Músicas de Samba 1

O samba, antes relegado à marginalidade, como diversos outros elementos da cultura negra no Brasil, foi ganhando apoio e respeito da população, até chegar ao ponto do estilo ser considerado um verdadeiro patrimônio imateral nosso.

Índice: hide

Músicas de samba

Alguns sambas se tornaram verdadeiros clássicos da música popular brasileiro, colocando alguns compositores e cantores no patamar de gênios. A seguir, listaremos 20 das melhores músicas de samba de todos os tempos.

Pecado Capital, de Paulinho da Viola – Músicas de Samba

O “Príncipe do Samba” assim foi chamado devido à sua elegância, tanto por causa das suas composições, quanto devido à sua postura de artista. E, é só ver a métrica sinuosa de composições como “Pecado Capital” para entender o porquê Paulinho da Viola é da “realeza”.

Letra de Pecado Capital, de Paulinho da Viola

Dinheiro na mão é vendaval
É vendaval!
Na vida de um sonhador
De um sonhador!
Quanta gente aí se engana
E cai da cama
Com toda a ilusão que sonhou
E a grandeza se desfaz
Quando a solidão é mais
Alguém já falou…
Mas é preciso viver
E viver
Não é brincadeira não
Quando o jeito é se virar
Cada um trata de si
Irmão desconhece irmão
E aí!
Dinheiro na mão é vendaval
Dinheiro na mão é solução
E solidão!
Dinheiro na mão é vendaval
É vendaval!
Na vida de um sonhador
De um sonhador!
Quanta gente aí se engana
E cai da cama
Com toda a ilusão que sonhou
E a grandeza se desfaz
Quando a solidão é mais
Alguém já falou…
Mas é preciso viver
E viver
Não é brincadeira não
Quando o jeito é se virar
Cada um trata de si
Irmão desconhece irmão
E aí!
Dinheiro na mão é vendaval
Dinheiro na mão é solução
E solidão!

Composição: Paulinho da Viola

Clipe de Pecado Capital, de Paulinho da Viola

Apresentação datada de 1976, onde Paulinho da Viola exibe toda a sua elegância.

 

Quem te Viu, Quem te Vê, de Chico Buarque – Músicas de Samba

Na verdade, muitas composições de Chico Buarque poderiam figurar nesta lista. “Quem te viu, Quem te vê” ganha o posto por ter sido um dos primeiros e melhores sambas que esse grande compositor fez, ainda na década de 60.

Letra de Quem te Viu, Quem te Vê, de Chico Buarque

Você era a mais bonita das cabrochas dessa ala
Você era a favorita onde eu era o mestre-sala
Hoje a gente nem se fala, mas a festa continua
Suas noites são de gala, nosso samba ainda é na rua
Quando o samba começava você era a mais brilhante
E se a gente se cansava você só seguia a diante
Hoje a gente anda distante do calor do seu gingado
Você só dá chá dançante onde eu não sou convidado
Hoje o samba saiu, procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece não pode reconhecer
O meu samba assim marcava na cadência dos seus passos
O meu sonho se embalava no carinho dos seus braços
Hoje de teimoso eu passo bem em frente ao seu portão
Pra lembrar que sobra espaço no barraco e no cordão
Todo ano eu lhe fazia uma cabrocha de alta classe
De dourado eu lhe vestia pra que o povo admirasse
Eu não sei bem com certeza porque foi que um belo dia
Quem brincava de princesa acostumou na fantasia
Hoje eu vou sambar na pista, você vai de galeria
Quero que você me assista na mais fina companhia
Se você sentir saudade por favor não dê na vista
Bate palma com vontade, faz de conta que é turista

Composição: Chico Buarque

Clipe de Quem te Viu, Quem te Vê, de Chico Buarque

Uma verdadeira relíquia, com os seus fieis escudeiros do grupo MP4.

 

Trem das Onze, do Demônios da Garoa – Músicas de Samba

Grande sucesso que ficou mais conhecido pela versão definitiva do grupo Demônios da Garoa, que, por sinal, continua ativo até os dias de hoje, com participação dos filhos de alguns dos integrantes originais.

