Um dos rappers mais conhecidos da atualidade, o Projota nasceu em São Paulo, e começou a ganhar notoriedade nas chamadas “batalhas de MC’s”onde venceu algumas vezes, o que, rapidamente, fez com que se tornasse famoso até fora do meio do rap.

Músicas do Projota

Com o passar dos anos, Projota foi ganhando espaço na mídia, e muitas de suas músicas começaram a afazer sucesso, e é o que teremos a seguir, com uma lista de 20 das suas melhores canções.

 

Muleque de Vila, de Projota – Músicas do Projota

A primeira vez que o Projota ingressou numa batalha de MC’s foi em 2006. Conseguiu vencer por quatro vezes a Batalha do Santa Cruz, três a Rinha dos MC’s e chegou à final da Liga dos MC’s de 2007.

Letra de Muleque de Vila, de 3Fs

Eu falei que era uma questão de tempo
E tudo ia mudar, e eu lutei
Vários me disseram que eu nunca ia chegar, duvidei
Lembra da ladeira, meu?
Toda Sexta-feira meu melhor amigo é Deus e o segundo melhor sou eu
Eu tanto quis, tanto fiz, tanto fui feliz
Eu canto Xis, canto Péricles, canto Elis
Torcedor do Santos, desse pão e sei que eu também quis
Não sei feliz, mas geral merece não ser infeliz
Prosperei com o suor do meu trabalho
Me guardei, lutei sem buscar atalho
E sem pisar em ninguém
Sem roubar também, então sei
Que hoje o meu nome é Foda e meu sobrenome é Pra Caralho
Deus olhou pra mim, disse assim, escuta neguin
Pegue esse caderno e escreve cada folha até o fim
Eu disse Senhor, sou tão tímido, sinto mó pavor
Só no subir no palco a perna congelou
Mas rodei o Brasil, CD na mochila foi cinquenta mil
Mão em mão, na rodoviária passando mó frio
Quem viu, viu, Curitiba meu tesouro, foi estouro
Vinte e cinco mil, tio, DVD de ouro
Triunfo bombou, Leandro estourou, Michel prosperou
Dei valor, só trabalhador, homens de valor
Minha cor não me atrapalhou, só me abençoou
Quem falou que era moda, hoje felizmente se calou
Vai, vai lá, não tenha medo do pior
Eu sei que tudo vai mudar
Você vai transformar o mundo ao seu redor
Mas não vacila, moleque de vila, moleque de vila, moleque de vila
Não vacila, moleque de vila, moleque de vila, moleque de vila
Já fui vaiado, já fui humilhado, já fui atacado
Fui xingado, ameaçado, nunca amedrontado
Aplaudido, reverenciado, homenageado
Premiado pelos homens, por Deus abençoado
Avisa o Rony que hoje é nós, não tem show, tô sem voz
Se o Danilo não colar, vou buscar de Cross
Se o Marques chegar, grita o Magrão, liga, mó função
Tem churrasco, sem fiasco, tira espinha do salão
Já cantei com Mano Brown, com Edi Rock, com Helião
Com D2, com MV, dei um abraço no Chorão
Aprendi fazer freestyle no busão
Hoje é o mesmo freestyle, só que a gente faz no fundo do avião
E hoje eu acordei chorando porque eu me peguei pensando
Será que lá de cima a minha véia segue me olhando?
Será que se me olhando, ela ainda ‘tá me escutando?
Será que me escutando, ela ainda ‘tá se orgulhando?
Hoje tanto faz, putaria ‘tá demais
Mas ninguém se liga mais, mas ninguém respeita os pais
Mas pra mim tanto faz porque ainda tem Racionais
Pra quem quer um diferente, tem Oriente e Haikass
Raps nacionais, rostos diferentes, mesmos ideais
Salve, Sabota, e todo Rap sem lorota
Os mano gosta de ir no Twitter xingar o Projota
Mas trai a mulher e não abraça a mãe, faz uma cota
Desde os dezesseis tô aqui, outra vez, vou sorrir
Vou cantar, vou seguir
Vou tentar, conseguir
Se quer falar mal, fala daí
Mas meu público grita tão alto que já nem consigo te ouvir
Olha lá o outdoor com o meu nome
Me emocionar não me faz ser menos homem
Se o diabo amassa o pão, você morre ou você come?
Eu não morri e nem comi, eu fiz amizade com a fome
Vai, vai lá, não tenha medo do pior
Eu sei que tudo vai mudar
Você vai transformar o mundo ao seu redor
Mas não vacila, moleque de vila, moleque de vila, moleque de vila
Não vacila, moleque de vila, moleque de vila, moleque de vila
Não vacila

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira / Pedro Luiz Garcia Caropreso

Clipe de Muleque de Vila, de Projota

Clipe extraído do CD/DVD “3Fs ao Vivo”.

 

Ela só quer Paz, de Projota – Músicas do Projota

O nome Projota, na verdade, é a junção de “pro” = profissionalismo e “Jota”, inicial do seu primeiro nome. O rapper entrou definitivamente na cena do rap brasileiro aos 16 anos, ao assistir ao videoclipe da música “Só Deus Pode me Julgar”, do rapper carioca MV Bill.

Letra de Ela só quer Paz, de Projota

Ela é um filme de ação com vários finais
Ela é política aplicada e conversa banais
Se ela estiver muito afim seja perspicaz
Ela nunca vai deixar claro, então entenda sinais
É o paraíso, suas curvas são cartões postais
Não tem juízo, ou se já teve, hoje não tem mais
Ela é o barco mais bolado que abordou no seu cais
As outras falam, falam, ela chega e faz
Ela não cansa, não cansa, não cansa jamais
Ela só dança, dança, dança demais
Ela já acreditou no amor, mas não sabe mais
Ela é um disco do Nirvana de 20 anos atrás
Não quer cinco minutos no seu banco de trás
Só quer um jeans rasgado e uns quarenta reais
Ela é uma letra do Caetano com flor dos Racionais
Hoje pode até chover
Porque ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer noticias boas pra se ler nos jornais
Amores reais, amizades leais
Ela entende de flores, ama os animais
Coisas simples pra ela, são as coisas principais
Sem cantada, ela prefere os originais
Conheceu caras legais, mas nunca sensacionais
Ela não é suas negas rapaz
Pagar bebida é fácil, difícil apresentar pros pais
Ela vai te enlouquecer pra ver do que é capaz
Vai fazer você sentir inveja de outros casais
E você vai ver que as outras eram todas iguais
Vai querer comprar um sítio lá em Minas Gerais
Essa mina é uma daquelas fenomenais
Vitamina, é proteína e sais minerais
Ela é a vida, após a vida
Despedida pros seus dias mais normais
Pra que mais?
Ela não cansa, não cansa, não cansa jamais
Ela só dança, dança, dança demais
Ela já acreditou no amor, mas não sabe mais
Ela é um disco do Nirvana de 20 anos atrás
Não quer cinco minutos no seu banco de trás
Só quer um jeans rasgado e uns quarenta reais
Ela é uma letra do Caetano com flor dos Racionais
Hoje pode até chover
Porque ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer paz
Hoje ela só quer paz

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira

Clipe de Ela só quer Paz, de Projota

Mais um clipe do CD/DVD “3Fs ao Vivo”.

 

Rezadeira, de Projota – Músicas do Projota

Durante sua adolescência, o Projota fez parte de dois grupos, que acabaram não fazendo sucesso. Um deles, inclusive, O Dom da Rima, era formado junto com um de seus amigos, o Rashid.

