Conteúdo ocultar
1 Músicas de Vaquejada

Músicas de Vaquejada

Oriunda no nordeste brasileiro, mas também sendo bastante praticada em Minas Gerais, a vaquejada é um dos patrimônios culturais mais importantes da região, principalmente a partir da segunda metade do século XX.

Músicas de vaquejada

Obviamente que, para embalar o esporte, inúmeras músicas típicas dessas regiões foram feitas ao longo de décadas, algumas, inclusive, que se tornaram clássicos da música brasileira como um todo, em especial, as canções do Rei do Baião, Luiz Gonzaga.

Boiadeiro, de Luiz Gonzaga – Músicas de vaquejada

O eterno Rei do Baião sempre teve uma relação bem particular com a cultura da região, e é claro que ele iria cantar em verso e prosa a vaquejada em algum momento. “Boiadeiro” é uma dessas composições.

luiz-gonzaga-300x215-6141914-3351835

Letra de Boiadeiro, de Luiz Gonzaga

Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem
De manhazinha quando eu sigo pela estrada
Minha boiada pra invernada eu vou levar
São dez cabeça é muito pouco é quase nada mas não tem outras mais bonitas no lugar
Vai boiadeiro que o dia já vem
Levo o teu gado e vai pensando no teu bem
De tardezinha quando eu venho pela estrada
A fiarada ta todinha a me esperar
São dez fiinho é muito pouco é quase nada mas não tem outros mais bonitos no lugar
Vai boiadeiro que a tarde já vem
Leva o teu gado e vai pensando no teu bem
E quando eu chego na cancela da morada
Minha Rosinha vem correndo me abraçar
É pequenina é miudinha é quase nada mas não tem outra mais bonita no lugar
Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem

Composição: Klécius Caldas / Armando Cavalcante

Clipe de Boiadeiro, de Luiz Gonzaga

Uma das boas apresentações do Rei do Baião, datada de 1984.

Bom Vaqueiro, de Fagner – Músicas de vaquejada

O cantor e compositor Fagner também sempre nutriu uma paixão toda especial pela cultura nordestina, o que rendeu ótimas composições ao longo de sua carreira, como esta aqui, “Bom Vaqueiro”.

fagner-300x225-2953834-6529788Letra de Bom Vaqueiro, de Fagner

quem foi vaqueiro que vê
outro vaqueiro a boiar
fica lembrando dos “tempo”
que vivia a vaquejar

sofre igual quem ama alguém
e vê com outro, passar

ÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ

Mestre Costa bom vaqueiro
no sertão do Maranhão
muntado no seu cavalo
num cachorro um barbatão
e com carreira e meia
não jogasse ele no chão

ÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ

hoje em vez de peitoral
traz no peito uma paixão
de não poder vaquejar
nem vestir o seu jipão
passa boi passa boiada
pisa no seu coração

ÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ

Mestre Costa na fazenda
hoje só abre cancela
mocidade deixou ele
ele também deixou ela
a “véice” montou nele
ele desmontou da sela

ÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ

Mestre Costa na fazenda
hoje só abre cancela
mocidade deixou ele
ele também deixou ela
a “véice” montou nele
ele desmontou da sela

ÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ

Clipe de Bom Vaqueiro, de Fagner

Áudio original da canção.

Rei do Gado, de Orquestra da Terra – Músicas de vaquejada

Quem não se lembra da icônica novela global “O Rei do Gado”, não é? Pois bem, assim como a novela, a trilha sonora dela também foi um enorme sucesso, em especial, a sua música-tema, esta aqui.

orquestra-da-terra-300x214-1618459-4930033

Letra de Rei do Gado, de Orquestra da Terra

Sou desse chão
Onde o rei é peão
Com o laço na mão
Laça, fere,marca
Deixando a ilusão
De que tudo é seu
Com coragem de quem
Vive, luta, sonha

Vem ser mais feliz e quem sabe será
Voam livres pensamentos seus
Que vão pelo ar
O fazem sonhar
E sentir-se um Deus

Sou desse chão
Sou da terra raiz
Sou a relva do campo
E pra sempre serei
Sou esse rei
Sou peão laçador
Do sertão sou senhor
Mas por força da lei

Ser mais feliz e quem sabe serei
Voam livres pensamentos meus
Vão pelo ar e me fazem sonhar
E sentir-me um Deus

