• Início
  • Maternidade
  • Autoconfiança: 10 dicas para estimular a autoconfiança nas crianças

Autoconfiança: 10 dicas para estimular a autoconfiança nas crianças

Pensando na importância da autoconfiança no desenvolvimento da criança, separamos 10 dicas que podem te ajudar a estimular a autoconfiança nas crianças.

A autoconfiança pode exercer papel importante na interação social e na reação positiva em meio às situações cotidianas. Vale lembrar que o processo de autoconfiança é resultado das relações para com as outras pessoas, sobretudo na relação que as crianças têm com os pais e/ou responsáveis.

Portrait of a young friendly woman with a serious face in a casual t-shirt and glasses makes a gesture of strength, self-confidence on an isolated blue background. Emotional face. Bodybuilder gesture.

Seguindo por este caminho, os responsáveis pela criança ocupam um lugar importante no desenvolvimento da criança, podendo contribuir para que elas tenham consciência da própria capacidade para realizar as atividades. Entretanto, é bastante comum que os pais negligenciem este aspecto na vida dos filhos, contribuindo assim para um resultado negativo que pode acabar implicando na vida da criança.

Veja 10 dicas para estimular a autoconfiança nas crianças

As dicas podem ser utilizadas no cotidiano com as crianças, a fim de ajudar no seu desenvolvimento por meio de estímulo da autoconfiança e da autoestima.

1 – Demonstrando afeto

Sempre que possível, demonstre amor e confiança no seu filho, para que ele se sinta valorizado, mas claro, sem exageros. Assim, a autoestima da criança pode ser trabalhada, de maneira que ela poderá se sentir mais confiante.

2 – Ajudando no autoconhecimento

Ajudar seu filho a conhecer a si próprio é bastante importante, pois pode ajudá-lo na percepção dos aspectos que precisam ser melhorados, bem como na aceitação do que não pode ser mudado. Além disso, a criança também pode acabar descobrindo seus próprios limites.

3 – Valorizando as pequenas conquistas

É de extrema importância ajudá-lo a desenvolver uma imagem positiva sobre si, valorizando suas pequenas conquistas e suas qualidades.

4 – Seja um bom modelo

As crianças acabam aprendendo apenas em observar as ações dos adultos. Neste ponto, é importante ressaltar que o adulto ocupa um lugar de espelho, então é comum que as crianças acabem se espelhando no comportamento deles, reproduzindo-os posteriormente.

5 – Demonstrando interesse

É importante que o adulto se mostre interessado nas atividades e no que a criança tem para falar. Demonstre também sentir orgulho pelo sucesso da criança em todos os aspectos, não só no âmbito escolar.

6 – Criticando o comportamento, não a criança

Existe uma diferença muito grande entre criticar o comportamento e criticar a criança, pensando nisso, é importante se atentar a esta diferença e, com isso, ter cuidado quando a criança se comporta mal. Lembre-se: critique a atitude para que a criança perceba que não foi um bom  comportamento e tente melhorar, pois ao criticar a criança, ela pode se sentir rotulada e a mudança de comportamento pode se tornar mais difícil.

7 – Estabelecendo metas possíveis

Trabalhe estabelecendo metas que possam ser alcançados por eles, incentivando-os a alcançá-las, valorizando também as tentativas, não apenas o resultado “perfeito”.

8 – Não enfatize todos os erros

É válido ressaltar que o seu filho precisa ser valorizado e que a autoconfiança precisa ser trabalhada. Desse modo, procure não enfatizar todos os erros da criança, pois assim ele poderá acabar pensando que só comete erros.

Pontue alguns erros cometidos para que ele perceba que também pode errar e que é normal, mas não foque apenas neles.

9 – Não trabalhe com comparações

Não compare seu filho com as outras crianças, lembre-se: as pessoas são diferentes e, com isso, têm seu próprio tempo e limite para realizar atividades, é importante respeitá-lo também neste aspecto.

10 – Dando espaço

É importante que o seu filho se sinta encorajado para experimentar coisas novas e fazê-las à sua maneira, tentando e errando sempre que necessário.

Além de sentir segura, a criança também precisa se sentir incentivada, contribuindo assim para que ela possa aprender com as próprias experiências.

Gostou das dicas para ajudar na autoconfiança das crianças?

Obrigada por acompanhar o post até aqui! Fique de olho nos próximos textos do Blog Demonstre, separei um especialmente para você: Brincadeiras Africanas – Dia da Consciência Negra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Demonstre Maternidade
Um blog abordando Maternidade.
Este é um site do grupo B20