10 bruxas de verdade e suas influências

Histórias de bruxas de verdade inundam a nossa cultura, recheiam nossa imaginação e alcançam a nossa geração com enredos fantásticos. Entretanto, por trás de toda fantasia da imagem das bruxas vivem seus relatos sombrios de condenações a mortes.

Séculos atrás mulheres suspeitas de feitiçaria eram arbitrariamente condenadas e submetidas a torturas das mais cruéis. Com o crescimento da fé cristã e o domínio alcançado pelo clero, o poder de justiça cabia aos seus eleitos. Assim, a população se via salvaguardada pelas ações religiosas.

Verdade é que muitas destas mulheres eram tão somente conhecedoras dos poderes curativos de plantas, definido então como feitiçaria. Além disto, muitas delas foram condenadas e mortas por serem desafetos de pessoas influentes da época. Conheça algumas histórias de bruxas de verdade.

As bruxas de verdade que marcaram história

design-sem-nome-1-9-8209323-1983638-1645128

Mãe Shipton

É descrita como uma mulher com rosto disforme que viveu na Inglaterra por volta do século 16. De acordo com relatos tinha poderes proféticos e teria anunciando antecipadamente desastres na história europeia. Desde seu nascimento era vista de forma repulsiva por conta de seu rosto disforme.

10 bruxas de verdade e suas influências

Era temida e respeitada por muitos. Sua mãe antes dela já havia sido acusada de bruxaria. Por ter nascido com o rosto disforme diziam que ela seria a filha do próprio demônio.

Contudo ela não morreu condenada como bruxas de verdade, sua morte foi natural. E teria sido enterrada em solo profano nos arredores da cidade.

Lilias Adie

Lilias vivia na vila de Torryburn, na Escócia. Em 1704 foi acusada de bruxaria por conta de seu vizinho ter contraído uma doença misteriosa. Levada aos tribunais ela chegou a “confessar seu crime” e admitir que tinha laços com o demônio.

10 bruxas de verdade e suas influências

Foi condenada a morte, porém nem chegou a ser executada por ter morrido na prisão. Entretanto, sua morte só reforçou a desconfiança de suas ligações com o mal. Diz-se que ela teria cometido suicídio, o que na época era evidência de pacto com o diabo.

Agnes Sampson

Agnes viveu durante o reinado de James VI. Ela era parteira e curandeira, mas foi acusada de ter lançado uma tempestade sobre a frota do rei no mar.  Esta acusação teria partido de uma outra bruxa.

10 bruxas de verdade e suas influências

Ela foi condenada e presa. Durante o tempo que passou na prisão foi interrogada insistentemente apenas muito depois confessou ter compactuado com Satã para matar o rei.

Rhoda Ward

Rhoda era tida realmente como mais uma das bruxas de verdade. Vivia no estado de Connecticut e havia contraído a temida varíola. Alguém denunciou às autoridades locais que havia visto ela vomitar pregos retorcidos.

10 bruxas de verdade e suas influências

Foi o bastante para que ela fosse acusada de bruxaria. Apesar de ter sido inocentada foi condenada num julgamento ocorrido tempos depois. Por conta do estigma era comum que coisas inexplicáveis ou misteriosas fossem a ela atribuídas.

Merga Bien

Morando em Fulda, uma cidade alemã, Merga foi acusada de bruxaria por conta de simplesmente engravidar após 14 anos casada. A morte do segundo marido e filhos também lhe foram atribuídas e ela fora forçada a confessar tais crimes.

10 bruxas de verdade e suas influências

Merga foi então queimada na fogueira como as bruxas de verdade.

A bruxa de Chesterville

Uma mulher foi acusada de desafiar a fé cristã tradicionalista no povoado. Os anciãos da cidade a baniram como feiticeira. Entretanto seu corpo sem vida foi encontrado tempos depois sem vida nos arredores da comunidade

10 bruxas de verdade e suas influências

A população a enterrou e plantou sob seu túmulo um carvalho. Além disto, puseram um gradil no entorno da árvore para garantir que ela não retornaria.

Malin Matsdotter

Malin era uma viúva sueca que foi acusada pelas próprias filhas de bruxaria. Ela teria sido a única bruxa queimada viva da Suécia.

10 bruxas de verdade e suas influências

Dizem que ela não gritou nem confessou seus crimes mesmo queimando na fogueira. Naquela época isto era um indício de que a acusada realmente tinha pacto com o demônio.

Meh Shelton

Meg foi uma suposta feiticeira morta no início do século 18. Afirma-se que ela, mesmo após ser enterrada continuava saindo da sepultura.

10 bruxas de verdade e suas influências

Contam que ela tinha a capacidade de se metamorfosear, ou seja, se transformar em outros seres ou animais. Com isto ela conseguiria criar uma série de confusões entre os habitantes e ainda roubar-lhes.

Bruxas de Salém

O caso das bruxas de Salém é com certeza um dos mais reconhecidos dentro da temática. Em 1692, o grande julgamento em Salém condenou cerca de 150 pessoas, entre homens e mulheres.

10 bruxas de verdade e suas influências

Coincidentemente a maior parte das mulheres eram pessoas marginalizadas como escravas, órfãs e viúvas.

Bruxa de Évora

Uma das personagens mais populares e misteriosas das lendas da magia. Suas biografias dispersas são altamente contraditórias.

10 bruxas de verdade e suas influências

Contudo o que vigora é que ela seria uma alta conhecedora e manipuladora de magia negra. Além disso teria sido ela a  grande mentora do Mago São Cipriano antes de sua conversão.

Onde fica a cidade das bruxas?

A pequena cidade de Salem, no estado americano de Massachusetts fica pertinho de Boston e é famosa pelos mistérios que cercam o episódio que ficou conhecido como ‘Julgamento das Bruxas de Salem’, que inspirou filmes e mantém até hoje a fama de capital mundial das bruxas!

O que aconteceu em Salem?

A maior caça às bruxas da história ocorreu nos Estados Unidos em 1692. O dia 19 de agosto de 1692 foi um dos ápices do famoso julgamento das Bruxas de Salem, o caso mais conhecido de caça às bruxas, que ocorreu naquele ano em uma pequena cidade do Massachusetts, nos Estados Unidos

Quantos anos durou a caça às bruxas na Europa?

A “caça às u003ca href=u0022https://www.youtube.com/watch?v=sAqWa_wx6uIu0022 class=u0022rank-math-linku0022u003ebruxasu003c/au003e” durou mais de quatro séculos e ocorreu, principalmente, na Europa, iniciando-se, de fato, em 1450 e tendo seu fim somente por volta de 1750, com a ascensão do Iluminismo.

Veja mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20