Letra de Rezadeira, de Projota

Suas pernas foram feitas pra correr, neguim, então vai
Degola o estirante, embola na rabiola e traz
Seus olhos foram feitos pra enxergar
Toda vez que uma mina passar
Sua boca foi feita pra xavecar, então vai e traz
Porque eu já vi sua situação, suas panela no fogão
Sua chinela sem cordão, sua favela, seu colchão
Sua sequela, podridão, seu caderno sem lição
Sua rabeira nos busão, seu roubo, seu ganha-pão
Sua fuga com seus irmãos, sua comemoração
Vi seu bute bonitão, seu futebol de salão
Sua garra pela função, sua marra, sua perdição
E até chorei com a sua primeira detenção
Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Deixa o menino jogar, que é Sexta-feira
Pra proteger é que existe a rezadeira
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
Mas essas grade num te prende né, neguim
Vem, volta pra nós
Deixa os problemas de lado e compra uma moto veloz
Só que pra ter moto veloz, né, tem que ter um dim
E foi assim, foi assim que eu vi seu fim
Porque eu vi sua vontade, eu vi seu plano
Eu vi você, eu vi seus mano
Eu vi o disfarce, eu vi seu cano
E vi você atirando
Eu vi correndo, eu vi trocando
Se escondendo, se assustando
Eu vi ali, te vi orando e vi o seu peito sangrando
Eu vi seus amigos saindo, seus amigo te deixando
Sua coragem se esvaindo, e o seu olho fechando
Eu vi seu choro, vi seu medo por dentro te dominando
E vi meia dúzia de anjos te buscando
Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Deixa o menino jogar, que é Sexta-feira
Pra proteger é que existe a rezadeira
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
E ela teve que te ver neguim, sangrando no chão
Ela tentou te socorrer, mas um pronto socorro não
Ela atravessou o isolamento, sem caô
Eu vi quando ela empurrou um policial e ajoelhou
Eu vi também ela chorando no seu sangue
Gritando um tal Senhor
Cantando alto e claro aquele bonito louvor
Encarando seu espírito ao lado do seu corpo em pé
Implorando pra que se arrependa se puder
E eu vi o seu corpo tremendo com o seu coração parado
Uma lágrima escorrendo com seu olho fechado
O povo todo olhando extasiado
E cada uma das câmeras pifando
Pro segredo ser guardado
A rezadeira parou de cantar, e pra você sorriu
Os anjos voltaram pro céu, e então o seu olho se abriu
E eu chorei testemunhando com vocês
Quando eu vi sua mãe te dando a luz pela segunda vez
Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Deixa o menino jogar, que é Sexta-feira
Pra proteger é que existe a rezadeira
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
Vagabundo vai correr, vai brincar
Vai chover, vai sujar
Deixa o menino jogar, que é Sexta-feira
Pra proteger é que existe a rezadeira
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai
A rezadeira vai rezar (rezadeira) vai rezar
(Rezadeira) vai rezar (rezadeira) vai

Composição: Tiago Pereira

Clipe de Rezadeira, de Projota

Clipe ao vivo de 2017.

 

O homem que não tinha nada, de Projota – Músicas do Projota

A vida pessoal de Projota não foi nada fácil. Quando ele tinha 7 anos, a sua mãe teve um AVC, permanecendo em estado vegetativo durante cerca de dois anos, quando morreu. O gosto musical do rapper, por sinal, vem justamente da mãe, Dirce Sabino Pereira, que, além de cantar, chegou a atuar, escrever e compor.

Letra de O homem que não tinha nada, de Projota

O homem que não tinha nada, acordou bem cedo
Com a luz do sol já que não tem despertador
Ele não tinha nada, então também não tinha medo
E foi pra luta como faz um bom trabalhador
O homem que não tinha nada, enfrentou trem lotado
A sete horas da manhã com sorriso no rosto
Se despediu de sua mulher com um beijo molhado
Pra provar do seu amor e pra marcar seu posto
O homem que não tinha nada, tinha de tudo
Artrose, artrite, diabetes e o que mais tiver
Mas tinha dentro da sua alma muito conteúdo
E mesmo sem ter quase nada ele ainda tinha fé
O homem que não tinha nada, tinha um trabalho
Com um esfregão limpando aquele chão sem fim
Mesmo que alguém sujasse de propósito o assoalho
Ele sorria alegremente, e dizia assim
O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
Ninguém nasce sabendo, então me deixe tentar (me deixe tentar)
O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
Ninguém nasce sabendo (ninguém), então me deixe tentar
O homem que não tinha nada, tinha Marizete
Maria Flor, Marina, Mari, eu quero ser o menor
Um tinha nove, uma doze, outra dezessete
A de quarenta sempre foi o seu amor maior
O homem que não tinha nada, tinha um problema
Um dia antes mesmo foi cortado a sua luz
Subiu no poste experiente, fez o seu esquema
Mas a noite reforçou o pedido pra Jesus
O homem que não tinha nada, seguiu a sua trilha
Mesmo caminho, mesmo horário, mas foi diferente
Ligou pra casa pra dizer que amava sua família
Acho que ali já pressentia o que vinha na frente
O homem que não tinha nada
Encontrou outro homem que não tinha nada
Mas este tinha uma faca
Queria o pouco que ele tinha, ou seja nada
Na paranoia nóia quem não ganha te ataca
O homem que não tinha nada, agora já não tinha vida
Deixou pra trás três filhos e sua mulher
O povo queimou pneu, fechou a avenida
E escreveu no asfalto “saudade do Josué”
O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
Ninguém nasce sabendo, então me deixe tentar (me deixe tentar)
O ser humano é falho, hoje mesmo eu falhei
Ninguém nasce sabendo (ninguém), então me deixe tentar
Então me deixe tentar (então me deixe tentar)
Então me deixe tentar (então me deixe tentar)
Então me deixe tentar (então me deixe tentar)
Então me deixe tentar (então me deixe tentar)

Composição: Diego Silveira / Jose Tiago Pereira / Pedro Luis

Clipe de O homem que não tinha nada, de Projota

Clipe original da canção, com participação de Negra Li.

 

Acabou, de Projota – Músicas do Projota

Em 2008, o Projota lançou tanto a música como o videoclipe de “Acabou”, e rapidamente conseguiu alta popularidade no YouTube, alcançando número superior a 400.000 visualizações em apenas dois anos.

Letra de Acabou, de Projota

É, nega
Tava mexendo na gaveta
Achei seu brinco de argola
E aquela presilha preta
Maldita presilha preta que me fez lembrar
Tava arrumando a minha vida
Mas ‘tô doido pro ‘cê bagunçar
Mó’ jeito de menina moça
Volta a fazer o meu feijão
Que agora eu prometo que lavo a louça pra você
Pra tudo ficar bem
Pra tudo ficar zen
Pra tu não ficar sem me chamar de “meu bem”
Eu ficava te olhando na pista
99% de perfeição
Só faltou ser santista
Eu sei que eu sou mala sem alça
Só que você também às vezes
É mais folgada que as minhas calças, pô
A culpa não é minha nem é sua
Sem problema
Já que é rap
“Vamo” por a culpa no sistema
Não deve haver rancor
Onde já se teve amor
Então jura que ‘cê rega todo dia a flor
Que eu te dei
Foi bom enquanto durou
E durou enquanto tava sendo bom
Mas acabou
Desculpa aí, mas acabou
Seu nego não tá mais debaixo do seu edredom
É, fia
Foi bom enquanto durou
E durou enquanto tava sendo bom
Mas acabou
Desculpa aí, mas acabou
Seu nego não ‘tá mais debaixo do seu edredom
A gente nunca teve a música só nossa
Daquela que toca
Faz lembrar
E te deixa na fossa
Mas agora vários “casal” vão curtir esse som
Porque ‘cê não me rendeu um casamento
Mas tá me rendendo um rap bom
É, fia
Tu virou letra de rap
Imortalizada pela minha voz entre os clap
E ‘tô no mesmo CEP
Quando você quiser me procurar
Mas não garanto nada
Se já não vô ‘tá acompanhado por lá
Daí cê vai bater na porta pra dizer
Que me ama, que me quer
Mas outra mina que vai te atender
‘Cê vai me ver vindo lá no escuro
Vou abraçar ela por trás e vou dizer
“Hoje não tem pão duro”
Não é que eu quero que se saiba o que vai ser
Só quero que ‘cê saiba que vai ser
Da hora quando a gente tiver junto, fia
Quando se me vê dizer
Que não vai mais me ver e vai sofrer
Não vem tentar mudar de assunto, firmão?
Foi bom enquanto durou
E durou enquanto tava sendo bom
Mas acabou
Desculpa aí, mas acabou
Seu nego não ‘tá mais debaixo do seu edredom
É, fia
Foi bom enquanto durou
E durou enquanto tava sendo bom
Mas acabou
Desculpa aí, mas acabou
Seu nego não ‘tá mais debaixo do seu edredom
Vivi por vinte anos sem saber que ‘cê existia
Mas depois de perder você
É difícil viver por vinte dia
Agora quem vai me trazer paz e sossego?
Quem vai deixar de lado o Projota pra me chamar de “meu nego”?
Eu no melhor estilo vagabundo
Sou muito preguiçoso pra ir ver se tem alguém melhor no mundo
As outras minas fica puta
Porque você ganhou a luta delas mesmo sem nem ter entrado na disputa
Mas ‘cê ‘ta sempre complicando
Pra se envolver contigo
O cara tem que ter coração de corintiano
Sofredor
De sentimento socredor
Se ‘cê não quer, falô!
‘To saindo, já vô
Levo na mala minhas roupas
E nossas fotos de recordação
Me arranja aí R$2, 30 pra condução
E eu queria terminar com a rima mais pesada
Mas se eu não posso dizer que eu te amo
Eu prefiro não dizer nada

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira / Alan Giassi Soares

Clipe de Acabou, de Projota

Apresentação ao vivo do ano passado.