Sou desse chão
Onde o rei é peão
Com o laço na mão
Laça, fere,marca
Deixando a ilusão
De que tudo é seu
Com coragem de quem
Vive, luta, sonha

Vem ser mais feliz e quem sabe será
Voam livres pensamentos seus
Que vão pelo ar
O fazem sonhar
E sentir-se um Deus

Clipe de Rei do Gado, de Orquestra da Terra

Áudio original da música.

https://youtube.com/watch?v=WAWZOVvJH7o

O Vaqueiro, de Goiano & Paranaense – Músicas de vaquejada

Formada ainda na década de 80, quando as duplas sertanejas Estevam prestes a chegarem ao seu auge de popularidade, Goiano & Paranaense tiveram alguns bons sucessos em sua carreira, como “O Vaqueiro”.

goiano-paranaense-300x200-4537211-4337042

Letra de O Vaqueiro, de Goiano & Paranaense

Certo dia chega um moço
Na casa de um fazendeiro
À procura de emprego
Pra ganhar algum dinheiro
Respondeu o capataz
Precisamos de um vaqueiro
Mas preste bem atenção
É ordem do meu patrão
Fazer um teste primeiro

Entre pra dentro seu moço
Capataz foi educado
Pode dormir por aqui
Que o jantar tá preparado
Amanhã logo bem cedo
Terá um cavalo arreado
O teste que vou lhe dar
É pro senhor ajuntar
No curral todo o meu gado

Para o capataz ele disse
O senhor não leve a mal
Não sei andar a cavalo
Não monto neste animal
Meu trabalho é só de a pé
Pode não achar normal
Mas no horário combinado
Estará todo o seu gado
Pra conferir no curral

Capataz ficou pensando
Que sujeito atrapalhado
Correndo lá na invernada
Muito alegre e animado
Com certeza que no teste
Ele passava folgado
Todo gado ali chegou
Mas um bezerro faltou
Era um bezerrinho avermelhado

Atrás daquele bezerro
Ele saiu disparado
Laçou e trouxe puxando
E prendeu junto ao gado
E o capataz foi dizendo
Você está enganado
O bezerro que laçou
Não é a rês que faltou
Isto aí é um veado

Você é um bom vaqueiro
Aqui está empregado
Duvidei do seu talento
Mas você foi aprovado
É um laçador de primeira
Bem disposto e traquejado
Até hoje eu nunca vi
Ninguém aqui conseguir
No mato laçar um veado

Clipe de O Vaqueiro, de Goiano & Paranaense

Áudio original da música.

https://youtube.com/watch?v=nsgZqvZDCy0

A Morte do Vaqueiro, de Dominguinhos – Músicas de vaquejada

Herdeiro legítimo do Rei do Baião, Dominguinhos também não ficava atrás em termos de genialidade, e muitas das músicas de Gonzagão ficavam perfeitas na interpretação dele, como é o caso de “A Morte do Vaqueiro”.

dominguinhos-300x186-6789081-7766351

Letra de A Morte do Vaqueiro, de Dominguinhos

Numa tarde bem tristonha
Gado muge sem parar
Lamentando seu vaqueiro
Que não vem mais aboiar
Não vem mais aboiar
Tão valente a cantar
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi

Bom vaqueiro nordestino
Morre sem deixar tostão
E o seu nome é esquecido
Nas quebradas do sertão
Nunca mais ouvirão
Seu cantar, meu irmão
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi

Sacudido numa cova
Desprezado do Senhor
Só lembrado do cachorro
Que inda chora sua dor
É demais tanta dor
A chorar com amor
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi

Numa tarde bem tristonha
Gado muge sem parar
Lamentando seu vaqueiro
Que não vem mais aboiar
Não vem mais aboiar
Tão dolente a cantar
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi

Bom vaqueiro nordestino
Morre sem deixar tostão
O seu nome é esquecido
Nas quebradas do sertão
Nunca mais ouvirão
Seu cantar, meu irmão
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi

Sacudido numa cova
Desprezado do Senhor
Só lembrado do cachorro
Que inda chora a sua dor
É demais tanta dor
A chorar com amor
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Tengo, lengo, tengo, lengo, tengo, lengo, tengo
Ei, gado, oi
Êh!

Composição: Luiz Gonzaga

Clipe de A Morte do Vaqueiro, de Dominguinhos

Áudio da faixa, com a participação de Alcymar Monteiro.

