Quando ouve falar da África, o que lhe vem à mente? Provavelmente a paisagem cheia de florestas, o Sol escaldante, os animais ferozes, as danças e as músicas tocadas em tambores africanos, não é?

crianca_tocando_tambor2-744x798-9415029-2742705-7617047

E em meio a esse território exuberante, um instrumento domina: o tambor africano. Sempre que vemos um filme, um desenho animado ou o qualquer outra produção que se passe na África, logo ouvimos a trilha sonora: o som de batuques de tambor.

Além de serem o instrumento favorito e mais tradicional do povo africano e essenciais em muitos eventos e rituais tribais, você sabia que os tambores também servem como um meio de comunicação?

Resumo da lenda dos Tambores Africanos

macaco_de_nariz_branco-744x496-4024759-3850023-4499077

Conta a lenda que certo dia alguns macacos-de-nariz-branco da região de Guiné-Bissau, na África, planejaram trazer a lua até à Terra.

Porém não sabiam como fazer para chegar até a Lua e trazê-la para baixo, até que o mais pequenino dos macacos teve uma ideia: o plano era subir uns nos outros até a alcançarem.

Colocaram o plano em prática, subiram uns sobre os outros e chegaram até o céu e por fim o pequeno macaco conseguiu tocar na Lua. Mas antes que conseguissem puxar a Lua para à Terra, a pilha de macaquinhos não suportou o peso e cedeu.

Todos caíram, menos o macaco pequenino, que ficou agarrado à Lua.

A Lua então segurou-o pela mão e achou a cena muito engraçada. Tornaram-se amigos e a Lua deu-lhe de presente um tambor branco, que logo o macaquinho aprende a tocar.

O tempo passou, e o macaquinho começou a sentir cada vez mais saudade de sua família e amigos lá embaixo na Terra. Sentia falta também das árvores e bananeiras que deixara para trás.

Assim, resolveu pedir à Lua para que o ajudasse a voltar para à Terra.

Com uma expressão intrigada, a Lua lhe perguntou:

— Porque você quer retornar para lá? Não está feliz aqui? Não gosta do tambor que lhe dei de presente?

O macaquinho então explicou que amava seu presente e que apreciava a companhia da Lua, mas que sentia muita falta de sua família e amigos e das árvores lá da Terra.

A Lua então ficou com muita pena do macaquinho e lhe prometeu ajudar, mas com uma condição:

— Não toque o seu tambor antes que chegue lá embaixo. Mas quando tiver chegado à Terra e seus pés tiverem tocado o chão, toque o tambor com toda força para eu ouvir e então cortar a corda. Assim você estará livre.

O macaquinho prometeu à Lua que faria conforme ela lhe dissera. Prometeu que apenas tocaria o tambor quando chegasse à Terra.

A Lua começou a descer o macaquinho, sentado sobre o tambor e amarrado numa corda. Mas no meio do caminho, ele olhava para seu tambor e não pôde resistir: começou a tocar bem de leve para que a Lua não o ouvisse.

Mas acontece que o som do tambor, mesmo que muito baixo, chegou até a Lua, e ao ouvi-lo ela pensou: “O som do tambor. O macaquinho já chegou à Terra.” E assim cortou a corda.

O macaquinho começou a cair, e cair até que atingiu o chão. Uma menina que cantava e dançava o viu caindo e correu para ajudar.

A queda havia sido muito alta e o macaquinho, em suas últimas palavras, disse à menina:

— Isso é um tambor. Prometa que entregará aos homens de seu país.

— Eu prometo! – Disse a menina.

Ela passou as mãos pelos olhos cheios de lágrimas e correu o mais rápido que suas pernas permitiam para contar aos homens de sua terra o que havia acontecido e lhes entregou o tambor.

Começaram a tocar o curioso instrumento e gradualmente mais e mais pessoas chegaram para conhecer o que fazia aquele som tão diferente. A partir desse dia, os homens começaram a construir seus próprios tambores e o instrumento se espalhou por toda a África.

Até hoje o tambor africano é tão tradicional e querido entre o povo que é usado em todas as ocasiões. 

Curiosidades sobre o Tambor Africano

mulheres_tocando_tambor-744x419-8106008-6600840-2313139

Um antigo ditado africano diz: “Quando os tambores são tocados, eles não mentem”.

Existem muitos tipos e modelos de tambores africanos, mas o mais popular e mais antigo deles é o Djembê. É dito que sua criação ocorreu por volta de 500 d.C. Ele é considerado sagrado e é usado em cerimônias de cura, homenagens aos ancestrais e outras ocasições solenes.

O som dos tambores tem um longo alcance, por isso em muitas tribos eles são usados como forma de comunicação.

Quando e onde surgiu o Tambor?

Acredita-se que os primeiros tambores fossem troncos ocos de árvores tocados com os pés ou galhos. Posteriormente, quando o homem aprendeu a caçar e as peles de animais passaram a ser utilizadas na fabricação de roupas e outros objetos, percebeu-se que ao esticar um pé sobre o tronco, o som produzido era mais agudo.

Quais os tipos de tambores?

 Bongos, congas, timbales, tarol, pandeiro, surdo, tamborim, zabumba, tamborim, tímpano, tambor, tantã, rebolo, cuíca, agogô, atabaque, bateria, esses são os estilos de tambores mais comuns e conhecidos.

Para que serve um tambor?

O tambor é um instrumento de percussão usado em todas as culturas e em cada uma possui nomes, constituições e formas diferentes, como cilíndrica, cônica, como um barril, taça ou ampulheta. No carnaval carioca, o tambor é um instrumento bastante presente nas baterias das escolas de samba.

Veja mais aqui.