Letra de Trem das Onze, do Demônios da Garoa

Não posso ficar nem mais um minuto com você
Sinto muito amor, mas não pode ser
Moro em Jaçanã
Se eu perder esse trem
Que sai agora às onze horas
Só amanhã de manhã
Além disso, mulher
Tem outra coisa
Minha mãe não dorme
Enquanto eu não chegar
Sou filho único
Tenho minha casa para olhar
E eu não posso ficar

Compositor: Adoniran Barbosa

Clipe de Trem das Onze, do Demônios da Garoa

Apresentação antológica do grupo com a sua formação clássica.

Não Deixe o Samba Morrer, de Alcione – Músicas de Samba

Simplesmente uma das maiores declarações de amor ao samba que já compuseram, “Não Deixe o Samba Morrer” já foi regravada por inúmeros artistas, mas, teve a sua versão definitiva pela voz da grande Alcione.

Letra de Não Deixe o Samba Morrer, de Alcione

Quando eu não puder
Pisar mais na avenida
Quando as minhas pernas
Não puderem aguentar
Levar meu corpo
Junto com meu samba
O meu anel de bamba
Entrego a quem mereça usar
Eu vou ficar
No meio do povo espiando
Minha Escola perdendo ou ganhando
Mais um carnaval
Antes de me despedir
Deixo ao sambista mais novo
O meu pedido final
Antes de me despedir
Deixo ao sambista mais novo
O meu pedido final
Não deixe o samba morrer
Não deixe o samba acabar
O morro foi feito de samba
De Samba, pra gente sambar

Compositores: Aloísio Silva / Edson Conceição

Clipe de Não Deixe o Samba Morrer, de Alcione

Antiga apresentação da “Marrom”, ao lado de outra diva do samba: Beth Carvalho.

 

Disritmia, de Martinho da Vila – Músicas de Samba

Outro grande cantor e compositor do samba, Martinho da Vila encontrou em “Disritmia” o clima perfeito que embala a mística do estilo, desde os galanteios, até a vida boêmia de todo bom sambista.

Letra de Disritmia, de Martinho da Vila

Eu quero me esconder debaixo
Dessa sua saia prá fugir do mundo
Pretendo também me embrenhar
No emaranhado desses seus cabelos
Preciso transfundir seu sangue
Pro meu coração, que é tão vagabundo
Me deixa te trazer num dengo
Pra num cafuné fazer os meus apelos
Eu quero ser exorcizado
Pela água benta desse olhar infindo
Que bom é ser fotografado
Mas pelas retinas desses olhos lindos
Me deixe hipnotizado pra acabar de vez
Com essa disritmia
Vem logo, vem curar teu nego
Que chegou de porre lá da boemia

Compositor: Zé Katimba

Clipe de Disritmia, de Martinho da Vila

Apresentação intimista de um clássico.

O que é, O que é, de Gonzaguinha – Músicas de Samba

Gonzaguinha sempre foi um exímio compositor. “O que é, O que é” é um dos seus maiores sucessos, uma música pulsante, pra frente, motivadora. Um belíssimo samba, enfim.

Letra de O que é, O que é, de Gonzaguinha

Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita
Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita
Viver
E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita
E a vida
E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida de um coração
Ela é uma doce ilusão
Êh! Ôh!
E a vida
Ela é maravilha ou é sofrimento?
Ela é alegria ou lamento?
O que é? O que é?
Meu irmão
Há quem fale
Que a vida da gente
É um nada no mundo
É uma gota, é um tempo
Que nem dá um segundo
Há quem fale
Que é um divino
Mistério profundo
É o sopro do criador
Numa atitude repleta de amor
Você diz que é luta e prazer
Ele diz que a vida é viver
Ela diz que melhor é morrer
Pois amada não é
E o verbo é sofrer
Eu só sei que confio na moça
E na moça eu ponho a força da fé
Somos nós que fazemos a vida
Como der, ou puder, ou quiser
Sempre desejada
Por mais que esteja errada
Ninguém quer a morte
Só saúde e sorte
E a pergunta roda
E a cabeça agita
Eu fico com a pureza
Da resposta das crianças
É a vida, é bonita
E é bonita

Compositor: Gonzaguinha

Clipe de O que é, O que é, de Gonzaguinha

Gravação para a TV Globo em 1982.