 

Chuva de Novembro, de Projota – Músicas do Projota

Impressionante como a carreira do Projota decolou rapidamente em pouco tempo, o que fez com que artistas já renomados, como Anitta e Negra Li, gravassem com ele, dando ainda mais projeção ao rapper.

Letra de Chuva de Novembro, de Projota

Sozinho posso te ver melhor quando se vai o Sol
Procuro o fio do seu cabelo no lençol
Baixei aquele filme que cê disse que era bom
E vi que nada é tão bom quando cê não tá aqui

Um dia sem você é triste, uma semana é maldade
Um mês não existe, dou meus pulos, atravesso a cidade
Junto dinheiro pra financiar a viagem
Uma bolacha, um salgadinho, dois refri e a passagem

Já era, já fui, me espera, amor
Vou atrasar mais dez minutos, parar pra te comprar uma flor
E tô pronto, na melhor roupa que eu tenho
Uma rosa na mão esquerda, na outra mão um cartão com desenho

Correndo pra rodoviária, o ”buso” sai às 9
Desculpa o cartão molhado, é quem em novembro sempre chove à tarde
E hoje a chuva tá bolada, já me sentei, fiz minha oração
Se Deus quiser nem pega nada, vai!
Se Deus quiser nem pega nada, vai!

Tô chegando, tá?
Tô chegando, amor

Tô indo, sentado, vendo as montanhas
Lembrando que quanto mais você me perde, mais vezes você me ganha
E aquela briga ontem foi foda, eu não queria te dizer
Que eu não queria ter você

Mas eu queria que você soubesse que eu me importo
E que eu sinto que essa chuva é o reflexo do estado do meu corpo
E foi pensando nisso que me joguei pra cá
Pra ver se quando eu te encontrar eu faço essa chuva parar

Será que isso é possível?
Eu, sonhador demais, na entranha dor demais
E essa estranha dor é mais do que saudade
É como uma necessidade
De poder ter a certeza de que não era verdade

O que você disse por telefone
Que tava na hora de eu te provar que podia ser o seu homem
Que o menino que nem pode sustentar um lar
Nunca seria bom o suficiente pra tu casar

Foi pensando nisso que eu entrei nesse busão
Mas talvez eu seja só um menino com uma rosa na mão
E eu te ligo no celular
Te avisando que eu tô indo e te pedindo pra ir lá pra me esperar

Mas você que nunca disse que me ama
Mais uma vez desliga sem dizer, se arruma e vai pra cama
Tudo bem, dorme bem amor, te amo!
Quando acordar passa perfume que o seu homem tá chegando, vai!

Me espera, tá!
Me espera, tá!

A cada segundo a chuva aumenta nessa poltrona
A cada minuto que eu durmo eu acordo quarenta
Janela embaçada, tampando minha visão
Eu fecho os olhos e praticamente sinto sua respiração

É como o silencio do meu quarto sem você
Culpa dessa distância que me impede de te ver
Me impede de provar que eu te mereço
De mostrar que o dinheiro tá pouco, mas que a alegria não tem preço

E eu pensando em você nesse momento
Aproveito o tempo pra treinar o pedido de casamento
Depois da briga, acordei cedo
Peguei toda a economia e comprei a aliança em segredo

Juntei moeda por moeda pra poder tá aqui
Pra mostrar que um menino pode te fazer sorrir
Te sentir mais uma vez, sentir por uma vez
Que achar que eu sou teu sonho não é uma insensatez

Mas peraí, eu ouço um barulho, que que tá pegando?
A aliança caiu do meu bolso, tudo balançando (porra, mano!)
Quem tá gritando? Por que tá girando? Alguém sabe?
Tento chamar seu nome, mas minha boca nem abre

Barulho de chuva, pneu, escuridão
Lembrar seu rosto se tornou a última opção
Agarro forte a rosa na lama
Menino ou homem você me deixou partir sem dizer que me ama!

Eu não pensei que fosse pra tão longe essa viagem
Toca o celular, é você me mandando mensagem
E eu preso nas ferragens, sem me mexer
Sei que você me escreveu, mas fecho os olhos sem saber o quê

Composição: Projeota

Clipe de Chuva de Novembro, de Projota

Vídeo oficial para a faixa.

 

Cobertor, de Projota – Músicas do Projota

Em 2012, o Projota lançou o seu DVD “Realizando Sonhos”, gravado no Master Hall, em Curitiba, Paraná. O disco contém ao todo 20 faixas e ajudou a rapper a ser considerado um dos principais representantes da nova escola do rap.

Letra de Cobertor, de Projota

Eu sei, que o tempo pode afastar a gente
Mas se o tempo afastar a gente
É porque o nosso amor é fraco demais
E amores fracos não merecem o meu tempo, não mais
Simplesmente, eu sei que tudo que foi importante pra mim
Da minha vida se foi, então me fez ser assim
Dentro dessa armadura nessa vida dura
Não sou Indiana Jones, então sem aventura
Porque só tinha conhecido gente louca
E tinha medo de um ‘eu te amo’ sair da minha boca
Até que um dia ele saiu
E eu gelei, e te olhei, você disse ‘eu também’ e sorriu
Maluco o suficiente pra gostar de mim
Corajoso o suficiente pra ir até o fim
Se eu tivesse te desenhado e te encomendado
Teria feito exatamente assim
Ele me disse “vai”
Eu disse já vou
Ele me disse “volta”
E eu disse oôô
Ai que saudade de você
Debaixo do meu cobertor
Ai que saudade de você
Debaixo do meu cobertor
Eu sei que sobre nós
Tudo é sempre complicado
Mas, um dia vai se descomplicar, pode acreditar
Te dei meu coração, você cuidou tão bem
Que agora quero entregar meu corpo pra você também
Hein? Me diz se eu to errado, mina
Mas algo me diz que a nossa vibe combina
Eu tava ali, procurando o meu rumo pra seguir
Que bom quando eu te vi, tava tudo tão chato por aqui
Eterno nada é, posso dizer
Mas eu vou fazer o possível pro nosso amor ser
Um dia, a gente vai se ver, bem velhinho pelo espelho
E eu cantando outra música pra você
Pois quando a gente se entrega pra vida
A vida só nos devolve coisas boas
E ela me deu você
E eu vi nessa corrida que você é só você
E pessoas são pessoas
Ele me disse “Vai” (vai, vai, vai, vai, vai)
Eu disse já vou (já vou)
Ele me disse “volta” (já voltei)
E eu disse oôô
Ai que saudade de você
Debaixo do meu cobertor
Ai que saudade de você
Debaixo do meu cobertor
Eu sei, que o tempo pode afastar a gente
Mas se o tempo afastar a gente
É porque o nosso amor é fraco demais
E amores fracos não merecem o meu tempo

Composição: Tiago Sabino

Clipe de Cobertor, de Projota

Vídeo extraído de uma apresentação de 2016.

 

O Vento, de Projota – Músicas do Projota

Em paralelo à sua carreira de duelador, o Projota trabalhava com A.G. Soares, do Pentágono, um produtor musical bastante consagrado. O rapper também fez uma participação no documentário “Freestyle: Um Estilo de Vida”, onde concedeu uma entrevista.

