O pastorzinho e o lobo é mais uma das famosas fábulas de Esopo. Ela mostra claramente que um mentiroso poderá sofrer drasticamente devido seu vicio em contar mentiras.

Não alimentar o hábito de mentir é o melhor remédio, para que, no momento em que dizer a verdade, não fique desacreditado diante das pessoas.

O pastorzinho e o lobo – Fábula de Esopo

Certo menino, por ser muito travesso e viver sempre aprontando na vizinhança, acabou chamando a atenção do dono da propriedade. O mesmo, foi até a mãe do garoto e sugeriu:

– Seu filho já está na idade de contribuir para as despesas da casa não acha? Gostaria dar-lhe algumas ovelhas para que pudesse pastorear, em troca, lhe darei um salário, o que acha?

-Boa ideia senhor, assim Esopo não terá tempo de ficar por aí pregando mentiras e assustando as pessoas!

No entanto, o garoto não gostou nada da ideia de ter que dar duro, contudo, na manhã seguinte, pegou seu cantil com água, um cajado, e lá foi ele, pastorear o rebanho.

Passado alguns dias, já entediado por não ter aprontado com ninguém, Esopo decidiu que iria pregar uma peça nas pessoas do pequeno lugarejo. Pelo amanhecer ele correu até o povoado e gritou:

– Olha o lobo! Olha o loboooo! Ele está pegando minhas ovelhas socorro!

As pessoas ao ouvirem o grito do menino, saíram correndo para ajudá-lo. Ao chegarem no lugar, nada encontraram. Ao verem que se tratava de uma brincadeira de mau gosto, ficaram muito enraivecidos, porém, Esopo, agachava-se de tanto rir. Riu tanto que até cansou, e resolveu adormecer debaixo de uma árvore.

Quando ouviu um urrado, acordou assustado! Um enorme lobo, começou a devorar o rebanho, desesperado, Esopo correu a até a cidade  e pediu socorro!

– Olha o lobo, olha o lobo! Me acudam, olha o lobo!

Porém, ninguém mais lhe quis dar ouvidos, pois pensavam ser mentira. Quando ele voltou, o lobo já havia ido embora, porém, havia devorado todas as ovelhas.

Moral da história: “Ninguém acredita no mentiroso, mesmo que ele esteja dizendo a verdade”

Fábula de Esopo  – Adaptação: Elaine Costa

Sobre  Esopo: o autor da fábula : O pastorzinho e o lobo

Essa fábula é atribuída à Esopo, um sábio e velho escravo da Grécia antiga, que educava o povo por meio de suas histórias e fabulas. Ele viveu no 6º século antes de Cristo.No entanto, parece não haver registros validados sobre avida de Esopo, a não ser os contos passados de geração em geração.

Exercício de Leitura para fundamental l

  1. O que a fábula do pastorzinho e o lobo nos ensina?
  2. Por que dizer mentiras não é bom?
  3. Dê o antônimo das seguintes palavras:    Desesperado –  assustado – mentiroso
  4. Dê o sinônimo de : Enraivecido – rir-  devorar
  5. Escreva dois parágrafos contando alguma mentira que trouxe medo para você ou sua família. Se não se lembrar, comente em sua construção textual, o que pensa sobre enganar as pessoas.
  6. Vamos colorir?

 

 

Proposta de atividade/ Dinâmica -O pastorzinho e o lobo

Essa é uma ótima oportunidade para trabalhar com as crianças sobre a questão de não mentirem. Há quem defenda que uma mentira, se for para boa causa não faz mal, mas, na realidade, toda pessoa que tem o hábito de mentir, torna-se alguém de conduta duvidosa, e isso não é bom.

Sugerimos um teatro de fantoches, que pode ser feito aproveitando a fábula, do pastorzinho e o lobo, ou com outras adaptações ou versões diferentes. Para auxiliá-lo na construção de fantoches, inserimos abaixo um vídeo do Youtube, ensinado a fabricar de forma fácil e reciclável, fantoches incríveis! Vamos ver?

 

Versão em vídeo : O pastorzinho e o lobo

Aqui nós temos outra versão da história : O pastorzinho e o lobo, portanto, divirta-se!

FIM

Que tal? Gostou da fábula o pastorzinho e o lobo? Se gostou e deseja conhecer outras fábulas e histórias infantis, basta visitar os arquivos da demonstre, e se deliciar no mundo da imaginação. No entanto,não deixe de fazer seus comentários, pois é muito importante para nós.

Um grande abraço e até breve!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.