Vida de Vaqueiro, de Banda de Pau e Corda – Músicas de vaquejada

Banda recifense formada em 1972, a Banda de Pau e Corda surgiu com a proposta de unir música e poesia nordestinas, o que consegue muito bem nessa música aqui, que reverencia bem a vida de vaqueiro.

banda-de-pau-e-corda-300x201-1470006-6372043

Letra de Vida de Vaqueiro, de Banda de Pau e Corda

Ê boi, boi surgiu na serra, ê boi levantando a terra
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu
Sinhá mocinha você arreclama, se passo a vida inteira sem te ver
Sinhá mocinha vida de vaqueiro, é tanger boi pra ganhar dinheiro
Ê boi, boi surgiu na serra, ê boi levantando a terra
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu
Aliso a crina do meu alazão, pego nas rédeas canto uma canção
O sol se pondo e a lua vem chegando, eu pela vida sempre galopando
Demorei tanto a tanger o boi, cheguei até a me esquecer da hora
Sinhá mocinha quando lá cheguei, não me esperou já tinha ido embora
Ê boi, boi surgiu na serra, ê boi levantando a terra
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu
Poeira subiu, vaqueiro gritou, chicote cortou os ares do céu

Composição: Roberto Andrade / Waltinho

Clipe de Vida de Vaqueiro, de Banda de Pau e Corda

Áudio original da faixa.

Alegria do Vaqueiro, de Jackson do Pandeiro – Músicas de vaquejada

Jackson do Pandeiro, assim como Luiz Gonzaga, foi um dos principais expoentes da música nordestina no século XX, e, entre tantas preciosidades, está essa aqui, uma bem-humorada homenagem à vaquejada.

jackson-do-pandeiro-300x195-1941150-9564821

Letra de Alegria do Vaqueiro, de Jackson do Pandeiro

Alegria do vaqueiro é ver a queda do boi,
O prazer de quem tá velho
É dizer sempre quem foi.

Tô véio, mas já fui moço
E quanta saudade dá
Quando vejo um bom cavalo
Ou um vaqueiro aboiar,
Sinto lágrimas nos olhos
Com vontade de chorar.

Alegria do vaqueiro é ver a queda do boi,
O prazer de quem tá velho
É dizer sempre quem foi.

Porque me vem na lembrança,
O tempo que eu vaquejava
E quando atrás de um garrote,
O meu cavalo avançava,
Podia botar na lista
Que aquele eu derrubava.

Alegria do vaqueiro é ver a queda do boi,
O prazer de quem tá velho
É dizer sempre quem foi.
(coro repete)

Em cima do meu cavalo,
Nunca perdi o aboio,
E quando em cima da serra,
Entoava o meu aboio,
As moças vinham pra porta
Sorrindo e piscando o “ôio”.

Alegria do vaqueiro é ver a queda do boi,
O prazer de quem tá velho
É dizer sempre quem foi.
(coro repete)

Composição: Ze Catraca

Clipe de Alegria do Vaqueiro, de Jackson do Pandeiro

Áudio original da canção.

Meu Vaqueiro, Meu Peão, de Mastruz com Leite – Músicas de vaquejada

Precursora do chamado forró estilizado, comumente associada ao “forró das antigas”, a banda Mastruz com Leite possui ótimas músicas que fazem a festa de qualquer vaquejada, como o clássico “Meu Vaqueiro, Meu Peão”.

mastruz-3-300x172-1709753-5395058

Letra de Meu Vaqueiro, Meu Peão, de Mastruz com Leite

Já vem montado em seu alazão
Chapéu de couro, laço na mão
Seu belo charme me faz cantar
No rosto um grande lutador
Que trabalha com calor
Com toda dedicação

Oh! Meu vaqueiro, meu peão
Conquistou meu coração
Na pista da paixão
E valeu o boi

Eu estou sempre onde ele está
Forró, vaquejada qualquer lugar
Eu vou seguindo o meu peão
Seus braços fortes, sua cor
Vaqueiro eu quero o teu calor
Em teus braços quero estar…

Oh! Meu vaqueiro meu peão
Conquistou meu coração
Na pista da paixão
E valeu o boi

Teu amor valeu o boi!
Teu calor valeu o boi!
Ter você valeu o boi!
Meu vaqueiro

Já vem montado em seu alazão
Chapéu de couro, laço na mão
Seu belo charme me faz cantar
No rosto um grande lutador
Que trabalha com calor
Com toda dedicação