Letra de O Vento, de Projota

O vento que te trouxe pra cá
Só peço que não volte jamais
Porque se ele perceber que deixou você
Vai querer correr atrás
Ela me faz pirar
Ela me faz pirar
Então deixa eu respirar
Pra lutar contra o vento
Antes de mais nada eu te amo, desculpa eu me apressar
Mas tava engasgado eu tinha que desabafar
Foi fácil te notar naquele dia
Ela é um diamante em meio a esse monte de bijuteria
E foi por intermédio da minha intuição
Que eu encontrei o remédio pra minha salvação
A cura pro meu tédio, a direção
Ela é a paz pro Oriente Médio do meu coração
Um dia ela me disse que me amava com emoção
Eu sou problema? Ela é solução
Não sei se essa canção vai tocar na televisão
Mas com certeza vai tocar seu coração
Se eu tivesse dez segundos pra dizer o que eu sinto por você
E dez minutos pra fazer você ficar
Diria que dez anos são pouco pra te ter
Que eu queria ter dez vidas pra dez vezes eu te amar
O vento que te trouxe pra cá
Só peço que não volte jamais
Porque se ele perceber que deixou você
Vai querer correr atrás
Ela me faz pirar
Ela me faz pirar
Então deixa eu respirar
Pra lutar contra o vento
E quando chega às dez a gente deitar juntinho
Eu torço só pra nunca chegar o fim
Fico lá te olhando, admirando e pensando assim
“Meu Deus, isso tudo é só pra mim?”
E ela me tirou da lama, me levantou
Me deu um banho de amizade e de amor
Essa mulher é raridade, já virei fã
Vou dedicar pra ela todas as canções do Djavan
Porque hoje eu sou seu, de mais ninguém
Só hoje eu sou seu, então vem!
Só por hoje eu vou fazer de tudo pro seu bem
Só hoje, mas amanhã vai ser hoje também
Qualquer lugar é o melhor lugar se você ‘tá lá
Um canto pra gente se amar
Casais vão pra Paris, pra Veneza, bonito
Mas a gente é melhor, a gente vai pro infinito!
O vento que te trouxe pra cá
Só peço que não volte jamais
Porque se ele perceber que deixou você
Vai querer correr atrás
Ela me faz pirar
Ela me faz pirar
Então deixa eu respirar
Pra lutar contra o vento
O vento que te trouxe pra cá
Só peço que não volte jamais
Porque se ele perceber que deixou você
Vai querer correr atrás
Ela me faz pirar
Ela me faz pirar
Então deixa eu respirar
Pra lutar contra o vento

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira / Marlos Vinicius De Souza / Luiz Ricardo Santos

Clipe de O Vento, de Projota

Vídeo do CD/DVD “3 Fs ao Vivo”.

 

Enquanto você dormia, de Projota – Músicas do Projota

As letras do Projota falam bastante a respeito de engajamento social, além de mostrar a realidade dura de moradores da periferia, mas, também flertam com o romantismo. E, um dos bom exemplo disso é “Enquanto você dormia”.

Letra de Enquanto você dormia, de Projota

Enquanto você dormia
Eu levantava e saía pra trabalhar
Escrevia um bilhete de bom dia pra te deixar
Vestia a primeira roupa que eu encontrasse por lá
Engolia um pão com manteiga e um suco de maracujá
Tomava meu banho sem ter você lá pra bagunçar
Deitava mais um minuto pra saudade amenizar
Te dava um beijo no rosto de leve pra não acordar
E dizia te amo sem você poder escutar
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Pode sonhar, por que eu sei que sonhar faz bem
Vou te dar uma razão pra sonhar também
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Pensava um pouco em você sozinho no ponto do busão
Entrava, rodava a catraca e sentava no fundão
Com fone no ouvido ouvindo algum rap boladão
Uma outra mina olhava e eu nem dava atenção
Chegava no meu trabalho com vontade de sair
Seu cheiro na minha roupa mas você não tava ali
Abria a gaveta que me fazia sorrir
Porque tinha uma foto que eu tirei vendo você dormir
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Pode sonhar, por que eu sei que sonhar faz bem
Vou te dar uma razão pra sonhar também
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Batia o cartão, saía, felicidade no olhar
Partia, comprava a flor mais bonita pra te agradar
Botava quinze de crédito e ligava o celular
‘Cê já tinha vindo do trampo e tava fazendo o jantar
Entrava em casa correndo e te jogava no sofá
Fazia amor com você até minha perna bambear
Te abraçava, dava colo pra te carinhar
E dizia o quanto eu te amo até ver seu olho fechar
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem
Pode sonhar, por que eu sei que sonhar faz bem
Vou te dar uma razão pra sonhar também
Então eu te olhava pra ver se você dormia bem

Composição: Andre Carvalho / Diego Cunha / Pedro Garcia / Tiago Pereira

Clipe de Enquanto você dormia, de Projota

Clipe oficial da faixa.

 

Hey, Irmão, de Projota – Músicas do Projota

O forte de Projota sempre foram as canções de cunho social, uma característica bem marcante em toda a cena rap nacional, diga-se de passagem. Um dos seus destaques, nesse sentido, é “Hey, Irmão”.

Letra de Hey, Irmão, de Projota

Éramos seis ou sete pivete que sonhavam em poder sonhar lá aos desesete
Tudo era tão distante nem tinha internet,
Danone, em pneu de bike pra fingir ser Mobilete
Na casa da Naldete, o Alan de rolimã um jet
Sem sete list nem, black list pra jogar fliperama
Ia catar latinha, não tinha nada mas tinha
Mais que quem pensou que tinha
Eu tinha meus amigos era suficiente
Pra festa ou pra treta, é nóis sai da frente
Quando lembro da gente e me deixo sentir
Eu sinto tanta vontade de chorar que dá vontade de sorrir
E se eu caísse aqui sei bem que alguém tava por vir
Só me arrependi pelo tempo que eu não tava ali
E se a moda agora é ostentação deixa comigo
Invés de nome de carro eu falo nomes dos amigos
Hey irmão me diz como você ‘tá a saudade ainda vai me matar
A saudade ainda vai me matar, é lembra quando tudo era fácil
A gente achava difícil mas era bom demais
Tempo que não volta mais (não volta mais)
Amigos são o um em um milhão
Agulha do palheiro que caiu na sua mão
Mais água no feijão, a mágoa sem razão
A divisão do pão, primeira e ultima comunhão
Amigos são alegria da gente
Saudade mais a frente lembrança mais presente
Um churrasco na laje, uma madrugada fria
A espera pelo ônibus o sol que trás o dia
Amigos são aquele carro que pega no tranco
Um pedaço do lanche, a companhia na fila do banco
Conselho salvador, risada por besteira
A manhã de Segunda e a noite de Sexta-feira
Amigos são a coragem que enfrenta nosso medo
Amigos são um cofre pra guardar todo segredo
E se contar nos dedos quantos amigos tem
Se encher uma mão você já ‘tá muito bem, vem!
Hey irmão me diz como você ‘tá, (me diz me diz como você vai)
Tá a saudade ainda vai me matar a saudade ainda vai me matar
É lembra quando tudo era fácil a gente achava difícil
Mas era bom demais (bom demais, bom demais, bom demais)
Tempo que não volta mais
Tempo que não volta mais

Composição: Tiago Pereira

Clipe de Hey, Irmão, de Projota

Do CD/DVD “3 Fs ao Vivo”.

 

Quer se preparar para um concurso público dando aula? Veja esse vídeo!

Não deixe de se inscrever no meu canal do youtube: Vídeos diários para professores!

Confira também as entrevistas que estamos realizando no canal do Demonstre:

Não deixe de se inscrever no canal do youtube do Demonstre: Vídeos diários de poesia!

 

O Portão do Céu, de Projota – Músicas do Projota

Outra característica marcante do rapper são as suas letras enormes, que conseguem passar inúmeras mensagens a cada estrofe, a cada verso, a cada rima. E, um bom exemplo disso é “O Portão do Céu”.