 

Morena de Angola, de Clara Nunes – Músicas de Samba

O swing é algo essencial para o samba, e “Morena de Angola”, grande composição de Chico Buarque, tem isso de sobra. A versão definitiva dessa música foi gravada pela talentosíssima Clara Nunes.

Letra de Morena de Angola, de Clara Nunes

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Será que a morena cochila escutando o cochicho do chocalho
Será que desperta gingando e já sai chocalhando pro trabalho
Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Será que ela tá na cozinha guisando a galinha à cabidela
Será que esqueceu da galinha e ficou batucando na panela
Será que no meio da mata, na moita, a morena inda chocalha
Será que ela não fica afoita pra dançar na chama da batalha
Será que quando vai pra cama a morena se esquece dos chocalhos
Será que namora fazendo bochincho com seus penduricalhos
Será que ela tá caprichando no peixe que eu trouxe de Benguela
Será que tá no remelexo e abandonou meu peixe na tigela
Será que quando fica choca põe de quarentena o seu chocalho
Será que depois ela bota a canela no nicho do pirralho
Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Eu acho que deixei um cacho do meu coração na Catumbela
Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Morena, bichinha danada, minha camarada do MPLA

Compositor: Chico Buarque

Clipe Morena de Angola, de Clara Nunes

Vídeo da época, gravado em 1980.

 

Verdade, de Zeca Pagodinho – Músicas de Samba

Zeca Pagodinho e samba são praticamente indissociáveis. Muitas de suas músicas são verdadeiros tratados definitivos do estilo, como é o caso, por exemplo, de “Verdade”, um dos seus maiores sucessos.

Letra de Verdade, de Zeca Pagodinho

Descobri que te amo demais
Descobri em você minha paz
Descobri sem querer a vida
Verdade
Pra ganhar seu amor fiz mandinga
Fui à ginga de um bom capoeira
Dei rasteira na sua emoção
Com o seu coração fiz zoeira
Fui à beira de um rio e você
Uma ceia com pão, vinho e flor
Uma luz pra guiar sua estrada
Na entrega perfeita do amor
Verdade
Como negar essa linda emoção
Que tanto bem fez pro meu coração
A minha paixão adormecida
Teu amor, meu amor, incendeia
Nossa cama parece uma teia
Teu olhar uma luz que clareia
Meu caminho tal qual lua cheia
Eu nem posso pensar te perder
Ai de mim, esse amor terminar
Sem você, minha felicidade
Morreria de tanto penar
Verdade

Compositor: Carlinhos Santana / Nelson Rufino

Clipe de Verdade, de Zeca Pagodinho

Contagiante apresentação dessa figuraça que é Zeca Pagodinho.

 

Mas que nada, de Jorge Benjor – Músicas de Samba

Música que se encontra no primeiro e emblemático disco de Jorge, “Samba Esquema Novo”, simplesmente um dos discos mais importantes da música brasileira. Simplesmente, um clássico atemporal.

Letra de Mas que nada, de Jorge Benjor

Mas que nada
Sai da minha frente eu quero passar
O samba está animado
Que eu quero é sambar
E esse samba que é misto de maracatu
É samba de preto velho
Samba de preto tu
Mas que nada
Um samba como esse tão legal
Você não vai querer que eu chegue no final

Compositor: Jorge Benjor

Clipe de Mas que nada, de Jorge Benjor

Antológica apresentação datada de 1979, com participações de Gilberto Gil e Sérgio Mendes.

 

Brasil Pandeiro, dos Novos Baianos – Músicas de Samba

“Acabou Chorare” também é outro disco importantíssimo da história da música brasileira, um verdadeiro tratado de como misturar samba com outros ritmos, e mesmo assim, soar brasileiríssimo.