Oh! Meu vaqueiro, meu peão
Conquistou meu coração
Na pista da paixão
E valeu o boi

Teu amor valeu o boi!
Teu calor valeu o boi!
Ter você valeu o boi!
Meu vaqueiro

Composição: Rita de Cássia

Clipe de Meu Vaqueiro, Meu Peão, de Mastruz com Leite

Apresentação ao vivo na TV, em 1996.

https://youtube.com/watch?v=RY13z9TAo9Q

Festa de Vaquejada, de Mano Walter – Músicas de vaquejada

Mano Walter, além de cantor é vaqueiro, o que já mostra que a sua música, em geral, estará quase sempre associada à atividade, e uma das melhores é justamente “Festa de Vaquejada”.

mano-walter-300x157-7535711-6095648

Letra de Festa de Vaquejada, de Mano Walter

Dá pra ver de longe que tem vaquejada
A poeira sobe e o chicote estrala
Mulher pra todo lado de bota e chapéu
Tem loira e tem morena dos olhos cor de mel

Locutor chamando pra correr o gado
Vaqueiro bebendo, cavalo selado
A mulherada grita da arquibancada
Bebendo uísque e cerveja gelada

E o vaqueiro
Corre dentro da pista em seu cavalo alazão
Quando chega na faixa derruba o boi no chão
Assim é vaquejada assim é meu sertão

Composição: João André

Clipe de Festa de Vaquejada, de Mano Walter

Apresentação em Maceió, presente em seu DVD.

Meu Esporte é Vaquejada, de Sirano & Sirino – Músicas de vaquejada

A dupla cearense começou na década de 80, com Sirano lançando seu primeiro disco solo em 1988, e somente dez anos depois, que ele começa a se apresentar com o seu irmão, Sirino. “Meu Esporte é Vaquejada” é um dos muitos destaques da carreira da dupla.

sirano-sirino-300x173-5728113-2833259

Letra de Meu Esporte é Vaquejada, de Sirano & Sirino

Meu Esporte é Vaquejada gosto
de dançar forró quando estou
embriagado olha eu nunca danço
só, pra dançar chamo a morena
se não for eu chamo a loira ela
não quer dançar comigo Maria traz
a vassora.

Maria traz a vassora

São 3 dias de cachaça de forró
de cabaré, eu durmo no caminhão
nas barracas e nos moteis.
pra dançar chamo a morena
se não for eu chamo a loira ela
não quer dançar comigo Maria traz
a vassora.

Maria traz a vassora

Clipe de Meu Esporte é Vaquejada, de Sirano & Sirino

Áudio original da faixa.

Bota Pegado Parêa, de Limão com Mel – Músicas de vaquejada

A banda Limão com Mel é outra que está no rol dos grupos clássicos de forró estilizado, e dentre tantos destaques de sua extensa carreira, “Bota Pegado Parêa” é uma ótima pedida para uma vaquejada.

Músicas de vaquejada

Letra de Bota Pegado Parêa, de Limão com Mel

Bota pegado parêa, bote
Bota pegado parêa, bote
Bota pegado parêa
Não deixe esse boi em pé

Bota pegado parêa, bote
Bota pegado parêa
Que nem tirador de côco
Com as duas mãos e os dois pés

Me acordei bem cedinho
Com o rádio sintonizado
O locutor por trás recitava
Poesias e vida de gado
Cada poema trazia tristeza e felicidade
Arroxe o nó, meu filho
Vamos acordar a cidade
Com baião, xote e forró
De primeira qualidade

Era virtude, defeito
Era vaqueiro aboiando
E cada verso doía
Deixando o peito sangrando

Vida de gado é assim, o sangue some nas veias
Cavalo bom e arisco
Nunca precisa de peia
Vaqueiro bom não desmonta
Pra descansar, não há peia
Quando o boi sai do xiqui
Bota pegado parêa

Já vinha a tarde caindo
Quando cheguei do trabalho
De novo o rádio zunindo
Cavalo, vaqueiro e gado
E o locutor já dizia
Já falou numa buchada
Um tira-gosto apropriado
Pra dá umas beiçadas
Mas não pode ficar bêbado
O animal bravo dá coices
Vi vaqueiro mais melado que espinhaço de pão doce

Vida de gado é assim o sangue some nas veias
Cavalo bom e arisco
Nunca precisa de peia
Vaqueiro bom não desmonta
Pra descansar, não há peia
Quando o boi sai do xiqui
Bota pegado párea

Composição: Zezito Doceiro

Clipe de Bota Pegado Parêa, de Limão com Mel

Áudio original da canção.

