade abstrata que dar vida e que mata!

Saudades!

Confira o vídeo do poema Saudades de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Cruel world

São meninas e meninos

Seduzidos, sofridos, abduzidos, molestados, rasgados, currados, desmamados, esmagados.

Curdos, etiopes, europeus, asiaticos, americanos do norte, do centro e do sul

Igrejas bolinam

Policias Bolinam

Pais bolinam

Todo mau bolina os meninos e meninas

E lhes castram as almas inocentes

Bando de ervas daninhas

Destroem feito traças, diários de infância

Ausentes futuros

Presentes passados

Restando epitáfios vivos

Triste, infelizes.

Perdidos, mudos, sujos por mãos imundas

Cicatrizes abertas!

Confira o vídeo do poema Cruel world de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Um dia

A chama  apaga

A lágrima seca

A alegria vira um sorriso

A saudade vira lembrança

A fotografia amarela

A música termina

O pano desce

O fogo vira fumaça

Os aplausos somem

O coração deixa de acelerar

O frio da barriga é lembrança

Lhe esquecem.

E você,

Esquece-se!

Confira o vídeo do poema Um dia de Junior Dalberto:

 Junior Dalberto –  O bilhete

Te liberto

Na palavra escrita

Cheio de rimas,

Tu me libertas

Em vírgulas e indagações

Exclamo

Estou livre, posso voar!

Com uma lágrima

Coloca-me de volta ao solo

E me deixas assim solto desacompanhado

A plenitude desse vazio

É preencher-me de ti somente

Feito um poço sem fim

Com mentiras acompanhadas feito dois tão iguais

Em mundo tão desigual

Não finjo que nada sinto

Tu continuas escrita

Como uma palavra em fuga na minha mente

Confira o vídeo do poema O bilhete de Junior Dalberto:

Junior Dalberto – Sábios malditos

Felizes são esses sábios insanos, poetas malditos, que se alumiam naturalmente feito pirilampos em seus mundos escuros, com suas poesias que traçam loucas rotas e tropeçam em linhas retas por becos e vielas, quando encurralados pelos homens, coturnos e seus cães noturnos, continuam caminhando e nunca desistem.

Confira o vídeo do poema Sábios Malditos de Junior Dalberto:

Junior Dalberto –  Gaivotas

Mergulho com minhas penas e bico

Embico

O mar

A terra

O ar

Lar

Mergulho minha alma

Dentro das águas

Vida com a morte

No ar

Limpo meus pecados

Sujo de sangue e escamas

Terra

Lar

Respiro

Miro

Mergulho com minhas penas e bico

Confira o vídeo do poema Gaivotas de Junior Dalberto:

Junior Dalberto – Entrevista

Confira agora a entrevista contando toda a trajetória poética e de vida do poeta e dramaturgo potiguar Junior Dalberto. Vamos conferir a entrevista?

FIM da entrevista com Junior Dalberto

Obrigado por ter nos acompanhado até aqui. Deixe seu comentário e suas sugestões para o Demonstre. Não deixe de seguir nosso canal de youtube e nossa página de Facebook do projeto Poema de bom dia!

Deixe comentários e sugestões aqui no Demonstre! Estamos abertos a sua participação e sugestão!

Até a próxima!

Você também pode gostar de:

Escrita poética – Eva Potiguar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.