Letra de Brasil Pandeiro, dos Novos Baianos

Chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor
Eu fui à Penha, fui pedir a Padroeira para me ajudar
Salve o Morro do Vintém, Pendura a saia eu quero ver
Eu quero ver o tio Sam tocar pandeiro para o mundo sambar
O Tio Sam está querendo conhecer a nossa batucada
Anda dizendo que o molho da baiana melhorou seu prato
Vai entrar no cuzcuz, acarajé e abará.
Na Casa Branca já dançou a batucada de ioiô, iaiá
Brasil, esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreiros que nós queremos sambar
Há quem sambe diferente noutras terras, outra gente
Um batuque de matar
Batucada, reunir vossos valores
Pastorinhas e cantores
Expressão que não tem par, ó meu Brasil
Brasil, esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreiros que nós queremos sambar
Ô, ô, sambar, iêiê, sambar…
Queremos sambar, ioiô, queremos sambar, Iaiá

Compositores: Assis Valente

Clipe de Brasil Pandeiro, dos Novos Baianos

Descompromissada gravação feita para um documentário da época.

 

Conversa de Botequim, de Noel Rosa – Músicas de Samba

Noel Rosa foi um autêntico boêmio, viveu muitas das coisas que cantava, morreu cedo, e deixou composições antológicas para o samba, que viraram pedras preciosas pra quem quisesse enveredar pelo estilo dali pra frente.

Letra de Conversa de Botequim, de Noel Rosa

Seu garçom, faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um guardanapo e um copo d’água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol
Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão
Uma caneta, um tinteiro
Um envelope e um cartão
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro
Que me empreste umas revistas
Um isqueiro e um cinzeiro
Telefone ao menos uma vez
Para três quatro, quatro, três, três, três
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empresta algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure esta despesa
No cabide ali em frente

Composição: Noel Rosa

Clipe de Conversa de Botequim, de Noel Rosa

Gravação da época, totalmente nostálgica.

 

Vou Festejar, de Beth Carvalho – Músicas de Samba

Beth Carvalho , assim como Alcione, é uma das grandes divas do samba, e muitas das canções que ela interpretou ao longo de sua carreira, caberiam muito bem aqui nesta lista. “Vou Festejar” ganha o mérito por ter em sua estrutura um dos arranjos mais empolgantes da história do samba.

Letra de Vou Festejar, de Beth Carvalho

Chora!
Não vou ligar
Não vou ligar
Chegou a hora
Vais me pagar
Pode chorar
Pode chorar
Mas chora!
É, o teu castigo
Brigou comigo
Sem ter porquê
Eu vou festejar
Vou festejar
O teu sofrer
O teu penar
Você pagou com traição
A quem sempre
Lhe deu a mão

Compositores: Dida / Jorge Aragão / Neoci

Clipe de Vou Festejar, de Beth Carvalho

Vídeo com apresentação da cantora ao lado de sua escola do coração, a Mangueira.

 

Alvorada, de Cartola – Músicas de Samba

Indiscutivelmente, Cartola é um dos compositores mais importantes do samba, influência máxima pra muitos que viram depois, de Diogo Nogueira até o rapper Marcelo D2. “Alvorada” é uma de suas mais bonitas composições.

Letra de Alvorada, de Cartola

Alvorada lá no morro
Que beleza
Ninguém chora
Não há tristeza
Ninguém sente dissabor
O sol colorindo é tão lindo
É tão lindo
E a natureza sorrindo
Tingindo, tingindo
A alvorada
Você também me lembra a alvorada
Quando chega iluminando
Meus caminhos tão sem vida
E o que me resta é bem pouco
Ou quase nada, do que ir assim, vagando
Numa estrada perdida

Compositores: Carlos Cachaça / Cartola / Hermínio De Carvalho

Clipe de Alvorada, de Cartola

Apresentação do cantor ao lado de Leci Brandão, outro ícone do samba.

 

Meu Lugar, de Arlindo Cruz – Músicas de Samba

Arlindo Cruz é outro que se encontra no panteão dos grandes sambistas, e escolher apenas uma de suas músicas é tarefa ingrata. Mas, “Meu Lugar” ganha a vaga por apresentar uma enxurrada de referências das boas.