Sou Vaqueiro Nordestino, de Brasas do Forró – Músicas de vaquejada

A banda cearense começou atividades em meados de junho de 1989, sob a liderança do sanfoneiro Ivanildo Façanha Moreira (Didi), e continua a fazer muito sucesso, principalmente devido a canções como “Sou Vaqueiro Nordestino”.

Músicas de vaquejada

Letra de Sou Vaqueiro Nordestino, de Brasas do Forró

Sou vaqueiro nordestino puxa boi é meu destino
Sou o rei das vaquejadas puxa boi desde menino
Dou queda em garrote gordo dele perde o caminho

Valeu o boi valeu, valeu vaqueiro
No calor da vaquejada vive o povo brasileiro
Valeu o boi valeu, valeu vaqueiro
No calor da vaquejada vence o povo brasileiro

Minha maior alegria é festa de apartação
A meu “padrim” padre ciço peço a sua proteção
Cachaça e mulher bonita são a minha perdição

Pra ver a queda do boi o cabra tem que ser macho
Cavalo bom e ligeiro, mulher de força no braço
Quem tiver boi mandingueiro traga aqui que eu
desenrasco

Clipe de Sou Vaqueiro Nordestino, de Brasas do Forró

Áudio original da canção.

https://youtube.com/watch?v=3TGDr1eHjI8

A Vaquejada, de Gaviões do Forró – Músicas de vaquejada

A banda Gaviões do Forró se chamava Forró Baião até o ano de 1994. Depois de um hiato de 4 anos, eles voltam com o nome Gaviões do Forró, e dentre tantas boas músicas, está “Grito do Gaiteiro”, uma ode ao esporte.

Músicas de vaquejada

Letra de Grito do Gaiteiro, de Gaviões do Forró

De longe escutei um grito num galpão de pau fincado
E uma cordeona roncava num jeitão meio entonado
Fui chegando a despacito, vi o povo entreverado
Era um fandango campeiro iluminado a candeeiro
Daqueles do meu agrado

Marca vai, marca vem, gaita, violão e pandeiro
E a peonada se animava com os gritos do gaiteiro

Me aprumei com uma chinoca linda como a luz do dia
Mas bah, que florão de tropa
que há muito tempo eu não via
Saímos marcando passo, entupido’ de alegria
Quando o gaiteiro gritava a peonada se animava
E o seu grito repetia

Marca vai, marca vem, gaita, violão e pandeiro
E a peonada se animava com os gritos do gaiteiro

Diz que um berro empurra um baile, isso ficou comprovado
Pois eu vi naquele rancho esse gaiteiro largado
Que gritava e sapateava num jeitão meio entonado
Cada vez que eu ouço um grito no fandango, acho bonito
E me lembro deste passado

Marca vai, marca vem, gaita, violão e pandeiro
E a peonada se animava com os gritos do gaiteiro

Composição: Tio Nanato/Gaúcho Guapo

Clipe de Grito do Gaiteiro, de Gaviões do Forró

Áudio original da faixa.

Nasci pra ser vaqueiro, de Mano Walter – Músicas de vaquejada

Que melhor música para representar a profissão de vaqueiro de um cantor de forró do que uma composição chamada “Nasci pra ser Vaqueiro”? Uma das canções mais emblemáticas com esse tema.

mano-walter-2-300x175-6816891-9111908

Letra de Nasci pra ser vaqueiro, de Mano Walter

Nasci pra ser vaqueiro
Ser vaqueiro e bom de mais
Vaquejada é muito bom
Ser vaqueiro é muito mais

Já coloquei meu jaleco e meu chapéu
Agradeço a Deus do céu por ser um vaqueirão
O guarda-peito gibão perneira e cintura
Essa é a armadura do vaqueiro do vaqueiro do sertão

Nasci pra ser vaqueiro
Ser vaqueiro e bom de mais
Vaquejada é muito bom
Ser vaqueiro é muito mais

Lá no forró vou arrochar as meninas
Gastar a sola da botina dançando num passo só
Da minha vida de três coisas amarradas
É festa de vaquejada mulher bonita e forró

Nasci pra ser vaqueiro
Ser vaqueiro e bom de mais
Vaquejada é muito bom
Ser vaqueiro é muito mais

