Professora Helena

A Professora Helena, personagem ternurinha de Carrossel, agora é escritora. A atriz Rosanne Mulholland, uma das protagonistas da série favorita das reprises do SBT, lançará em março no Brasil Para onde foi meu coração?, ficção infantil sobre Nino, um menino que vê seu coração fugir depois da morte da avó. Desde sua estreia em 2012 na grade do SBT, a versão brasileira de carrossel tem se revelado um fenômeno de popularidade como há tempos não se via no canal de Silvio Santos.

Professora Helena
Professora Helena

O sucesso da novelinha adaptada por Íris Abravanel tem sido tão grande de lá para cá que rendeu, nesse meio tempo, um spin-off em formato de série (“Patrulha Salvadora”), um desenho animado, dois longas-metragens, três reprises a últimas delas recém-iniciada, incontáveis brinquedos e produtos licenciados. É um filão quase inesgotável.

O universo “Carrossel” é tão vasto que contempla algumas curiosidades de fundo do baú que pouca gente sabe ou se lembra. Vejamos as principais.

Nem tão mexicana assim

A versão original de “Carrossel” é mexicana, certo? Errado! Diferentemente do que muita gente pensa, a trama mexicana produzida no final dos anos 80 pela Televisa e protagonizada por Gabriela Rivero também é um remake.

A primeira filmagem da história em infantil se deu no ano de 1966 na Argentina, sob o título de “Jacinta Pichimahuida, la Maestra que no se Olvida” (Jacinta Pichimahuida, uma Professora Inesquecível). A protagonista era a personagem do título, professora adorável que guiava as aventuras de seus alunos pelos quase três anos de duração do programa.

Em 1974, “Jacinta Pichimahuida” ganhou uma nova versão com o mesmíssimo título, também muito exitosa, chegando a se estender por dois anos no ar. Uma terceira rodagem da história se deu novamente na Argentina, entre 1983 y 1985: “Señorita Maestra” (Senhorita Professora). Foi este, inclusive, o texto usado como base para o “Carrossel” do México.

Quem foi Abel Santa Cruz?

O criador do argumento original de “Carrossel” é Abel Santa Cruz, um verdadeiro perito em escrever histórias capazes de cativar crianças e jovens por diversas gerações.

Professora Helena
Professora Helena

“Carinha de Anjo”, “Pícara Sonhadora”, “Chispita”, “Luz Clarita” e “Pequena Travessa” são algumas das novelas brasileiras e mexicanas que conhecemos por aqui e tiveram origem em obras escritas por ele.

Professora Helena mudou de intérprete

Sim, isso aconteceu, e foi justamente na primeira versão da história, “Jacinta Pichimahuida, la Maestra Que No Se Olvida”, gravada em Buenos Aires na década de 1960.

A atriz portenha Evangelina Salazar interpretava a professora Jacinta na novela infantil que se estendeu por quase três anos no ar. Ao fim dos dois primeiros, Salazar deixou a atração e a carreira de atriz para se casar com o cantor argentino Palito Ortega, seu namorado à época, e o papel da “amada mestra” foi assumido sem maiores explicações por outra intérprete, Silvia Moraes, de apenas 17 anos.

O público infantil local, porém, não gostou da troca e a audiência começou a cair, levando ao cancelamento do programa. Não à toa: além da inevitável “mudança de look“, ambas atrizes fizeram leituras distintas da personagem – Mores imprimiu um tom mais vivaz e jovial à professorinha, bem diferente do ar melancólico e recatado, embora doce, que era a marca de sua precursora no mesmo papel.

O curioso é que, em outros países que exibiram essa versão da novela, tal rejeição não se repetiu. No Paraguai, por exemplo, “Jacinta Pichimahuida” só começou a bombar de verdade depois que Evangelina saiu de cena e Silvia entrou em seu lugar.

Professora virginal

No remake moderno de “Carrossel”, a professora Helena saiu um pouco da rotina da sala de aula para viver um doce romance com Renê (Gustavo Wabner), que ensinava música às crianças da Escola Mundial.

Professora Helena
Professora Helena

Nas versões anteriores da novela, porém, o galã da “querida mestra” nunca existiu. Da original argentina dos anos 60 à trama da Televisa em 1989, Helena foi completamente virginal e só vivia e respirava por seus alunos.

Essa característica da personagem só foi alterada em “Viva às Crianças”, adaptação mexicana de 2002, onde a professora Lupita (nome original da personagen) encontrou o amor nos braços do colega de docência Emiliano (Eduardo Capetillo). Este enredo, aliás, serviu de inspiração para a trama similar na versão de Íris Abravanel.

Professora Helena e muito mais!

Se você gostou de aprender mais sobre a professora Helena e quer continuar aprendendo sobre alguns dos professores mais famosos da cultura Pop, aproveite para ler nosso artigo sobre: Professor Raimundo.

Add Comment