Visto que na infância a imaginação ainda está em desenvolvimento, trouxemos alguns medos comuns nas crianças.

Medos

O medo é uma reação do corpo que pode evitar riscos, pois o medo alerta sobre a possibilidade de algo ameaçador. Mesmo para os adultos, que já têm o senso de realidade formado, o medo ainda se faz presente, imagine então como esta experiência pode ser ainda mais difícil de lidar para as crianças.

Na infância esta experiência se torna mais intensa, visto que o processo de diferenciação entre o real e o imaginativo é mais difícil de ser feito, geralmente a criança acredita que aquela interpretação que estão fazendo sobre algo faz parte da realidade.

Medos comuns nas crianças

Considerando que alguns medos podem continuar até a vida adulta, os pais e/ou responsáveis cumprem o papel de acalmá-los, realizando uma abordagem tranquila para que eles se sintam amparados. Em alguns casos, se faz o processo contrário, as crianças são lidas como medrosas, obviamente esta condução não é efetiva, pois pode fazer com que a criança se sinta culpada por seu sentimento.

Lembre-se, o medo serve de alerta para possíveis riscos, então a ausência de medo pode acabar expondo os pequenos a situações de perigo que poderiam ter sido evitadas com uma abordagem mais efetiva.

Até 1 ano de idade

Nesta fase é comum ter medo de pessoas estranhas, da perda do contato físico com a mãe, da separação dos pais e de altura.

Entre 2 e 3 anos

Nesta fase as crianças costumam ter medo de pessoas fantasiadas e medo de ruídos sonoros estranhos como trovões, carros ou caminhões barulhentos, chuvas fortes, entre outros.

Medos comuns nas crianças

Com isso, a criança tem a percepção de que não possui controle sobre os outros ou sobre o que acontece.

Entre 3 e 6 anos

Nesta fase os medos mais comuns envolvem tempestades, medo do escuro, monstros ou fantasmas, medo de se perder dos pais e de dormir sozinho.

Entre 6 e 10 anos

Nesta fase as crianças costumam ter medo de se machucar fisicamente, doenças e passam a se preocupar com a escola.

Entre 10 e 12 anos

É comum que se iniciem as preocupações com a escola, seja com o rendimento escolar ou com as relações sociais. Além disso, também pode haver preocupação com a aparência física.

A partir dos 13 anos

Nesta fase as preocupações se voltam para as relações com o sexo oposto, com o possível ganho de mais independência e com o futuro.

Para enfatizar

A melhor abordagem para lidar com o medo que crianças sentem é ensiná-las a identificar situações reais de situações advindas da imaginação, a fim de que a criança possa ter mais controle sobre a situação e evitando o domínio do medo sobre ela, entretanto, também é importante respeitar os limites da criança, pois a cobrança pode produzir o efeito contrário.

Medos comuns nas crianças e muito mais!

Obrigada por acompanhar o post até aqui! Fique de olho nos próximos textos do Blog Demonstre, separei um especialmente para você: O Irlandês, a crítica.