Já ganhei carro, ganhei moto, ganhei fama
A mulherada me ama sou do tipo garanhão
To bem na foto no jornal e na revista
Com meu cavalo na pista jogo o boi no areião

Nasci pra ser vaqueiro
Ser vaqueiro e bom de mais
Vaquejada é muito bom
Ser vaqueiro é muito mais

Na minha mesa tem whisky e tem cachaça
Mulher vai beber de graça na conta desse vaqueiro
Se for bonita e estiver desimpedida
Vou dar casa e comida roupa lavada e dinheiro

Nasci pra ser vaqueiro
Ser vaqueiro e bom de mais
Vaquejada é muito bom
Ser vaqueiro é muito mais

Clipe de Nasci pra ser vaqueiro, de Mano Walter

Áudio original da canção.

https://youtube.com/watch?v=NG6yvZp-5YE

Bom de vaquejada, de Mastruz com Leite – Músicas de vaquejada

A Mastruz com Leite se tornou uma referência nacional em termos de forró. E, também pudera, visto que ela continua até hoje, com bastante sucesso, principalmente devido a músicas como “Bom de Vaquejada”.

mastruz-com-leite-2-300x152-9744156-5372269

Letra de Bom de vaquejada, de Mastruz com Leite

Um bom vaqueiro levanta de madrugada
Pra levar sua boiada
Quando os perigos, vai enfrentar

Mais ele sabe que isso não lhe intimida
Vaqueiro é bom de briga
Homem forte pra valer

Na vaquejada ele é o rei
Valeu o boi grita a multidão
Essa é sua farda
Reconhecimento e gratidão

Na vaquejada ele é o rei
Valeu o boi grita a multidão
Essa é sua farda
Reconhecimento e gratidão

A boiada passa e a poeira
Onde há fumaça, há fogueira
Quando acende a chama
Do meu coração

A menina passa faceira
A paquera rola na feira
Procurando sempre
Alguém pro seu coração

Valeu meu pião, valeu
Valeu meu pião, valeu
Valeu meu pião, valeu
Valeu meu pião, valeu…

Composição: Kátia Di Tróia

Clipe de Bom de vaquejada, de Mastruz com Leite

Áudio original da música.

Canta vaquejada, de Arreio de Ouro – Músicas de vaquejada

A vaquejada também é um momento de romantismo entre os casais, e muitas músicas exemplificam bem isso, como é o caso de “Canta Vaquejada”, da banda Arreio de Ouro.

arreio-de-ouro-300x200-8904453-5611087

Letra de Canta vaquejada, de Arreio de Ouro

Em uma noite de vaquejada,
Eu fui numa vaquejada por gostar da profissão
Avistei o meu amor no meio da multidão
Era aquele alquem que me deixou sem razão
Quando ele olhou pra eu fiz que não conhecia
Ai falei pro garçon traga uma cerveja fria
Quero beber olhando pra quem me fez coverdia…

Bebendo só numa mesa
Por não tá acompanhada
Sai um pouco da mesa
Para olhar a vaquejada
Quando eu voltei ele tava aonde eu estava sentada
Chorando ele disse assim:
Não vim aqui pra beber,é que estou arrependido e só vim aqui porque preciso pedir perdão, pelo que eu fiz com você.
-Eu respondir para ele: eu posso lhe perdoar
Mais sei que a culpa é sua,da gente se separar
Sinto muito mais já tenho outro alguem no seu lugar
Você foi o causador por me deixar por alguem
E pra não ficar sozinha arrumei outro também
Ta certo nosso final
Não vamos pensar no mal,vamos só pensar no bem…
Quando ele olhou pra eu fiz que não conhecia
Ai falei pro garçon traga uma cerveja fria
Quero beber olhando pra quem me fez coverdia..
Você foi o causador por me deixar por alguem
E pra não ficar sozinha arrumei outro também
Ta certo nosso final
Não vamos pensar no mal
Vamos só pensar no bem.

Clipe de Canta vaquejada, de Arreio de Ouro

Áudio original da faixa.