Letra de O Portão do Céu, de Projota

Eu sou o joio que nem faz questão de se juntar com o trigo, no new friends
Mesmos amigos, mesmos perigos, mesmos abrigos
Meus manos não, devem
Sigo atemporal igual Seven, dos Sete Pecados Capitais
já pratiquei claramente esses 7 desde os 17 e outros 50 mais
Então, não troca de roupa, amor, o mundo te fez sentir dor
E o mundo anda tão machista que a mina se assusta se aparece um cara que te dá valor
Também pelo amor, não deixam vestir, não deixam agir, é a submissão do opressor
E no memo vagão do metrô, segue sua mãe e o estuprador
Aaaaah, os muleque é liso, sim, mas o governo é muito mais
Fácil matar dezenas de pessoas e dizer que foi por causas naturais
Tristeza demais, perdendo seus pais, perdendo sua casa, enterrada na lama
Uma missa não traz a justiça pro povo que sofre lá em Mariana
É, desgosto demais, imposto demais, como isso pode ser comum?
Um país tão imenso, extenso, propenso a nunca ser o número 1
Pobreza é jejum forçado, pobre é triste, eu vejo 1 por 1
Se o triste bebe, o Brasil é uma fábrica de bebum
Por isso eu canto, por isso eu grito
Nasci lá no canto, e vou pro infinito
Não quero ser santo, nem quero ser mito
Se eu causei espanto foi porque acredito
Que o pobre é capaz e que o negro é bonito
Assim que se faz, e aqui tenho dito
Não irrite demais porque quando eu me irrito
Eu escrevo demais e hoje foi escrito que
Não tenho partido nenhum, nem tenho pretensão de ter
Um político honesto de fato, eu sigo esperando nascer
“Brasil, mostra a sua cara” porque se o Cazuza tivesse aqui pra ver
Que tantos anos depois é a mesma merda
Só que agora é em HD
Quem tá puto aí? Levanta a mão!
Tá na hora de revolução
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão do Céu
Quem tá puto aí? Levanta a mão!
Tá na hora de revolução
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão
IPTU, IPVA, e pra eu comer? E pra eu pagar?
E pra eu explicar pro muleque que o tênis é caro e ele não pode comprar?
E pra eu explicar pro muleque que a droga acalma mas ele não deve usar?
E pra eu explicar pro juiz que a única coisa que o muleque aprendeu foi roubar?
Essa é minha missão, vim te passar a visão
Pensaram que eu tava dormindo, só fechei o olho pra te escrever essa canção
Presta atenção
Se eu tivesse só pelo dinheiro, tinha sido pistoleiro, cantado som de banheiro, musiquinha sem tempero, rap nem dava dinheiro, mesmo assim eu cantei rap, respeita o som do moleque, vacilão
Fifa na frente, e o Correio por trás
E o metrô de São Paulo e o caso da Petrobras
É Satiagraha, é Lava Jato, operações federais
Prende capanga demais, mas nunca prende os principais
É o estudante bolado com a escola ocupando o lugar
É a luta do jovem, já que não resolvem, é hora da gente lutar
Da gente se unir, da gente se armar
É a homofobia sendo confrontada, é o direito de andar
De usar, de vestir, de sonhar, de sorrir, de ficar, de sair, é o direito de agir, é o direito de amar
É uma discussão
É o aborto, é a legalização
É o mundo matando o muleque e o rap sempre servindo como outra opção
É o câncer, é o stress, é a maldita depressão
É o salário mais justo para o professor, é o valor sendo dado pra educação
É o racismo na internet, no Brasil de norte a sul
É o negro a cada ano quebrando um novo tabu
Mas você que segura sua bolsa na frente quando anda na rua e vê um da gente agora não me venha ser prepotente e escrever no Instagram: Somos todos Maju
Quem tá puto aí? Levanta a mão!
Tá na hora de revolução
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão do Céu
Quem tá puto aí? Levanta a mão!
Tá na hora de revolução
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão
Quero ver, quero ver, quem passa pelo portão do Céu

Composição: Jasmond Dwayne Sutton / Jose Tiago Sabino Pereira

Clipe de O portão do Céu, de Projota

Mais um vídeo do DC/DVD “3 Fs ao Vivo”.

 

Até o Final, de Projota – Músicas do Projota

Está aqui mais uma música romântica, de declaração mesmo, bem ao estilo do Projota, que usa uma linguagem simples, mas direta, para alcançar o coração da sua “mina”.

Letra de Até o Final, de Projota

Por que ‘cê tá falando ainda? Se pra você só digo sim
Sua mãe te fez assim linda, te embrulhou e dedicou pra mim
Olha o sorriso do neguim, quando ‘cê chega
Os cara olha, e eu encaro, tipo: “O quê que ‘cê quer
Com a minha nega?”
‘Cê disse que eu era tudo que ‘cê sonhava
Meu olho brilhava em cada palavra que você falava
Logo de cara te prometi uma canção
Não me agradece o rap não, eu que agradeço pela
Inspiração
‘Cê tem seus ex, eu tenho minhas ex
Que só tem uns mês
Somos colecionadores de decepção
É nossa vez, respeite minhas leis, respeito suas leis
Já era, tranquilo, tamo junto, e tá firmão
Não importa o que vão dizer, minha flor
O que importa é nós, um pão na chapa, um DVD e um cobertor
Pra acordar, já vou sair pra trabalhar
Deixa esse DVD pra lá, e vem pra cá fazer amor
Sei que na hora de ir embora o dia fica frio
Redobro o quanto penso em ti tentando compensar esse vazio
De rua em rua, eu volto logo da sua pra minha
E pergunto pra Deus: “Senhor porque que ela não é minha vizinha?”
E ela morre de ciúme de mim, enfim
Eu também morro de ciúme dela
E hoje ela vem me ver, romântico eu posso ser
Mas como o quarto vai tremer pra não queimar eu nem acendo vela
Hey, hey, mina, vem ser, minha
Quanto tempo nós estamos assim?
Eu ‘tô contigo até o fim!
Hey, hey, mina, vem ser, minha
Quanto tempo nós estamos assim?
Eu ‘tô contigo até o fim!
Até o final, mas hoje eu só tenho dez real
E ela nem reclama, jura que me tira da lama
Tudo que eu peço na vida é ser abençoado
Que cada ano sem você me traga mais dez anos do seu lado
‘Cê vê como isso é diferente, tão diferente
Gostar de quem gosta da gente
Logo se sente que isso vai dar certo, com certeza já deu
Só de ter te conhecido minha vida já valeu
E só quem vive um negócio assim sabe, porque eu digo sim
Meu sentimento nem cabe dentro de mim
Por isso que eu te escrevi essas rimas reais
Nosso romance agora vai ser trilha pra outros casais
E quanto tempo eu vivi sem você, só vaguei, sem saber
Conhecendo novos ares
A minha vida teve início depois de te conhecer
Antes disso eram só preliminares
Que passe o tempo, que se modifique em mares
Que a paz se solidifique em todos os lares
Que após o carro a moda seja as astronaves
Mas que a nossa graça permaneça igual o programa do Chaves
Te quero em todos sentidos imagináveis
Com todos os seus sentidos inigualáveis
Eu nem conheço amores inabaláveis, mas sou guerreiro
E vou lutar pra que o nosso seja o primeiro!
Hey, hey, mina, vem ser, minha
Quanto tempo nós estamos assim?
Eu ‘tô contigo até o fim!
Hey, hey, mina, vem ser, minha
Quanto tempo nós estamos assim?
Eu ‘tô contigo até o fim!

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira

Clipe de Até o Final, de Projota

Vídeo de uma apresentação gravada em 2012.

 

Samurai, de Projota – Músicas do Projota

Uma música bem instigante essa, que, claramente, aborda a vida de pessoas como o Projota como a de um lutador, de um verdadeiro guerreiro, que precisa driblar as dificuldades, e enfrentar os inimigos.