Letra de Meu Lugar, de Arlindo Cruz

O meu lugar
É caminho de Ogum e Iansã
Lá tem samba até de manhã
Uma ginga em cada andar
O meu lugar
É cercado de luta e suor
Esperança num mundo melhor
E cerveja pra comemorar
O meu lugar
Tem seus mitos e Seres de Luz
É bem perto de Osvaldo Cruz
Cascadura, Vaz Lobo e Irajá
O meu lugar
É sorriso, é paz e prazer
O seu nome é doce dizer
Madureira, iá laiá
Ai, meu lugar
A saudade me faz relembrar
Os amores que eu tive por lá
É difícil esquecer
Doce lugar
Que é eterno no meu coração
E aos poetas traz inspiração
Pra cantar e escrever
Ai, meu lugar
Quem não viu Tia Eulália dançar?
Vó Maria o terreiro benzer?
E ainda tem jongo à luz do luar
Ai, meu lugar
Tem mil coisas pra gente dizer
O difícil é saber terminar
Madureira, iá laiá
Madureira, iá laiá
Madureira
Em cada esquina, um pagode, um bar
Em Madureira
Império e Portela também são de lá
Em Madureira
E no Mercadão você pode comprar
Por uma pechincha, você vai levar
Um dengo, um sonho pra quem quer sonhar
Em Madureira
E quem se habilita, até pode chegar
Tem jogo de ronda, caipira e bilhar
Buraco, sueca pro tempo passar
Em Madureira
E uma fezinha até posso fazer
No grupo dezena, centena e milhar
Pelos 7 lados eu vou te cercar
Em Madureira

Compositores: Arlindo Cruz / Mauro Diniz

Clipe de Meu Lugar, de Arlindo Cruz

Apresentação mais do que carismática desse excelente compositor.

 

Maracangalha, de Dorival Caymmi – Músicas de Samba

A família Caymmi realmente tem enormes contribuições à música brasileira em geral. De Dorival, temos um dos sambas mais conhecidos de todos os tempos, com uma letra simples, mas eficiente.

Letra de Maracangalha, de Dorival Caymmi

Eu vou prá Maracangalha
Eu vou!
Eu vou de liforme branco
Eu vou!
Eu vou de chapéu de palha
Eu vou!
Eu vou convidar Anália
Eu vou!
Se Anália não quiser ir
Eu vou só!
Eu vou só!
Eu vou só!

Compositor: Dorival Caymmi

Clipe de Maracangalha, de Dorival Caymmi

Gravação feita em 1991 com Dorival Caymmi e ninguém menos que Tom Jobim.

 

A Amizade, de Fundo de Quintal – Músicas de Samba

O Fundo de Quintal é praticamente uma instituição do samba no Brasil, com o grupo tendo sido formado no final da década de 70, e estando em atividade até os dias de hoje. “A Amizade” é uma das suas melhores músicas, sem dúvida.

Letra de A Amizade, de Fundo de Quintal

La laiá, la laiá, la laiá, la laiá
Valeu por você existir, amigo
Amigo, hoje a minha inspiração
Se ligou em você
E em forma de samba
Mandou lhe dizer
Tão outro argumento
Qual nesse momento
Me faz penetrar
Por toda nossa amizade
Esclarescendo a verdade
Sem medo de agir
Em nossa intimidade
Você vai me ouvir
Foi bem cedo na vida que eu procurei
Encontrar novos rumos num mundo melhor
Com você fique certo que jamais falhei
Pois ganhei muita força tornando maior
A amizade
Nem mesmo a força do tempo irá destruir
Somos verdade
Nem mesmo este samba de amor pode nos resumir
Quero chorar o seu choro
Quero sorrir seu sorriso
Valeu por você existir, amigo

Compositor: Cleber Augusto

Clipe de A Amizade, de Fundo de Quintal

Vídeo onde todos os integrantes do grupo explicitam bem a letra dessa música, se é que me entendem…

 

Esperanças Perdidas, de Originais do Samba – Músicas de Samba

Grupo que teve grande sucesso nos anos 70, e que tinha entre os seus integrantes, ninguém menos do que o saudoso Mussum, dos Trapalhões. Esta é uma de suas músicas mais conhecidas; um verdadeiro hino ao samba.

