A Lenda do Chocolate – Uma Lenda Asteca

Chocolate. Poucos alimentos despertam tanto desejo e fascínio como este derivado do cacau.
Seja ao leite, branco, amargo, meio-amargo, a grande maioria das pessoas não consegue recusar quando tem a oportunidade de saborear um bom chocolate.

Mas você já parou para pensar como este surgiu?

É uma história bem interessante, que remonta a pelo menos três mil anos atrás, na época em que a civilização Asteca dominava a região que vai do México até a América do Sul. Eles descobriram que a semente do cacaueiro fornecia uma bebida amarga, capaz de combater o cansaço, além de ser um estimulante sexual.

chocolate2-420x232-2603103-9458150-9403429

Um fato interessante, é que no início o chocolate era considerado tão importante que apenas era consumido por reis, nobres e guerreiros, além de ser oferecido em sacrifício aos deuses. Para eles, este alimento era algo sagrado.

Com o passar dos séculos, o chocolate se tornou cada vez mais popular, à medida que viajantes de outros lugares do mundo começaram a chegar àquela região, levando para seus próprios povos. E então, o que antes era sagrado, se tornou o doce que hoje todos nós conhecemos e podemos encontrar em qualquer comércio perto de casa.

Mas você sabia que existe também uma lenda contando como o cacau chegou às mãos do homem?

Existe sim, e é essa a lenda que você ficará conhecendo a seguir.

Resumo da lenda

Entre as divindades que os Astecas adoravam, estava Quetzalcóatl, cujo nome significa “serpente emplumada”. Eles consideravam esse deus como representante de Vênus, e também representante da vida, da vegetação e do alimento.

Diz a lenda que Quetzalcóatl, em um certo dia, estava tão contente com os humanos que resolveu dar-lhes um presente – algo que lhes proporcionasse energia e prazer.

A lenda do chocolate – uma lenda asteca

Mas havia um pequeno problema: o presente em questão era algo que não pertencia a Quetzalcóatl!

Convicto de que os humanos realmente eram merecedores, ele foi até os campos do Reino do Sol e roubou as sementes da “árvore sagrada”. É claro que, quando descobriram o que Quetzalcóatl havia feito, os outros deuses não lhe perdoaram, e como punição o expulsaram do Reino do Sol.

Antes que pudesse ser pego, Quetzalcóatl lançou as sementes da árvore sagrada para o mundo dos homens, e logo elas deram origem a belas árvores: os cacaueiros. Os humanos então provaram de seu fruto – inicialmente em forma de uma bebida, uma mistura de cacau e água – e ficaram fascinados em como aquele alimento lhes enchia de energia e prazer.

Com o passar do tempo, os europeus chegaram à região, e o chocolate começou a se espalhar por todo o mundo.

Curiosidades

Essa mistura de cacau e água foi a mesma que o imperador asteca Montezuma serviu ao espanhol Fernando Cortez, ao confundi-lo com o deus Quetzalcóatl.

O nome “chocolate” vem do termo xocolátl, que é uma fusão entre “xococ” (amargo) e atl “água”. Mas há quem atribua a origem desse nome à lenda de Quetzalcóatl.

A lenda do chocolate – uma lenda asteca

Já o nome “cacaueiro”, árvore que produz o cacau, era chamado de Theobroma Cacao pelos astecas, nome que significa literalmente “alimento dos deuses”. Será mais uma referência à lenda de Quetzalcóatl?

No império asteca, o chocolate era mais valioso que a prata e o ouro.

O chocolate amargo é considerado o chocolate puro por conter cerca de 99% de cacau. Já o chocolate branco nem é considerado chocolate por alguns, por conter apenas 20% de manteiga de cacau.

Qual é o benefício do chocolate?

Alguns cientistas afirmam que a delícia é capaz de aumentar a produção dessas substâncias. Estudos mostram que o consumo do u003cstrongu003echocolateu003c/strongu003e amargo melhora o fluxo arterial e faz bem à saúde cardiovascular por diminuir a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos.

O que o chocolate faz mal à saúde?

O u003cstrongu003echocolateu003c/strongu003e é rico em açúcar e gorduras, concentrando muitas calorias. Quem come demais, e não queima a energia adquirida, vai engordaru0022, afirma o especialista. Mas não é só isso. O sistema digestivo também sofre com a comilança do u003cstrongu003echocolateu003c/strongu003e.

Qual é o benefício do chocolate amargo?

Potássio, zinco e selênio também estão presentes, além de propriedades antioxidantes, que ajudam a acelerar o metabolismo e diminuir a resistência à insulina. Além disso, o u003cstrongu003echocolate amargou003c/strongu003e pode proporcionar uma sensação de bem-estar, ajuda a controlar a pressão, e estabiliza o colesterol e glicose.u003cbru003e

Veja mais aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20