A Saga de um vaqueiro, de Catuaba com Amendoim – Músicas de vaquejada

Formada em 1996, a banda Catuaba com Amendoim colecionou vários sucessos em sua carreira, mas, nenhum tão grande quanto “A Saga de um vaqueiro”, composição que tem o espírito da vaquejada.

catuaba-com-amendoim-300x225-5673200-5077922

Letra de A Saga de um vaqueiro, de Catuaba com Amendoim

Vou pedir licença pra contar a minha história
Como um vaqueiro tem suas perdas e suas glórias
Mesmo sendo forte, o coração é um menino
Que ama e chora por dentro, e segue seu destino

Desde cedo assumi minha paixão
De ser vaqueiro e ser um campeão
Nas vaquejadas sempre fui batalhador
Consegui respeito por ser um vencedor

Da arquibancada uma morena me aplaudia
Seus cabelos longos, olhos negros, sorria
Perdi um boi naquele dia lá na pista
Mas um grande amor surgia em minha vida

Naquele dia começou o meu dilema
Apaixonado por aquela morena
Cada boi que eu derrubava, ela aplaudia
E eu, todo prosa, sorria

Então começamos um namoro apaixonado
Ela vivia na garupa do meu cavalo
Meus planos já estavam, traçados em meu coração
De tê-la como esposa ao pedir a sua mão

Que tristeza abalou meu coração
Quando seu pai negou-me sua mão
Desprezou-me, por eu ser um vaqueiro
Pra sua filha só queria um fazendeiro

A gente se encontrava, sempre às escondidas
E vivia aquele amor, proibido
Cada novo encontro era sempre perigoso
Mas o nosso amor era tão gostoso

Decidimos então fugir, pra outras vaquejadas
Iríamos seguir
Marcamos um lugar, pra gente se encontrar
Mas na hora marcada ela não estava lá

Voltei em um galope
Saí cortando o vento
Como se procura uma novilha, no relento
E tudo em mim chorava por dentro…
E tudo em mim chorava por dentro…

Vieram me contar, que mandaram ela pra longe
Onde o vento se esconde o som do berrante se desfaz
Um fruto do nosso amor
Ela estava a esperar

Fiquei desesperado, com tamanha maldade
Pensei fazer desgraça, mas me controlei
E saí pelo mundo, um vaqueiro magoado
Só porque um dia eu amei

Passaram muitos anos e eu pelo mundo
De vaquejada em vaquejada, sempre a viajar
Era um grande vaqueiro, mas meu coração
Continuava a penar

Um dia eu fui convidado, pra uma vaquejada
Naquela região
Pensei em não voltar lá
Mas um bom vaqueiro nunca pode vacilar

Nunca mais soube de nada do que lá acontecia
Eu fugia da minha dor e da minha agonia
Ser sempre campeão era a minha alegria

Depois de dezessete anos, preparei-me pra voltar
Como um campeão!
Queria aquele prêmio pra lavar meu coração
Mas sabia que por lá, existia um vaqueirão

Começou a vaquejada e uma disputa acirrada
Eu botava o boi no chão, ele também botava
Eu entrei na festa e ele lá estava

Eu fiquei impressionado, como ele era valente
Tão jovem e tão forte, e tão insistente
Eu derrubava o boi
E ele sempre à minha frente

Chegava o grande momento, de pegar o primeiro lugar
Os bois eram mais fortes, ele não iria derrubar
E sorri comigo mesmo: “dessa vez eu vou ganhar”

Quando me preparava, pra entrar na pista
Quando olhei de lado, quase escureci a vista
Quando vi uma mulher
Aquela que foi a minha vida

Segurei no meu cavalo, para não cair
Tremi, fiquei nervoso, quando eu a vi
Enxugando e abraçando
O vaqueiro bem ali

Entrei na pista como um louco
O bate-esteira percebeu
Andei foi longe do boi
“Ah! Isso nunca aconteceu!”

O vaqueiro entrou na pista e eu fiquei a observar
Ela acenava, ela aplaudia e ele, o boi a derrubar
Derrubou o boi na faixa
Ganhou o primeiro lugar

Fiquei desconsolado, envergonhado eu fiquei
Perdi o grande prêmio, isso até eu nem liguei
Mas perder aquele amor
Ah eu não me conformei

Ela veio sorridente, em minha direção
E trouxe o vaqueiro, pegado em sua mão.
Olhou-me nos meus olhos, falou com atenção:
“Esse é o nosso filho, que você não conheceu.
Sempre quis ser um vaqueiro, como você, um campeão!
E pela primeira vez, quer a sua Benção!”

Eu chorava, de feliz
Abraçado, com meu filho!
Um vaqueiro, como eu! Eu nunca tinha visto.
Posso confessar: “o maior prêmio… Deus me deu!”