Letra de Esperanças Perdidas, de Originais do Samba

Quantas belezas deixadas nos cantos da vida
Que ninguém quer e nem mesmo procura encontrar
E quando os sonhos se tornam esperanças perdidas
Que alguém deixou morrer sem nem mesmo tentar

Minha beleza encontro no samba que faço
Minhas tristezas se tornam um alegre cantar
É que carrego o samba bem dentro do peito
Sem a cadência do samba não posso ficar
Não posso ficar, eu juro que não
Não posso ficar, eu tenho razão
Já fui batizado na roda de bamba
O samba é a corda e eu sou a caçamba
Quantas noites de tristeza ele me consola
Tenho como testemunha a minha viola
Ai, se me faltar o samba não sei o que será
Sem a cadência do samba não posso ficar

Compositor: Délcio de Carvalho

Clipe de Esperanças Perdidas, de Originais do Samba

Apresentação antológica no programa MPB Especial.

 

Insensato Destino, de Almir Guineto – Músicas de Samba

Fundador do grupo Fundo de Quintal, Almir Guineto possui inúmeras composições do mais puro samba de raiz. “Insensato Destino” é um bom exemplo disso; um clássico absoluto do estilo.

Letra de Insensato Destino, de Almir Guineto

Oh, insensato destino pra que
Tanta desilusão no meu viver?
Eu quero apenas ser feliz
Ao menos uma vez
E conseguir o acalanto da paixão.
Fui desprezado e magoado
Por alguém que abordou meu coração.
Fui desprezado e magoado
Por alguém que abordou meu coração.
Destino, por que fazes assim?
Tenha pena de mim!
Veja bem, não mereço sofrer.
Quero apenas um dia poder
Viver num mar de felicidade.
Com alguém que me ame de verdade.

Compositores: Acyr Marques / Chiquinho

Clipe de Insensato Destino, de Almir Guineto

Apresentação ao lado de Zeca Pagodinho, uma ótima companhia.

 

Sonho Meu, de Dona Ivone Lara – Músicas de Samba

Falecida recentemente, Dona Ivone Lara foi uma presença forte da mulher no meio do samba, dando contribuições valiosíssimas ao estilo. Se Paulinho da Viola é o “Príncipe do Samba”, Dona Ivone Lara é a “Princesa”.

Letra de Sonho Meu, de Dona Ivone Lara

Sonho meu, sonho meu
Vai buscar quem mora longe, sonho meu
Sonho meu, sonho meu
Vai buscar quem mora longe, sonho meu
Vai mostrar esta saudade, sonho meu
Com a sua liberdade, sonho meu
No meu céu a estrela guia se perdeu
E a madrugada fria só me traz melancolia
Sonho meu
Sinto o canto da noite na boca do vento
Fazer a dança das flores no meu pensamento
Traz a pureza de um samba
Sentido, marcado de mágoas de amor
Um samba que mexe o corpo da gente
E o vento vadio embalando a flor
Traz a pureza de um samba
Sentido, marcado de mágoas de amor
Um samba que mexe o corpo da gente
E o vento vadio embalando a flor
Sonho meu

Compositores: Délcio Carvalho / Dona Ivone Lara

Clipe de Sonho Meu, de Dona Ivone Lara

Apresentação com vários artistas prestando reverência a Dona Ivone Lara.

 

A Flor e o Espinho, de Nelson Cavaquinho – Músicas de Samba

Falar da importância de Nelson Cavaquinho para o samba é chover no molhado. Ideal mesmo é escutar novamente várias de suas ótimas composições, como esta aqui, “A Flor e o Espinho”.

Letra de A Flor e o Espinho, de Nelson Cavaquinho

Tire o seu sorriso do caminho
Que eu quero passar com a minha dor
Hoje pra você eu sou espinho
Espinho não machuca a flor
Eu só errei quando juntei minh’alma à sua
O sol não pode viver perto da lua
É no espelho que eu vejo a minha mágoa
A minha dor e os meus olhos rasos d’água
Eu na sua vida já fui uma flor
Hoje sou espinho em seu amor

Compositor: Nelson Cavaquinho

Clipe de A Flor e o Espinho, de Nelson Cavaquinho

Apresentação do músico em programa da TV Cultura, na década de 70.

 

Não deixem o samba morrer!

O samba continua sendo reverenciado no Brasil e no mundo (sim, vários artistas internacionais já prestaram suas reverências ao estilo de diversas maneiras). Enquanto isso, uma nova geração está surgindo, o que prova que o samba realmente não vai acabar!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.