Apesar de muitos povos africanos possuírem seus próprios mitos e lendas com respeito à criação do homem, é entre os Khoisan; povo que habita a região sudoeste da África, que a lenda de Kaang – o Grande Mestre e senhor da vida é contada.

animais_africa-744x465-2455160-8931016

Muitos povos africanos, assim como quase todas as culturas no mundo, possuem seus próprios mitos e lendas contando sua versão de como teria acontecido a criação do homem.

Essas lendas tiveram origem nos tempos antigos e foram passadas para as gerações seguintes, de pais para filhos até chegar aos nossos dias.

Os Khoisan (também conhecidos como San), habitam a região ao sudoeste do continente africano. Eles possuem um profundo respeito pela natureza, pelos animais e pela vida em si. Além disso, possuem um profundo conhecimento da fauna e da flora, o que lhes permite viver num ambiente bastante extremo.

Os Khoisan acreditam que todos os seres vivos estão ligados entre si e também que tudo que é tirado da natureza deve atender a uma necessidade, por isso cada parte do corpo de um animal que caçam é utilizada de alguma forma – como uma maneira de mostrar respeito pela vida e pela natureza.

A lenda que os Khoisan têm passado de geração a geração de como a vida se iniciou se baseia num personagem chamado Kaang, que é citado como “mestre da vida”. Eles acreditam também que Kaang é capaz de mudar de forma e se apresentar aos humanos na aparência de vários animais diferentes. Isso é o que contribui muito para o respeito que esse povo tem pelos animais.

Resumo da Lenda Africana

humanos_animais-1-4859011-9062465

Conta a lenda que há muito tempo, a humanidade não vivia sobre à Terra, mas sim debaixo da superfície com os animais. Ali, todos viviam em perfeita harmonia e paz.

Kaang é citado nessa lenda como o criador da vida e grande mestre da humanidade.

Durante todo esse período de paz, Kaang planejou construir muitas maravilhas no mundo da superfície e levar a criação, homens e animais, para viverem lá.

Primeiro ele criou uma grande árvore, que possuia ramos se espalhando por toda a Terra. Então, na base da árvore ele cavou um grande túnel que ia da superfície até o mundo subterrâneo onde as pessoas e animais viviam.

Por esse túnel ele tirou todos os humanos e animais e os trouxe até a superfície da Terra.

Ele então disse para os humanos que não deveriam nunca fazer fogueiras ou um grande mal viria sobre eles.

Kaang então se retirou para um lugar onde podia observar o mundo que projetara e construíra.

Então o Sol começou a se pôr pela primeira vez. Os homens e mulheres ficaram admirados diante do belo espetáculo no céu. Mas logo essa admiração foi tomada por um profundo medo, quando a escuridão cobriu a Terra. Eles não conseguiam enxergar nada!

Aos poucos, conforme a noite avançava, começaram a sentir frio também. E logo alguém sugeriu que fizessem uma fogueira.

Em meio ao terror que sentiam e ao frio que se tornava cada vez mais rigoroso, esqueceram-se da ordem do mestre e logo o grande mal que Kaang havia predito se abateu sobre a Terra: os animais, assustados pelo fogo correram para se esconder do homem em montanhas, florestas e cavernas.

Desde então humanos e animais não foram mais capazes de se comunicar e o medo tomou o lugar da paz, harmonia e amizade que havia entre as duas espécies.

Curiosidades sobre Kaang e seu Povo

louva_deus-744x558-2851569-6472243

 1-O povo daquela região acredita que Kaang se apresenta ao seu povo em forma de um Louva-deus.

2-Kaang é casado com Dassie, que é a mãe das abelhas, segundo as lendas.

3-Kaang é um entre muitas outras lendas e crenças africanas em que os deuses apresentam formas animais.

4-Outros nomes pelos quais Kaang é conhecido são Kho, Khy e Thora.

5- Kaang é citado como capaz de mudar de forma, e podendo se apresentar aos humanos na forma de vários animais diferentes.

khoisan-744x366-2232301-8762609-8191805

Como os Khoisan mantêm seu modo de vida hoje?

 
Estamos vendo o fim de sua cultura e de seu estilo de vida de caçador-coletor, que está sendo substituído pelo pastoreio e pela agricultura.

 O que está se perdendo?

O mais importante é o idioma. Esta é uma “linguagem de clique” em que os cliques são como consoantes. Os linguistas acreditam que quanto mais cliques você tem, mais antigo é o idioma, e este tem cinco, mais do que qualquer um. Há também belas músicas tradicionais e cantos que se perderam.

Como eles caçam?

Eles fazem as armadilhas não com metal ou corda, mas apenas com materiais naturais como galhos, grama e folhas. 
Todo esse conhecimento será perdido se a geração mais jovem não tiver a chance de viver esse estilo de vida. 
Já pode ser tarde demais.

Veja mais aqui.