Letra de Samurai, de Projota

Cada inimigo seu vai te aplaudir de pé
Quando seu escudo for o seu olhar, e sua espada a sua fé!
Quando sua meta for felicidade não vitória
Quem não se foca no presente não fica pra história, irmão!
‘Cê veio pra contar história ou pra escrever?
Me diz, o que realmente te faz feliz?
Sei que nem todos lá no fim do túnel buscam luz
Fica difícil se é a escuridão quem te conduz
Já vi oportunismo travestido de amizade
Uns aproveitadores da minha boa vontade
Mas me esquivei, risquei da vida os covarde
Porque quem vive em torno de mentira já tá morto de verdade
Um só caminho é o bastante, suficiente,
Num mundo louco onde maçã te oferece serpente
Já tentaram calar minha boca, e calava,
Mas só com meu dedo do meio eu falei tudo que eu precisava
Quando cortaram os meus braços, eu chutei
Quando cortaram minhas pernas, eu dei cabeçada
Quando cortaram minha cabeça, eu mordi na jugular e não soltei por nada, não soltei por nada!
Quando cortaram os meus braços eu chutei
Quando cortaram minhas pernas eu lutei, como samurai!
Sem sensacionalismo, sem sentimentalismo,
Ser pobre eu sou, mas querer ser, é masoquismo
Não enalteço a riqueza ou a pobreza,
Enalteço a luta por comida à vontade na mesa de quem,
Não teve escolha sobre a própria profissão
Se eu tive a minha, me calar é omissão,
Faço como a as rabiola no fio,
O vento tenta me levar, mas permaneço onde o destino me encubiu, ouviu?
Um sonho se desfaz quando o olho se abre,
Um ideal não se desfaz nem que a vida se acabe
Meu ideal já foi traçado
‘Não permitir que meu fracasso faça minha véia ir tomar banho gelado!’
Cada ‘Amélia’ que dá a vida pela família,
Ama algum “João” que merece bem mais que uma Brasília
A gente se adaptou ao mundo feroz,
Agora é a hora de fazer com que o mundo se adapte a nós!
Quando cortaram os meus braços, eu chutei,
Quando cortaram minhas pernas, eu dei cabeçada,
Quando cortaram minha cabeça, eu mordi na jugular e não soltei por nada, não soltei por nada!
Quando cortaram os meus braços eu chutei,
Quando cortaram minhas pernas eu lutei, como samurai!
O que diria seu pai te vendo caído, irmão?
Isso depende do motivo de se estar no chão,
Alguns tão lá, por nem saberem levantar,
O meu rap é a mão que se estende pra te ajudar!
Vem, sei que seu corpo ‘tá cansado samurai,
Vão derrubar seu corpo mas sua alma não cai
Eu sei que alguém acredita em você, mas e você, acredita em você?
Eu acredito em você!
Colegas? Eu tenho vinte, Amigos? Eu tenho seis
Que eu vejo sempre? Só quatro, Que eu posso contar? Só três!
Quando eu cair, já era
Poucos aí se comove, em alma eu ‘vô tá’ olhando, tirando a prova dos nove!
Alguns vão falar “Volta”, outros vão dar “Adeus”, se foi um tal de Projota ou o Thiago morreu
Mas hoje, ainda tô vivo, não vão, comer do meu pão
Só quero deixar bem claro, os verdadeiro eu sei quem são!
Quando cortaram os meus braços, eu chutei,
Quando cortaram minhas pernas, eu dei cabeçada,
Quando cortaram minha cabeça, eu mordi na jugular e não soltei por nada, não soltei por nada!
Quando cortaram os meus braços eu chutei,
Quando cortaram minhas pernas eu lutei, como samurai!

Composição: Jose Tiago Sabino Pereira

Clipe de Samurai, de Projota

Do CD/DVD “3 Fs ao Vivo”.

 

Vozes na Sala de Estar, de Projota – Músicas do Projota

O Projota também se notabilizou por letras bastante poéticas, que, mesmo que expressem as dificuldades enfrentadas no dia a dia por pessoas como ele, ainda assim, possui uma certa beleza na linguagem.

Letra de Vozes na Sala de Estar, de Projota

Eu sangro por mais que você não perceba
Mais que não receba meu amor da forma que eu posso te dar
Ainda assim escrevo e sei que não te devo nada
Mas devo fazer alguma coisa pra isso mudar
Essa poderia ser uma musica de amor
Mas o ódio é inevitável pra quem tem medo de amar
E eu me entrego quando canto, tanto pranto já secou
No entanto me levanto e janto esses otários lá
Dá um teco, só um teco, eles diziam pra eu tentar
Escapei pelas beiradas nada pode me parar
Conheci um conhecido que diz que me conhecia
Que eu mudei só pelo fato de eu querer movimentar
Mas o louco é que eu sempre fiz jus, sempre carreguei
Minha cruz, poucos ‘tavam lá pra me ajudar (ninguém)
Tipo quando cortavam minha luz todo mês depender do Sus
Pra ver por dois anos minha mãe piscar eu já tive de tudo
Tudo menos medo esse é o segredo deste cedo fui treinado pra lutar
Quando Deus tirou meu chão que decepção
Levei anos pra ter a noção de que era pra me preparar
Agora pega suas coisas e saia daqui, eu não posso permitir
Que entre na minha casa, me insultar
Todas vezes parei pra te ouvir, e te ouvi
Muito tempo eu sofri pra ver sempre você me atacar
‘Tá vendo aquela ponte lá monumento exótico
Desse mundo caótico um dia eu vou pular, e quando isso acontecer
Você vai me dizer que eu faço falta pra você
Mas eu já não vou poder te escutar
Ouço vozes na sala de estar sei que tem intrusos lá
Cheiro da maldade empesteando meu sofá
Eu desço a escada sem saber o que virá
Lá ‘tá você se preparando pra me matar
Ouço vozes na sala de estar sei que tem intrusos lá
Cheiro da maldade empesteando meu sofá
Eu desço a escada sem saber o que virá
Lá ‘tá você se preparando pra me matar
Lembra daquele dia só nós dois, os problemas pra depois
Dá saudade até doí só de lembrar, agora por um momento
Não segui seu rumo mesmo sem perder meu prumo você já
Pensando em se vingar, a gente é criança e tem muito
Pra aprender, muito pra crescer, nossa relação vai afundar
Eu preciso de você, mas não consigo entender como eu vou
Viver se eu fizer tudo que você mandar
Eu não posso ser refém de ninguém, nem de mim nem de você
Tenho um objetivo pra alcançar
Quanto tempo a gente tem pra ser alguém
Vou de zero a cem a festa já começou e eu não ‘to lá
Minha mãe foi escritora, foi atriz, cantora, foi compositora
Mas o mundo não deixou continuar, e se esse era seu sonho
Quando componho eu sinto que através de mim hoje ela pode falar
Um dia eu vou te ver na porta do bar, vai bater saudade
Mas você não vai vir me cumprimentar, juro que ali vou sofrer
Vai doer, mas eu vou compreender que a nossa historia tinha hora pra acabar
Então Deus que te abençoe seja feliz
Saiba que em tudo que fiz nunca quis te decepcionar
Mas se a vida é assim enfim, pra nós isso é o fim
Jogue a culpa em mim, pois nunca vou te culpar
Ouço vozes na sala de estar sei que tem intrusos lá
Cheiro da maldade empesteando meu sofá
Eu desço a escada sem saber o que virá
Lá ‘tá você se preparando pra me matar
Ouço vozes na sala de estar sei que tem intrusos lá
Cheiro da maldade empesteando meu sofá
Eu desço a escada sem saber o que virá
Lá ‘tá você se preparando pra me matar

Composição: Tiago Pereira

Clipe de Vozes na Sala de Estar, de Projota

Áudio original da faixa.

 

Sr. Presidente, de Projota – Músicas do Projota

Claro que uma canção com o título de “Sr. Presidente” teria que ser extremamente engajada, em essência. E, é. Uma das melhores e mais diretas letras do rapper.

Letra de Sr. Presidente, de Projota

A gente paga pra nascer, paga pra morar
Paga pra perder, a gente paga pra ganhar
Paga pra viver, paga pra sonhar
A gente paga pra morrer e o filho paga pra enterrar
Vontade a gente tem, mas não tem onde trabalhar
Justiça a gente tem, mas só pra quem pode pagar
Coragem a gente tem, mas não tem forças pra lutar
Então a gente sai de casa sem saber se vai voltar

E aí vem vocês pegar o que é nosso direito
Crime não é mais crime quando é um crime bem feito
Viver dessa maneira é algo que eu não aceito
Enquanto isso o povo chora sem ter onde morar
Mas existe uma chama acesa dentro do peito
Porque já não dá mais pra se viver desse jeito
Quando o povo explodir, vai ser só causa e efeito
Efeito que abastece meu pulmão e me dá forças pra cantar

Sr. Presidente, esse país tá doente
Nosso povo já não aguenta mais
Sr. Presidente, como você se sente
Ao ver a fila dos nossos hospitais?
Sr. Presidente, até queria que a gente
Se entendesse, mas não sei como faz
Porque essa noite se foi mais um menino ali na rua de trás

Esse é o meu país tão lindo que não tem furacão
De um povo que ainda segue órfão do seu pai da nação
De uma pátria mãe solteira da sua população
Onde o salário vale menos do que o preço do pão
Dorme um menino de rua descansando seus pés
Viajando pra lua num papelote de 10
Ó, pátria amada e mal amada por filhos infiéis
Digas quem te comandas, que eu te digo quem és

E aí vem vocês pegar o que é nosso direito
Crime não é mais crime quando é um crime bem feito
Viver dessa maneira é algo que eu não aceito
Enquanto isso o povo chora sem ter onde morar
Mas existe uma chama acesa dentro do peito
Porque já não dá mais pra se viver desse jeito
Quando o povo explodir, vai ser só causa e efeito
Efeito que abastece meu pulmão e me dá forças pra cantar

Sr. Presidente, esse país tá doente
Nosso povo já não aguenta mais
Sr. Presidente, como você se sente
Ao ver a fila dos nossos hospitais?
Sr. Presidente, até queria que a gente
Se entendesse, mas não sei como faz
Porque essa noite se foi mais um menino ali na rua de trás

Composição: Projota / Tom Leite

Clipe de Sr. Presidente, de Projota

Clipe oficial da canção.

