Michael Apple e a educação

1
1073
Michael Apple e a educação 1

Michael Apple e a educação

Michael Apple é um teórico da educação americano, que ficou conhecido pelo seu trabalho na busca da democratização das políticas e práticas de ensino.

Michael Apple

 Michael Apple nasceu na cidade de Peterson, New Jersey, nos Estados Unidos, em 1942, em uma família pobre e de origem trabalhadora. Aos 19 anos foi convocado a prestar serviços militares, mas nunca abandonou seus estudos e, dessa forma concluiu o seu bacharelado em 1961. Na sequencia foi aceito como aluno da Pós-Graduação na Universidade Columbia e, concluiu o seu Mestrado e o doutoramento em 1968 e 1970, respectivamente.

  Apple iniciou seus trabalhos pedagógicos como professor em escolas locais, onde surgiu a preocupação com a pedagogia e seu potencial de mudança social na educação. Assim, focou sua obra nas críticas e na análise dos processos educacionais do currículo escolar.

  Ele é o autor, entre outros, Educação e Energia (1982); Reprodução Cultural e Econômica na educação: ensaios sobre a classe, ideologia e do Estado, (1982), política cultural e educação (1996), Conhecimento. Democrática Educação Oficial em uma Idade Conservador (2000) , possuindo ainda mais publicações em língua espanhola.

 É atualmente professor interino no Departamento de Currículo e Instrução e Estudos de Política Educativa, na Universidade de Wisconsin – Madison, sendo ainda convidado de diversas Universidades em Espanha, Austrália, Nova Zelândia, Brasil, Inglaterra, Lituânia, Noruega e México.

Anúncios do Demonstre que vão te interessar:

Primeiro anúncio:

Estamos com o nosso aplicativo de formação de professores baseado em QUIZ já na Google Play. Baixe agora e teste suas habilidade docentes.

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.demonstre.quizapp

O aplicativo é gratuito e recebe um teste novo por semana. Ideal para quem quer revisar o conteúdo ou estudar para concurso.

Obs: o aplicativo é preparado com uma metodologia baseada em reflexão de tarefa, então, cada questão e resposta são apresentadas de maneira a validar e construir o conhecimento do usuário.

Segundo anúncio:

O grande sonho da maior parte dos docentes é passar em um concurso, e sem dúvidas a maior dificuldade está em entender a prova e aprender a estudar para o certame. Por isso, sendo eu concursado e tendo passado por isso, quero indicar um curso que realmente faz a diferença:

Centro do ConcurseiroClique aqui para fazer o curso do Pietro Frazon e conquiste sua vaga.

Terceiro anúncio:

Continuamos com o projeto Poema de bom dia firme e forte, com mais de 30 publicações. Para ter acesso basta visitar o canal do Demonstre no Youtube: https://www.youtube.com/user/demonstrec ou clicar no play aqui na nossa playlist:

Para enviar o seu poema, basta encaminha o mp3 + o texto para o e-mail: [email protected].

Influência Educacional

 Michael Apple foi um importante estudioso no campo educacional, desenvolvendo a sua própria metodologia, a qual foi denominada pedagogia crítica ou critica pedagógica.   Tendo como bases filosóficas para o ensino pedagógico, a justificativa para a escolha do ensino aplicado em sala de aula.  Apple, partia do princípio do “porque” que devemos ensinar determinada matéria ou assunto, sempre estabelecendo parâmetros para aplicar respostas completamente viáveis e justificáveis.

 Desta forma, o curriculum, de acordo com o autor, passa a não ser uma mera colagem de informações instrucionais sobre o conhecimento disseminado pelo educador, mas antes de tudo uma justificativa com expressões válidas, sendo este modelo adotado pelas principais escolas públicas.

 Apple defendia ainda, o saber como algo que não é simplesmente fornecido ao aluno, mas que para adquiri-lo seria necessário estudos, análises e questionamentos para uma conclusão viável.  Assim, toda a forma de conceito educacional deve ser avaliada e criticada para obter-se uma evolução, desenvolvendo então, um novo conceito no sistema de educação.

 O autor propõe também, uma análise aprofundada sobre outros valores indiretos que formam a base educacional de uma instituição, tal como a discreta ideologia política, formação social e religiosa. Sendo que, a base das pesquisas e desenvolvimento, torna-se necessária para uma ampla disseminação de um conhecimento que será lucrativo para o aluno, ou seja, uma estrutura complexa e valida.

 Diferentemente das linhas marxistas da época, que se baseavam na estrutura de ensino e do currículo na base central de uma economia e com a divisão de classes, raças e setores, Apple acreditava que a educação estaria centralizada entre a cultura e os meios sociais.

 Focando ainda, em uma análise igualitária da sociedade, na qual teríamos uma estrutura de ensino sólida a ser repassada de maneira direta e a propagação e elaboração de um curriculum educacional que busque o meio comum, levando os princípios étnicos e racionais, questionados na época.

 Portanto, segundo Apple, a averiguação das classes sociais desenvolvidas com base na falta de seleção do que é ensinado nas escolas, serve como um próprio gerador do sistema que certamente influenciará na divisão de classes.

 Por esse motivo, o grande alerta de Michael Apple para o campo educacional é o fato de o educador justificar-se sobre o porquê de optar por certa categoria de aprendizado em sala de aula, realizando uma análise contextualizada do que deve ser, ao invés de averiguar e desenvolver o que é, baseando na relação entre a sociedade e a educação.

Para conhecer um pouco mais  sobre o filósofo:

Obrigado por ter lido até aqui, não esqueça de compartilhar e comentar sugestões para futuros textos. Até a próxima!

1 COMENTÁRIO

  1. Olá. Concordo com muitas ideias de Michael Apple. A ideia de “[o curriculum] não ser uma mera colagem de informações instrucionais sobre o conhecimento disseminado pelo educador, mas antes de tudo uma justificativa com expressões válidas” quebra o paradigma da pedagogia tecnicista onde não se trabalhava com a análise crítica do aluno. A relação unilateral de professor para aluno no modelo tecnicista transforma o aluno numa máquina que só recebe informações do educador no qual são consideradas verdadeiras. A metodologia de Michael expõe muito dos problemas do modelo tecnicista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.