Composição: Rita de Cássia

Clipe de A Saga de um vaqueiro, de Catuaba com Amendoim

Áudio original da faixa.

Vaqueiro ferruado, de Forrozão Baby Som – Músicas de vaquejada

A Baby Som é outra que, junto com Mastruz com Leite e Limão com Mel, foram essenciais para a popularização do forró estilizado, tendo muitos sucessos em sua carreira, como “Vaqueiro ferruado”.

Músicas de vaquejada

Letra de Vaqueiro ferruado, de Forrozão Baby Som

Teu cheiro de mato me seduz
teu corpo me deixa ferruado
suas asas, suas penas
me endoida essa menina
e eu fico ferrado
aumenta mais o meu desejo
quando te encanto, te vejo
vejo a terra flutuar
me aperta em teus braços neném
deixe em teu corpo eu sonhar
se me chamas eu venho
se não me chamas mesmo assim eu vou te amar

Sou vaqueiro ferruado
Te amar, no cerrado sossegado
Te amar, sou vaqueiro ferruado
Te amar, no cerrado sossegado

Clipe de Vaqueiro ferruado, de Forrozão Baby Som

Áudio original da canção.

Não sou vaqueiro, mas…, de Arreio de Ouro – Músicas de vaquejada

Sendo um dos ícones do gênero, a Arreio de Ouro possui um repertório bem variado, mas, as tradições nordestinas estão sempre presentes em suas canções, como é o caso desta aqui.

arreio-300x172-1429530-6332566

Letra de Não sou vaqueiro, mas…, de Arreio de Ouro

Não sou vaqueiro, mas gosto de vaquejada
De forró, de cachaçada
De uma mulher bonequeira!

Não ando a cavalo, eu só ando de carro
mas sou doido por embalo
Com as “muié” na bagaceira!

Vaquejada é o esporte
Do nordeste brasileiro
De mulher e de vaqueiro
Quem gosta de forrozar!

Sexta, sábado e domingo
eu estou sempre bebendo
Tô doidinho e tô querendo
uma mulher pra xamegar!

Ai, ai, ai
Uma mulher pra xodozar
Ai, ai, ai
Uma mulher pra namora
Ai, ai, ai
Uma mulher pra nóis casar

Sexta, sábado e domingo
e segunda se separar

Clipe de Não sou vaqueiro, mas…, de Arreio de Ouro

Áudio original da faixa.

Vaqueiro desmantelado, de Aviões do Forró – Músicas de vaquejada

Um dos grupos de forró estilizado mais populares da atualidade também tem a sua contribuição com relação à vaquejada, com este que é um dos seus maiores sucessos.

Músicas de vaquejada

Letra de Vaqueiro desmantelado, de Aviões do Forró

Eu tô na vida de solteiro já larguei a de casado
Hoje eu sou vaqueiro desmantelado
Eu tô na vida de solteiro já larguei a de casado
Hoje eu sou vaqueiro desmantelado

E Começou a vaquejada uma disputa acirrada
É gado, cavalo e vaqueiro, vaqueiro cavalo e gado
Também a mulherada entra na competição
Pra ver quem derruba boi e conquistar meu coração

E eu só tangendo o gado, só tangendo o gado
Levando a vaqueira pra fazer o amor no mato

Eu tô na vida de solteiro já larguei a de casado
Hoje eu sou vaqueiro desmantelado

Só tangendo o gado, só tangendo o gado
Levando a vaqueira pra fazer o amor no mato
E começou a vaquejada uma disputa acirrada
É gado, cavalo e vaqueiro, vaqueiro cavalo e gado

Também a mulherada entra na competição
Pra ver quem derruba boi e conquistar meu coração

Só tangendo o gado, só tangendo o gado
Levando a vaqueira pra fazer o amor no mato

Eu tô na vida de solteiro já larguei a de casado
Hoje eu sou vaqueiro desmantelado

Clipe de Vaqueiro desmantelado, de Aviões do Forró

Áudio original da música.

Segura, peão!

A vaquejada é uma tradição que se perpetuou por décadas. Sim, é claro que vem enfrentando alguns problemas devido a protestos pelos direitos dos animais (o que é justo), mas, com certeza, uma solução viável chegará para todos, e a bonita festa não perderá o seu brilho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CONTEÚDO RELACIONADO

Este é um site do grupo B20