 

Carta aos Meus, de Projota – Músicas do Projota

“Carta aos Meus” faz parte do primeiro EP de Projota, lançado em 2009, e que já mostrava o grande talento desse rapper para compor rimas certeiras e letras bem instigantes.

Letra de Carta aos Meus, de Projota

Dobra o joelho irmão
Para de pedir milagre pro seu Deus
Aproveita e pede perdão
Pede, pra saciar seu monte de distúrbios
E diz que pra sarar a terra dele vai precisar dois dilúvios inteiros
Duzentas noites de chuva pra limpar as impurezas
Trezentos dias de morte pra matar as tristezas
Porque os irmãos tão se matando por dólar, por fome, por bola, por mulher, por pedra, por cola
Vejo um tanto de vidas que vem e vão
Pensava que fosse as mortes
Até que vejo que as vidas que são em vão
Um sobe e desce de alma sem corpo
Com tanto corpo sem alma aqui só vagando sem direção
As vezes é difícil ver luz que faça acreditar
Se cada um de nós tem sua cruz pra carregar
Porque nem todos levam chicotadas
Porque o salário dos irmãozinhos é um recibo de nada
Tem o negro de pele clara
Branco de pele escura
Vejo os dois lados e não vejo nenhum da fechadura
Só vejo um lado da fixa ditadura
Vejo por todos os lados o que eles chamam de vida dura
Já me disseram que eu sou branco demais pra ser preto
Já me disseram que eu sou preto demais pra ser branco
A cor não importa porque quando você vem do gueto
Detector sempre apita na porta giratória do banco
Depois reclama se cê ouve facção
Julgam que são nocivos pros moleques que tão no mundão sem sorte
Não é preciso amor pra gerar uma vida
Mas a falta desse amor muitas vezes nos leva a morte
E as histórias são sempre as mesmas por aqui
Quem morreu ontem ou quem foi jurado pra cair
Quem só se esconde ou quem já achou um lado pra trair
Tá a espera do apocalipse? Abre o jornal, tá aí!
Para de ver as imagens, lê as noticias
Depois me diz quem tá errado ladrão ou polícia
Depois me diz quem é culpado quem mata ou quem morre
Depois me diz quem é safado o que ataca ou o que corre
São lados de moedas
Você escolhe um
Bem, mal
Fraco, forte
Buda, Ogum
Muito, pouco
Nada, tudo
Ser, não ser
Morrer, viver
Ou só fazer peso na Terra
Deus te deu arma
Não te pediu pra ir pra guerra
Deus te deu alma
Você decide o quanto erra
Não importa qual Deus você escolher
Mas precisa acreditar em algo
Mesmo que seja só em você
O mundo tenta desviar dizendo estamos sós
Diz que a luz só existe nos seus faróis
Eu acredito em Deus mesmo sem escutar sua voz
Porque mesmo com tudo isso ele ainda dá outra chance pra nós
Sinceramente também acredito em vocês
Acredito em mim
Liberdade, talvez
Mesmo com toda desgraça do mundo
Pra alertar meus irmãos, vagabundo, eu nasceria outra vez
E hoje eu nasço
E faço com meu rap o que uma carta faz
Mas deixo uma observação atrás
Que se a sua esperança morreu
Irmão, fodeu
Ela era a ultima a morrer
Você já não existe mais

(Eu lembro, quase consigo ver
A gente subindo aquela rua de terra
Ele dizia pra eu não chorar, senão ele choraria também
Ela tava se preparando pra nos deixar
Ou nos preparando pra nos deixar
Família, família é tudo
Hoje a minha família é grande demais
É imensa!
Eles dizem: você mudou a minha vida
Eu digo: vocês são a minha vida
Quando você sonha alto todos os passos parecem ser o primeiro
Então esse é só o primeiro passo mais uma vez
E a gente tem muito pra aprender)

Somos tão jovens
Tão jovens
Somos tão jovens
Tão jovens
Somos tão jovens
Tão jovens
Somos tão jovens
Tão jovens

Composição: Projota / Renato Russo

Clipe de Carta aos Meus, de Projota

Áudio origina da faica.

 

Desci a Ladeira, de Projota – Músicas do Projota

Eis aqui uma letra que meio que resume a vida de Projota, e que, por tabela acaba resumindo também a dura vida que levam algumas pessoas para alcançarem os seus sonhos, principalmente, em condições adversas.

Letra de Desci a Ladeira, de Projota

A cada sonho que se foi
Um novo sonho se formou
No coração de um homem que na vida tanto errou
Tracei a minha rota pra um caminho melhor
Abasteci o meu motor com 10 mil litros de suor
Nós vamos ser testados
Façamos nossa parte
Pessoas ordinárias não calaram nossa arte
Meus ombros levarão meus erros pra onde eu for
E esses erros usarei como prova de quem tentou
Ás vezes tento ser, melhor, maior que sou
Tropeço em meus conflitos como um drama de amor
O homem da casa tem que voltar com o sustento
Volto trazendo alimento e um sorriso cheio de calor
Eu voltei
Se tava com saudade
Eu tô aqui, amor
Meu peito te procurava pelo retrovisor
Minha verdade
Meu caminho redentor
Andei nas ruas
Nessas ruas já não vejo a mesma cor
Homens, destruição “táí”, acordem!
Não adianta alcançarmos progresso sem a ordem
Cortaram nossas pernas
Cortaram nossos braços
Não podemos deixar que também cortem nossos laços
Tem que deixar chover
Tem que deixar lavar
A chuva é uma junção de não querer com precisar
O pé que usa chinelo hoje tem tênis pra calçar
Mas ainda leva o corpo pro mesmo lugar
Eu desci a ladeira pra ver o que tinha por lá
E voltei
Pra poder te contar que eu sempre vou voltar
Não há lugar melhor no mundo que o nosso lugar
Nem todos tem a mesma sorte
Ei jhow, segura aê
Reclamando do quê?
O que cê plantou pra colher?
Também vi, meus pés cansados
Sonhos devastados
Convocação
Soldados derrubados, mas tô aqui
Ei mano, acorda pra vida, resistência!
Tem um cuzão de terno rindo a cada desistência
Não é ciência, esse é o RAP em ação
É foco, força, fé, coragem e coração
Os meninos tão na rua, os meninos tão de pé
Os meninos não fazem as coisas como a gente quer
Mundo louco que corrói a alma de quem ama
Pode mandar mais vilões porque isso só enriquece a trama
São Paulo, Zona Norte
Brasil, Planeta Terra
Cachoeirinha em 86, o começo da Guerra
Minha família ora, quando eu desço pra lá
Minha família chora se eu demorar a voltar
No meu mundo, dinheiro trás comida pra minha mesa
Lá fora eu vi ele levando maldade e frieza
Cobiça por umas tiriça
Loucura!
Justiça só contra nós, não é justiça
É ditadura!
Nossa postura é um homem cego sem cão guia
Lá fora o ódio incondicional te dá bom dia
Cada dia longe é duro suportar
Deixa a louça na pia que hoje eu memo vou lavar
Eu desci a ladeira pra ver o que tinha por lá
E voltei
Pra poder te contar que eu sempre vou voltar
Não há lugar melhor no mundo que o nosso lugar

Composição: Carlos Henrique Benigno / Jose Tiago Sabino Pereira

Clipe de Desci a Ladeira, de Projota

Show de 2017.

 

Foi Bom Demais, de Projota – Músicas do Projota

Mais uma letra romântica de Projota, atestando que ele tem talento para escrever a respeito de diversos temas, sempre com a mesma propriedade e o mesmo carisma com que escreve as suas letras engajadas.

Letra de Foi Bom Demais, de Projota

Quando eu te encontrar eu vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi bom!
Eu vi quando a chuva chegou molhando as cartas que escrevi
Te falando de amor antes da hora de partir
Se for falar de amor eu sempre vou lembrar de ti
Te peço que não pense que esqueci
Eu tava lá, eu vi quando você chegou
É, eu tava lá, eu vi quando você partiu
Fotos vão ficar, fatos vão mostrar que a gente se entregou
E foi incrível enquanto o amor resistiu
E hoje eu posso, eu penso, apresso o passo
Eu passo pra próxima etapa da vida
A vida é uma prova sempre múltiplas escolhas
Infinitas folhas, impossível de gabaritar
Eu pago algumas contas, eu preparo o jantar
Pra sentir que ‘to colocando a vida no lugar
Mas a verdade é que nessa cidade
Sobrevive quem tem mais habilidade de sofrer sem demonstrar
Quando eu te encontrar eu vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi bom
Eu vou te abraçar e vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi bom!
A gente tenta consertar, falar besteira demais
Machucando um ao outro com tantos insultos banais
Olhe pra trás, diz que não foi em vão
A vida é um labirinto e cada um precisa achar sua direção
Aguenta coração, continua pulsando pra viver
A gente ainda tem muito pra fazer
As letras tem um problema pra valer, como resolver?
Se nelas eu sempre procuro um pouco de você
Essa vai ser uma história pra contar por onde sigo
Memória pra guardar por isso eu digo
Que não importa qual o resultado e sim o caminho trilhado
Obrigado por ter trilhado o seu comigo
Então, siga e não olhe pra trás
Diga que é minha amiga, isso já me satisfaz
Faça figa, pois talvez esse “Adeus” seja apenas “Até mais”
Mas viva, viva, viva, viva!
Quando eu te encontrar eu vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi
Eu vou te abraçar e vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi bom!
Quando eu te encontrar eu vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi
Eu vou te abraçar e vou te dizer que foi bom demais
Foi intenso, verdadeiro e foi bom demais
Infelizmente teve fim, mas foi bom demais
Foi bom demais, foi bom!

Composição: Fernando Aparecido / Tiago Pereira

Clipe de Foi Bom Demais, de Projota

Áudio original da canção.

 

Guerreira, de Projota – Músicas do Projota

Uma verdadeira ode à mulher guerreira, aquela que consegue, em meu à todas as dificuldades, cuidar daqueles que ama, e os protege, literalmente, com a força de uma guerreira.

Letra de Guerreira, de Projota

Cinco ou seis da manhã
Com uma blusa de lã
Já vai sair pra trabalhar
Filhos vêm no amanhã
Hoje todo dinheiro que ela ganha é pra guardar

Ela sonha com um dia melhor
Com uma vida melhor pra se viver
E não desiste nem por nenhum segundo
Hoje esse mundo é dominado por você mulher
Eu te dedico aqui essa canção
Que soe como uma oração
E balance seu coração
Que te traga toda a projeção
Pra que você não tenha mais que aguentar as cantadas do seu patrão

Ela carrega aquele brilho no olhar
Mostra uma certa malandragem pra falar
Ela é o sonho de todo homem do mundo
Vagabundo pára tudo pra olhar ela passar
Eu memo já vi ela parando o trânsito completamente
Ela é o samba ela é o RAP ela é a gente

Por toda vida foi contrariada demais
Mas ela mostra pra esses cu como é que faz
Por que já foi inspiração de Djavan e de Caetano
Por ela você com certeza se pegou cantando
Uma daquelas de romance mais clichê
Talvez ela te dê uma chance de a conhecer

Ela é guerreira
Ela vai e ela vem ela não anda na sombra de ninguém
Ela é guerreira
Ela levanta a cabeça e mostra que bem mais que corpo é o que ela tem
Ela é guerreira
Ela vive ela morre todo dia, mas renasce também
Ela é guerreira
Ela é mulher
Ela é brasileira

Misteriosa
E todos sempre tentam desvendar
Mas só vão conseguir quando pararem de tentar
Todos os problemas ela vai causar
Mas sem que você perceba ela vai solucionar
Então senta e observa ela em ação
Experimenta, sente o gosto da satisfação
Não é força, é o jeito da execução
Irmão já era ! Agora ela te tem na mão
Trabalhadora, cabeça de toda a família
Acolhedora, estrela que a noite mais brilha
Tão protetora tão mãe tão filha tão professora
Muito se enganou quem tentou limitá-la à uma vassoura
Não cabe a nós , cabe à Deus quando se chega o fim
Mas o começo de uma vida ela define sim
Com sol ou com chuva ela luta
Enfim neguim, eu quero uma dessa pra mim

Por que Ela é guerreira
Ela vai e ela vem ela não anda na sombra de ninguém
Ela é guerreira
Ela levanta a cabeça e mostra que bem mais que corpo é o que ela tem
Ela é guerreira
Ela vive ela morre todo dia, mas renasce também
Ela é guerreira
Ela mulher
Ela é brasileira

Pode crê, essa é pra elas
Todas vocês!
Muito respeito, e muito amor!
Ela é guerreira…

Clipe de Guerreira, de Projota

Áudio original da faixa.

 

O suficiente, de Projota – Músicas do Projota

E, pra encerrar, uma letra mais descontraída do Projota, mais uma que pode ser considerada “romântica”, e que mostra bem a gama de temas que ele consegue abordar em suas canções.

Letra de O suficiente, de Projota

O nosso caso é música, tipo romance sertanejo
Ginga de samba no trabalho, um reggae se eu te beijo
Na briga, amiga a gente é punk
Mas na cama tu diz que me ama e a gente faz um funk

Viver nunca é facil, pra mim também não é
Já andei sem foco, sem força, só contando com a fé
Achei meu foco no amor dessa mulher
Quando eu disse “sou pobre, sonhador” e ela disse “já é”

Se ela fosse um Rap, seu cheiro seria o beat
Pra ver ela outra vez eu deixaria no repeat
Saberia de cor cada linha
Cantaria e declararia pra todos que aquela música é minha

O primeiro acorde seria o seu olhar
A introdução seria o seu sorriso;
Seu corpo, o improviso
Com a letra mais treta de rimar
E seu beijo seria o refrão mais fácil de lembrar

E eu lá, não tinha um tostão
Pulava de chinelo a catraca do busão
Eu tinha vontade, mas não tinha uma razão
Foi quando eu te encontrei, sem ar, sem chão

E você me quis assim (sem nada)
Pra ti oferecer (sem nada)
Pra te pagar, pra fortalecer (sem nada)
Mas com o suficiente pra fazer tudo por você

É hora do aluguel, chegou o fim do mês
Deus queira que o despejo não nos pegue dessa vez
Ração pros dog, macarrão pra nóiz e pra vocês
Que acreditam que na busca do amor não existe leis

Eu vagabundo, ela linda
Dormindo no meu peito desse jeito, mais ainda
Era amor de verão, eu te pedi uma chance
E aí a gente passou longe desse lance de ”um lance é um lance”

Eu sempre disse que ia clarear, clareou!
Nosso som ainda é “até o final”, não “acabou”
Cansei de ir tão longe, trouxe pra morar comigo
Que o mundo exploda se seu coração for meu abrigo

Te ligo daqui pra dizer que tô indo, o avião já tá saindo
Chavequei na cara de pau, vai dizer que eu sou lindo
Trabalhei feito jegue na roça, carroça e meu som
Nossa rosa é meu bom
Entreguei por um sonho, botei fé em mim pra viver do meu dom

A vida quis que assim acontecesse
Me deu a opção pra que eu me resolvesse
Chico Buarque faria mais trinta som se ele te conhecesse
Mas não foi ele; fui eu, e eu faço Rap, então fiz esse

Romântico, malandriado, maloqueiro, apaixonado
Jogado a seus pés, exagerado
Nem Chuck Norris, nem Jack Bauer, neguinha
Fica tranquila que a missão de te fazer feliz é minha!

E eu lá, não tinha um tostão
Pulava de chinelo a catraca do busão
Eu tinha vontade, mas não tinha uma razão
Foi quando eu te encontrei, sem ar, sem chão

E você me quis assim (sem nada)
Pra ti oferecer (sem nada)
Pra te pagar, pra fortalecer (sem nada)
Mas com o suficiente pra fazer tudo por você

Composição: Projota

Clipe de O suficiente, de Projota

Show de 2012.

 

Rap do bom!

A cena do rap nacional está muito bem, obrigado! E, com nomes como o de Projota, mostra que não deixa nada a dever aos grandes artistas internacionais do gênero, sempre produzindo músicas de ótima qualidade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.